30 junho 2008

Lula prossegue com apoio popular

No Vermelho:
Ibope de Lula resiste a abalos na economia
. Pesquisa CNI-Ibope divulgada nesta segunda-feira (30) indica que as avaliações do governo federal e da figura do presidente Luis Inácio Lula da Silva se mantiveram estáveis em relação a março, com 58% e 68%, respectivamente. A popularidade do governo – a mais elevada desde a posse de Lula – se manteve apesar dos temores de que a inflação vai aumentar e o desemprego também.
. A avaliação do governo se manteve positiva em todos os segmentos examinados pela pesquisa (homens e mulheres, faixas de idade, escolaridade, renda e tamanho do município). A maior variação negativa, de 18 pontos, foi na faixa de renda acima de 10 salários mínimos, porém mesmo nessa camada de renda mais alta Lula manteve um saldo positivo de 13 pontos.
Popularidade sobe no Sul e Sudeste
. A maior variação positiva do governo, segundo o Ibope, aconteceu na base da pirâmide social, a faixa que ganha até um salário mínimo. O saldo positivo do governo nesta camada, que já era de 53 pontos, subiu seis pontos, para 59 pontos (69% de "Bom" e "Ótimo").
. Na segmentação por regiões, o governo aumentou seu saldo de popularidade no Sudeste (onde a vantagem entre as respostas "Bom" e "Ótimo" sobre as "Ruim" e "Péssimo" subiu de 37 para 38 pontos) e no Sul (de 33 para 37 pontos). O saldo recuou de 57 para 44 pontos nas regiões Norte e Centro-Oeste, sempre em relação ao CNI-Ibope de março. O saldo positivo no Nordeste não se modificou: 65%, o número mais elevado.
. No resultado geral da avaliação do governo, houve uma oscilação de um ponto percentual nos que o consideram "Ruim" ou "Péssimo", de 11% para 12%. As respostas "Bom" e "Ótimo" repetiram o mesmo número de março: 58%.Já a confiança na pessoa do presidente teve oscilação inversa: o índice dos que confiam em Lula se manteve em 69%, enquanto os que não confiam tiveram oscilação de um ponto para baixo, de 4% para 3% em relação a março.
Inflação e desemprego preocupam mais - No entanto, os brasileiros ouvidos pelo Ibope mostraram uma preocupação crescente com os rumos da economia (veja o gráfico). O número dos que acreditam em aumento da inflação nos próximos seis meses subiu de 51% para 65%, enquanto as previsões de baixa da inflação recuou de 27% para 18%.
. As previsões de aumento do desemprego subiram de 42% para 52%, enquanto as de queda oscilaram de 22% para 21%. Uma maioria de 36% contra 16% acredita em melhora da sua renda pessoal, porém o saldo se reduziu em 16 pontos face a março, quando os números eram 51% e 15% respectivamente.
. Houve uma inversão na avaliação da política do governo no combate à inflação. Em março, uma maioria de 51% contra 43% a aprovava. Em junho, a desaprovação venceu por 53% a 41%.
O julgamento sobre a política de juros, que já era crítico, acentuou-se entre as duas sondagens. Em março a desaprovação vencia por 53% a 39%; em junho, os números evoluíram para 61% e 31%. Melhorou apenas a avaliação dos programas sociais nas áreas de saúde e educação: o escore da aprovação era de 60% a 37% em março e se tornou ainda mais positivo, de 62% a 34%.

29 junho 2008

Unidade e luta

No Blog de Jamildo:
"O PCdoB se sente plenamente representado por João da Costa e Milton Coelho", diz Luciano
. Além de Humberto Costa, quem também fez um discurso na convenção do PT para eliminar qualquer impressão de mágoa em relação a João Paulo e João da Costa, foi o vice-prefeito do Recife Luciano Siqueira (PCdoB), que há dez dias retirou-se da disputa para subir no palanque petista.
. "A partir de hoje o PCdoB se sente plenamente representado por João da Costa e Milton Coelho", disse Luciano que, na manhã deste domingo (29), na convenção do PCdoB, na Assembléia Legislativa, foi confirmado na chapa de candidatos a vereador pelo partido. Ele fez vários elogios ao candidato do PT.
. "Companheiro João da Costa, eu te conheço muito bem. São quase oito anos com você, aprendendo como se pensa a cidade e o futuro do Recife", contou.
. Luciano disse que a vitória das chamadas esquerdas no município não é importante apenas para a cidade. Mas também para o Estado e o País. "No futuro, temos a certeza de que nosso povo vai transformar o Brasil numa pátria socialista", entusiasmou-se.

Convenção vitoriosa

No Blog de Jamildo:
PCdoB realiza convenção e define chapa de vereadores
. O PCdoB realizou neste domingo (29), na Assembléia Legislativa de Pernambuco (Alepe), a convenção que definiu os 44 nomes que vão compor a chapa de vereadores para a disputa da Câmara Municipal, incluindo o atual vice-prefeito Luciano Siqueira. Durante o ato, foi confirmado por unanimidade o apoio ao deputado estadual João da Costa (PT), que terá a sua candidatura à sucessão do Recife homologada hoje.
. O secretário nacional de Relações Institucionais e Políticas Públicas do PCdoB, Ronald Freitas, representou a direção nacional do partido na conven-ção. Já o vice-prefeito do Recife, Luciano Siqueira, ficou encarregado de fazer a saudação a João da Costa, que fez um discurso enaltecendo o apoio.
. A convenção do partido lotou a Alepe. Cerca de mil pessoas compareceram à solenidade. Após o ato, a militância seguiu para o Clube Português do Recife, onde será oficializado o nome de João da Costa.

Sinceridade comunista

No Blog da Folha:
FIEL ALIADO
Luciano Siqueira: o mais animado
. Se alguém tinha duvida do empenho e do apoio efetivo do vice-prefeito Luciano Siqueira (PCdoB) à candidatura do PT, essa suspeita foi subtraída hoje. O comunista fez um dos mais animados e emocionados discurso do evento, mostrando que não guarda mágoas pela fritura que sofreu a sua candidatura. “Quero fazer um registro com sinceridade, uma conversa de amigo, olho no olho, de amor às nossas bandeiras de luta: a partir de hoje o PCdoB se sente plenamente representado por João da Costa e Milton Coelho”, garantiu, logo na abertura de sua fala.
. Siqueira discursou com entusiasmo, às vezes aos gritos, comandando a militância presente e apelando a todos por uma participação aguerrida na campanha. “Os ataques virão, mas nós não temos que atacar ninguém. Nós temos muito a apresentar do que fizemos nesses oito anos. Temos a força dos muitos partidos, da nossa militância, a lealdade e apoio do povo para essa importante e dura batalha. Contamos com essa força para conquistar, já no primeiro turno, uma grande vitória”, bradou.
. Ao se referir ao candidato a vice de João da Costa, Milton Coelho (PSB), João Paulo citou a parceria com o seu vice. “Nesses oito anos pude contar sempre com Luciano, nos momentos mais fáceis e mais difíceis. Tenho certeza de que Milton agirá da mesma forma”, disse o prefeito.

Convenção é ponto de partida

. A Convenção Eleitoral do PCdoB hoje pela manhã, no Recife, é o ponto de partida de grande mobilização de militantes e amigos para eleger forte bancada de vereadores comprometida com a cidade e o nosso povo e para reforça a possibilidade de vitória da Frente do Recife.
. Na Assembléia legislativa, na Rua da Aurora, a partir das 10 horas.

Uma nova história evolutiva das aves

Ciência Hoje Online:
Análise de várias seqüências de DNA de 169 espécies redesenha árvore filogenética do grupo
. Um grande estudo genético sobre as aves acaba de reescrever a história evolutiva desse grupo e revela parentescos surpreendentes. A análise de diversas seqüências de DNA de 169 espécies de aves vivas, conduzida por pesquisadores norte-americanos, confirma a idéia de que esses animais tiveram uma trajetória evolutiva complexa, mas contesta classificações existentes e altera o atual entendimento da evolução.
. Elaborar a árvore evolutiva das aves tem sido uma tarefa difícil e controversa para os especialistas. As espécies modernas surgiram relativamente rápido, entre 65 e 100 milhões de anos atrás. Como resultado dessa divergência veloz e precoce, muitos grupos de aves aparentemente similares (como corujas, papagaios e pombos) têm poucas formas intermediárias – às vezes, nenhuma – que os associem a outros grupos de aves.
. O novo estudo, publicado na Science desta semana, usa uma abordagem inédita para traçar a história evolutiva das aves. Durante mais de cinco anos, os pesquisadores analisaram mais de 32 mil bases de cromossomos, genes e porções não-codificadoras espalhados por 19 pontos diferentes do genoma de 169 espécies de aves dos principais grupos existentes.
. Leia a matéria na íntegra http://cienciahoje.uol.com.br/122597

Bom dia, Cassiano Ricardo


Desejo

As coisas que não conseguem morrer
Só por isso são chamadas eternas.
As estrelas, dolorosas lanternas
Que não sabem o que é deixar de ser.

Ó força incognoscível que governas
O meu querer, como o meu não-querer.
Quisera estar entre as simples luzernas
Que morrem no primeiro entardecer.

Ser deus — e não as coisas mais ditosas
Quanto mais breves, como são as rosas
É não sonhar, é nada mais obter.

Ó alegria dourada de o não ser
Entre as coisas que são, e as nebulosas,
Que não conseguiu dormir nem morrer.

Bomfim, Tânia e a globalização

No Vermelho:
O Tênis e a Emoção
por Eduardo Bomfim

Lendo o artigo “Globalização e território” da economista e socióloga pernambucana Tânia Bacelar, encontro importantes reflexões sobre esse assunto tão candente. Ela nos diz que a globalização é uma etapa específica, muito avançada, do velho processo de internacionalização do capital.

E que ele é um dos movimentos estruturais e estruturantes do capitalismo, mas com a intensidade e extensão atuais, ele é novo. Assim, a palavra “globalização” pretende expressar tal novidade. Globalizaram-se os principais fluxos econômicos mundiais, os comerciais, os financeiros, de investimentos produtivos e os mercados.

Dessa maneira, assevera-nos Tânia Bacelar, internacionalizaram-se também os padrões. Ou, pelo menos, essa é a tendência dominante. Assistimos, então, ao movimento de uniformização das culturas, das tradições, da gastronomia, das novidades.

Tentam pôr no liquidificador as permanências e as renovações de todas as nações e povos. Essa reorganização dos espaços territoriais é uma imposição surgida da necessidade do mercado global e tem como objetivo vender os mesmos produtos para todos em qualquer parte do mundo.

O incrível nisso tudo é que até os valores da chamada cultura alternativa estão sendo absorvidos e transformados em uma espécie de totem para a faixa da população de alto poder aquisitivo.

