31 agosto 2007

Por e-mail: A captura da palavra

De Tadeu Colares:
Caro Luciano, estou lendo 1964 - O golpe passado a limpo. Estou me deliciando com a leitura. No texto de meu amigo de longa data de Maceió, da aguerrida JEC e depois a JUC, Gildo Marçal Brandão, ele diz que os militares e políticos do Golpe de 64, "capturaram o tema da democracia"...no período pré-golpe, o que permitiu certa aglutinação que possibilitou uma base de apoio ao golpe.

Agora, pego uma carona no tema e pergunto: meu caro Luciano, acho que se pode dizer mais ou menos o mesmo, de outra forma:será possível que a direita, hoje, através do uso ideológico da grande mídia, não esteja querendo capturar a voz do povo!?

O sistemático processo da mídia de falar em nome do povo, como foi durante aquele período pós-desastre do avião da TAM, como se o povo fizesse o uso de avião em larga escala...já a tentativa do "cansei" já nasceu morta!

Com você, a palavra: ouso sugerir-lhe um artigo sobre este tema.

DESTAQUE DESTA SEXTA-FEIRA

Desenvolvimento em primeiro lugar

O governo federal encaminha hoje ao Senado o Plano Plurianual (PPA) 2008-2011, que prevê despesas de R$ 3,526 trilhões para o orçamento dos próximos quatro anos, sob o lema Desenvolvimento com Inclusão Social e Educação de Qualidade – que traduz a plataforma de sete pontos defendida pelo presidente Lula no segundo turno das eleições de outubro.

O destaque na mídia é ausência de recursos destinados ao Programa do Primeiro Emprego, que teria fracassado. Se fracassou, cabe verificar as causas, o porquê de não haver sensibilizado o empresariado.

Mas o principal do PPA não está aí. Está no volume de recursos previstos e na sua destinação. Do total, 28% serão aplicados na área social, na qual se enquadram, por exemplo, os programas de educação e de saúde; outros 20% irão para a infra-estrutura, que corresponde a energia, transporte, saneamento, urbanismo e comunicações; e 36% serão investidos no setor produtivo, que inclui o desenvolvimento e a agricultura.

Ou seja: investimentos pesados em infra-estrutura e no incentivo à produção, na contra-reação à financeirização da economia.

História: 31 de agosto de 1969

Junta dos 3 ministros militares assume a Presidência face à doença do gen. Costa e Silva, preterindo o vice Pedro Aleixo, com base no AI-12. Anos depois, sem citar nomes, Ulisses Guimarães alcunha-os de os 3 Patetas. (Vermelho http://www.vermelho.org.br/).

Bom dia, Mário Quintana

Canção da Primavera
(Para Érico Veríssimo)

Primavera cruza o rio
Cruza o sonho que tu sonhas.
Na cidade adormecida
Primavera vem chegando.

Catavento enloqueceu,
Ficou girando, girando.
Em torno do catavento
Dancemos todos em bando.

Dancemos todos, dancemos,
Amadas, Mortos, Amigos,
Dancemos todos até
Não mais saber-se o motivo...

Até que as paineiras tenham
Por sobre os muros florido!

Conjecturas para 2008

Na Folha de Pernambuco, por Marileide Alves:
João Paulo minimiza opinião de Siqueira
. O prefeito do Recife, João Paulo (PT), achou “absolutamente normal” a declaração do seu vice, Luciano Siqueira (PCdoB), de que tem no deputado estadual Sílvio Costa Filho (PMN) um parceiro “confortável” em uma suposta chapa majoritária para as eleições de 2008. “Não tem problema algum o fato de o vice-prefeito se sentir bem com uma composição com Sílvio Costa Filho. Ele fez um comentário absolutamente normal”, declarou o petista.
. No entanto, o prefeito fez questão de frisar sua opinião sobre a disputa. “O que eu sei é que eu defendo a tese de uma candidatura única no campo da esquerda. Agora, se isso vai ser possível ou não, as nossas articulações é que vão dizer”, comentou. Luciano Siqueira tem defendido a tese de mais de um palanque, caso não vingue entre os aliados o consenso em torno de um nome.
Para o comunista, a proposta parte de uma necessidade tática do campo das esquerdas de disputar as eleições municipais no Recife com candidaturas múltiplas, como ocorreu nas eleições de 2006 quando Humberto Costa (PT) e Eduardo Campos disputaram o pleito contra o candidato da União por Pernambuco, Mendonça Filho (DEM). A tese ganhou a adesão do deputado federal, Silvio Costa (PMN), que vê no projeto a possibilidade de seu filho, Sílvio Costa Filho, disputar o pleito.
. Condutor do processo, o prefeito João Paulo não acredita que esse tipo de comentário possa atrapalhar as “negociações” em torno de um nome. O petista não observa na fala do comunista uma antecipação do debate político. “Nós ainda vamos começar a conversar. Não tem antecipação nenhuma”, disse.

30 agosto 2007

Nossa coluna de toda quinta-feira no portal Vermelho

O joio, o trigo e o resgate da história

Em tudo na vida é necessário colocar as coisas nos seus devidos lugares, até porque, como se aprende no diálogo do Pequeno Príncipe com a Raposa (na obra de Saint-Exupèry), “a linguagem é uma fonte de mal-entendidos”. Daí se separar o joio do trigo para melhor compreender o que se passa.

Surgem na mídia insinuações de que estariam se verificando insatisfações no interior das Forças Armadas a propósito do lançamento, ontem, do livro Direito à Memória e à Verdade, pela Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República, que relata 339 casos de tortura, morte e outras atrocidades cometidas por militares durante a ditadura entre 1964-1985.

A inquietação na caserna (e entre oficiais da reserva) repousaria numa suposta importunidade de se trazer à luz, sob a chancela do Estado e com o aval explícito do presidente da República, fatos que incriminam chefes militares e subordinados. E há quem indague: restabelecido o Estado de Direito, as instituições democráticas em funcionamento e os militares eqüidistantes da cena política, por que mexer em assunto tão delicado?

Há que se responder que numa fase como a atual em que o país se repensa e procura se reencontrar com o seu verdadeiro rumo, resgatar a História é imprescindível à formação de uma consciência social avançada e à consolidação da democracia. Demais, não são as Forças Armadas como instituição que são responsabilizadas; são os que as desviaram do seu papel constitucional e cometeram tão hediondos crimes.

A geração atual de chefes militares não pode nem deve se sentir atingida com as revelações constantes no livro. Até porque, como assinala o Vermelho em editorial, seu pensamento estratégico, suas preocupações e desafios, até sua origem e laços sociais são outros; seus compromissos, hoje, estão centrados na defesa da soberania do país.

As Forças Armadas têm um papel constitucional insubstituível, o de responsáveis pela manutenção da defesa e da integridade da Nação. Esse papel estratégico e a necessidade de fortalecê-las são reconhecidos e enfatizados pelos democratas conseqüentes. O PCdoB, por exemplo, provavelmente o partido político mais atingido pela ditadura militar, tem defendido desde a Constituinte a necessidade de prover o Exército, a Marinha e a Aeronáutica de condições financeiras, equipamentos e armamentos modernos e de efetivos suficientes para resguardar a integridade do nosso imenso território.

DESTAQUE DESTA QUINTA-FEIRA

Bloco de Esquerda se diferencia

A prorrogação da CPMF é matéria polêmica. A oposição tucana e pefelista, que ajudou Fernando Henrique Cardoso a criá-la, agora é contra. A base governista, um tanto constrangida, a apóia agora por julgar que o governo não pode prescindir imediatamente dessa fonte de receita, estimada em R$36 bilhões este ano.
Mas a matéria é complexa. Comporta diferentes abordagens. Como faz o Bloco de Esquerda (PSB, PDT, PCdoB, PRB, PMN e PHS), que reúne 78 deputados: vai votar pela prorrogação, mas apresentará emendas.

O Bloco acolhe propostas dos partidos que o integram. Caso do PCdoB. Os comunistas desejam impedir a incidência da Desvinculação das Receitas da União (DRU) nas receitas arrecadadas pela CPMF e pede a diminuição da alíquota da CPMF, garantindo ao Executivo efetivar a diminuição por ato próprio.
O PCdoB quer que o acréscimo de recursos para a saúde, decorrentes da não-incidência da DRU, sejam utilizadas na execução de ações da atenção básica e de atendimento hospitalar e ambulatorial - ações que são realizadas por municípios e estados.

Dessa maneira, o Bloco cumpre o anunciado: apóia o governo, mas se diferencia da aliança PT-PMDB com opiniões e propostas próprias.

Desigualdades

O Estado de São Paulo:
Duas grandes pesquisas divulgadas ontem revelam um retrato do Brasil recente. A primeira, do IBGE, feita com base em orçamentos familiares de 2002 e 2003, mostra que 84% das famílias não têm ninguém com diploma universitário. Se tivessem, poderiam elevar sua renda em pelo menos 190%, num claro sinal de que estudar ainda é a melhor maneira de ascender. Outro levantamento, o das Metas do Milênio da ONU, aponta que o Brasil, em 2005 - dez anos antes do previsto - atingiu o objetivo de reduzir à metade o número de pobres em situação extrema.

História: 30 de agosto de 1943

Arruda, em 1945
O PCB, duramente atingido pela repressão do Estado Novo, conclui a conferência da Mantiqueira, clandestina, em Engenheiro Passos, RJ. Tem então 1.800 militantes soltos. Decide se empenhar para o Brasil entrar na guerra contra o nazismo, elege Prestes para o CC e projeta nova geração de dirigentes: Diógenes Arruda, João Amazonas, Maurício Grabois, Pedro Pomar, Mário Alves. (Vermelho http://www.vermelho.org.br/).

Naval

Jornal do Brasil:
O programa de revitalização da indústria naval ganhará novo gás nos próximos quatro meses. A expectativa é de construção de 20 embarcações, a maioria petroleiros, encomendados pela Transpetro - subsidiária de logística da Petrobras.

