31 agosto 2009

Josias Albuquerque generoso

Gesto de amigo: o presidente da FECOMÉRCIO, Josias Albuquerque, ao agradecer a presença dos amigos em seu aniversário e no lançamento de sua biografia, na Blue Angel, entre autoridades e empresários, saudou a todos através deste modesto vereador do PCdoB sobre quem fez considerações elogiosas – e, reconheço, generosas ao excesso. E fez questão de me dedicar o primeiro exemplar do livro.

Dinheiro velho será reciclado e vai virar adubo

. A informação é do Valor Econômico. Está com os dias contados o atual sistema do Banco Central de destruição do dinheiro "velho" que é retirado de circulação. Hoje, é uma tarefa intensiva de mão-de-obra e precisa ser acompanhado por equipes formadas por sete funcionários do BC. Um vigia o outro e todos são monitorados por câmeras de vídeo. Depois de destruído, o dinheiro vai para o lixo.
. Agora, o BC abriu uma licitação internacional para modernizar o processo. Máquinas de última geração vão checar a autenticidade, triturar e compactar cerca de 1,5 bilhão de cédulas velhas por ano. O resíduo, hoje depositado em aterros sanitários, será entregue a projetos de reciclagem para ser usado na produção de adubo, papel comum e tijolos. Como explica o chefe do departamento do Meio Circulante do BC, João Sidney de Figueiredo Filho, "o dinheiro é um dos cartões de visita do país, por isso precisa estar sempre em boas condições".

30 agosto 2009

Muitas moscas no lugar de elefantes

. Sem proposta nem discurso aderente junto à opinião pública, a oposição demo-tucana tenta embaralhar o cenário da sucessão presidencial de todo jeito.
. Tenta fazer da mosca elefante, como dizia Lênin a propósito de tentativas de falsear a realidade. . Moscas estão na praça travestidas de elefantes, com reverberação na grande mídia, mas sem nenhum efeito real sobre o cenário pré-eleitoral.
. Mas a dupla demo-tucana termina sendo vítima de suas próprias fantasias e acredita que esteja, realmente, embaralhando as coisas...
. A realidade dos fatos é que interessa, senhores! E o que definirá a peleja de 2010.

História: 30 de agosto de 1943

Arruda em 1945
O PCB, duramente atingido pela repressão do Estado Novo, conclui a conferência da Mantiqueira, clandestina, em Engenheiro Passos, RJ. Tem então 1.800 militantes soltos. Decide se empenhar para o Brasil entrar na guerra contra o nazismo, elege Prestes para o CC e projeta nova geração de dirigentes: Diógenes Arruda, João Amazonas, Maurício Grabois, Pedro Pomar, Mário Alves. (Vermelho http://www.vermelho.org.br/).

Olinda debate Burle Marx nesta segunda-feira

Mesa redonda: Burle Marx e suas abrangências
. O MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA DE PERNAMBUCO promove dia 31 de agosto, segunda feira, uma Mesa Redonda para discutir as variáveis da obra de Burle Marx, homenageando-o no mês em que estaria completando 100 anos.
. A Mesa Redonda que será composta e presidida pelo pintor João Câmara, além dos arquitetos Ana Rita Sá Carneiro, Luiz Vieira e Acácio Gil Borsói, do Jornalista Marcus Prado, da galerista Bethe Araruna, da pintora Tereza Costa Rego, de Eliane Bezerra, de Ana Paula Fernandes e Orana Wanderley, produtoras de flores tropicais, terá por objetivo fazer uma análise das várias tendências artísticas daquele que foi considerado o maior paisagista do século XX.
. Ao término das apresentações sobre o trabalho e o movimento do Mestre Burle Marx, haverá apresentação do Quinteto de Cordas da Orquestra Experimental de Câmara, regido pelo Maestro João Carlos Araújo.. O evento está marcado para as 19:00 horas, na sede do MAC, à Rua Treze de Maio, 157, Varadouro, Olinda. Será aberto ao público interessado.