É o caso, informa a mídia global, do bilionário mercado de alimentos naturais, os chamados “orgânicos”, a mais nova, mais sofisticada, promissora e cara, área de expansão de artigos alimentícios.

Quanto ao tênis, o assunto não foge à regra. E Tânia Bacelar cita, como exemplo, a entrevista com um alto executivo da Nike. Ele diz que a empresa não produz o calçado. Trata-se de uma tarefa de centenas de fábricas espalhadas pelo mundo, principalmente na Ásia.

Produz mesmo é “a emoção de calçar um Nike”. Ou seja, o marketing do produto, centralizado na matriz, nos Estados Unidos. A corporação compra esse tênis e “agrega emoção”.

A renomada professora afirma que a globalização e a identidade nacional são duas categorias inexoráveis da realidade contemporânea, porém, contraditórias. Uma precisa desconstruir moedas, culturas e nações para impor a hegemonia. A outra, necessita resistir a essa ofensiva para que um território e um povo não se despersonalizem. Ou, mesmo, desapareçam.

Além da simples especulação

Esse tipo de especulação merece cuidado. É preciso lutar com os pés no chão: eleição de vereador é das mais difíceis, o voto há que ser conquistado com muito trabalho, sem oba-oba.
*
No blog Acerto de Contas, por Marcos Bahé:
Luciano deve ser vereador mais votado
. Ele não chega a ser um vidente Juscelino, mas o também editor do blog Pierre Lucena acertou na mosca quando anunciou o destino de Luciano Siqueira (PCdoB) nas eleições desse ano. No dia 18, avisamos que Siqueira iria retirar sua pré-candidatura e sair candidato a vereador. Menos de 72 horas depois, a candidatura foi retirada. Ontem, os comunistas confirmaram Luciano na chapa proporcional.
. Meu palpite agora é que Luciano pode vir a ser o vereador mais votado do Recife. Ele é o queridinho da classe média e da imprensa. Teve até jornalista chorando na coletiva que anunciou o refugo. Não vou dizer o nome do chorão (ou chorona), mas dou uma dica: é repórter de política do JC.
. E o PCdoB, que não é besta nem nada, vai apoiar João da Costa a prefeito mas em hipótese alguma se coligará com o PT e os outros 16 partidos da frente na proporcional. Ou seja, os comunistas terão chapinha própria.
E podem eleger, além de Luciano, mais dois ou três vereadores.
Foto: Blog Acerto de Contas

28 junho 2008

Centro Josué de Castro promove seminário

Mutações: Novas Configurações do Mundo
Recife-PE 30 de junho a 10 de julho
. As novas configurações do mundo convidam-nos a esquecer a noção de crise. Pensemos, pois, na idéia de mutação", afirma Adauto Novaes, curador do Seminário Mutações: Novas Configurações do Mundo, que já aconteceu em diversos estados do sul do país e chega ao Recife, promovido pelo Centro Josué de Castro, Estudos e Pesquisas. O início é na próxima segunda-feira 30 de junho e a programação vai até 10 de julho, com palestras no Memorial da Medicina, a partir das 19h. As inscrições podem ser feitas através do telefone 3423-2800 ou no local e no dia do evento.
. No Seminário são postos em discussão concepções, crenças, idéias, sensibilidades, formas de existência e visões de mundo que antes pareciam dar sentido às coisas e perdem valor como referência de pensar, viver e conviver.
. Por outro lado, as mutações do mundo de hoje levam a deslocamentos conceituais ainda em formação, antecipando categorias incertas e indagando se vivemos a continuidade ou a descontinuidade entre o passado e o presente.
. TEMAS E CONFERENCISTAS . Sobre o Caos e Novos Paradigmas Luiz Alberto Oliveira 30 jun - segunda >Físico, doutor em Cosmologia, pesquisador do Laboratório Experimental de Altas Energias e professor de Filosofia no Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas
. As Mutações do Poder e o Limite do Humano Newton Bignotto 03 jul - quinta >Professor de Filosofia Política na Universidade Federal de Minas Gerais.
. Máquinas Utópicas e Distópicas João Camillo Penna 04 jul - sexta >Professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro.
. Os Três Tempos da Mutação Luiz Felipe de Alencastro 7 jul - segunda >Professor titular da cátedra de História do Brasil na Universidade de Paris 4, Sorbonne.
. Descontrole do Tempo Histórico e Banalização da Experiência Franklin Leopoldo e Silva 8 jul - terça >Professor do Departamento de Filosofia da Universidade de São Paulo.
. As Duas Mutações de Nietzsche Oswaldo Giacoia Júnior >Professor de Filosofia 09 jul - quarta
. Revoluções, Mutações... Francisco de Oliveira 10 jul - quinta >Professor de Sociologia da Universidade de São Paulo.

27 junho 2008

O gesto inaugural

. O meu primeiro gesto público na condição de candidato a vereador (incluído na nominata do PCdoB na Convenção domingo) será uma visita ao presidente da Câmara Municipal, vereador Josenildo Sinésio, segunda-feira, 16,30 horas.
. Irei manifestar pessoalmente o meu apreço pela Câmara e o reconhecimento pelo importante papel que cumprem os 36 vereadores que integram a Casa na atualidade.

Ronald Freitas no Recife e em Olinda

As Convenções do PCdoB no Recife, domingo pela manhã, E EM Olinda, na segunda-feira, terão a presença de Ronald Freitas, secretário Nacional de Relações Institucionais do PCdoB.

Apenas um breve encontro

A reunião de hoje à noite no Recife Praia Hotel será breve. Apenas para uma troca de impressões inicial com militantes e amigos que se dispõem a participar de nossa campanha. Mas com o devido a São Pedro e aos inúmeros forrós espalhados pela cidade.

A mesma missão de outra forma

Folha de Pernambuco:
Siqueira disputará a Câmara
. Hoje, às 18h, no Recife Praia Hotel, o PCdoB se reúne com várias pessoas, que já estavam engajadas na pré-campanha de Luciano Siqueira para prefeito, para dar início as articulações para o pleito proporcional. Para o comunista, ser vereador no Recife é uma chance de dar continuidade ao trabalho desenvolvido por ele, durante esses oitos anos ao lado do prefeito João Paulo (PT). “Ser vereador é uma chance que tenho de continuar atuando efetivamente para a melhoria do Recife. Dando continuidade ao meu trabalho, com a experiência de quem ajudou a administrar essa cidade por oito anos”, ressaltou. A candidatura de Luciano Siqueira a vereador é também uma forma de manter o PCdoB junto e articulado no apoio a João da Costa.
. O vice-prefeito ainda revelou que se candidatar a vereador não estava nos seus planos, mas como todo partido deseja que ele dispute o cargo, ele irá para a campanha com a mesma disposição com a qual iria disputar a vaga para prefeito. “Se é da vontade da maioria, eu irei para essa disputa com a mesma garra como se fosse para prefeito. Para mim, o que sempre falou mais alto em todos esses anos de militância foi o bem-estar comum”, declarou.

Tarefa agregadora

Diário de Pernambuco:
Luciano candidato
. Fora da briga pela prefeitura do Recife, o vice-prefeito Luciano Siqueira teve o nome referendado pelo PCdoB municipal para disputar uma vaga na Câmara de Vereadores em outubro. Em reunião na noite de ontem, o comitê comunista entendeu que Luciano pode dar continuidade a seu projeto político no Legislativo, fortalecendo a legenda na Casa. "Ele tem sido o porta-voz de uma opinião política do partido em relação à cidade. Como vereador, terá uma tribuna para travar essas discussões", avaliou o presidente municipal da sigla, George Braga. Em Brasília, Luciano Siqueira não participou da reunião, mas foi informado do resultado por telefone.
. Ao longo de um ano, como pré-candidato a prefeito, Luciano Siqueira ampliou os espaços político-eleitorais na cidade. Na avaliação do deputado estadual Luciano Moura (PCdoB), o vice-prefeito tem potencial atrair os votos da classe média do Recife. Ele poderia herdar eleitores de lideranças da frente de esquerda que não vão mais concorrer este ano e que tiveram votações expressivas em 2004, como Dilson Peixoto (PT), Luciana Azevedo (PT), Danilo Cabral (PSB) e Waldemar Borges (PSB).
. Além desses, Luciano Siqueira poderá contar, ainda, com o apoio de pré-candidatos a vereador que estudam retirar suas candidaturas num gesto de apoio ao vice-prefeito e ao PC do B, por ter ficado à margem da disputa majoritária. "Posso sair da disputa para fortalecer a figura de Siqueira e o PCdoB. Se o partido achar importante que eu fique, vou continuar. Se não, darei apoio a Luciano, inclusive pensando em transferência de votos, já que minha militância é na Zona Norte", adiantou a pré-candidata Renata André Gomes, irmã do vereador comunista Vicente André Gomes.

Pelo bem do Recife

Jornal do Commercio:
PCdoB confirma nome de Luciano para a Câmara
. A direção do PCdoB decidiu, ontem, por unanimidade, incluir o nome do vice-prefeito, Luciano Siqueira, na lista de candidatos a vereador do partido. Uma semana depois de ter retirado seu nome da disputa majoritária – em benefício da unidade das forças governistas –, o comunista começará ainda hoje a colher sugestões para a eleição proporcional. Às 18h, no Recife Praia Hotel, ele reúne militantes e amigos para discutir a postulação à Câmara.
. De acordo com George Braga, presidente municipal do PCdoB, o partido avaliou que o vice-prefeito tem um potencial político e eleitoral importante e que sua participação na disputa só tem a acrescentar. “Nesse processo todo (da pré-candidatura a prefeito), Luciano levantou questões importantes para a discussão da cidade e é importante que isso tenha continuidade. E a Câmara é um espaço apropriado”, colocou.
. Em seu blog, antes da decisão partidária, o vice-prefeito comentou sua candidatura. “É uma idéia com a qual estou me acostumando aos poucos, não estava nos planos. Mas é certo que, confirmada a candidatura, cumprirei essa missão com a mesma dedicação e entusiasmo de sempre – com espírito militante”, escreveu.

26 junho 2008

Uma nova missão

. É praticamente certo que o Comitê Municipal do PCdoB no Recife delibere hoje à noite incluir o meu nome na chapa de candidatos a vereador. Tanto que já se articula uma reunião de amigos para amanhã à noite, às 18,30 horas, no Hotel Recife Praia, no Pina, para articular a campanha.
. É uma idéia com a qual estou me acostumando aos poucos, não estava nos planos. Mas é certo que, confirmada a candidatura, cumprirei essa missão com a mesma dedicação e entusiasmo de sempre – com espírito militante.

Boa notícia

Informa o Valor econômico que a taxa de desemprego nas seis principais regiões metropolitanas do país caiu de 15% para 14,8% entre abril e maio, a mais baixa para o mês desde 1998. O rendimento médio dos ocupados cresceu 0,6% em abril.