Especular não ofende

Na Folha de Pernambuco, por Paula Perrelli:
“Ter Sílvio comigo seria confortável”
Luciano Siqueira comenta a possibilidade de compor com PMN
. Quem chegou a pensar que o projeto de composição de chapa do deputado estadual Sílvio Costa Filho (PMN) para a Prefeitura do Recife estaria enterrado, pensou errado. Ontem, o parlamentar recebeu provas de que seu sonho pode se tornar realidade muito em breve. A maior prova foi a demonstração expressa do vice-prefeito do Recife, Luciano Siqueira (PCdoB), ao afirmar que tem em Sílvio Filho um parceiro “confortável” em uma suposta chapa majoritária para as eleições de 2008. “Muita gente fala nessa possibilidade, mas não existe nada discutido sobre o assunto. No entanto, ter comigo Sílvio Costa Filho seria, não apenas uma honra, mas extremamente confortável”, confidenciou.
. De acordo com o vice-prefeito, há uma necessidade tática do campo das esquerdas de disputar as eleições municipais com mais de uma opção. Na verdade, esse posicionamento já tem sido expresso por Siqueira há alguns meses. Ele acredita, entretanto, que uma definição só se dará em meados de março ou abril do próximo ano. “Nós estamos nos preparando”, garantiu.
. HOMENAGEM - A declaração do comunista foi dada em meio a um prestigiado almoço promovido pelo Caxangá Ágape, que reuniu cerca de 500 pessoas no salão do restaurante Boi Preto. De acordo com o grupo organizador, os únicos homenageados a conseguir reunir tantos convidados foram o governador Eduardo Campos (PSB) e o deputado federal Armando Monteiro Neto (PTB). Demonstrando entusiasmo com a candidatura de Sílvio Costa Filho, o deputado federal Silvio Costa (PMN), pai do homenageado, fez um discurso emocionado, no qual exaltou o que poderia ser a grande chance do filho. “Se depender de mim, você teria 25 anos, mas de trabalho pelo Recife. Todo mundo sabe da minha opinião”, arrematou.
. Com breve relato do que já conquistou como político, Sílvio Costa Filho agradeceu ao público por estar sendo constantemente lembrado para a disputa eleitoral no Recife, assim como outros prefeituráveis. “Eu não tenho pressa. Hoje, meu objetivo é ajudar Eduardo Campos. Ele recebeu o Estado com muitas dificuldades sociais. Tenho outro desafio, que é tentar representar a nova geração pernambucana. Eu quero estar preparado para, quando uma candidatura majoritária surgir, que seja com naturalidade”, avisou.

29 agosto 2007

Millôr sabe o que diz

Fim de tormenta,
Lua reposta.
Brotam carneiros
Nas encostas.

Homenagem à UNE na posse da UEP


No Boletim Diário da PCR:
. No último dia 11, a União Nacional do Estudantes (UNE), completou 70 anos de fundação. Para comemorar a data foi realizada na noite última terça-feira (28), no plenário da Assembléia Legislativa, uma cerimônia de homenagem a história de luta da organização. O evento também serviu para empossar a nova diretoria da União dos Estudantes de Pernambuco (UPE).
. O vice-prefeito do Recife, Luciano Siqueira prestigiou o evento. "A União Nacional dos Estudantes é parte ativa e destacada da história do Brasil. Não só porque é uma entidade que sempre esteve presente em todos os momentos da história, mas também por dotar o nosso país de grandes quadros políticos, oriundos de sua escola", ressaltou o vice-prefeito. Por sua vez, Milena Queiroz, diretora de mulheres da UNE, destacou a história de luta da União dos Estudantes. "A UNE sempre representou os estudantes do nosso país dentro e fora das universidades. Nos seus 70 anos de história, conseguiu organizar atividades significativas e campanhas vitoriosas", falou.
Foto: Paulo Lopes

Instituto Cristina Tavares


No Boletim Diário da PCR:
Vice-prefeito recebe representantes do Instituto Cristina Tavares
. Nesta quarta-feira (29), às 9h, o vice-prefeito do Recife Luciano Siqueira, recebeu em seu gabinete os representantes do Instituto Cristina Tavares (ICT). O grupo apresentou detalhes sobre o trabalho realizado e sugeriu uma parceria entre a Prefeitura do Recife e o instituto. “Trabalhamos para acolher, hospedar, orientar e encaminhar o paciente adulto e portador de câncer, na busca pelos seus direitos e por tratamento digno, consolidando sua condição de cidadão. A parceria entre a organização não-governamental (ONG) e a administração municipal é muito positiva”, afirmou a diretora-presidente do ICT, Antonieta Barbosa. Para o vice-prefeito o apoio oferecido pelo instituto ao pacientes de câncer é essencial. “A idéia de ação integral é muito justa. Essa parceria é muito importante para a população”, disse.
. Instituto – O Instituto Cristina Tavares (ICT) é uma organização não-governamental fundada em 2005 e voltada para a atenção integral das necessidades do adulto portador de câncer. O ICT tem como objetivo informar, esclarecer e acompanhar os pacientes de câncer conscientizando da sua cidadania, oferecer assistência jurídica, social e psicológica e fornecer alimentação para os pacientes dos serviços de radioterapia. A sede administrativa do instituto está instalada à Rua da Hora nº. 786-A, Espinheiro.
Foto: Fernando Silva

Por e-mail, sobre a política fiscal do município

De Renata Viana:
. Vejo a redução do quantitativo de impostos, bem como a renegociação da dívida como a única saída que qualquer governo tem que implementar, pois permite que pessoas de baixa renda possam honrar seus compromissos, ao mesmo tempo em que se alto credencia cidadão. Esta é uma visão acertada em busca de igualdade social.
. Outrossim, tomando como base a palestra da economista Tânia Bacelar que afirma com base de cálculos futuristas que o Brasil chegará à quinta economia do mundo, portanto os programas de governo atual demonstram que funcionam e terão uma grande ascendência, revelando claramente que a população brasileira de baixa renda deixará para trás a condição de miserável.

Nova Lei Orgânica


Boletim Diário da PCR:
Vice-prefeito participa de evento na Câmara Municipal
O vice-prefeito do Recife, Luciano Siqueira participou, na tarde desta quarta-feira (29), do descerramento da placa em homenagem a reformulação da Lei Orgânica municipal. O evento ocorreu na Câmara Municipal e contou com a presença do presidente da casa, Josenildo Sinésio, do secretário municipal de Assuntos Jurídicos, Bruno Ariosto, do deputado estadual, Silvio Costa Filho, e do relator da lei, Vicente André Gomes. “Quero ressaltar o papel imprescindível desta casa nos pleitos dos recifenses que fica ainda mais acentuado com a homologação da lei. Queremos levar até o fim dos nossos mandatos (referindo-se a ele e ao prefeito João Paulo) esta harmonia e respeito mútuo entre os poderes Executivo e Legislativo”, pontuou Siqueira.
Foto: Fernando Silva

João Lemos reforça educação

No Vermelho:
Prefeitura de Camaragibe constrói escola para 400 alunos
O prefeito de Camaragibe, João Lemos, autoriza nesta terça-feira (28.08), às 19h, em ato público, o início das obras de construção da Escola Municipal Ersina Lapenda. A instituição vai ser erguida na Estrada de Aldeia, Km 3, próximo ao bairro de Tabatinga e à comunidade de Ostracil. A nova unidade de ensino vai atender cerca de 400 alunos do ensino infantil e fundamental (manhã e tarde), além dos estudantes do EJA – Educação de Jovens e Adultos (noite). A prefeitura está investindo R$ 800 mil nas obras, com recursos do Tesouro Municipal.

O colégio terá cinco salas de aula, sendo duas delas destinadas ao atendimento da Educação Infantil e três ao Ensino Fundamental. Cada sala irá atender de 25 a 40 alunos, conforme deliberação da IV Conferência Municipal de Educação. A escola será dotada também de biblioteca, sala de professores, sala de recursos audiovisuais, laboratório de informática, cozinha, refeitório, dispensa, sala da diretoria, sala para secretaria, área de lazer, banheiros e rampas para portadores de deficiência.

Para construir a nova instituição, a Prefeitura de Camaragibe adquiriu quatro lotes (terrenos) por cerca de R$ 100 mil e a iniciativa partiu do atendimento à demanda exposta pelas comunidades de Tabatinga e Loteamento São Jorge, além das diretrizes traçadas pela IV Conferência de Educação.

Debater é preciso


Para inserir sua opinião, clique sobre a palavra "comentários", abaixo. Você tem a opção de assinar gratuitamente o blog e toda vez que postar seu comentário sua assinatura será imediata. Ou usar a opção “anônimo”, porém assine ao final do texto para que possamos publicar o que você escreveu. Para enviar um e-mail clique aqui: lucianosiqueira@uol.com.br

Boa tarde, Adalberto Monteiro

Miró

Jogadores de uma perna só

Outro dia fez um rasgo de sol
No inverno paulistano e fui a São Vicente.
Na praia um jogo de futebol de amputados.
Vitalidade e intrepidez da vida que não se rende,
Que supera desgraças e adversidades.

Correm, correm, com 3 pernas...
Duas de metal e uma de só de osso e carne.
A única perna luta para ter a habilidade
De si e da outra que se perdeu.
Quando um cai,
Muletas e homem rolando na areia,
Não há nada de coitadinho...
Um deles, com o
humor de qualquer jogador, brinca:
- Chama a ambulância...

Os goleiros têm um braço só,
Não podem agarrar a bola,
Mas sufocam-na contra o peito, contra o solo.

A bela perna única que parece conter a
Beleza e a força de duas, chuta a bola e...
A bola sai da areia e vai ao encontro da
Onda que se quebra,
Aquele homem de três pernas
Resgata a bola que bóia nas marolas
E a lança ao ponta-direita que em
Desabalada carreira evita a saída e cruza...
E o craque do time, salta com a elegância de um Pelé,
No salto, atira ao longe as pernas de metal,
Ergue o pescoço, gira a cabeça, e gooll !
Goollll !!!

Aqueles jogadores de futebol de uma perna só,
Ou de três pernas como se queira,
Eu os achei tão belos e fortes
Quanto o oceano!

DESTAQUE DESTA QUARTA-FEIRA

Resgate da história, uma questão nacional

O livro Direito à Memória e à Verdade, lançado hoje pela Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República, que relata 339 crimes de morte da ditadura militar (1964-1985), casos de tortura, estupro, degola e ocultação de cadáveres, não deve ser visto como instrumento de combate às Forças Armadas. A instituição não é alvo de acusação, mas alguns dos que a comandaram durante o regime militar.

Mais do que isso, o livro revela uma parte importante de nossa história que as novas gerações têm o direito de conhecer. Nesse sentido, é uma contribuição à formação de uma consciência social avançada, um reforço às inclinações democráticas do nosso povo.

As Forças Armadas têm um papel constitucional insubstituível, o de responsáveis pela manutenção da defesa e da integridade da Nação. Desviadas de função, podem cometer erros como os praticados no mais recente período autoritário. Esse papel estratégico e a necessidade de fortalecê-las fazem parte da consciência patriótica que acolhe a revelação dos crimes contra a liberdade de pensamento e a integridade física dos que combateram a ditadura.