29 agosto 2009

Ciência brasileira: terapia celular pioneira

Ciência Hoje Online:
Primeiro transplante de células-tronco para tratar doença pulmonar é feito com sucesso no Brasil
. Pesquisadores brasileiros acabam de realizar um feito inédito rumo ao uso de terapias celulares para tratar doenças pulmonares. Um grupo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) realizou com sucesso o primeiro transplante de células-tronco em um paciente com silicose, doença sem cura nem tratamento que causa insuficiência pulmonar e afeta cerca de 6 milhões de pessoas no Brasil.
. A silicose é causada pela inalação do pó de sílica, um dos óxidos mais abundantes da crosta terrestre e que ocorre na forma de areia, pedra e quartzo, entre outras. As vítimas são na maior parte trabalhadores da construção civil, mas a doença afeta também empregados da mineração, do garimpo e de indústrias de transformação de minerais, metalúrgica, química, de borracha, de cerâmica e de vidro.
. Ao ser inalada, a sílica vai para o pulmão, onde os macrófagos (células que englobam e digerem elementos estranhos ao corpo) tentam digeri-las sem sucesso e acabam destruídos. Esse processo causa inflamação e cicatrizes no pulmão, que, em um período de 20 a 30 anos, evoluem para insuficiência pulmonar grave e até a morte.
. Leia a matéria na íntegra http://cienciahoje.uol.com.br/151786

O gesto atabalhoado do senador Suplicy

No Vermelho, por Eduardo Bomfim:
O cartão vermelho

O senador Eduardo Suplicy proferiu, nessa terça-feira passada, um discurso tão desnorteado que provavelmente deve estar amargando um grande arrependimento ou o nível de sensatez política caiu abaixo de zero.

Uma semana após o julgamento e arquivamento das representações contra José Sarney, também com o voto do Partido dos Trabalhadores, o ilustre senador foi à tribuna e pediu a renúncia do presidente do Senado Federal.

Do ponto de vista político é uma atitude lamentável sob vários aspectos. Foi uma clara tentativa de estratégia publicitária destituída de qualquer pudor porque ele próprio não se rebelou, no devido momento, contra o desenlace da votação.

Não sendo um episódio rotineiro, mas um grave confronto entre as bancadas do governo e da oposição, Suplicy tinha que adotar uma postura de divergência aberta contra o presidente da República e mesmo contra o seu partido, ou aguentar as consequências, ficar calado e seguir a orientação do PT.

Não fez uma coisa, nem a outra. Tentou ficar bem com o governo, com o presidente Lula, com a grande mídia adversária e com a oposição ao mesmo tempo. Poderia ao menos alegar uma autocrítica das suas posições anteriores, o que não aconteceu. Daí todos concluem, parlamentares dos vários matizes ideológicos, mídia em geral e a opinião pública, que ele cometeu o desatinado discurso de maneira fria e premeditada, utilizando-se do velho chavão popular: uma no cravo e outra na ferradura.

E a arma foi o bizarro e imenso cartão vermelho sacado contra o presidente Sarney e o senador oposicionista Heráclito Fortes, que por sua vez fez um aparte demolidor contra o senador por São Paulo.

Demolidor porque com tal manobra política todos os flancos de qualquer cidadão ficam literalmente desguarnecidos. Quando se é governo, consciente dos seus propósitos, aufere-se o bônus da situação e prepara-se o lombo para as chicotadas da oposição. E é necessário estar bastante convencido, armado mesmo de argumentos para o combate feroz, igual ao que vem sendo travado nos dias atuais.

O que não exclui os princípios, o pensamento crítico e a independência que devem nortear o ativista político.Mas o grande problema é que o senador Suplicy meteu-se em um conhecido dilema shakespeariano mal formulado: ser e não ser, como fazer? E para semelhante teorema político não há uma resposta convincente.