Bolsa Família compensa

. Na avaliação do ministro do Desenvolvimento Social Patrus Ananias, o benefício concedido ao Bolsa Família, vai compensar o impacto da alta dos alimentos e terá início em julho.
. O aumento será de 8%. A partir de julho, os 11 milhões de famílias atendidas pelo programa vão receber entre R$ 20 e R$ 182, contra os R$ 18 e R$ 172 estabelecidos, agora, como valores mínimos e máximos. O reajuste corresponde ao aumento de preço dos alimentos que ocorreu nos últimos meses e foi feito com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor. O reajuste será concedido por meio de decreto presidencial e não precisa ser encaminhado ao Congresso.

25 junho 2008

Não nos dispersemos

No Blog de Jamildo (Jornal do Commercio Online):
A política levada a sério
Luciano Siqueira

A política é a face institucional da vida como ela é, costumamos comentar toda vez que diante de situações complexas as pessoas reclamam soluções simples e imediatas. No cotidiano de nossas vidas, tenhamos ou não consciência disso, a todo instante é preciso fazer escolhas ou tomar decisões levando em conta uma gama de variáveis - freqüentemente sob a tensão da dúvida ou sob a pressão de ambiente hostil. Mais ainda quando a decisão não é individual, é de responsabilidade coletiva.

É o que se passou na última sexta-feira, 20, quando o PCdoB anunciou a retirada da candidatura própria a prefeito do Recife. A decisão culminou exatos doze meses de debates nas esferas partidárias e na sociedade e foi precedida de intensos diálogos desde a última semana de maio. Sempre com muito critério e espírito público, jamais priorizando o interesse estritamente partidário.

Assim, em que pese reafirmar a justeza e a oportunidade do rumo tático que vinha defendendo – a opção de mais de uma candidatura do campo governista – o Partido reconheceu a inconveniência de seguir adiante devido ao ambiente político adverso consumado nas duas semanas antecedentes – aqui e em plano nacional.

Recife é uma das capitais mais importantes do país e é o centro político de Pernambuco. Passou a figurar como fato destoante tendo em vista os esforços das direções nacionais do PCdoB, PT, PSB e PDT, dentre outros, em conjunto com o presidente Lula, no sentido de convergir energias em favor dos candidatos que em cada cidade vinham reunindo mais força em torno de si – a exemplo de Edvaldo Nogueira (PCdoB), em Aracaju, Marta Suplicy (PT) em São Paulo e de muitas outras cidade importantes.

Também a permanência da candidatura do PCdoB no Recife passou a destoar da convergência alcançada na maioria dos municípios da Região Metropolitana e das cidades-pólo das microrregiões interioranas do nosso estado.

Na política, como na vida, não bastam boas e corretas intenções; é preciso que sejam reconhecidas como benéficas e aceitáveis. Daí a contradição entre a convicção e o desejo de permanecer com a candidatura e a impossibilidade de seguir em frente em ambiente desfavorável e propício a incompreensões que, prevalecendo, poderiam destruir toda uma construção feita de modo paciente, sincero e conseqüente durante doze meses.

Resta agora a esperança de sermos compreendidos pelos inúmeros círculos de amigos que por muitas formas vinham manifestando solidariedade e apoio ao nosso projeto, para que não nos dispersemos e, dentro das condições possíveis, possamos prosseguir na abordagem dos desafios e possibilidades de nossa cidade. Afinal, saímos da disputa, mas não arriamos nossas bandeiras.

Bom dia, poetas da vida!

Hoje temos poesia em dose dupla - como registro da mensagem solidária do amigo-irmão médico e poeta Waldir Pedrosa Amorim. Leia o que segue e você entenderá.
*
Caro Luciano,
Certamente esta deve ser a decisão mais acertada; não tenho dúvidas que foi exaustivamente discutida, elaborada, mastigada e mesmo sofrida. Como o personalismo não é a característica que identifico em você, acredito que, o que é posto no comunicado do PCdoB, reflita mais uma vez a sua capacidade de colocar os propósitos coletivos acima dos individuais. Espero, contudo, que sempre se mantenha alimentando com suas peculiaridades e qualidades o processo que se constrói, e, que neste tenha o destaque relevante que merece e Recife e o país necessitam que desempenhe.

Mesmo não sendo atual eleitor na nossa querida Recife, aprendi a sentir como se assim ainda fora.

Sei que você gosta de poesia e te envio abaixo duas, uma que me enviaram como sendo de Afonso Romano de Santana e outra que escrevi a guisa de resposta. Acredito sim que vivemos um momento nacional positivo e especial, mesmo que enxerguemos criticamente a necessidade de aperfeiçoá-lo; mas não de enfraquecê-lo.

Poema da MENTE
Affonso Romano de Sant`Anna

Há um presidente que mente,
Mente de corpo e alma, completa/mente.
E mente de maneira tão pungente
Que a gente acha que ele, mente sincera/mente,

Mais que mente, sobretudo, impune/mente...

Indecente/mente.
E mente tão nacional/mente,
Que acha que mentindo história afora,
Vai nos enganar eterna/mente.

Resposta ao Poema da Mente
Waldir Pedrosa Amorim

Meu poeta fingidor
olhaste o lado que vê
mas não o lado que sente.
Só reparaste um pedaço,
não destes conta dos lados,
do para trás e do para frente.
Este vosso presidente
até pode mentir alto,
mesmo até, convictamente.
Substituiu outros tantos
que mentiam para baixo,
amuados,
que cochichavam nas rodas
do poder onipotente,
detestavam odor de povo,
ou pensar que povo é gente.
O vulgo quando se enreda
nas mentiras excludentes
imaginando, coitado
que engravatado não mente,
perde o tempo de quebrar
mil pés de barro doentes,
enganadores confessos,
negociadores azeitados,
ventrílocos e iludentes.
Deixa até de confiar
que, ele em sendo agente
tem poder de alterar
e desmentir presidentes.

Um abraço fraterno,
Waldir

24 junho 2008

Agregar, jamais subtrair

. Na coluna Repórter JC de hoje: QUEM DARÁ O LUGAR A LUCIANO? - “Nunca pensei nisso, mas admito discutir uma candidatura a vereador”, diz Luciano Siqueira (PCdoB). Na quinta, o partido debate a viabilidade, mas Luciano adianta: só será candidato se nenhum dos candidatos a vereador tiver de sair do pleito.
. É isso. Não tenho vocação para dividir ou subtrair, apenas para somar. E essa é a compreensão também da direção municipal do PCdoB. Se meu nome entrar na lista de candidatos a vereador não será, sob hipótese alguma, para enfraquecer a campanha dos demais candidatos do Partido. Terá que agregar força.

Riqueza concentrada

No G1:
Brasil é 3º país com maior crescimento de fortunas
. O Brasil foi o terceiro país do mundo - atrás de China e Índia - que registrou o maior crescimento do número de pessoas que possuem ativos financeiros no valor de pelo menos US$ 1 milhão em 2007, resultado da expansão da economia de 5,4%, aumento dos investimentos e da valorização de 43,65% da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) no ano passado.
. De acordo com o 12º Relatório Anual sobre a Riqueza Mundial realizado pelo Merrill Lynch e CapGemini, o número de pessoas que possuem grandes fortunas no país subiu de 120 mil em 2006 para 143 mil, uma expansão de 19,16%. No ano anterior, o crescimento do número de pessoas com ativos superiores a US$ 1 milhão havia sido de 10,6%, conforme o estudo.
. Na segunda-feira (23), o Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea) divulgou uma pesquisa mostrando que a diferença de rendimento entre ricos e pobres diminuiu nos últimos cinco anos no Brasil.
. Conceito - A pesquisa considera como "milionários" as pessoas que tenham pelo menos US$ 1 milhão em ativos financeiros, excluindo residência, objetos de colecionador e produtos de consumo. Segundo o estudo, existiam 10,1 milhões de milionários no mundo em 2007 - um crescimento de 6% em relação ao ano anterior.
. Os ultra-ricos, que possuem ao menos US$ 30 milhões em ativos financeiros, cresceram mais que os apenas ricos, avançando 8,8% em 2007, para 103,3 mil indivíduos no mundo. A maior parte deles está nos Estados Unidos, onde somam 41,2 mil, na Europa são 25 mil, e na Ásia e Pacífico outros 20,4 mil. Na América Latina os ultra-ricos são 10,2 mil.
. Perfil brasileiro - No ano passado, lembra o relatório, o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 5,4%, contra 3,7% do ano anterior. "Com agricultura, mineração, indústria e serviços bem desenvolvidos, e sendo um grande exportador de matéria-prima, energia e outras commodities, o Brasil se beneficiou dos aumentos nos preços de energia e alimentos no último ano", diz o relatório. "Além disso, o país é o principal exportador de etanol, o que lhe dá vantagem no mercado de energias alternativas."
. O relatório destaca a importância das economias em desenvolvimento para o crescimento mundial. O crescimento mundial foi de 5,1% em 2007, com as maiores contribuições dos países emergentes. Já economias de grande porte, como os EUA, tiveram crescimento mais discreto. A economia norte-americana cresceu 2,1%, ante 2,9% de 2006.

O comunicado do PCdoB

Retomando nosso diálogo sobre as coisas da política, quer dizer, das eleições no Recife, transcrevo na forma de notas curtas o comunicado do Comitê Municipal do PCdoB no Recife divulgado na última sexta-feira.

Em faixa própria na proporcional

O Comitê Municipal do Partido Comunista do Brasil-PCdoB, em sintonia com as direções nacional e estadual do Partido, torna pública a decisão de retirar a pré-candidatura do vice-prefeito Luciano Siqueira à Prefeitura do Recife e de integrar, a partir deste instante, a coalizão reunida em torno da chapa João da Costa-Milton Coelho.

O PCdoB comparecerá ao pleito proporcional com nominata própria de candidatos e candidatas a vereador.

Razões políticas

A decisão ora anunciada é fruto de um exame criterioso e aprofundado do presente cenário político que antecede as convenções partidárias, tendo na devida conta variáveis de ordem nacional e local.

Como se sabe, as direções nacionais do PCdoB, PSB, PT e PDT, em conjunto com o presidente da República, envidam esforços em prol da convergência de energias e propósitos nos pleitos das capitais e de grandes e médias cidades em vários estados. No âmbito estadual, ganham corpo composições unitárias na Região Metropolitana e pólos microrregionais.

Nesse contexto, em que pese reafirmar a justeza e a oportunidade do rumo tático que vinha defendendo, e ter disponibilizado para a tarefa um dos seus melhores quadros, o companheiro Luciano Siqueira – cujo desempenho esteve à altura da missão que lhe foi conferida - o PCdoB não deseja protagonizar no Recife uma situação destoante desses cenários nacional e estadual.