Superávit de pé no chão

Gazeta Mercantil:
O superávit primário do governo central (Tesouro Nacional, Previdência e Banco Central) até julho foi de R$ 47,7 bilhões, equivalente a 3,35% do PIB. Este resultado está bem próximo da meta para todo o ano, de R$ 50 bilhões. A economia reflete nos investimentos, que estão crescendo abaixo desse ritmo.

História: 29 de agosto de 1983

Finda o congresso de fundação da Central Única dos Trabalhadores (CUT), em São Bernardo, SP. Reuniu 5.059 delegados de 912 entidades e elege Jair Menegueli presidente (até 1994). A unidade aludida na sigla não se efetiva, mas a CUT se afirma como maior e mais longeva central da história do sindicalismo brasileiro. (Vermelho http://www.vermelho.org.br/).

Democratizando o crédito

O Globo:
A Caixa Econômica Federal reagiu à concorrência e resolveu facilitar a compra da casa própria para pessoas da classe média que ganham acima de R$ 1,875 mensais, com recursos da Caderneta de Poupança e do FGTS. O prazo para pagamento subiu de 20 para 30 anos e os custos estão menores. A previsão é de que o financiamento fique até 17% mais barato. As novas regras valem para imóveis novos, usados e em construção. A Caixa criou uma faixa de imóveis de R$ 130 mil a R$ 200 mil, com taxa de 10,5% ao ano, mais a TR. A redução, nesse caso, foi de um ponto.

Tapando o sol com a peneira

Na Folha de S. Paulo:
Ex-ministro Delfim Netto lançou ontem dúvidas sobre a veracidade do documento oficial que descreve atos de tortura durante a ditadura militar (1964-1985). Ministro da Fazenda nos governos Costa e Silva e Médici, Delfim disse - à véspera da divulgação do livro - que "há sérias dúvidas se tudo é verdade". Participante da reunião do Conselho de Segurança Nacional que levou à promulgação do AI 5, Delfim afirmou desconhecer o que ocorria nos "porões". "Não havia ligação entre a área econômica e os ministros militares. Nunca houve", alegou ele, criticando uma indústria de indenizações no país.

Nosso artigo de toda quarta-feira no Blog de Jamildo (ex-Blog do JC)

Para que o Brasil deixe de ser cassino

A crise financeira dos EUA causada pelo rompimento da bolha que é o mercado especulativo imobiliário norte-americano ainda não acabou. Persistem a inadimplência dos chamados créditos de risco e o excesso de endividamento de empresas e consumidores norte-americanos. E talvez nem acabe – ou, melhor dizendo, acabe em mais confusão, seja controlada à custa de muitos prejuízos dos integrantes mais fracos da cadeia econômica mundial. A corda pode arrebentar contra os países em desenvolvimento, entre eles o Brasil. Como já aconteceu em outras oportunidades.

Quer um exemplo? A diminuição da oferta de crédito, com conseqüências nocivas sobre a produção e também sobre o preço dos ativos. Os preços das principais commodities cá entre nós já sofrem a rebordosa. E tem mais: se o dólar se fixar num patamar, digamos, de R$ 2,5 e vier uma pressão inflacionária forte, o Banco Central recorrerá à elevação da taxa de juros ou, no mínimo, a uma interrupção na trajetória atual de queda e conseqüente diminuição do ritmo da retomada do crescimento econômico.

O Jornal do Commercio de hoje, aliás, já noticia que dados do Banco Central indicam que nos 15 primeiros dias de agosto, as taxas deixaram de cair, quebrando trajetória registrada desde fevereiro. A média praticada na quinzena foi de 35,9% ao ano, repetindo a de julho. E que na quinzena, a média dos empréstimos para empresas teve juro de 23% e para pessoas físicas, 47%. Os dois números são iguais aos praticados em julho.

Mas as conseqüências sobre o nosso país podem ser mais sérias ainda. Veja a questão do fluxo de capitais chamados voláteis. Investidores do mundo inteiro, atraídos pelas condições de rentabilidade aqui oferecidas, drenam parte importante de suas aplicações para o Brasil. Esse atrativo pode deixar de existir, ou não ser mais suficiente para manter aqui grandes volumes dessas aplicações. Nesse caso, os que aqui investem podem redirecionar seus investimentos para outros lugares, momentaneamente mais vantajosos, promovendo a tão temida fuga de capitais.

Sabe qual o mecanismo de que o governo dispõe para evitar isso? Nenhum. Não há, no Brasil, o controle do fluxo de capitais, o que nos constrange a uma situação semelhante à de um cassino. Nisso, estamos mais atrasados do que países como Chile e os chamados tigres asiáticos, por exemplo.

Esta é uma boa hora do governo dá um jeito nisso valendo-se do clima criado com a crise norte-americana.

Mas tem um porém. Essa não é uma medida que se tome avisando com antecedência. Tem que entrar no Diário Oficial da União de madrugada. Do contrário, os especuladores migrariam para outras praças em questão de segundos.

Resta conferir se esse é o propósito do governo federal.

28 agosto 2007

Nova arma contra o câncer


Na Ciência Hoje:
Terapia genética e vacina de DNA são promessas na luta contra tumores pulmonares e cervicais
. Novos tratamentos que estão sendo desenvolvidos atualmente em laboratórios brasileiros podem, no futuro, ajudar pacientes na luta contra alguns tipos de câncer. As pesquisas, apresentadas na semana passada na 22ª Reunião da Federação das Sociedades de Biologia Experimental (Fesbe), em Águas de Lindóia (São Paulo), obtiveram bons resultados com o uso de terapia gênica e vacinas de DNA para combater tumores pulmonares e cervicais.
. Na terapia gênica, usam-se cópias sadias de genes para curar pessoas com doenças de origem genética ou para destruir cânceres. “A vantagem de usar essa técnica para tumores é que já se conhece muito sobre eles, o que permite escolher os alvos da terapia”, explica a bióloga molecular Eugenia Costanzi-Strauss, coordenadora do Laboratório de Terapia Gênica da Universidade de São Paulo (USP).

História: 28 de agosto de 1979

O general Figueiredo sanciona a Anistia, parcial, limitada e recíproca mas ainda sim uma conquista. Parte dos presos políticos é libertada, os exilados retornam à pátria, os clandestinos voltam à superfície. (Vermelho http://www.vermelho.org.br/).

DESTAQUE DESTA TERÇA-FEIRA

Força e juízo

De passagem ontem pelo Recife, o deputado federal Ciro Gomes fez conjecturas sobre a batalha eleitoral de 2010. Reconheceu o potencial dos governadores de São Paulo, José Serra, e Aécio Neves, de Minas gerais, ambos tucanos, se resolverem se unir reproduzindo a velha política café com leite que dava, antes da Revolução de 30, a primazia dos dois estados de governarem o país alternando-se no poder.


Disse também que isso pode ser compensado pelos êxitos do governo do presidente Lula. E se as forças que hoje fazem parte da coalizão governista “tiverem juízo”, ou seja, se conseguirem manter a unidade.

Só que 2010 passa por 2008. E aí as coisas têm que ser encaradas com muita maturidade e compreensão para com a natureza multifacética da política em âmbito municipal. No Brasil, cada município é um mundo à parte, com suas peculiaridades. Tudo pode acontecer. Inclusive a concorrência entre partidos da atual base governista, sem que isso signifique nenhuma dificuldade para a caminhada rumo a 2010.

Bom dia, Mário Quintana


Eu ouço música
Eu ouço música como quem apanha chuva:
resignado
e triste
de saber que existe um mundo
do Outro Mundo...
Eu ouço música como quem está morto
e sente
um profundo desconforto
de me verem ainda neste mundo de cá...
Perdoai,
maestros,
meu estranho ar!
Eu ouço música como um anjo doente
que não pode voar.

Mais homenagens a Ariano

Coluna Repórter JC, no Jornal do Commercio:
Tudo por Ariano
O Ministério da Educação, o governo do Estado, a Fundaj e a Fundarpe estarão unidos para homenagear os 80 anos do escritor e dramaturgo Ariano Suassuna, entre os dias 11 e 14 de setembro, no Museu do Homem do Nordeste, durante o Festival das Culturas Populares. A antropóloga Aparecida Nogueira (UFPE) falará sobre O Brasil real de Ariano Suassuna, haverá exposição biográfica com curadoria do professor José Luiz da Mota Menezes e um painel sobre a vida e a obra do dramaturgo paraibano. Além de apresentações culturais: da Camerata Armorial, sob regência de Rafael Garcia, do Bloco Carnavalesco Misto Madeira do Rosarinho, organizado por Reginaldo Vaz Curado, da Cambinda Nova de Taperoá (PB), com o mestre Ednaldo Levino Perreira, e a presença de Mestre Salu e sua rabeca.

Questão de saúde pública

Na Carta Maior:
Ministro da Saúde defende descriminalização do aborto
Seminário é palco de lançamento da “Carta do Rio de Janeiro”, que engrossa campanha nacional pelo tratamento da questão como um tema de saúde pública. Aborto é quarta causa de morte materna no Brasil.
. Um importante passo foi dado na luta pela não criminalização do aborto no Brasil. No último dia 24, foi realizado, no Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o seminário “Saúde, Direito Sexuais e Reprodutivos: subsídios para as políticas públicas", com a presença de várias entidades e personalidades, num total de 350 pessoas. Estavam representadas a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), a UNE, a Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz), a Associação Brasileira de Pós Graduação em Saúde Coletiva (Abrasco), a Associação Brasileira de Estudos Populacionais (Abep), o Fundo de População das Nações Unidas (Unfpa), entre outras instituições.
. O objetivo do evento foi debater e apoiar políticas públicas e ações em defesa dos direitos sexuais e reprodutivos, contrapondo-se ao fundamentalismo religioso e ao conservadorismo moral que impedem importantes avanços, como a descriminalização do aborto.
. Tais princípios já foram definidos na Constituição Brasileira, na Lei do Planejamento Familiar e em Convenções Internacionais, como a Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento, do Cairo, em 1994 e a IV Conferência Internacional de Mulheres, de Beijing, em 1995, das quais o Brasil é signatário.