28 agosto 2009

Difícil reforma eleitoral

No Vermelho:
Flávio Dino: propaganda paga na internet favorece abuso econômico
. O deputado federal Flávio Dino (PCdoB-MA), que coordenou o grupo de trabalho na Câmara responsável pela proposta de reforma eleitoral, diz que as mudanças feitas pelo Senado no projeto original confirmam em linhas gerais o que foi aprovado pelos deputados. Segundo ele, a maior divergência é a inclusão da propaganda paga em sites de notícias e serviços de buscas na internet, proposta que ficou fora do projeto original para evitar o abuso do poder econômico.
. Na proposta da Câmara, a propaganda eleitoral é permitida apenas em sites dos candidatos, blogs, Orkut, Facebook e Twitter. Nos portais de grandes empresas de comunicação, a publicidade é proibida.
. “É natural que haja algumas divergências entre as quais essa (propaganda paga na internet). Estou analisando o texto e evidentemente será necessário um novo debate quando do retorno à Câmara porque é um fato novo a tentativa de regulamentar a propaganda pela internet”, explicou o deputado.
. No seu entendimento, é difícil fazer uma regulação que evite o abuso do poder econômico. Ele chama a atenção para que a introdução da propaganda paga na internet não é uma questão ideológica, mas de aspecto operacional e de princípios.“Operacionalmente é muito difícil evitar a violação de um objetivo fundamental na legislação eleitoral que é impedir o abuso do poder econômico, vamos debater isso na Câmara a partir da confirmação ou não pelo plenário dos pareceres dos senadores Azeredo (Eduardo –PSDB-MG) e Maciel (Marcos –DEM-PI)”, diz.Na questão operacional, por exemplo, o próprio relator Eduardo Azeredo tem algumas dúvidas, segundo manifestou ao jornal Correio Braziliense. São elas: como candidatos regionais vão utilizar sites com abrangência nacional? Como dar espaço igualitário aos concorrentes num espaço virtual? Se não conseguir equalizar o problema, o senador admite retomar o texto aprovado na Câmara.

Caiu na rede, corre risco

. Quem se deixa exibir em público, pode ser filmado e levado à grande rede. Meio passo para o exibicionismo – ou para o preconceito. Ainda sob o domínio do machismo exarcerbado que contamina todas as esferas da sociedade.
. O G1 noticia que professora da Bahia é demitida após vídeo sensual cair na web.
. Aconteceu o seguinte. Uma professora de ensino fundamental, de 28 anos, foi demitida após um vídeo em que ela aparece dançando sensualmente ao lado de um grupo de pagode, em Salvador, cair na internet. As imagens foram registradas, em meados de junho deste ano, por várias pessoas que estavam na plateia de uma casa noturna e usaram câmeras de celular.
. O 'flagrante' aconteceu durante uma apresentação do grupo de pagode O Troco, que costuma convidar as espectadoras para subir ao palco e fazer a coreografia da música "Todo enfiado". O vídeo já teve mais de 100 mil acessos.
. A professora é formada em pedagogia e faz pós-graduação na área e ministrava aulas de alfabetização para crianças de 5 anos em uma escola particular da capital baiana. Após a divulgação do vídeo na internet, ela disse que passou a sofrer retaliações no bairro onde morava. "Ela teve de mudar de endereço e agora está na casa de familiares. Depois disso, ela foi demitida", disse Antonio Leite Matos, advogado da educadora.
*
Guardadas as diferenças, tem muita gente que se deixa exibir no orkut, revelando o que deveria ser resguardado pela privacidade, e depois se dá mal. todo cuidado é pouco. (LS).

Um debate importante. Ponha em sua agenda

Bioletim Extra RRNE MinC:
Audiência pública na Câmara dos Vereadores do Recife irá debater a I Conferência Nacional de Comunicação
. A Representação Regional Nordeste do Ministério da Cultura informa que será realizada uma Audiência Pública que visa debater a I Conferência Nacional de Comunicação (Confecom), convocada pelo presidente Lula. O evento será na próxima terça-feira, dia 1º de setembro, às 9h da manhã, no Plenarinho da Câmara dos Vereadores do Recife, na Rua Princesa Isabel, 410. A audiência contará com a explanação do jornalista Altamiro Borges, autor do livro “A Ditadura da Mídia”.
. A Comissão Nacional de Organização da Confecom é composta por 10 representantes do governo, oito membros da sociedade civil e oito empresários do setor. A Conferência quer instaurar um debate inédito no país sobre temas como: o novo marco regulatório para a convergência tecnológica e as concessões de rádio e TV.

Pela saúde do homem

. A meta da Política Nacional de Saúde do Homem é que 2,5 milhões de brasileiros com idade entre 20 e 59 anos procurem o serviço de saúde pelo menos uma vez ao ano. O pacote de medidas, lançado hoje (27) pelo Ministério da Saúde, prevê o aumento de até 570% na realização de procedimentos urológicos e de planejamento familiar, como a vasectomia.
. Dados do ministério revelam que as brasileiras são submetidas ao dobro de cirurgias de esterilização em comparação aos homens. O número de laqueaduras, por exemplo, passou de 58.397 para 61.747 de 2007 para 2008. No mesmo período, as vasectomias caíram de 37.245 para 34.617.
. A estratégia do plano é superar obstáculos que impedem os homens de frequentar os consultórios médicos. Na maioria das vezes, segundo o ministério, eles só procuram o serviços de saúde quando a doença já está em estágio avançado. “Em vez de serem atendidos no posto de saúde, eles precisam procurar um especialista, o que gera maior custo para o SUS [Sistema Único de Saúde]”, afirma a pasta em nota.