Reafirmando convicções

Nesse contexto, em que pese reafirmar a justeza e a oportunidade do rumo tático que vinha defendendo, e ter disponibilizado para a tarefa um dos seus melhores quadros, o companheiro Luciano Siqueira – cujo desempenho esteve à altura da missão que lhe foi conferida - o PCdoB não deseja protagonizar no Recife uma situação destoante desses cenários nacional e estadual.

O PCdoB conclui assim rico processo de discussão desenvolvido há um ano com sua militância, com partidos aliados e expressivos segmentos da sociedade, em torno da pré-candidatura de Luciano Siqueira - em que sempre afirmou, com determinação e coerência, o intuito de contribuir para a vitória das forças políticas e sociais que em nossa cidade dão sustentação aos governos Lula, Eduardo Campos e João Paulo, às quais sempre esteve estreitamente vinculado com base em objetivos estratégicos comuns.
Foto: Guga Matos, publicada no Blog de Jamildo

Amplitude e pluralidade

Ao cerrar fileiras agora em torno da chapa João da Costa-Milton Coelho, o PCdoB expressa a expectativa de que a estratégia e o conteúdo programático, assim como o planejamento da campanha da coligação tenham uma abordagem plural, multipartidária, de modo a que sejam incorporadas as contribuições de todas as correntes políticas e segmentos sociais participantes da peleja – configurando, desse modo, a concepção de um futuro governo igualmente amplo e plural.

Uma dupla missão

No entender dos comunistas, a batalha que se avizinha exige do conjunto das forças aliadas, uma dupla missão: preservar e aprimorar os avanços alcançados nos dois governos consecutivos que agora findam; e dar um passo adiante, arrostando as novas demandas, desafios e oportunidades que se apresentam em razão do promissor ambiente sócio-econômico que vem se firmando no Brasil e do novo ciclo de crescimento que se inicia em Pernambuco, que implica em impactos sobre a vida da cidade núcleo da metrópole.

Sob esses impactos, o Recife viverá, a curto prazo, uma situação diferenciada na qual será necessário operar políticas públicas voltadas para o desenvolvimento econômico com distribuição de renda, ampliação do emprego, valorização do trabalho e da capacidade empreendedora da população, sustentabilidade ambiental e afirmação de nossa identidade cultural.

Três compromissos centrais

Desse modo, o PCdoB antecipa a sugestão de que o conteúdo programático da coligação se oriente por três compromissos centrais: 1) defesa do governo João Paulo-Luciano Siqueira, a superação de insuficiências e a consolidação das conquistas alcançadas; 2) construção de uma nova agenda para a cidade para enfrentar os desafios atuais; 3) valorização de abordagem metropolitana e solução consorciada para problemas estruturais.

O Comitê Municipal do PCdoB entende que se travará uma renhida batalha e convoca seus militantes e amigos para darmos o melhor de nossa combatividade, habilidade e dedicação em prol da vitória eleitoral em outubro.

Recife, 20 de junho de 2008

O Comitê Municipal do PCdoB

O alerta de Pochmann

. O presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Marcio Pochmann, advertiu ontem que o governo terá que ter cuidado com a política de combate à inflação a ser adotada, para não frear ou reverter a tendência de distribuição mais justa de renda entre os pobres e ricos.
. Pochmann ressaltou que tanto a inflação quando as políticas a serem adotadas para combatê-la podem ter influência sobre o índice Gini, que mede o intervalo entre a média salarial dos 10% mais pobres da população e a média dos 10% mais ricos. “A política inflacionária deve ser analisada também à luz do perfil distributivo do país.”
. Para o presidente do IPEA, tanto a inflação quanto o aumento da taxa de juros poderão influenciar negativamente. “Uma política de combate à inflação que leve à desaceleração da economia, por exemplo, ou a ruptura do ciclo de expansão, pode ter impacto imediato no mercado de trabalho e pode reduzir o nível de emprego, contendo salários. É evidente também que a inflação em alta termina reduzindo o poder aquisitivo, principalmente dos mais pobres”, apontou Pochmann.

23 junho 2008

Reduzindo a desigualdade social

No Vermelho:
Ipea aponta queda de 7% da desigualdade de renda do país
. Um levantamento inédito feito pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), vinculado ao NAE (Núcleo de Assuntos Estratégicos) da Presidência da República, aponta queda de quase 7% no Índice de Gini na renda do trabalho no Brasil, entre o quarto trimestre de 2002 e o primeiro de 2008. Segundo os dados apresentados, o Índice de Gini melhorou porque a recuperação da renda dos mais pobres é quase cinco vezes maior que a recuperação da dos mais ricos. . O Índice de Gini mede a desigualdade de um país, varia de 0 a 1; quanto mais perto de 1, maior desigualdade; quando mais perto de zero, menor desigualdade.
. O levantamento foi feito a partir dos microdados da PME (Pesquisa Mensal de Emprego) do IBGE. Os dados completos apresentam a comparação trimestral entre 2002 e 2008 e a renda média do trabalho atualizada até 2008, por décimos da população. Ou seja, valores de renda desde os 10% mais pobres até os 10% mais ricos.
. Para a análise, o instituto divide os trabalhadores ocupados em dez faixas, sendo a primeira os 10% com menor renda e, assim por diante, até a última, com os 10% com maiores rendimentos. Os 10% com menor renda registraram aumento de 21,96% nos salários entre 2003 e 2007, passando de R$ 169,22 mensais para R$ 206,38, em média.
. Já os 10% com maior renda registraram ganhos de 4,91%, passando de salário médio de R$ 4.625,74 em 2003 para R$ 4.853,03, no mesmo intervalo.
. Dentro desse período, a maior variação da baixa renda foi observada entre 2006 e 2007, quando os salários registraram ganho de 9,4%, na média. No mesmo intervalo, a média de aumento salarial foi de 3,2%, considerando todas as faixas de renda. Já o grupo dos maiores rendimentos registrou aumento de 2,6%, em média.
. Próximo passo - Para o presidente do Ipea, Márcio Pochmann, a série de reajustes do salário mínimo acima da inflação e os programas de transferência de renda tiveram impacto fundamental na redução da desigualdade no país.
. Apesar de levar em conta apenas algumas regiões metropolitanas do país, essa é a melhor avaliação desde o início do levantamento, em 1960, quando o índice também ficou em 0,50. “É a primeira vez que vemos uma redução do índice de Gini mesmo com o crescimento econômico. Apesar da tendência de redução da desigualdade, ainda estamos no grupo de países em que o índice ficou acima de 0,45, uma diferença primitiva”, afirmou.
. Pochmann alertou que, apesar de haver uma melhor divisão da renda proveniente do trabalho, a massa total de rendimentos ainda tem uma participação pequena em relação ao PIB. Em 1995, 48,8% da riqueza do Brasil era composta pela renda da população. Em 2005, esse percentual recuou para 39,1%.
. “É necessário um conjunto de outras políticas para fazer os salários aumentarem sua participação na renda nacional [PIB]”, disse o presidente do Ipea. Ele defende que se faça isso por meio da tributação, tornando a cobrança de impostos progressiva para as maiores faixas de renda. Pochmann avalia ainda que a reforma tributária que está no Congresso é tímida em relação a esse ponto.
. Para ler o relatório do Ipea, clique aqui.

O olhar de Toco sobre a alta dos juros

Charge de Toco reproduzida no portal Vermelho

Correspondência em atraso

. Verifico o correio eletrônico. Hoje, 23 de junho, conto 1004 mensagens acumuladas, das quais apenas 203 não se referem às eleições de outubro no Recife.
. Precisamente 801 e-mails com entram a nossa pré-candidatura a Prefeito, retirada sexta-feira última.
. A partir de hoje, véspera de São João, começo a responder uma a uma. Na última semana era impossível manter a correspondência em dia, em meio ao turbilhão de reuniões que antecedeu a decisão tomada pelo PCdoB na quinta à noite, apresentada em almoço no Palácio do Campo das Princesas (presentes o governador Eduardo Campos, o vice-governador João Lyra Neto, o prefeito João Paulo, o deputado João da Costa e pelo PCdoB, além desse amigo de vocês, a prefeita Luciana Santos, o deputado Renildo Calheiros e os presidentes estadual Alanir Cardoso e municipal George Braga) e anunciada em entrevista coletiva na tarde da sexta-feira, na sede do Comitê Estadual do Partido.

Boa tarde, Cristiano Jerônimo


Sustentáculos

Verbos e mais verbos
Não acentuam ações
Nem abrandam
O calor eterno
Das nossas sensações.

Palavras e palavras
São tão poucas
Antes os karmas
Do frio intenso
Das noites calmas.

Sentimentos, sim,
Pulam obstáculos
E acalmam assim
Os maremotos,
Seus sustentáculos.

Porto das letras

. A Fundação de Cultura oferece mais um espaço literário na cidade do Recife, o Porto das Letras, na sede da Gerência Operacional de Literatura e Editoração, localizada na Av. Rio Branco, nº 76 A, no Bairro do Recife. Além de manter as atribuições da Gerência, a casa funciona como um local disponível à convivência entre escritores, poetas e público leitor.
. Neste mês de junho, o Porto das Letras, prosseguindo as suas atividades, realizará no dia 26, às 17h, o seu café literário convidando o poeta Delmo Montenegro, a falar sobre As Guerras Invisíveis: o que está acontecendo nos bastidores da Novíssima Poesia Brasileira.
. Anote: Roda de conversa com Delmo Montenegro. Local: Av. Rio Branco, 76 A Bairro do Recife. Quinta 26 de junho de 2008, 17 horas

A luta cotidiana contra o tempo

Ciência Hoje Online:
O dia e a noite como marcadores do tempo
. O conceito de tempo é algo bastante complexo e fascinante. Ele pode ser abordado sob o ponto de vista das mais diferentes áreas do conhecimento, como a filosofia, a sociologia, a biologia, a história, a psicologia e, em particular, a física, na qual esse conceito tem uma enorme importância, pois é a base para muitas das suas teorias mais importantes.
. Uma das primeiras formas que utilizamos para marcar o tempo foi a alternância entre o dia e a noite. Atualmente sabemos que esse efeito se deve à rotação da Terra ao redor de um eixo inclinado aproximadamente 23 graus em relação a uma linha perpendicular ao plano de sua órbita em torno do Sol. A Terra completa uma rotação a cada 23h56m04s. Esse período é chamado de dia sideral.
. Por outro lado, 24 horas é o tempo médio que leva para que o Sol, visto da Terra, volte ao mesmo ponto do céu. Esse período é chamado de dia solar médio. Ao longo do ano, ele chega a variar até 15 minutos, para mais ou para menos. A diferença de 4 minutos entre o dia sideral e o dia solar médio ocorre devido ao movimento de translação da Terra ao redor do Sol. Isso significa que, para que o Sol volte ao mesmo ponto do céu, ele gasta um tempo extra além do da rotação, pois a Terra caminhou aproximadamente 2.500.000 quilômetros ao redor do Sol e, dessa forma, há uma mudança na sua posição no céu.
. A variação do período do dia solar se deve, por um lado, ao fato de a órbita da Terra ser uma elipse (embora muito próxima de uma circunferência). Além disso, a velocidade com que ela executa o movimento de translação varia ao longo do ano, dependendo da sua distância em relação ao Sol. Dessa forma, convencionou-se que o nosso dia solar teria 24 horas.
. Leia a matéria completa: http://cienciahoje.uol.com.br/122254

Lula otimista

. Em seu programa semanal Café com o Presidente, hoje, o presidente Lula afirmou que o balanço recorde de empregos formais divulgado na semana passada pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) é sinal de que a economia brasileira voltou a crescer. Ele disse ainda que a “tendência natural” é que os postos de trabalho formal continuem em progressão no país.
. “Nosso compromisso, agora, é continuar fazendo a economia crescer, gerar mais empregos e também contribuir para a formação profissional e a qualificação da nossa juventude. Porque o mercado está cada vez mais exigindo bons profissionais”.
. Lula lembrou que um maior número de carteiras assinadas representa também ganhos para a previdência. Segundo ele, na medida em que as pessoas começam a receber mais, começam também a “arrumar sua vida”.
. “Todo mundo joga nas costas da previdência um déficit que não é dela. Se você contabilizar aquilo que os trabalhadores pagam para a previdência e aquilo que eles recebem, vai perceber que quase que não tem déficit”.