27 agosto 2007

Sua opinião tem valor


Para inserir sua opinião, clique sobre a palavra "comentários", abaixo. Você tem a opção de assinar gratuitamente o blog e toda vez que postar seu comentário sua assinatura será imediata. Ou usar a opção “anônimo”, porém assine ao final do texto para que possamos publicar o que você escreveu. Para enviar um e-mail clique aqui: lucianosiqueira@uol.com.br

Por e-mail: Sobre eleições e hegemonia

De José Amaro Santos da Silva:

Creio que o assunto que você nos traz à reflexão é oportuno, inclusive quando é colocada a questão das "eleições municipais e hegemonia", em vista ao governo do estado, à presidência da república e às transformações que se almeja para a nação brasileira, dentro de uma perspectiva socialista e de emanicpação econômica e social do país, isto a partir de bases que são fortes e hegemônicas como o caso dos municípios.

Temos acompanhado pela imprensa as postulações e as imposições de nomes, mas há em todas elas apenas o desejo do poder pelo poder e uma quebra de braços para ver quem tem mais força.
Creio não satisfazer ao grande público do Recife, por exemplo, quando o prefeito João Paulo articula um nome de sua predileção, tentando impor aos aliados um seu candidato e desestimulando outros postulantes, considerados legítimos.

Parece-nos haver um discurso no sentido de ser mantida a hegemonia do PT em detrimento de outras postulações.

Temos a opinião de que deve haver várias candidaturas e o nosso partido, o PCdoB deve ter um nome homologado para o pleito no Recife, assim como em outra grandes capitais pelo Brasil a exemplo São Paulo com o Aldo Rebelo e, com certeza, o Recife com Luciano Siqueira.

As alianças devem ser buscadas. Caso não seja possível, tendo em vista as ambições pessoais de demais forças progressistas, não há de se ser obstáculo e que venhamos a ter o nome de Luciano Siqueira colocado em público, considerando-se a sua vasta experiência política e administrativa exercida por cerca de oito anos na qualidade de vice-prefeito da Cidade do Redife, por sua larga folha de serviços prestados à comunidade recifense e ainda ser um nome hegemônico por sua história de vida na defesa dos direitos humanos e por uma administração comprometida pela ética na vida adminstrativa da Cidade. OK?

DESTAQUE DESTA SEGUNDA-FEIRA

Convivência fraterna e visão larga

Na manhã de ontem, domingo, no Condor Clube, em Nazaré da Mata, na Conferência Municipal do PCdoB, estiveram juntos os pré-candidatos a prefeito Maurício Andrade, e Nado. Num clima de convivência fraterna.


Nado é do PTB e Maurício do PCdoB.

Algo semelhante ao ocorrido quinta-feira última, no Recife, quando participamos com o secretário João da Costa, do PT, na Assembléia Legislativa, do ciclo de palestras Desafios Urbanos – que a imprensa registrou como comportamento maduro de dois pré-candidatos à Prefeitura do Recife.

Da parte do PCdoB, mais do que um gesto de civilidade, a atitude reflete uma visão política larga, estratégica, que alimenta relações estreitas com partidos aliados para além dos episódios eleitorais.

É o que acontecerá no pleito de 2008. Nenhum candidato a prefeito pelo PCdoB será fator de ruptura com aliados eventualmente convertidos em concorrentes temporários.

Bom dia, Ascenso Ferreira


Filosofia

Hora de comer — comer!
Hora de dormir — dormir!
Hora de vadiar — vadiar!
Hora de trabalhar?
— Pernas pro ar que ninguém é de ferro!

Lula: o povo não aceitaria

No G1:
. Lula afirma que nem com o povo na rua aceitaria um terceiro mandato. Para a sucessão em 2010, presidente prega candidatura única da base governista.
. Um presidente da República que prega as virtudes da democracia e exalta a elementar regra da alternância do poder e demonstra apenas incômodo com os desdobramentos do julgamento do mensalão, no Supremo Tribunal Federal. “Quem errou pagará pelo erro”, disse o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em entrevista publicada no jornal "O Estado de S. Paulo".

FHC e Heloisa Helena em sintonia

O Estado de são Paulo:
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) declarou ontem que o ponto mais significativo da entrevista do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Estado, publicada na edição de ontem, foi a afirmação de Lula de que "nem se o povo pedir" será candidato a um terceiro mandato em 2010. "Não é o povo que vai pedir, é o PT", disse Fernando Henrique. A ex-senadora Heloísa Helena (PSOL) também comentou: "É conversa fiada, jogo de cena". O prefeito do Rio, César Maia (DEM), analisou com ironia a negação de Lula de que deu apoio político ao presidente do Senado, Renan Calheiros. "Ou ele mentiu para o Renan ou Renan está mentindo".

História: 27 de agosto de 1961


Brizola inspeciona metralhadora em Porto Alegre
Os ministros militares vetam a posse de Jango na presidência. Leonel Brizola, governador do RS, afirma que garante a posse "a bala, se for preciso". O ministro da Guerra manda depô-lo, mas o comando do 3º Exército desobedece. Começa a Campanha da Legalidade, com centro no RS. (Vermelho http://www.vermelho.org.br/).

Ações em alta

No Valor Econômico:
Financiamento via mercado de capitais já supera BNDES
O mercado de capitais já é a maior fonte de financiamento das empresas em seus projetos de longo prazo - essa função foi historicamente exercida pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Até o fim de julho, as companhias captaram por meio de emissões primárias de ações e debêntures cerca de R$ 32,1 bilhões, excluídas as captações de leasing.

26 agosto 2007

DESTAQUE DO DOMINGO

Conselhos de um velho apaixonado
Carlos Drummond de Andrade

Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção: pode ser a pessoa mais importante da sua vida.

Se os olhares se cruzarem e, neste momento, houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.

Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os olhos se encherem d'água neste momento, perceba: existe algo mágico entre vocês.

Se o 1º e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Algo do céu te mandou um presente divino : O AMOR.

Se um dia tiverem que pedir perdão um ao outro por algum motivo e, em troca, receber um abraço, um sorriso, um afago nos cabelos e os gestos valerem mais que mil palavras, entregue-se: vocês foram feitos um pro outro.

Se por algum motivo você estiver triste, se a vida te deu uma rasteira e a outra pessoa sofrer o seu sofrimento, chorar as suas lágrimas e enxugá-las com ternura, que coisa maravilhosa: você poderá contar com ela em qualquer momento de sua vida.

Se você conseguir, em pensamento, sentir o cheiro da pessoa como se ela estivesse ali do seu lado...

Se você achar a pessoa maravilhosamente linda, mesmo ela estando de pijamas velhos, chinelos de dedo e cabelos emaranhados...

Se você não consegue trabalhar direito o dia todo, ansioso pelo encontro que está marcado para a noite...

Se você não consegue imaginar, de maneira nenhuma, um futuro sem a pessoa ao seu lado... Se você tiver a certeza que vai ver a outra envelhecendo e, mesmo assim, tiver a convicção que vai continuar sendo louco por ela...

Se você preferir fechar os olhos, antes de ver a outra partindo: é o amor que chegou na sua ida.

Muitas pessoas apaixonam-se muitas vezes na vida, mas poucas amam ou encontram um amor verdadeiro.

Às vezes encontram e, por não prestarem atenção nesses sinais, deixam o amor passar, sem deixá-lo acontecer verdadeiramente. É o livre-arbítrio.

Por isso, preste atenção nos sinais.

Não deixe que as loucuras do dia-a-dia o deixem cego para a melhor coisa da vida: o
AMOR !!!

Ame muito.....muitíssimo...

Quantos são os sem-teto?

Da Agência Brasil:
Censo de moradores de rua será feito a partir de outubro
. oO Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) começa a fazer, a partir de outubro, uma contagem de população de rua. Serão cerca de 2.500 pesquisadores em 23 estados e mais o Distrito Federal. Apenas Belo Horizonte, Recife e São Paulo não vão participar da pesquisa, pois os governos estuais já haviam feito o levantamento desses dados.
. De acordo com a coordenadora de Regulamentação da Proteção Social Especial do MDS, Solange Martins, com esse levantamento o governo pretende elaborar projetos e programas sociais voltados para essa população. A intenção, segundo a coordenadora, é saber como eles vivem, onde moram, como são os vínculos de relação familiar.

25 agosto 2007

Sobre blogs e imprensa

No Blog do Mino:
Macacos me bloguem
Uma recente campanha do Estadão divulgada por via eletrônica provocou polêmica e acabou por sair do ar. Há quem diga que foi contraproducente ao insinuar que ao distinto público convém confiar no jornal e rejeitar informações colhidas nos blogs, em geral incorretas, quando não simplesmente falsas. Um dos anúncios precipitou reações iradas nas hostes blogueiras. Apresenta um estudante de pós-graduação em busca de saber no “blog do Bruno”, o qual é um macaco que ganha uma banana a cada post. Ou algo assim. Não me surpreenderia se houvesse macacos a soltarem mensagens eletrônicas, mas também jornalistas de excelente qualidade comparecem no pedaço. Cito de chofre Paulo Henrique Amorim, Luis Nassif, Bob Fernandes, Tão Gomes Pinto. Quanto a mim, tenho medo de computador, aquela bocarra escancarada pode engolir-me a qualquer instante. Acho que muita gente já foi engolida e ainda não percebeu. Muita garotada, inclusive. Mas a ocasião permite-me refletir sobre a diferença entre o texto impresso e aquele solto no ar, na zona miasmática, e para mim enigmática, insondável, entregue aos mistérios eletrônicos. Mesmo para jornalistas tarimbados, o blog oferece naturalmente um campo maior para a opinião. Por exemplo. Eu, na minha Olivetti, quando a escrita destina-se a meu blog, palpito muito, talvez demais. O blog é uma pradaria bem penteada e sem limites. Que dirá, então, como se oferece a quem surge em cena sem peias, sem o rigor do jornalista responsável, com o único objetivo de soltar o verbo e pronunciar a sua? Resisti muito à idéia do blog, mesmo porque não lido diretamente com o computador. Agora que adentrei a área faz quase um ano, gosto do seviço. Em relação ao texto impresso, leva a vantagem da reação imediata do leitor. Sei, não estou a descobrir a pólvora, isto é, como se diz, interação. Na zona miasmática, o diálogo se instaura. É estimulante, é divertido, é compensador. No fundo, comparar jornal, ou revista, com blog é bobagem. Cada um na sua, penso eu. E, em primeiro lugar, estou interessado na permanência da escrita, que é a melhor de preservar intacta a língua, nossa pátria.

História: 25 de agosto de 1987

Cena do Pixote de Hector Babenko
Fernando Ramos da Silva, 19 anos, que interpretara o papel principal do filme Pixote, um menino de rua, é morto com 8 tiros pela polícia em Diadema, São Paulo. (Vermelho http://www.vermelho.org.br/).