Uma boa idéia sobre o IPTU

. IPTU como instrumento da distribuição de renda? É o que o presidente do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), Marcio Pochmann, sugeriu o ontem em audiência pública realizada na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados.
. “Basta que, além de adotarmos uma tabela de progressividade que varie a contribuição em função do valor do imóvel – algo já adotado por alguns municípios –, a alíquota entre municípios com perfis similares seja homogeneizada”, defendeu.
. Vale a pena debater o assunto.

Bom dia, Ana Caetano

meu amor

agora é tarde
e o final não se reparte
o que hoje é revolta
amanhã será
pó e arte

História: 28 de agosto de 1979

O gen. Figueiredo sanciona a Anistia, parcial, limitada e recíproca mas ainda sim uma conquista. Parte dos presos políticos é libertada, os exilados retornam à pátria, os clandestinos voltam à superfície. (Vermelho http://www.vermelho.org.br/).

Desoneração para PCs deve continuar

. Noticia o Valor Econômico que os benefícios fiscais da chamada "Lei do Bem", que em 2005 isentou os fabricantes de computadores do pagamento de PIS e Cofins, terminam em dezembro, mas deverão ser mantidos pelo governo federal. A isenção é considerada um dos principais motivos do forte impulso do setor nos últimos anos.
. A medida deverá ser anunciada nas próximas semanas pela Fazenda, em decisão conjunta com os ministérios da Ciência e Tecnologia e do Desenvolvimento, que são favoráveis à manutenção do incentivo ao setor.

Se fosse um petista, viraria "escândalo"

. Na Folha de S. Paulo de hoje: Serra produz boletim mensal de propaganda.
. O governo José Serra (PSDB) iniciou a entrega na casa de moradores de 52 cidades de São Paulo de um boletim mensal no qual faz propaganda de sua gestão.
. Líder nas pesquisas para a Presidência, Serra gasta R$ 680 mil por mês com os 2,3 milhões de exemplares. Para advogados e Ministério Público, se não houver promoção pessoal, não há ilegalidade no ato.
*
Isso é que é proteção ao candidato preferencial! Notou a expressão "se não houver promoção pessoal...". (LS).

CTB abre seu Encontro Estadual hoje

. “Unidade para enfrentar a crise” é o tema do 2º Congresso Nacional da jovem Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB.
. Fundada em dezembro de 2007, vem ocupando lugar de destaque na luta do povo brasileiro, pois trata-se de uma entidade plural que tem aglutinado diversos segmentos do movimento sindical, estando presente em todos os estados.
. Tem como principal norteador a unidade das centrais, da classe trabalhadora por um projeto nacional de desenvolvimento com valorização do trabalho.
. O II Encontro Estadual da CTM em Pernambuco se inicia hoje às 18 horas, no auditório da Faculdade de Ciências Médicas da UPE, campus de Santo Amaro.
. Terá lançamento da Revista da Mulher Trabalhadora, editada pela CTB.

Livro de Elenaldo lançado hoje no Centro Josué de Castro

Do site do Centro Josué de Castro:
. As comemorações dos Trinta Anos do Centro continuarão no dia 28 as 19 horas com o lançamento e debate do Livro de Elenaldo Teixeira (póstumo) sobre “Sociedade Civil e o Papel Político das Organizações”.
. O Autor – Ex-professor da Universidade Federal da Bahia – tem vários livros publicados sobre Democracia Local e fez sua última e extensa Pesquisa sobre as mudanças nas Organizações Sociais nas últimas décadas. Prestou também assessoria a várias ONGS em Pernambuco e Bahia. . No momento em que estava concluindo o trabalho veio a falecer e a edição do Livro foi organizada pela a Professora de Comunicação da Universidade da Bahia- Maria do Carmo Araújo.
*
Elenaldo foi nosso companheiro de militância na AP (Ação Popular), tendo atuado na Zona Canavieira no final dos anos 60 e início dos anos 70. Foi preso político. (LS).

Mais democracia

. PEC do Vereadores: não implica em aumento de despesas, reforça a democracia pela base.
. O valor do duodécimo é o mesmo. E mais representantes do povo estarão envolvidos no debate nas Câmaras Municipais.