Uma hipótese em discussão

. Na coluna Diário Político (Diário de Pernambuco) de hoje: Puxador A cúpula do PCdoB se reúne na quinta-feira para discutir o assunto, mas o vice-prefeito do Recife, Luciano Siqueira, deverá mesmo concorrer a vereador. E, depois da força que acumulou como pré-candidato a prefeito, antes de apoiar João da Costa, tem tudo para ser o campeão de votos.
. Realmente é uma hipótese em discussão.
. Mas não se deve exagerar em expectativas de votos. A se confirmar a candidatura, ela teria que se viabilizar com o apoio de amigos e pouco envolvimento da estrutura partidária previamente organizada em torno do conjunto da chapa própria previamente estabelecida.

22 junho 2008

Oswaldo Lima Neto esclarece

. Mestre e doutor na matéria, professor universitário, técnico de prestígio internacional, o atual secretário de Planejamento de Olinda explica o que ocorre na Avenida Conde da Boa Vista após a intervenção realizada pela Prefeitura. Está no Diário de Pernambuco, em entrevista anexa à reportagem intitulada Pai do corredor Leste-Oeste sem medo de críticas.
. Oswaldo diz que “qualquer que coisa que façamos, e vamos ter que fazer, que restrinja o uso do automóvel repercute na cabeça pessoas, que acham que estão tirando o direito a liberdade. No caso específico da Conde da Boa Vista a intenção, desde o início, foi priorizar o transporte público, dar uma pista com ultrapassagem e deixar só uma para automóvel. Ao fazer isso e ao colocar as paradas para dentro, estava se liberando espaço nas calçadas. As paradas nas calçadas acumulavam camelôs, não sei o quê. Dentro do projeto do corredor, pela primeira vez no Recife a prefeitura utiliza, em termos de calçada, o que deve ser. Deixa uma faixa de, no mínimo, um metro e meio livre de obstáculos para o pedestre andar. O que se pensava um absurdo, dedicar uma faixa só para carro, de certa forma não tem dado muito problema, pelo que tenho visto.”
. Vale a pena ler. Se você não tem o jornal nem pode acessá-lo na Internet, posso lhe enviar o texto completo por e-mail. É só pedir (lucianosiqueira@uol.com.br).

Bom dia, Carlos Drummond de Andrade

A máquina do mundo

E como eu palmilhasse vagamente
uma estrada de Minas, pedregosa,
e no fecho da tarde um sino rouco

se misturasse ao som de meus sapatos
que era pausado e seco; e aves pairassem
no céu de chumbo, e suas formas pretas

lentamente se fossem diluindo
na escuridão maior, vinda dos montes
e de meu próprio ser desenganado,

a máquina do mundo se entreabriu
para quem de a romper já se esquivava
e só de o ter pensado se carpia.

Abriu-se majestosa e circunspecta,
sem emitir um som que fosse impuro
nem um clarão maior que o tolerável

pelas pupilas gastas na inspeção
contínua e dolorosa do deserto,
e pela mente exausta de mentar

toda uma realidade que transcende
a própria imagem sua debuxada
no rosto do mistério, nos abismos.

Abriu-se em calma pura, e convidando
quantos sentidos e intuições restavam
a quem de os ter usado os já perdera

e nem desejaria recobrá-los,
se em vão e para sempre repetimos
os mesmos sem roteiro tristes périplos,

convidando-os a todos, em coorte,
a se aplicarem sobre o pasto inédito
da natureza mítica das coisas,

assim me disse, embora voz alguma
ou sopro ou eco o simples percussão
atestasse que alguém, sobre a montanha,

a outro alguém, noturno e miserável,
em colóquio se estava dirigindo:
"O que procuraste em ti ou fora de

teu ser restrito e nunca se mostrou,
mesmo afetando dar-se ou se rendendo,
e a cada instante mais se retraindo,

olha, repara, ausculta: essa riqueza
sobrante a toda pérola, essa ciência
sublime e formidável, mas hermética,

essa total explicação da vida,
esse nexo primeiro e singular,
que nem concebes mais, pois tão esquivos

e revelou ante a pesquisa ardente
em que te consumiste... vê, contempla,
abre teu peito para agasalhá-lo."

As mais soberbas pontes e edifícios,
o que nas oficinas se elabora,
o que pensado foi e logo atinge

distância superior ao pensamento,
os recursos da terra dominados,
e as paixões e os impulsos e os tormentos

e tudo que define o ser terrestre
ou se prolonga até nos animais
e chega às plantas para se embeber

no sono rancoroso dos minérios,
dá volta ao mundo e torna a se engolfar
na estranha ordem geométrica de tudo,

e o absurdo original e seus enigmas,
suas verdades altas mais que tantos
monumentos erguidos à verdade;

e a memória dos deuses, e o solene
sentimento de morte, que floresce
no caule da existência mais gloriosa,

tudo se apresentou nesse relance
e me chamou para seu reino augusto,
afinal submetido à vista humana.

Mas, como eu relutasse em responder
a tal apelo assim maravilhoso,
pois a fé se abrandara, e mesmo o anseio,

a esperança mais mínima — esse anelo
de ver desvanecida a treva espessa
que entre os raios do sol inda se filtra;

como defuntas crenças convocadas
presto e fremente não se produzissem
a de novo tingir a neutra face

que vou pelos caminhos demonstrando,
e como se outro ser, não mais aquele
habitante de mim há tantos anos,

passasse a comandar minha vontade
que, já de si volúvel, se cerrava
semelhante a essas flores reticentes

em si mesmas abertas e fechadas;
como se um dom tardio já não fora
apetecível, antes despiciendo,

baixei os olhos, incurioso, lasso,
desdenhando colher a coisa oferta
que se abria gratuita a meu engenho.

A treva mais estrita já pousara
sobre a estrada de Minas, pedregosa,
e a máquina do mundo, repelida,

se foi miudamente recompondo,
enquanto eu, avaliando o que perdera,
seguia vagaroso, de mão pensas.

Nosso diálogo

. Da reportagem que o Diário de Pernambuco publica hoje sobre a presença de pré-candidatos a prefeito do Recife na Internet, pinço essa passagem: “É interessante frisar outro fator decisivo ao lidar com os termos de incidência para Siqueira: é o único com um blog ativo, sempre atualizado, em constante diálogo com leitores e internautas por meio de artigos e comentários.”
. É a valorização do diálogo que mantemos aqui no blog e por e-mail.
. Acrescento: a generosidade de vocês me faz um bem enorme.

19 junho 2008

O olhar de Ronaldo sobre a inflação

Charge publicada no Jornal do Commercio

Postura crítica

No Vermelho:
Comunistas são contra aprovação do projeto das fundações estatais
. A criação de fundações estatais foi aprovada, nesta quarta-feira (18), pela Comissão de Trabalho da Câmara dos Deputados. O projeto é polêmico porque permite a contratação de funcionários pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), regime de trabalho da empresa privada, enquanto no serviço público prevalece o Regime Jurídico Único. Os deputados do PCdoB, Alice Portugal e Daniel Almeida, ambos da Bahia, se posicionaram contra a proposta que estende a atuação das fundações para outras áreas além do que estava previsto no projeto original.
. Leiaa matéria http://www.vermelho.org.br/base.asp?texto=38950

Propostas para a cidade

Coluna semanal no portal Vermelho*:
Nem oito, nem oitenta
Luciano Siqueira

Presume-se que até o início da propaganda na TV, em agosto, os diversos postulantes à Prefeitura do Recife tenham definido suas plataformas de campanha – que convencionalmente se denomina “programa de governo”. Antes disso todos, ou quase todos, esboçam propostas em geral abordando problemas setoriais. Tem sido assim, inclusive, em debates e entrevistas promovidos pelos diversos órgãos de imprensa que abrem espaço para que assim procedam.

Qual a melhor abordagem: desenvolver idéias específicas para cada aspecto da vida na cidade ou abordar os desafios de sua permanente construção a partir de um plano geral? Aqui cabe, a nosso ver, a expressão popular nem oito, nem oitenta. Ou seja: nem amiudar a discussão no varejo, nem permanecer tão somente em proclamações gerais.

Mas, para que se mostrem consistentes as propostas, indispensável que partam de uma visão de conjunto dos problemas, oportunidades e desafios, dentro de uma percepção contemporânea.

Dentro dessa concepção, uma das idéias centrais de nossa pré-candidatura tem sido o papel do poder local na indução das atividades econômicas mais dinâmicas no território da cidade. Crescimento econômico e satisfação progressiva das necessidades básicas da população devem evoluir de maneira articulada.

Nesse sentido, e em sintonia com o ambiente econômico promissor em gestação no território metropolitano (no caso atual do Recife e cidades circunvizinhas), devem ter peso uma política fiscal inteligente e flexível, o estímulo à dinamização de cadeias e arranjos produtivos, a atração de novos empreendimentos, a qualificação e a formação da força de trabalho, a melhoria da infra-estrutura e acesso e meios de transportes, o incentivo à produção de novas tecnologias e ao investimento em inovação. Segmentos dominantes na economia do município, o varejo moderno e a logística, o pólo médico, o turismo e a construção civil têm, diante de si, a perspectiva de expansão, assim como os setores de tecnologia da informação, de consultoria e planejamento.

Complementariamente caberá estabelecer eficiente sinergia da economia popular e dos pequenos empreendimentos com esses setores estratégicos.