Bom dia, Mário Hélio

Cabeçalho

ergo este tributo às nossas almas
por tudo o que nós fomos no que somos,
na simples humildade do que expomos
- a débil e frágil luz, a lira calma -
à larga vastidão do que é finito,
num grito maior do que a própria voz,
o grifo triunfal, o grito:
nós!

Mundo: CIA criminosa

No Avante:
A CIA ontem, hoje e amanhã
. Há umas quantas semanas, com a devida pompa e circunstância dos media nacionais e internacionais, todos eles afinadinhos pelo mesmo diapasão, a CIA publicou 702 páginas «revelando» algumas das suas acções dos últimos anos. Fê-lo, em boa parte, como resposta a pressões da sua própria opinião pública e não faltou quem de imediato saísse por aí a dizer que «assim é como funciona uma democracia». DemocraCIA deveriam ter dito. Esses tais papeis não revelaram nada e nada de novo trouxeram para a rua. O que ali se «revelou» já era conhecido de quem quer saber minimamente como, para quê e para quem funciona a CIA. E até um jornal tão bem comportadinho como o New York Times veio a público afirmar que essas 702 páginas, conhecidas como as «jóias da coroa», ainda que esperadas há muito «deixaram de fora muitas outras. Muitas secções foram censuradas, evidenciando que a CIA ainda não pode mostrar todos os esqueletos que esconde nos seus armários[1]». Contudo, não deixa de ser interessante recordar algumas das tropelias fascistóides perpetradas em nome da democracia e da civilização ocidental.
. Leia a matéria completa http://www.avante.pt/noticia.asp?id=21035&area=11

Anos de chumbo

Na Folha de S. Paulo:
Governo culpa ditadura por tortura e mortes
Pela primeira vez, um documento oficial do governo federal acusa integrantes dos órgãos de repressão da ditadura militar (1964-1985) de decapitar, esquartejar, estuprar, torturar, ocultar cadáveres e executar opositores do regime que já estavam presos e que não podiam reagir. O documento sugere cobrança de explicações das Forças Armadas, algo que ainda não foi decidido.
"A maioria das mortes se deu na prisão, sob intensas torturas", diz o texto produzido pela Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República. O livro-relatório se chama "Direito à Memória e à Verdade". Ele registra o que a Comissão Especial de Mortos e Desaparecidos Políticos, ao longo de 11 anos de trabalho, considera ser a verdade histórica sobre a repressão política.

O documento diz que "os depoimentos colhidos pelas Forças Armadas não foram suficientes para esclarecer onde foram deixados restos mortais dos desaparecidos políticos".
Sugere ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva que determine ao Ministério da Defesa e à Secretaria de Direitos Humanos a criação de uma "instância administrativa permanentemente aberta para oitiva de policiais e militares", que possa fornecer dados sobre "localização de restos mortais" e "documentos ou cópias ainda existentes" para elucidar os fatos.

Em outras palavras: o livro desconfia de que há arquivos guardados em segredo e sugere que militares da ativa e da reserva sejam ouvidos." Assinante da Folha leia mais
"O livro "Direito à Memória e à Verdade", publicação oficial da Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República, relativiza a tese de que o perdão da Lei da Anistia de 1979 se estenderia também aos militares e seus agentes civis de repressão política.

Segundo a Folha apurou, esse entendimento pode dar aos familiares dos mortos e dos desaparecidos argumentos para a abertura de novas ações judiciais contra as Forças Armadas e também contra militares que atuaram na repressão política, estejam eles ainda na ativa ou já na reserva.

O relato da comissão de mortos e desaparecidos diz que a "Lei da Anistia é considerada polêmica, ainda hoje, por muitos juristas, sobretudo quanto à interpretação de que ela absolve automaticamente todas as violações de direitos humanos que tenham sido perpetradas por agentes da repressão política, caracterizando-se assim o que seria uma verdadeira auto-anistia concedida pelo regime a si mesmo".

Doces e sonolentas lembranças


Na Ciência Hoje:
Glicose e sono são importantes para a fixação de memórias
. Estudos feitos por pesquisadores brasileiros e estrangeiros mostraram que o sono e a glicose exercem um papel importante na formação de memórias de longo prazo. O sono fixa as memórias e promove conexões destas com outras mais antigas. A glicose inicia um processo no cérebro que ativa genes que também atuam na consolidação de memórias. As conclusões foram apresentadas durante simpósio realizado hoje na 22ª Reunião da Federação das Sociedades de Biologia Experimental (Fesbe), em Águas de Lindóia (São Paulo).

. Quando ficamos mais velhos, lembramos de memórias antigas com mais facilidade do que de recentes. Além disso, elas estão associadas a muitas outras memórias. “Quando alguém diz ‘rosa’, podemos nos lembrar de uma flor, um nome, um escritor, um compositor e assim por diante. É algo que ocorre em adultos e não em crianças, justamente porque não houve tempo para que elas tenham essa ancoragem da informação no córtex cerebral”, explica o neurocientista Sidarta Ribeiro, diretor científico do Instituto Internacional de Neurociências de Natal Edmund e Lily Safra (IINNELS).

. Esse fenômeno de ancoragem já é conhecido da neurociência desde 1957. Uma memória episódica (um nome, um evento, uma face etc.) é registrada em uma região do cérebro chamada hipocampo, e depois migra para o córtex, aonde vai sendo reforçada e estabelecendo conexões. “O que mostramos agora, pela primeira vez, é que o sono, tanto o de ondas curtas quanto o do movimento rápido de olhos (REM, na sigla em inglês), no qual acontecem os sonhos, é importante para o processo”, conta Ribeiro.

. Segundo ele, no sono de ondas curtas há uma reverberação da memória, uma espécie de reforço. Já no REM, há a ativação de vários genes ligados à consolidação desta. “A cada ciclo de sono, a memória vai ficando mais ancorada no córtex”, afirma o diretor científico do IINNELS. Os resultados foram obtidos a partir de experimentos feitos com ratos. Após colocar e retirar os ratos de um ambiente com objetos para exploração, os pesquisadores monitoraram as ondas cerebrais dos animais nos estados de vigília e sono. Essa é a primeira evidência eletrofisiológica do processo de ancoragem.

Sem privilégio

No Diário de Pernambuco, coluna Diário Político:
No barro
Sem mobilização não tem calçamento. E é por isso que a rua do vice-prefeito Luciano Siqueira, do PCdoB, continua no barro. Os vizinhos de Luciano não querem fazer mobilização e ficam esperando pelo prestígio dele para pavimentar a rua. Daí a importância do Orçamento Participativo: quem se mobiliza, consegue e quem espera um jeitinho, dança, observa o vice-prefeito.

Sindicalismo classista

No Vermelho:
Seminário reúne 200 dirigentes para debater nova central
Aproximadamente 200 dirigentes sindicais de 20 estados brasileiros estão reunidos em Brasília para debater o desenvolvimento nacional e a organização sindical. O seminário Desenvolvimento com Valorização do Trabalho e a Organização Sindical no Brasil teve início nesta quinta-feira (23) e vai até o sábado (25). Durante o evento, serão lançados dois documentos-base e um jornal com um manifesto Pró-Central Classista.

O evento, que cumpre uma etapa no calendário para criação da nova central, está sendo organizado pelo Movimento Pró-central Classista e Democrática e buscará consolidar um conjunto de opiniões que vão embasar a estruturação político-ideológica da entidade.

O paulista Nivaldo Santana, membro da comissão organizadora da Central Sindical Classista e Democrática fala que o seminário tem o objetivo de discutir um projeto de desenvolvimento com valorização do trabalho, bem como uma proposta de organização sindical. “Ele vai subsidiar a Central Classista e Democrática, que está em construção, no sentido de unificar a nossa compreensão a respeito dos dois temas. Até porque essa central classista tem uma participação plural de diferentes correntes do sindicalismo brasileiro e a realização desse seminário serve para decidir uma proposta base” explica Nivaldo.

24 agosto 2007

História: 24 de agosto de 1954

Homenagem: o controvertido governante se agiganta ao morrer
Vargas se mata com tiro de revólver no peito, no Catete, Rio. O rádio irradia sua Carta-Testamento: "Esse povo de quem fui escravo não mais será escravo de ninguém". Protesto espontâneo culpa os EUA pela morte, ataca sedes da UDN e da imprensa de direita. A explosão de revolta leva o Exército a ocupar as grandes cidades. (Vermelho http://www.vermelho.org.br/).

DESTAQUE DESTA SEXTA-FEIRA

Quem tem medo do debate?

Com a participação do secretário de Planejamento do Recife, João da Costa, prosseguiu ontem o ciclo de palestras Desafios Urbanos, promovido pela direção estadual do PCdoB em conjunto com o gabinete do deputado Luciano Moura e o Instituto Maurício Grabois. Em discussão, o aprofundamento da democracia no exercício do poder em âmbito municipal.


Mesmo sucesso verificado na palestra anterior, quando a economista Tânia Bacelar discorreu sobre novas tendências no mundo e no Brasil e uma agenda atualizada para as nossas cidades.
O próximo será o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico Fernando Bezerra Coelho, que discorrerá sobre o papel do município face o novo ciclo de crescimento econômico em Pernambuco.


Uma iniciativa que se mostra vitoriosa exatamente porque há uma necessidade real de debater questões substantivas, ao invés de simplesmente se especular sobre candidaturas e alianças – assunto que só entrará de fato na ordem do dia no início de 2008.

Mas ainda há quem resista a esse debate. Ou o relegue a segundo plano. Questão de tempo, pois todos os atores presentes na cena política serão chamados a dizer o que pensam sobre a gestão pública municipal e que propõem daqui pra frente.

Ninguém deve temer o debate.

Bom dia, Cora Coralina

Aninha e suas pedras
Não te deixes destruir...
Ajuntando novas pedras
e construindo novos poemas.
Recria tua vida, sempre, sempre.
Remove pedras e planta roseiras e faz doces. Recomeça.
Faz de tua vida mesquinha
um poema.
E viverás no coração dos jovens
e na memória das gerações que hão de vir.
Esta fonte é para uso de todos os sedentos.
Toma a tua parte.
Vem a estas páginas
e não entraves seu uso
aos que têm sede.