Ato comemora 30 anos da Anistia

. Faz 30 anos da promulgação da Lei da Anistia.
. A Associação Pernambucana de Anistiados Políticos (Apap) realiza, hoje, a partir das 16h, um ato na praça Padre Henrique, na rua da Aurora, onde fica o monumento Tortura Nunca Mais.
. Para comemorar a conquista.

27 agosto 2009

Coluna semanal no portal Vermelho

Maldita realidade concreta
Luciano Siqueira


Sobre a necessidade de se considerar a realidade como ela é, e não como a idealizamos, já se disse e se escreveu muito. Dependendo do estado de humor ou do ambiente, se austero ou descontraído, tanto podemos citar Plekhanov, para quem se deve lutar “com as quatro patas assentadas na realidade” ou o amigo poeta e ex-companheiro de cadeia Marcelo Mário de Melo, que costuma dizer que o problema de uma certa esquerda atuante no país é justamente “a maldita realidade, que teima em mudar”.

O fato é que, quando se trata da política real, todo e qualquer comportamento apoiado tão somente em nossos desejos, por mais legítimos e meritórios que sejam, sem a devida consideração do curso objetivo dos acontecimentos, está fadado ao fracasso. Ou ao estéril doutrinarismo.

Nesses dias turbulentos em que a crise do Senado esteve (ou ainda está?) no centro de tudo, o PT virou saco de pancadas tanto de quem a ele se opõe frontalmente (as correntes de oposição), como de muitos que, embora permaneçam na área de influência petista (e de Lula) aproveitam a onda para sair bem na foto.

Tem de tudo. Desde a tese de que Sarney terá se tornado o divisor de águas entre o PT “ético” e o PT “pragmático”, até os que – como o Frei Beto, em sua breve passagem pelo Recife – chegam a cobrar do presidente a responsabilidade por não ter erradicado a pobreza nem realizado reformas fundamentais.

Não se trata de contestar as boas intenções do religioso amigo de Lula, nem medir a dimensão do seu desencanto com o Partido dos Trabalhadores. Mas é preciso sublinhar que acabar com a pobreza no Brasil é empreitada que extrapola em muito os limites do governo, pois reclama transformações de caráter estrutural. E as reformas – diria cá com meus botões de militante do PCdoB -, sejam elas a seis essenciais e urgentes (agrária, educacional, tributária, urbana, política e da mídia) dependem muito mais do que da vontade e do poder de fogo atual do presidente.

Na verdade, reformas dessa envergadura só se viabilizam com uma inversão na correlação de forças ora existente na sociedade brasileira. Ou seja, o estado em que se encontram as forças políticas e sociais que as desejam; as forças que a elas se opõem; e o grau de adesão da maioria da população. Esse é um dado da “maldita realidade concreta” que não podemos abstrair, sob pena de não sincronizarmos desejos com possibilidades e de desconhecer a variável acúmulo de forças por parte dos que querem efetivamente avançar nas reformas.

Muitas das dificuldades atuais que limitam o governo Lula repousam precisamente na dita correlação de forças, que impele o PT a priorizar a aliança com o PMDB para assegurar a governabilidade e a maioria eleitoral necessária em 2010. E alterar a maldita realidade concreta.

Mudar isso exige mais do que opiniões difusas, exige muito trabalho cotidiano para elevar o nível de consciência e de organização do nosso povo – fator decisivo para alterar a correlação de forças numa direção mais avançada. Luciano Siqueira www.lucianosiqueira.com.br
http://twitter.com/lucianoPCdoB