Esse é, sem dúvida, um bom ponto de partida.
* O mesmo texto, com pequenas alterações, foi publicado na quarta-feira última no Blog de Jamildo (JC Online).

Cinema defendido pelo sexo feminino em foco

Diário de Pernambuco:
Audiovisual/Festival Ação Mulher no Parque e na Fundação
. De hoje até quarta-feira, o cinema feito, defendido e protagonizado pelo sexo que uma vez já foi chamado de frágil dá as cartas no 3º Festival do Audiovisual Ação Mulher. Dois longas-metragens nacionais recentes - O céu de Suely (2006), de Karim Aïnouz, e Chega de saudade (2007), de Laís Bodanzky - seis curtas em 35mm e sete vídeos serão exibidos nos cinemas do Parque e da Fundação; além das projeções, haverá uma exposição de fotos no Parque, debates e oficinas de roteiro, direção e interpretação, ministradas por Clara Angélica, Stela Zimmerman e Márcia Cruz.
. Entre os vídeos, duas estréias de duas diretoras locais: O caso da menina, de Tuca Siqueira, e Cinco e meia, de Alice Gouveia. Os trabalhos foram rodados em 2007, em digital. Inspirada num conto de Marcelino Freire, Tuca narra a história de um homem (Jones Melo) que conhece uma mãe adolescente que lhe oferece o bebê. Já Alice acompanha uma mulher que dedica sua vida a alegrar o cotidiano de um grupo de idosos, mas que não camufla sua solidão. Há, ainda, um vídeo de 1985, O que faço com esse tesão?, do SOS Corpo.
. O tema do festival é a violência contra a mulher; cumpre lembrar que Pernambuco tem altas taxas de crimes cometidos contra as fêmeas, em especial por maridos e parceiros abusivos. "Queremos analisar de que forma os meios audiovisuais têm contribuído ou não para reforçar essa prática, tanto de forma velada ou de maneira abusiva", comenta a produtora Maria Áurea Santa Cruz, idealizadora e organizadora do Ação Mulher desde a primeira edição, em 2003. Para os três dias de filmes e discussão, o festival tem o apoio do Fórum de Mulheres de Pernambuco, da Secretaria estadual da Mulher e da Coordenadoria da Mulher da Prefeitura do Recife.

Objetivos ousados

. Lançada ontem, a Universidade Aberta do SUS (Unasus) – iniciativa conjunta dos ministérios da Saúde e da Educação (MEC) e da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) – pretende especializar mais de 50 mil profissionais do Programa de Saúde da Família (PSF) e qualificar cerca de 100 mil gestores do Sistema Único de Saúde (SUS) até 2011.
. Serão oferecidos cursos à distância através de parcerias com universidades, faculdades, associações médicas e secretarias de saúde. Com os cursos, os profissionais vão receber o título de especialista em saúde da família.
. Também serão formados gestores do SUS e a especialistas em programas de promoção da saúde do idoso.

Tempo e razão

Na Folha de Pernambuco, por Jairo Lima:
Encontro petista não terá PCdoB
. Mesmo demonstrando certa ansiedade diante da resolução comunista, o deputado estadual e pré-candidato à Prefeitura do Recife, João da Costa (PT) não terá a presença do vice-prefeito e pré-candidato do PCdoB, Luciano Siqueira, na reunião da cúpula petista e aliados, amanhã, no Recife Praia Hotel, no Pina, às 15h. “O PCdoB não vai participar da reunião de João da Costa com a comissão política dos partidos da frente, porque não faz sentido”, garantiu Siqueira.
. As conversas para chegar a um consenso sobre a retirada da candidatura comunista parecem não terem avançado. “O PCdoB está tratando desse assunto com muito critério e muito cuidado. Se o prazo (para dar uma resposta ao PT) fosse hoje (ontem) não tenho dúvidas que continuaria candidato”, insistiu.
. A demora do PCdoB em apresentar a decisão sobre o possível apoio à candidatura de Costa é vista como comum ao período eleitoral pelo petista. “Tudo isso leva tempo”, ponderou. Tentando estipular prazos para os comunistas mais uma vez, João da Costa gostaria de ter o quadro definido até a próxima sexta-feira. “Estamos amadurecendo as conversas”, argumentou. Mesmo assim, João da Costa condicionou o papel de coordenador-geral do processo de sucessão municipal do PT ao prefeito João Paulo (PT).
. Siqueira, porém, continua falando sobre a convenção partidária comunista marcada para o dia 29 de junho, pretendendo não tomar qualquer posição que manche a relação entre os partidos. “A gente precisa envolver todas as instâncias partidárias. A hipótese de não ficar passa pela consciência e a emoção de muita gente”, ressaltou.

18 junho 2008

Aldo na vice de Marta?

No G1:
Grupo formado por PCdoB, PTB e PDT reuniu-se pela primeira vez com PT em São Paulo.Presidente do PCdoB acredita que acordo deverá ser fechado na próxima semana.
. A presidente municipal do PCdoB, Julia Roland, afirmou nesta quarta-feira (18) - após a primeira reunião do Bloco de Esquerda, o chamado "bloquinho" com o PT em São Paulo - que o grupo formado por seu partido, mais PSB e PDT, tende a fechar na próxima semana apoio à candidatura da ex-prefeita Marta Suplicy.
. Segundo ela, o bloquinho deve indicar o deputado federal Aldo Rebelo (PCdoB-SP), ex-presidente da Câmara dos Deputados, como candidato a vice na chapa de Marta.
. "Após a reunião, posso dizer que existe tendência de o bloco fechar com o PT e indicar Aldo como vice. Tem outras questões em que a gente precisa avançar, como o programa e a coordenação de campanha", disse Julia. De acordo com ela, os presidentes municipais dos partidos do bloquinho deverão ter novo encontro com o PT na sexta-feira (20). " Hoje (18), nós identificamos pontos de convergência e marcamos nova reunião para sexta-feira (20). Ainda não batemos o martelo, não fechamos nada, mas o bloco apresentou o nome de Aldo. Foi mais uma aproximação do ponto de vista das questões políticas mais abrangentes."
. Julia Roland afirmou que os partidos do bloco e do PT avaliam que há mais convergências do que divergências programáticas e ideológicas, além do que a união ampliaria o tempo de TV de Marta.
. "Estamos na reta final porque não há mais tempo. Temos que tomar uma decisão até semana que vem, mas são vários pontos que ainda precisam ser discutidos", afirmou.

Convicção e responsabilidade

São duas palavras chaves no debate que se desenrola no PCdoB acerca de nossa pré-candidatura a prefeito do Recife.

Convicção de todos, ou seja, consenso – é o que buscamos no coletivo militante e junto aos amigos que nos acompanham.

Responsabilidade para com nossa base política e social; respeito às idéias, à emoção e à vontade coletiva.

Bom dia, Thiago de Mello

Arte de amar

Não faço poemas como quem chora,
nem faço versos como quem morre.
Quem teve esse gosto foi o bardo Bandeira
quando muito moço; achava que tinha
os dias contados pela tísica
e até se acanhava de namorar.
Faço poemas como quem faz amor.
É a mesma luta suave e desvairada
enquanto a rosa orvalhada
se vai entreabrindo devagar.
A gente nem se dá conta, até acha bom,
o imenso trabalho que amor dá para fazer.

Perdão, amor não se faz.
Quando muito, se desfaz.
Fazer amor é um dizer
(a metáfora é falaz)
de quem pretende vestir
com roupa austera a beleza
do corpo da primavera.
O verbo exato é foder.
A palavra fica nua
para todo mundo ver
o corpo amante cantando
a glória do seu poder.

17 junho 2008

Por e-mail, para os que nos acompanham

Em qualquer circunstância, estaremos juntos

São centenas de mensagens que me chegam pelo correio eletrônico a propósito da definição do PCdoB sobre nossa candidatura a prefeito do Recife, com prazo final para o dia 29 próximo, na Convenção partidária.

Não é uma questão simples. Muitas variáveis são consideradas, de ordem nacional e local, assim como as opiniões de todos.

Certamente deveria estar respondendo a cada e-mail, de imediato. Mas é muito difícil, tamanha a carga de energias dedicadas ao assunto, além de minhas obrigações administrativas como vice-prefeito. Mas asseguro que, como de costume, responderei pessoalmente a cada um de vocês.

Nossa proposta de disputar o pleito no Recife não se inspira em interesse individual nem se circunscreve aos objetivos exclusivos do PCdoB. Ela parte da necessidade do conjunto das forças políticas e sociais que em nossa cidade dão sustentação aos governos Lula, Eduardo Campos e João Paulo. Assim, manter ou não a candidatura não será uma decisão minha, será uma decisão partidária. E ao tomar a resolução final, o PCdoB o fará respaldado em ampla ausculta à militância, aos amigos (os e-mails de vocês fazem parte dessa ausculta) e aos partidos aliados.

Voltarei a comentar o tema em meu blog www.lucianosiqueira.blogspot.com a partir de hoje, como meio de esclarecer certos aspectos da questão que talvez não sejam de fácil compreensão para os que não têm vida política orgânica.

Vocês que me conhecem, sabem que não tenho carreira política, tenho militância; não aspiro a nada em termos pessoais, cumpro missões. Daí me sentir - nesse momento de muita tensão - altivo, sereno e confortado pela solidariedade de tanta gente que me telefona, me escreve ou simplesmente me aborda nas ruas e no ambiente de trabalho manifestando confiança e apoio.

Em qualquer circunstância, estaremos juntos. Não ficaremos ausentes da batalha do Recife, cuja importância estratégica todos reconhecemos.

Afetuoso abraço,

Luciano Siqueira

O município, a nação e as eleições

Por mais que cada município seja, em nosso país, um universo particular, não se pode desvincular as eleições locais do contexto nacional; nem o pleito deste ano das eleições gerais de 2010. Isto vale especialmente para partidos que detêm responsabilidades nacionais – caso, por exemplo, do PCdoB, do PSB e do PT, dentre outros que se destacam no espectro à esquerda.

A observação me parece oportuna neste instante em que nos aproximamos das convenções partidárias que confirmarão, ou não, candidaturas majoritárias pelo Brasil afora, especialmente nas capitais e cidades grandes e médias de cada estado. Por exemplo: em São Paulo, especula-se que o deputado Aldo Rebelo, pré-candidato do PCdoB com o apoio do Bloco de Esquerda, poderá ser deslocado para a vice na chapa de Marta Suplicy (PT). No Rio de Janeiro, uma hipótese é o PT abrir mão de candidatura própria e se somar ao PDT e outras legendas em torno da candidatura de Jandira Feghalli, do PCdoB.

O PCdoB examina esse assunto tanto do ponto de vista nacional como local com muita serenidade. É um partido uno e coeso, infenso a “regionalismos” inconseqüentes.