Dois perfis

No Diário de Pernambuco, por Aline Moura:
. João da Costal João da Costa Bezerra Filho (PT) - tinha seis anos quando seu pai (João da Costa Bezerra) era vereador de Angelim, no Agreste de Pernambuco, pela antiga Arena. Filho de classe média, ele precisou trabalhar na mercearia do pai dos 8 aos 17 anos. Só então, veio para o Recife tentar concluir os estudos e fazer vestibular de Administração. A mudança de ambiente, entretanto, marcou sua vida. Embora tivesse o mesmo nome do pai, a ideologia os colocou em campos políticos opostos.
l Depois de vir para a capital e militar no movimento estudantil, João da Costa ingressou no PT, no início dos anos 80, quando o partido ainda era tratado como xiita. Longe de ser um dos caciques do PT, aos 46 anos, João da Costa também é um dos fundadores do partido. Naquela época, ele conheceu o então líder sindical João Paulo, hoje prefeito reeleito.
l Em 1988, quando João Paulo se elegeu como primeiro vereador do PT, João da Costa foi escalado pelo partido para assessorá-lo. De lá para cá, são 21 anos de convivência e de confiança. Como assessor de João Paulo, ele esteve à frente de todas as suas campanhas e o viu se eleger deputado estadual em 1992, 1994 e 1998. Os dois têm estilos políticos diferentes, mas pensam o mundo de forma semelhante. Tanto que João Paulo entregou a ele o desafio de comandar o Orçamento Participativo e os grandes projetos da prefeitura.
. Luciano Siqueira (PCdoB) - Uma viagem ao tempo pode retratar a formação do perfil político do vice-prefeito. Visto pelos aliados como um político fiel e carismático, o vice-prefeito tem uma biografia difícil de ser resumida, aos 60 anos de idade. Ele conheceu a face mais dura da ditadura militar e a radicalização dos anos de chumbo mostrou a Luciano o caminho da conciliação. Filho de classe média, natural do Rio Grande do Norte, ele veio para o Recife em 1960, já engajado no movimento estudantil.
l Luciano foi forçado a abandonar o curso de Medicina da UFPE, em 1969, por conta da perseguição política. Militante do PCdoB na época em que os comunistas eram tratados como "bichos-papão", ele sobreviveu como vendedor ambulante no interior do Nordeste de 1970 a 1974, ao lado da mulher, sua única companheira até hoje: Luci.
l Em abril de 1974, veio outra provação. Luciano ficou sob tortura durante um mês e 28 dias e depois foi levado para o presídio de Itamaracá. Mas ele não deixou a violência política mudar a direção dos seus projetos. Depois de retomar o curso de Medicina, por volta de 1975, Luciano seguiu em frente e elegeu-se deputado estadual pelo PMDB em 1982. Em 2000, sua trajetória no PCdoB levou seu nome a ser vice na chapa do prefeito João Paulo (PT). O petista não abriu mão da mesma dobradinha em 2004 e repetiu a dose ao lado de Luciano.

Desafios Urbanos na imprensa (1)

No Diário de Pernambuco, por Aline Moura:
Concorrentes demonstram maturidade política
Luciano Siqueira e João da Costa trocaram gentilezas em evento do PCdoB
. Pré-candidatos na eleição do Recife em 2008, o vice-prefeito Luciano Siqueira (PCdoB) e o secretário de Planejamento Participativo, João da Costa (PT), protagonizaram uma cena de amadurecimento político, ontem, no ciclo de palestras do Fórum Desafios Urbanos, realizado pelo PCdoB, no auditório da Assembléia Legislativa. Em meio a críticas feitas pela militância do partido ao Orçamento Participativo - comandado desde 2001 pelo secretário -, os dois mostraram que podem ser divergentes, mas não adversários.
. De gerações diferentes (conforme o quadro ao lado), deram um passo à construção de um caminho em comum, embora ambos sejam cotados para disputar a PCR em palanques distintos. O início do evento foi marcado pela troca de elogios, a começar pelo vice-prefeito, coordenador do Fórum. "Convidamos João da Costa por ser um dos companheiros que hoje tem o maior domínio sobre os problemas da cidade", frisou Luciano, acrescentando que o petista estava livre para falar, sem ser acusado de estar fazendo campanha. Joãoretribuiu, assegurando estar ali como aluno e não professor.
. O evento esteve longe de ser um palanque para João da Costa, convidado a falar sobre o tema "Democracia e poder local - a participação popular na gestão pública". Mas o petista saiu-se bem diante de uma platéia crítica e formada por intelectuais do PCdoB, sem a presença dos aliados petistas. João da Costa encostou-se na cadeira, observou e admitiu falhas do programa, sem deixar de defendê-lo.
. Houve propostas de mudanças feitas pelos comunistas e exposições de divergências do OP, a exemplo da pouca participação da classe média. A maioria dos militantes do PCdoB enfatizou que o programa esbarra no debate local dos problemas, sem ampliar para uma discussão macro da cidade. Para eles, o OP ainda não conseguiu tirar o individualismo das comunidades e inseri-las num contexto de emancipação política.
. No topo - Com base nos dados apresentados pelo próprio secretário, questionaram a grande demanda por pavimentação e drenagem (28%), quando a maioria dos comunistas entende que a questão do "emprego e renda" deveria estar no topo das prioridades. "É uma discussão local, em que cada grupo e cada rua procura discutir apenas sua rua e seu problema", afirmou Aldísio Costa, integrante da sigla comunista.
. João da Costa contra-argumentou, enfatizando que o OP é um passo para a transformação de consciência política na sociedade, diante de uma crise dos movimentos sociais. Ele frisou que a mudança no método do programa vai permitir a construção de uma visão macro dos delegados em relação à cidade. Começa pela discussão, por exemplo, das dez obras mais votadas por cada microrregião. Todas serão analisadas em conjunto, para se ver qual a mais viável e urgente.
. Segundo João da Costa, a classe média participa pouco por ter outros mecanismos de pressionar o poder público. Para ele, o OP inverteu prioridades e mudou a "Teoria do Lago", na qual a classe média representa uma pedra atirada a um lago provocando ondas. O secretário acredita que as ondas também podem partir, agora, dos bairros com menor IDH do Recife.

Desafios Urbanos na imprensa (2)

No Jornal do Commercio:
João da Costa critica falta de renovação política
. Aos poucos, o secretário de Planejamento Participativo do Recife, João da Costa, preferido por João Paulo (PT) para sucedê-lo na Prefeitura, vai dando tom político em seus pronunciamentos públicos. Ontem, enquanto palestrava a lideranças e militantes do PCdoB sobre o Orçamento Participativo (OP), criticou a pouca renovação na política do Estado. “Política ainda é de pai para filho desde 1500. Para surgir algo novo é preciso muito trabalho. Isso é herança da casa grande e da senzala”, alfinetou.
. Ele não citou quem censurava. Avaliou que, influenciada pelo período de ditadura militar (1964-1985), a população mantém certa resistência às novas lideranças apoiadas pela base da pirâmide social, o que ele insinuou ser um preconceito. “Essas pessoas (da base) têm opinião. Não vale mais a teoria do lago (de que a classe média influenciava as de menor renda e escolaridade)”, afirmou.
. João da Costa defendeu a unidade dos aliados para a sucessão municipal de 2008, em vez da tese de mais de uma candidatura a prefeito cogitada por PCdoB, PTB e PMN. E afirmou que as alianças dos partidos de esquerda no Recife estão relacionadas com as de outras cidades. Nesse ponto ele não aprofundou o debate. Mas pode ter dado um recado aos demais aliados que esperam apoio do PT a seus candidatos, caso do PCdoB em Olinda e do PTB no Cabo de Santo Agostinho.
. A movimentação dos pré-candidatos de oposição e a falta de definição de um nome governista para a sucessão no Recife foram encaradas com naturalidade por João da Costa, que não vê, com isso, prejuízo aos petistas e seus aliados. “Eles (a oposição) estão fora do poder nas três esferas. O momento é para que se movimentem. O principal movimento do PT é o sucesso do governo João Paulo”, considerou.
. João da Costa foi o segundo convidado a palestrar no ciclo de debates Desafios Urbanos - Discutindo o Futuro das Cidades, promovido pelo PCdoB e coordenado pelo vice-prefeito do Recife, Luciano Siqueira, outro pretenso candidato a prefeito. O secretário falou do OP nos seis anos de gestão petista e colocou-o como meio de exercitar o poder local em contraponto ao “modelo hegemônico neoliberal.”

Desafios Urbanos na imprensa (3)

Na Folha de Pernambuco, por Paulo Marinho:
Siqueira se diz preparado para disputar a PCR
. O vice-prefeito do Recife, Luciano Siqueira (PCdoB), deu novamente sinais de que está preparado para a disputa eleitoral do próximo ano. Durante a palestra “Desafios Urbanos”, promovida pelo partido comunista, Luciano ratificou a possibilidade “grande” de se colocar como candidato à Prefeitura em 2008, além de garantir que tem o perfil agregador, imprescindível para a união das esquerdas no próximo pleito. “Eu me considero com esse perfil de juntar as bases aliadas. Quanto a João da Costa (secretário de Planejamento Participativo), acredito ser muito cedo para dizer se ele possui ou não essa característica. De qualquer jeito, com as eleições se aproximando, o secretário irá perceber a importância de participar de certos eventos na intenção de aproximar mais os partidos”, salientou Siqueira.
. O comunista está conformado com o fato de que provavelmente não será uma opção do PT, já que o partido inclina para uma candidatura própria. Entretanto, quando questionado se a disputa pela Prefeitura poderia deixar alguma mácula no relacionamento com o prefeito João Paulo (PT), o vice-prefeito foi categórico: “João Paulo tem o seu jeito de ver as coisas, mas eu tenho certeza que não haverá atrito”.
. O evento, que de uma forma ou de outra serviu para o secretário João da Costa expor suas realizações no Orçamento Participativo, permaneceu cheio até o final. Mesmo assim, Costa negou qualquer caráter eleitoral. “É normal que muitos candidatos se movimentem para colocar sua posição, porém, isso pode estar ocorrendo de forma precipitada”, ressaltou.

23 agosto 2007

História: 23 de agosto de 1923

Execução dos ativistas sindicais Nicola Sacco e Bartolomeo Vanzetti, condenados sem provas e eletrocutados nos EUA apesar de incontáveis protestos, inclusive no Brasil. Na França, populares atacam a embaixada dos EUA. (Vermelho http://www.vermelho.org.br/).