Lula & Bloco de Esquerda

No Vermelho:
Lula convoca Bloco de Esquerda e PT para definir alianças
. Os presidentes dos principais partidos (PCdoB, PSB e PDT) que compõem o Bloco de Esquerda e do PT foram convocados a participar de uma reunião em Brasília nesta terça-feira (17) à noite com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A intenção da conversa é chegar a um acordo sobre a possível união das legendas em algumas capitais consideradas fundamentais para a campanha eleitoral deste ano.
. O tema principal da reunião, segundo o noticiário que circula pela Internet nesta terça-feira, será o apoio do Bloco à candidatura de Marta Suplicy à Prefeitura de São Paulo. Até o momento, PCdoB, PSB e PDT estão unidos em torno da candidatura do comunista Aldo Rebelo. O PT vislumbra o apoio do Bloco e, assim, ver o tempo de propaganda eleitoral de Marta praticamente dobrar, para quase sete minutos por programa.
. Em entrevista à Folha de S.Paulo, o presidente do PDT, Vieira da Cunha, disse que a prioridade em São Paulo é a articulação em prol de uma chapa própria do Bloco. Apesar dessa disposição, ele disse estar disposto a apoiar Marta Suplicy, caso PCdoB e PSB assim o façam. ''O PDT nacional sempre defendeu uma atitude unitária do bloco. Se o PCdoB e o PSB decidirem apoiar a Marta, da nossa parte não haverá empecilho'', disse.
. Na mesa de discussões, entrarão os cenários eleitorais de outras capitais de grande porte, como Rio de Janeiro e Belo Horizonte. No RJ, as pesquisas apontam a comunista Jandira Feghali na segunda colocação, com grandes chances de passar ao segundo turno. O PCdoB gostaria de ter o apoio do PT na chapa encabeçada por sua candidata, mas até o momento o petista Alessandro Molon não abriu mão de ser o nome do partido na disputa, apesar de ter perdido o apoio no PMDB na cidade.
. ' 'O ideal seria o bloco sair com o PT nas grandes cidades. Isso representaria a recomposição da própria esquerda, mas a gente sabe que nem sempre se atinge o ideal'', afirmou à Folha o presidente do PCdoB, Renato Rabelo. Atualmente, Jandira teria cerca de um minuto e meio assegurado na campanha eleitoral. Se PT e PDT se unirem, o tempo sobe para quase oito minutos na TV.
. Nomes de peso do PT fluminense, como o ministro da Igualdade Racial, Edson Santos, falam abertamente de sua preferência pela aliança com Jandira. Em entrevista a O Globo, ele disse que ''sem a aliança com a esquerda corremos sério risco de derrota fragorosa. A candidatura da Jandira Feghali se mostra mais viável para disputar com a direita [...] É esse também o desejo do presidente Lula".
. Belo Horizonte - A entrada do presidente Lula nas negociações entre os quatro partidos também pode resolver a situação de Belo Horizonte. Marcio Lacerda, do PSB, figura como favorito nas pesquisas, mas sua coligação segue indefinida. O partido, junto com o PT e o PSDB, articula uma chapa única na capital mineira desde o ano passado, mas a presença dos tucanos, liderados pelo governador Aécio Neves, tem feito com que qualquer definição seja prorrogada. O PSB não aceita o veto petista à aliança com o PSDB. O PCdoB, por sua vez, já tem como certa candidatura da deputada Jô Moraes à Prefeitura.
. ''Acho que ainda é possível reverter algumas situações. Se estivermos separados, o risco de todos perdermos é muito grande'', afirmou o senador Renato Casagrande, do PSB, a O Globo.

16 junho 2008

Democratização da mídia

Da Agência Brasil:
I Fórum de Mídia Livre cobra realização da Conferência Nacional de Comunicação
. O pedido de convocação da Conferência Nacional de Comunicação ao governo federal foi um dos principais pontos do documento final do I Fórum de Mídia Livre, que terminou, hoje, no Rio de Janeiro. O evento reuniu jornalistas e outros profissionais da área de comunicação, junto com acadêmicos e estudantes para discutir a democratização da informação.
. A Conferência Nacional de Comunicação já foi aprovada no Congresso Nacional com uma verba de R$20 milhões e agora necessita de uma convocação por parte do Executivo. Segundo Antônio Biondi, da coordenação do fórum e membro do Coletivo Intervozes, o documento será enviado aos principais representantes dos três poderes. A idéia é que ele seja colocado à disposição para que outros veículos de comunicação, incluindo blogs e rádios comunitárias, possam utilizá-lo na campanha pela conferência.
. É preciso que a sociedade faça pressão, porque pelo Governo Federal isso ficaria ligado só no Legislativo. Nós queremos ter uma conferência nacional como as outras (a exemplos das de Educação, Saúde e Direitos humanos) , avaliou Biondi, que disse não acreditar que a conferência saia ainda em 2008, já que estamos num ano eleitoral.
. O jornalista Lalo Leal, apresentador do programa Ver TV, transmitido pela TV Brasil, destacou a importância da conferência como um espaço para a rediscussão de todo o marco legal da comunicação no Brasil. Segundo ele, o Fórum de Mídia Livre entende que a legislação é muito antiquada e não dá conta do momento que estamos vivendo.
. Na avaliação de Lalo Leal, há uma concentração muito grande da mídia em detrimento de uma comunicação mais democrática. Ele acredita que já existe uma forte sensibilização na sociedade sobre a importância da conferência.
. O dinheiro existe, assim como a vontade política de grande parte da sociedade. E agora me parece que também por parte os radiodifusores, que estão preocupados com o ingresso no mercado brasileiro das empresas de telefonia. Eles querem discutir novas regras para o setor, avaliou Lalo Leal.
. Outros pontos que também tiveram destaque no encontro foram a democratização das verbas públicas de publicidade, que segundo os participantes ficam concentradas com as grandes empresas, a criação de uma rede através da Internet reunindo várias experiências de comunicação alternativa e a utilização dos Pontos de Cultura, implantados pelo Ministério da Cultura, para a produção de conteúdos de mídia independente.

14 junho 2008

A interferência de Lula

No Vermelho:
Lula quer unidade no Rio com Jandira e em SP com Marta
. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva convidou a direção do PCdoB para uma reunião nesta quinta-feira (12). Lula expôs longamente a sua visão do Brasil, do seu governo e da sua sucessão em 2010. Falou também de 2008, pedindo um "esforço de unidade". Opinou que seria certo se lutar por um acordo no Rio de Janeiro, em torno da candidatura de Jandira Feghali, do PCdoB, e em São Paulo, em torno de Marta Suplicy, do PT.
. Além de Lula e do presidente do PCdoB, Renato Rabelo, participaram do encontro os deputados comunistas Aldo Rebelo, pré-candidato a prefeito de São Paulo, e Renildo Calheiros, que deve concorrer em Olinda (PE). A reunião no Palácio do Planalto estendeu-se das 18 às 20h30.
Renato avaliou a atitude do presidente como "muito amigável", "muito próxima", ressaltando a importância e o papel do PCdoB. Os dirigentes comunistas basicamente ouviram a exposição de Lula, que se mostrou muito bem informado e é dono de uma memória privilegiada, citando números e mais números de cabeça, comentando o quadro nacional com argúcia e vivacidade.
Na foto, Lula e Renato Rabelo.

Células-tronco para recompor cartilagens

Ciência Hoje On-line:
Pesquisadores brasileiros criam células cartilaginosas a partir de células-tronco de cordão umbilical
. Estudo realizado por pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) pode abrir caminho para um novo tratamento de doenças como artroses, hérnias de disco e lesões nas articulações. A equipe conseguiu produzir, em tempo recorde, condrócitos (células do tecido cartilaginoso) a partir de células-tronco retiradas de cordão umbilical. Os resultados podem dar suporte a outras pesquisas realizadas com células-tronco adultas.
. Estudos anteriores já haviam conseguido obter condrócitos a partir de células-tronco mesenquimais, que são encontradas na medula óssea e no cordão umbilical e podem ser estimuladas para dar origem a ossos e músculos. Mas é a primeira vez que pesquisadores conseguem produzir essa diferenciação em um período de tempo tão curto.
. Leia a matéria na íntegra http://cienciahoje.uol.com.br/121620

Bom dia, Manuel Bandeira


O impossível carinho

Escuta, eu não quero contar-te o meu desejo
Quero apenas contar-te a minha ternura
Ah se em troca de tanta felicidade que me dás
Eu te pudesse repor
- Eu soubesse repor -
No coração despedaçado
As mais puras alegrias de tua infância!

13 junho 2008

Nuvens escuras no horizonte

. Pela ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada ontem, sabe-se que o Banco Central vai manter o processo de alta dos juros “enquanto for necessário” para colocar a inflação novamente na trajetória da metas.
. Apesar da aceleração dos preços no Brasil e da deterioração do cenário externo, o BC se esforça, entretanto, em passar segurança de que a pressão inflacionária deve ser revertida no médio prazo com o aperto monetário e o aumento do superávit primário das contas do setor público.
. A receita não tem aprovação unânime no governo. Muito menos na sociedade. Daí a importância da resistência organizada pela CMS (Coordenação dos Movimentos Sociais) e de outros segmentos, em defesa do desenvolvimento do país.

12 junho 2008

Frágeis alianças

Faz-se a aliança que é possível, nem sempre a mais desejável. E a relação com os aliados pode ser mais ou menos consistente, e estável, a depender do grau de convergência de propósitos. Ou seja: se há mesmo unidade política, os aliados caminham juntos tanto em empreitadas fáceis como nas difíceis.
. As alianças que asseguram a maioria (precária) parlamentar do governo na Câmara dos Deputados eram e são as possíveis – cuja solidez é questionável. Exemplo: supondo que a votação em torno da CSS seja, e é, da maior importância para o governo, a aprovação da matéria por margem tão diminuta chega a ser uma caricatura do que se denomina maioria governista.
. A base aliada logrou aprovação por 288 votos a favor, 124 contra e 4 abstenções. Isto é só dois votos a mais do quorum exigido para aprovação. Agora, a decisão final, como aconteceu em dezembro de 2007, fica para o Senado, onde as dificuldades são bem maiores. Foi no Senado que a CPMF caiu em definitivo.
. O novo tributo terá alíquota de 0,1% sobre todas as movimentações financeiras, no mesmo molde da CPMF. Estarão isentos do pagamento da CSS os aposentados e pensionistas, além dos trabalhadores formais que recebam até R$ 3.038,99.
. Quem ganha acima deste valor e tem carteira assinada também será isento até este limite, pagando apenas sobre o que exceder os R$ 3.038,99. Cálculos feitos pelos parlamentares da base governista, a CSS proporcionará uma arrecadação de R$ 11,8 bilhões em 2009, R$ 12,9 bilhões em 2010 e R$ 14,2 bilhões em 2011.