Marcha das Margaridas


Da Agência Brasil:
Lula diz a trabalhadoras rurais que direitos previdenciários da categoria serão mantidos
. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva garantiu hoje (22) a cerca de 30 mil trabalhadoras rurais que participaram da 3ª Marcha das Margaridas que não irá alterar os direitos previdenciários da categoria.
. Uma das reivindicações das trabalhadoras é o direito de aposentaria aos 55 anos, cinco anos a menos que a idade necessária para a aposentadoria das trabalhadoras urbanas. Elas pedem também a manutenção da diferença de idade entre homens e mulheres para aposentadoria, continuidade da vinculação da aposentadoria com o salário mínimo, aprovação de projeto de lei que reafirma direitos das trabalhadoras e reconhecimento do tempo de trabalho doméstico para fins de aposentadoria.
. “Se alguém disser para vocês, em qualquer lugar do mundo, que nós vamos mexer no direito dos aposentados brasileiros ou da mulher trabalhadora rural, vocês podem saber, sem olhar na cara, que quem está falando é mentiroso”, disse Lula, no encerramento da marcha, no Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade.
. Durante a manifestação, as trabalhadoras apresentaram documento com 107 pedidos ao governo. Em tom de brincadeira, o presidente disse que a pauta era “quase um programa de governo”.
Foto publicada no Vermelho

22 agosto 2007

Sua opinião é importante


Para inserir sua opinião, clique sobre a palavra "comentários", abaixo. Você tem a opção de assinar gratuitamente o blog e toda vez que postar seu comentário sua assinatura será imediata. Ou usar a opção “anônimo”, porém assine ao final do texto para que possamos publicar o que você escreveu. Para enviar um e-mail clique aqui: lucianosiqueira@uol.com.br

Nossa coluna de toda quinta-feira no portal Vermelho

Eleições municipais e hegemonia

As eleições são episódicas, a disputa pela hegemonia política - condição preliminar para interferir nos rumos do país – é permanente. Enquanto se pede o voto e se vota a cada dois anos, o conflito de idéias e o acúmulo ou a perda de forças acontece a toda hora, nas mais diferentes esferas da vida social.

O horizonte estratégico do PT, por exemplo, se exaure na conquista do governo da nação, que alcançou e mantém na condição de corrente hegemônica numa coligação política e social ampla. Hegemonia que só Deus sabe como tem exercido! Tanto pela pressão adversária, como pelas suas próprias contradições e dissensões internas.

De fato, com a vitória de Lula em 2002 e a reeleição em 2006, pela primeira vez forças de esquerda aliadas a correntes progressistas assumem o comando da nação. Os perdedores, entretanto, nunca deixaram de resistir e prosseguem a quebra de braço pela hegemonia na sociedade brasileira usando de todos os instrumentos possíveis.

Daí o peso específico das eleições municipais do ano que vem. O foco imediato está nas prefeituras e nas Câmaras de Vereadores, porém o olhar de todos se volta para 2010, quando estarão mais uma vez em jogo a presidência da República, a correlação de forças no Congresso Nacional e o poder em cada estado.

Todas as forças se preparam intensamente para a batalha. Cada uma a seu modo, conforme sua natureza político-ideológica e sua perspectiva estratégica.

A um partido como o PCdoB, que almeja transformações de maior envergadura, para além do êxito do governo Lula, preparar-se para o pleito é muito mais do que construir candidaturas para prefeito e chapas de vereadores. Ou, melhor dizendo, significa prepará-las lastreando-as em propostas avançadas e em consonância com a realidade concreta do país e de cada lugar.

Caso do Recife e cidades da Área Metropolitana. Há que considerar a variável geopolítica, ou seja, priorizar, além da capital e de cidades que os comunistas já governam (Olinda e Camaragibe; e Goiânia, muito próxima), cidades como Ipojuca e Cabo de Santo Agostinho, que protagonizam mudanças importantes na economia do estado – e onde devem se expandir o proletariado de ponta (metalúrgicos, químicos, petroleiros) e variados segmentos prestadores de serviços. Para que o acúmulo de forças que venha a ser obtido tenha base social e política consistente para a disputa pela hegemonia na sociedade pernambucana.

Sobre eleição e educação

No Blog da Folha, por Ricardo Dantas Barreto:
Pacote, não
O vice-prefeito Luciano Siqueira (PCdoB) admite ser pré-candidato à sucessão de João Paulo (PT), mas adverte ao concorrente João da Costa (PT) de que não se pode falar em pacote de alianças.

Logo cedo, quando questionado sobre a possibilidade de os comunistas entrarem na disputa recifense, o secretário de Planejamento Participativo lembrou que o PCdoB precisará do apoio petista em cidades como Goiana, Camaragibe e Olinda.

“Devemos discutir a situação em cada município, e não um pacote”, disse Siqueira, durante debate no programa Opinião Pernambuco, da TV Universitária.

O vice-prefeito, que foi citado pelo próprio João Paulo como uma das alternativas para unir o campo da esquerda, alega que seu partido pode lançar candidatos e vários locais, sem que com isso rompa ou se afaste de aliados.

Ainda falando de sucessão, Luciano considerou um exagero do PSDB e PPS o pedido de intervenção na Prefeitura do Recife, pelo fato de o TCE ter reprovado parcialmente o gasto com a Educação. Juntando tudo, ele garante que foi gasto muito mais que os 25% da receita municipal.

Para ele, houve um erro de avaliação contábil, já que a Educação é uma área prioritária para a atual gestão. Mas reconheceu que nem tudo é perfeito e revelou a insatisfação do prefeito.“João Paulo reclama muito de que o padrão básico não é o ideal. Os professores se queixam com razão, apesar de pagarmos melhores salários que o Estado”. No entanto, destaca que, em algumas áreas do Recife, famílias preferem tirar os filhos das redes estadual e privada e colocá-los em escolas municipais.

Opinião Pernambuco

Estivemos hoje no programa Opinião Pernambuco, na TV Universitária. Durante sessenta minutos frente a frente com três jornalistas competentes: Cristiano Ramos, apresentador, Jamildo Melo e Ricardo Dantas Barreto.

Da experiência socialista da China aos problemas da cidade do Recife, conversamos sobre muita coisa. Inclusive a sucessão do prefeito João Paulo. Valeu.

Folha de S. Paulo passa dos limites


Na Carta Maior:
Agressão ao presidente
. Em matéria de agressão ao Presidente da República, o capista da Folha de S. Paulo de hoje (22/08) merece receber nota 10, aprovação “cum suma et maxima laude” ou algo assim, conforme os ritos acadêmicos. É difícil dizer o que preside a capa do jornal, se a sutil grosseria ou a grossa sutileza.
. A grosseria fica por conta da montagem da foto do Presidente e da primeira-dama, D. Marisa, com cara de “cheirei e não gostei”. O presidente Lula está cheirando os próprios dedos, e D. Marisa está examinando a textura de algo que tem entre os seus. Na mão do Presidente está um frasco de laboratório com um líquido castanho. Tudo sugere que o Presidente tenha água de esgoto entre seus próprios dedos.
. A foto vem cercada por três manchetes: “PF vê problema na defesa de Renan”, “STF inicia hoje julgamento dos 40 denunciados pelo mensalão” e “CPI quebra sigilo de diretora da Anac suspeita de mentir à Justiça”. Além disso, a chamada da legenda da foto é “Sujando as mãos”.
. Dentro do caderno, a proeza se repete na página A10. Esta página trata quase exclusivamente do caso do “Julgamento do mensalão”, chapéu das matérias. De quebra, só há uma referência a Lula ter declarado que o PT precisa considerar apoio a Ciro Gomes em 2010. No centro da parte superior da página, nova foto do Presidente com o frasco cheio de líquido cuja cor lembra lama ou merda, cheirando o conteúdo. Logo abaixo da foto vem a chamada “Os 40 denunciados” encabeçando a lista daqueles cujos nomes estão no processo cuja aceitação o STF começa a julgar.
. É inequívoca a conotação “Ali Lulá, quero dizer, Babá e os 40 ladrões”, onde começa a sutileza, ainda que grosseira, da montagem de manchetes, temas e fotos, perpetrada pela edição.A grossa sutileza prossegue: as fotos do Presidente e da primeira-dama são de uma visita de ambos a uma usina de biodiesel em Lins, no interior de S. Paulo, para sua inauguração. Ao mesmo tempo, portanto, em que se procura avacalhar a figura do Presidente, procura-se também desqualificar uma das principais iniciativas do atual governo, em torno do biodiesel, que pode fazer avançar a agricultura familiar em diversas regiões do país. No capacete do primeiro mandatário, em ambas as fotos, é perfeitamente legível a palavra “Biodiesel”, em letras destacadas e azuis.
. Para prosseguir na linguagem sugerida por essa montagem digna de imprensa marrom, pode-se perguntar o que as fotos têm a ver com as calças. É óbvio: por todo lado discute-se e especula-se em torno das questões de se o Supremo aceitará ou não a denúncia, quais denúncias aceitará, e nesse caso que julgamento final fará. O que a montagem conota é que, se o destino dos “40 ladrões” é incerto (até mesmo o do ex-deputado José Dirceu), “Ali Lula” já está condenado de antemão como “o chefe da quadrilha”, torcendo até mesmo o significado do título do conto de Sheerazade.
. Esse feito do capista da Folha deve estar provocando roídas de unha e rilhar de dentes (de inveja) entre os que disputam o prêmio jornalístico de avacalhação do Presidente.
O curioso é o que estará provocando entre os correligionários do próprio Presidente, se é que estará provocando algo. Porque um grande número desses correligionários, como se sabe muito bem, está se lixando para tais avacalhações, e dá seguramente alguns de seus dedos e anéis para aparecer, e de qualquer jeito, nas páginas e nas telas dessa mesma mídia que continuamente os avacalha e despreza as idéias pelas quais, supostamente, deveriam se bater.

Para desentravar o PAC

Da Agência Brasil:
Dilma diz que governo vai fazer revisão do PAC
A chefe da Casa Civil da Presidência da República, ministra Dilma Rousseff, informou hoje (22) que 30% do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) já foram empenhados até agosto. A ministra disse que os números não levam em consideração R$ 31,7 bilhões destinados a saneamento, explicando que já foi liberada a dotação, mas que o empenho será feito a partir de agora.

Segundo Dilma, o governo vai fazer uma revisão do PAC nos meses de outubro e novembro. De acordo com a ministra, nos contratos assinados com os estados, os projetos que não estiverem prontos podem ser retirados do âmbito do programa. "A não ser que eles [estados] justifiquem por que o projeto não saiu", ressaltou Dilma.

Sobre a crise no mercado financeiro internacional, a ministra disse não acreditar que tenha influência nos investimentos do PAC. Dilma concorda com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, que não considera necessário um ajuste fiscal, por causa da crise financeira.
Ela disse ainda que vê com otimismo a possibilidade de crescimento de 5% da economia. "A previsão de 5% não sou eu quem está dizendo. Nós colocamos no PAC 4,5%, que já atingimos. O mercado é que está dizendo que tem condições de crescermos até 5,2%".