História: 12 de junho de 1997

Tiros durante a greve em Belo Horizonte
Começa a greve dos 42 mil PMs de MG. Nas semanas seguintes, os baixos soldos deflagram uma explosão de protestos dos PMs por todo o país. (Vermelho http://www.vermelho.rg.br/).

Uma luta inadiável

. Metade das crianças e dos adolescentes feridos ou doentes em decorrência do trabalho no país atua na agricultura, apontam dados da mais recente Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), relata a Folha de S. Paulo.
. No país, de acordo com a pesquisa, 5,13 milhões de menores de 18 anos estavam incluídos no mercado de trabalho.
. Hoje, Dia Mundial contra o Trabalho Infantil, está prevista a assinatura, pelo presidente Lula, de decreto que estabelece locais de trabalho proibidos para atuação profissional de menores de 18 anos. Atividades rurais estão na lista.
. Os números da Pnad -de 2006- mostram que 51,5% das crianças que se feriram ou adoeceram nos 365 dias anteriores à pesquisa atuavam na agricultura -128,2 mil do total de 248 mil. O IBGE visitou mais de 145 mil domicílios para realizar a Pnad. Coletou os dados com moradores adultos das casas. Dos menores de 18 anos que trabalhavam, 41,4% atuavam na agricultura.

11 junho 2008

Entenda o que se passa

No Blog de Jamildo (JC online)
Serenidade, paciência e bom senso
Luciano Siqueira

Devia escrever sobre os problemas da cidade. Mas permitam, editor e leitores, um registro pessoal que me parece oportuno a apenas dezessete dias da Convenção Eleitoral do PCdoB.

Pessoal, vírgula. Melhor explicar: a palavra do pré-candidato faz-se necessária porque para ele convergem idéias, energias e vontades coletivas; porém jamais com a intenção de tratar o assunto por um viés meramente individual.

Qual é a questão? É o conflito entre duas possibilidades: a da manutenção de nossa candidatura; e a de sua retirada. Dúvidas e discrepâncias alimentam o dilema, que por isso mesmo é abordado no plano das idéias – ou seja, da análise concreta da situação.

E a situação é a seguinte. Há um ano se discute a hipótese de mais de uma candidatura dentre os partidos que constituem o “campo governista” no Recife, a partir de determinada avaliação da correlação de forças que se desenha. São pelo menos cinco candidatos de oposição imbuídos do propósito de levarem o pleito a um provável segundo turno. O alvo de todos é a atual gestão – que, representada por apenas um candidato, atrai naturalmente o fogo concentrado dos adversários; mas se concorre com mais de um, tem pelo menos a chance de melhor posicionar suas linhas de defesa e de buscar junto ao eleitorado, por caminhos diversos, o necessário acúmulo de forças para a vitória no turno seguinte.

Essa uma das principais razões, ao lado de muitas outras igualmente relevantes, de haver prosperado até hoje a pré-candidatura do PCdoB, em que pese a quase totalidade das legendas partidárias aliadas terem se ajuntado em torno da candidatura do PT. Fizeram a sua opção sem, entretanto, negarem explicitamente a necessidade de mais de uma candidatura.

Agora é tempo de uma decisão definitiva. Nossa pré-candidatura - que jamais se apresentou como pleito pessoal ou exclusivo do PCdoB, sempre esteve vinculada ao interesse do conjunto das forças aliadas – é posta em causa. E passa pelo crivo partidário e dos qualificados e influentes círculos de amigos que se mostram dispostos a uma solidariedade ativa. Um dos critérios de avaliação é, obviamente, a avaliação do conjunto dos partidos aliados sobre a real necessidade da permanência.

O diálogo com o PT e com o deputado João da Costa (ele expressando a vontade de seu partido e provavelmente interpretando o pensamento dos partidos que o apóiam) tem esse sentido. Por isso está correta a postura assumida pelas direções estadual e municipal do PCdoB de ouvir com abertura e atenção as ponderações do aliado e de considerar criteriosamente a gama de variáveis que conformam o atual cenário pré-eleitoral.

Este que lhes escreve, antes de tudo um militante, espera de todos os que acompanham com atenção e interesse o desenrolar de nosso trabalho muita serenidade, paciência e bom senso.

Tomara que ele tenha razão

. O ministro Guido Mantega diz que a diminuição no crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) no acumulado em 12 meses, divulgada ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), não preocupa o governo.
. Segundo ele, o recuo no ritmo de expansão nesses indicadores é benéfico para a economia porque indica que o crescimento está ocorrendo de forma equilibrada.
. “A desaceleração era desejável para que houvesse uma convergência entre a oferta e a demanda”, explica.
. Para Mantega, no entanto, o governo não está trabalhando para derrubar o crescimento econômico, mas apenas promovendo um ajuste para impedir que o descompasso entre a demanda e a oferta provoque inflação.

Pressão sobre aliados

No Vermelho:
Lula diz que só apoiará candidatos onde sua base estiver unida
. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva garantiu nesta segunda-feira (9) que não vai subir no palanque de candidatos a prefeito nas cidades em que a base aliada estiver dividida. "Vou ficar praticamente neutro", disse Lula. "Só vou nas cidades onde a base estiver unida, em que um candidato nosso estiver disputando contra outro da oposição". Ele citou os exemplos do Rio de Janeiro e de São Paulo, afirmando que na capital paulista, "se o Aldo (Rebelo, PCdoB, pré-candidato do Bloco de Esquerda paulistano) for candidato, não poderei ir".
. Nos dois municípios mais populosos do país a base de apoio do governo federal tende a se dividir entre várias candidaturas a prefeito. "Como vou subir no palanque do (Alessandro) Molon e fazer campanha para ele no Rio se o Crivella, meu amigo, está na disputa? Ele é meu correligionário, sempre me ajuda em tudo. Não posso fazer isso - disse Lula. - Em São Paulo, só posso ir apoiar a Marta se não tiver encrenca. Se o Aldo (Rebelo) for candidato, não poderei ir", exemplificou Lula.

Democratização da mídia

Carta Maior:
1º Fórum de Mídia Livre já tem quase 600 inscritos
. A cinco dias de seu início, o FML, que acontecerá na UFRJ, já conta com 566 inscrições vindas de todo o Brasil. Discussões serão divididas em cinco eixos, sobre temas como a democratização das verbas de publicidade, a formação dos “fazedores de mídia” e o surgimento de novas mídias, entre outros.
. Veja matéria http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=15047

10 junho 2008

Bom dia, Gonzalo Rojas*

Ao silêncio

Oh voz, única voz: todo o oco do mar,
todo o oco do mar não bastaria,
todo o oco do céu,
toda a cavidade da formosura
não bastaria para te conter,
e ainda que o homem calara e este mundo se fundira
oh majestade, tu nunca,
tu nunca cessarias de estar em todas as partes,
porque te sobra o tempo e o ser, única voz,
porque estás e não estás, e quase és meu Deus,
e quase és meu pai quando estou mais obscuro.

* Poeta chileno. Tradução de Cristiane Grando.

De Nagib sobre Ascenso


A dimensão exata
Nagib Jorge Neto*
Publicado no Blog do Noblat

Nas letras, nas artes, há sempre veredas, trilhas, para ousar e inovar. E pode pintar um estado de graça, ou de caos, que exige talento, poder criativo, para encontrar e seguir um caminho, largo ou estreito, simples ou complexo. Na aventura, o desafio de captar a dimensão do ambiente e da vida, de imagens e mensagens, de símbolos e significados. Então se aprofunda a percepção das formas, linguagens, que contribui para uma versão inovadora, precisa, enriquecendo a visão da obra de arte, com sua realidade e fantasia.

Essa busca do novo, da beleza, é a tônica do estudo de Valéria Torres da Costa e Silva, que fez a introdução dos poemas de Ascenso Ferreira, lançada pela editora Martins Fontes. A edição da obra, sob o título de Catimbó, Cana Caiana e Xenhenhém, é a segunda feita a nível nacional, pois a primeira saiu pela José Olímpio, em 1963. As outras edições foram feitas em Pernambuco, iniciativa do poeta Juhareiz Correya, e de Lourdes Medeiros, viúva de Ascenso.

Na edição de agora, o trabalho de Valéria Torres funciona como uma espécie de fantasia exata, como diria Franklin de Oliveira, feita com a força do relato denso, conciso, e da carga de emoção e sentimento. A tentativa é positiva na busca de desmontar o discurso centrado em Ascenso como figura “descomunal”, animada, folclórica, e não como homem culto, artista, com talento para captar a diversidade do universo de matas, agrestes e sertões do Nordeste.
A força do antigo discurso, rompido apenas por Mário de Andrade e Manoel Bandeira, “acabou enviesando e restringindo a recepção de sua poesia”, pois poeta e poesia “tornaram-se presas da armadilha do pitoresco”, afirma Valéria Torres que questiona a ausência de sugestão de chaves de leitura, de portas de entrada para seu universo poético. Ela destaca a “diversidade de temas, perspectivas sobre a realidade e formas de expressão, muitas vezes ocultas sob a superfície do folclore, do pitoresco e do regional”.

Daí constata que “o poeta parte das formas populares, mas apenas para brincar livremente com elas”. Ou vai além com temas “que respondem a inquietações, dilemas e expectativas produzidos pelos processos de modernização” bem como “remetem ao cotidiano, em que se desenrolam os dramas humanos, particulares e coletivos, e às alegrias e dores de amor, cegas a distinções de classe, sexo, raça ou lugar”.
Nessa linha, examina a poesia de Ascenso sob uma ótica ampla, uma dimensão exata, ou seja: “a cultura brasileira ou regional, embutindo, na maior parte dos casos, uma crítica à modernidade; o olhar sobre o cotidiano, que tanto se associa a reflexões filosóficas como à crítica social ou registro satírico de costumes; o amor, algumas vezes associado a uma semântica do sagrado, com alguns poemas que desenvolvem uma relação entre o erótico e o sagrado”.

No conjunto dos poemas – Catimbó, Xenhenhém, Cana Caiana – a amplitude do popular, do moderno, visões dos dramas da terra, da seca, dos costumes, do amor e do erotismo, presentes em “imagens, cenas, expressões, estribilhos, crendices, linguajar”. Ou ainda no formato de pequenas estórias, com graça, crítica e denúncia, numa síntese que toca “todas as cordas da sensibilidade humana, delas tirando acordes de dor e alegria, que podem fazer sofrer, gozar, encarar paradoxos e limitações, e fantasiar”.

A narrativa de Valeria Torres envolve e comove, é convincente e favorece a compreensão e dimensão da poesia de Ascenso Ferreira, que se “alimenta da ternura e da paixão de viver do poeta, da vida com suas cores, cheiros, sabores” enfim um convite para “experimentar a realidade e a fantasia, a viver o gozo da comunhão da carne e a dor da desaparição ou da morte”.
* Jornalista e escritor.
Ilustração do site Pernambuco de A-Z www.pe-az.com