A ministra fez as declarações ao participar, em Brasília, do seminário Obstáculos e soluções para o desenvolvimento da infra-estrutura, promovido pela Associação Brasileira de Infra-Estrutura e Indústrias de Base (Abdib).

DESTAQUE DESTA QUARTA-FEIRA

Superlucros dos bancos: nada a estranhar

Tão natural quanto o parto aos nove meses de gestação – é o que se pode dizer dos superlucros registrados pelas instituições financeiras: R$ 14,5 bilhões no primeiro semestre, equivalente a 22,5% dos resultados obtidos pelo conjunto das empresas brasileiras. Mas ainda tem gente que se assusta, arregala os olhos e se diz perplexa.

Mas, na verdade, não poderia ser diferente. Porque os fundamentos de nossa política macroeconômica não mudaram, o setor rentista continua reinando apoiado nas altas taxas de juros.É o que explica a supremacia do setor financeiro sobre a esfera produtiva. Que até você, pequeno correntista, sente na pele por causa das altas taxas cobradas pelos bancos pelos serviços operacionais prestados. Alguns analistas estimam que parcela considerável do lucro dos bancos decore justamente das tarifas que cobram suplantando os ganhos com operações de crédito.

Mais um dado para quem ainda tem dúvidas de que é preciso mudar a política macroeconômica.

*
Para inserir sua opinião, clique sobre a palavra "comentários", abaixo. Você tem a opção de assinar gratuitamente o blog e toda vez que postar seu comentário sua assinatura será imediata. Ou usar a opção “anônimo”, porém assine ao final do texto para que possamos publicar o que você escreveu. Para enviar um e-mail clique aqui: lucianosiqueira@uol.com.br

História: 22 de agosto de 1973

Juscelino Kubitschek morre em acidente de carro na via Dutra, em circunstâncias nunca esclarecidas. Tem 74 anos, 12 da cassação de 1964. Seu sepultamento é uma muda e eloquente manifestação antiditatorial, com 30 mil presentes. (Vermelho http://www.vermelho.org.br/).

Boa tarde, Francisco Gomes de Matos

Miró

LETRAMENTO
LETRAMENTO....
é muito mais que um procedimento
faz multiplicar a cognição,
da cidadania é desenvolvimento
e promove multi-comunicação


É muito mais que um procedimento
faz toda pessoa sentir-se capaz:
Ler-Escrever integra um movimento
que meios de cultura leva e traz

É muito mais que um procedimento
criATIVA compreensão-produção
valoriza da vida cada momento,
diversifica a diária interação

É muito mais que um procedimento
porque pode ajudar a sobreviver,
a entender e vencer o sofrimento
e continuar dignamente a crescer

É muito mais que um procedimento
Dá pleno suporte à Educação
Saibamos honrar o Letramento
É direito-dever de toda nação !

"Desafios Urbanos"

Nesta quinta-feira, Democracia e poder local é o tema do ciclo de palestras
Desafios Urbanos – discutindo o futuro das cidades
Às 9 horas, no auditório do Anexo II da Assembléia Legislativa, 6º. Andar

João da Costa, secretário de Planejamento e Orçamento Participativo da Prefeitura do Recife abordará o tema Democracia e poder local – a participação popular na gestão pública.

Promoção:
Direção estadual do PCdoB, Instituto Maurício Grabois e gabinete do deputado estadual Luciano Moura.

Coordenação:
Luciano Siqueira

Lula preocupado com 2008

No Vermelho:
Aliados fazem jantar para discutir alianças para 2008
. Os presidentes e líderes dos 11 partidos que apóiam o governo Lula participam de um jantar nesta noite para discutir alianças eleitorais nas eleições municipais do ano que vem. O encontro ocorre no apartamento do presidente do PMDB, deputado Michel Temer (SP), e foi convocado por sugestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está preocupado com a dispersão dos partidos aliados na disputa eleitoral do ano que vem, com prováveis reflexos em 2010.
. O presidente Lula decidiu atuar para impedir que se crie um quadro eleitoral de enfrentamento entre os partidos da base, sobretudo entre o PT e o Bloco de Esquerda, formado por PSB, PDT e PCdoB, com cicatrizes difíceis de ser superadas.
. O presidente Lula confidenciou a aliados que não quer que se repita nas eleições municipais o que aconteceu na disputa pela presidência da Câmara, no início deste ano, entre os deputados Arlindo Chinaglia (PT-SP) e Aldo Rebelo (PCdoB-SP), que oito meses depois de ocorrida continua uma ferida aberta.
. Leia a matéria completa http://www.vermelho.org.br/base.asp?texto=23582

Nosso artigo de toda quarta-feira no Blog de Jamildo (ex-Blog do JC)

No Blog de Jamildo:
Espirro em Nova York, risco de pneumonia no Brasil?
Por Luciano Siqueira
*
Logo no começo da manhã de segunda-feira, somos abordados por um cidadão aflito em face da crise do mercado imobiliário dos EUA (e que repercute nas bolsas de valores do mundo inteiro). "É verdade que os pequenos poupadores serão atingidos aqui no Brasil?", pergunta com a ansiedade de quem espera uma resposta que o tranqüilize.
Com a necessária ressalva de que não somos especialistas no assunto, apenas prestamos atenção ao que escrevem e falam analistas de diversas tendências, temos cá nossa opinião - que não é nada tranqüilizadora. No mínimo reforça as apreensões de todos os que, pequenos investidores ou não, acompanham o evolver dos acontecimentos.

Primeiro, vale anotar que os fundos de renda fixa, que têm como clientes justamente pequenos investidores como o amigo aflito, sofreram perdas em suas cotas no dia 16, ocasião em que o índice Bovespa despencou 9% ao longo do dia, com a queda do valor dos títulos prefixados e dos papéis indexados à inflação.

Porém o mais importante é saber qual a dimensão dos efeitos da crise americana sobre a economia do Brasil. Ou seja, se vale, nesse caso, o velho adágio "quando a Bolsa de Nova York espirra, o Brasil pega uma pneumonia". Claro que o que acontece hoje nos EUA não é um mero "espirro", é algo mais grave - que espalha conseqüências pelo mundo afora. Mas é também evidente que já não estamos tão vulneráveis quanto até bem pouco tempo atrás.

Há uma significativa melhora, a julgar por alguns indicadores. Estima-se que o PIB possa crescer este ano além de 5%. Os investimentos estrangeiros diretos (IED) devem chegar a US$ 27 bilhões. A balança comercial provavelmente apresente superávit acima de US$ 40 bilhões. Com aproximadamente US$ 160 bilhões de reservas internacionais, já não dependemos tanto do crédito externo.

Entretanto, o vento internacional que soprava a favor deixa de existir, tanto mais quanto se reduz a liquidez geral, que era muito grande, e cresce a ameaça de recessão nos EUA.

Mas nossa economia é afetada, sim. Em que dimensão, ainda não se pode ter certeza. Já se verifica uma queda nos preços de importantes commodities, como os metais. E se prevêem outras conseqüências imediatas e de médio prazo.

As intervenções do Banco Central no mercado para conter a alta do dólar se fazem em prejuízo da capacidade de investimento público. O governo teme também uma desvalorização forte do real, com impacto sobre a inflação e as taxas de juros, cuja queda pode ser interrompida. E a chamada equipe econômica já acena com a necessidade de mais rigor no controle do crescimento da folha de salários dos servidores públicos e urgência no aumento da idade para aposentadoria.

São sinais de que o Brasil não está imune. Além disso, nunca é demais acentuar que o nosso país - ao contrário de muitos outros - carece de mecanismos de controle do fluxo de capitais - o que permite uma fuga de capitais especulativos.

Logo, podemos contrair mesmo uma pneumonia - tomara que seja só isso - por contágio de uma grave doença do capitalismo global que tem suas raízes na hipertrofia e no parasitismo do sistema financeiro em prejuízo da esfera produtiva.
*Vice-prefeito do Recife, escreve às quartas aqui no Blog.

21 agosto 2007

Bolsa Família aumentou 18%

No Vermelho:
. Os beneficiários do Bolsa Família começaram a receber desde segunda-feira, o pagamento de agosto com um reajuste médio de 18%, o reajuste compensa a inflação (medida pelo INPC entre outubro de 2003 – época da criação do programa – e maio de 2007. O Ministério do Desenvolvimento Social e do Combate à Fome (MDS) apresentou nesta terça-feira (21) um estudo com o perfil das famílias atingidas: elas somam 45,8 milhões de pessoas, quase um quarto (24,1%) da população do país.
. O estado com o maior número de atendidos pelo Bolsa Família é a Bahia, com 1,4 milhão de famílias (veja o mapa). Seguem-se Minas Gerais (1,09 milhão de famílias) e São Paulo (1,08 milhão). No total, segundo o estudo, são 10.956.436 de famílias atendidas, em todos os municípios do país.
. Em números relativos, a primeira colocação fica com Piauí, com 53,2% da população no Bolsa Família. No outro extremo, Santa Catarina tem apenas 10,1% de sua população no Bolsa Família.
. Para ler a matérica completa clique aqui http://www.vermelho.org.br/base.asp?texto=23569

Amplitude do Bolsa Família

No G1:
Bolsa Família atende 45 milhões de pessoas, diz governo
Houve crescimento de cerca de 15 milhões de pessoas entre 2005 e 2007.Segundo governo, cerca de 11 milhões de famílias recebem o benefício social.
.
O Bolsa Família, carro-chefe dos programas sociais do governo federal, está atendendo a cerca de 45,8 milhões de pessoas neste ano, de acordo com informações divulgadas nesta segunda-feira (21) pelo Ministério do Desenvolvimento Social.
. Segundo estimativas do IBGE, a população brasileira é de quase 190 milhões de pessoas. Ou seja, de acordo com os números divulgados hoje pelo ministério, um em cada quatro brasileiros é beneficiado pelo Bolsa Família.

O crescimento no número de pessoas beneficiadas pelo Bolsa Família, que foi lançado em 2003 pelo governo Lula, foi de 48,7% entre setembro de 2005 (30,8 milhões de pessoas) e março deste ano.

Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento Social, também cresceu o número de famílias atendidas pelo programa. O volume passou de 7,63 milhões de famílias, em setembro de 2005, para 11 milhões de famílias em março deste ano, ou seja, uma evolução de 44%.

As famílias elegíveis ao benefício não podem ter renda superior a R$ 120 por mês. Podem retirar uma "bolsa" que varia de R$ 18 a R$ 112. O objetivo do programa é erradicar a pobreza e a fome, além de reduzir a desigualdade social no país. Para este ano, o orçamento do Bolsa Família é de R$ 8,75 bilhões.