26 agosto 2009

Um debate oportuno


Tiro pela culatra: o papelão de Waldvogel e o fiasco da Globo

Recebi de Hugo Cortez, por e-mail:
. A jornalista Monica Waldvogel protagonizou um dos maiores papelões da grande mídia nos últimos tempos. Para discutir, nesta terça-feira (25), a "crise da Receita", ela reuniu no programa Entre Aspas, da Globonews, um trio de entrevistados que estava simplesmente na contramão do script golpista da emissora. Eram eles o ex-secretário da Receita Federal (no governo FHC), Everardo Maciel, o presidente do SindiReceita, Paulo Antenor, e um advogado tributarista.
. Waldvogel iniciou o programa com uma leitura apocalíptica sobre o "aparelhamento da Receita" pelo governo Lula, mostrando Lina Vieira como uma “vítima” de interesses poderosos (Sarney, Petrobras, etc.). Todas as teses da introdução de Waldvogel foram, no entanto, rejeitadas e rebatidas pelos participantes do programa. Segundo eles, o aparelhamento foi feito, na verdade, pela própria Lina Vieira.
. Para o jornalista Luis Nassif, o comentário inicial de Waldvogel foi "vergonhoso, antijornalístico e desonesto", “a Globonews perdeu o rumo”, e a apresentadora “desrespeita os telespectadores ao antecipar conclusões falsas”. Ao final do programa, constrangida, a jornalista ainda perguntou: “Mas então houve uma manipulação da opinião pública?”. Os três entrevistados concordam.Veja a íntegra do programa em:http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=114473&id_secao=6

Presidente encara a polêmica

No Vermelho:
Lula: Só há crise política porque não houve colapso econômico
. "Agora intentam, artificialmente, substituir o colapso econômico que não aconteceu por uma crise política que só a eles interessa e a ninguém mais nesta nação", afirmou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em evento no ABC Paulista. Sem citar nomes, Lula defendeu ponto por ponto sua política econômica, inclusive as expressões "espetáculo do crescimento" e "marolinha", e alfinetou a imprensa brasileira.
. "Eu fico orgulhoso porque não sou só eu que falo mais, não. É só ler... Se vocês lerem a imprensa brasileira, vocês vão ver pouco. Mas leiam a imprensa estrangeira especializada em economia para vocês verem o que falam do Brasil a Alemanha, a França, a Espanha, a Inglaterra, os Estados Unidos, todo o mundo. Só aqui uns poucos aprenderam a vender só desgraça. Mas os números desmentem qualquer invenção teórica", polemizou.
. O longo discurso abordou diversos aspectos da política econômica, dos impostos às exportações, as reservas, a inovação tecnológica. Criticou "os meninos do Sindicato" por "querer que baixe os juros toda hora", dizendo que "estou com o olho no juro, como o olho na criação de emprego, mas estou com o olho na inflação também". E criticou a "cautela exagerada" ("Vejam a minha delicadeza: cautela exagerada") dos "empresários brasileiros de alguns setores", responsável pela " brecada que nós demos nos meses de novembro, dezembro e janeiro", que comparou a um cavalo de pau".
. Leia a matéria na íntegra http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=114411&id_secao=1

25 agosto 2009

Boa noite, Bartyra Soares


Persistência

O fio de cobre de tua voz
estaca oscilante sob o umbral
de minhas incertezas. Vêm
de ti ou dos pardais esse frêmito
esse alarido essa incisão de cor?

Recolho tua face de olhos mínimo
se lado a lado contemplamos a dança
das mariposas que das perplexidades
acercam-se tontas. No jardim
a chuva liquefaz as margaridas.

Em ti o medo e o vento rodopiam
desordenados - girassóis sem hastes
fragmentando-se na queda louca.
Com insistência o teu pulso desfia
a vida no compasso de repetida canção.

De descaso é o latir do cão
na viela esconsa. Pouco a pouco
tua voz se extingue. Sob o umbral
só as indagações de minhas incertezas
mantêm-se em alerta e persistem.

Brasil X Crise: palpite otimista

. A notícia está no site da BBC Brasil. A consultoria Economist Intelligence Unit (EIU), braço de pesquisas da revista Economist, avalia que a economia brasileira deve sair da crise global “relativamente ilesa” graças às reformas feitas nesta década e o impacto “altamente benéfico” dos preços mais altos das commodities.
. A EIU revisou para cima sua projeção para o crescimento do PIB brasileiro em 2010, para 3,3%. No mês passado, a empresa havia estimado em 2,7% o crescimento da economia brasileira no próximo ano.
. A EIU manteve, porém, sua previsão de retração de 1% no PIB do Brasil para este ano.
. Segundo o relatório, o crescimento da demanda da China por commodities e o estímulo ao consumo interno devem impulsionar a economia brasileira a partir do ano que vem.

Interiorização do desenvolvimento

. Fábrica de fios de poliéster do grupo Unimetal em Timbaúba. Pedra fundamental da fábrica de vacinas da multinacional Novartis em Goiana.
. Ponto para a interiorização do desenvolvimento, uma das diretrizes do programa de governo de Eduardo Campos.

Cigarro eletrônico, até isso? Anvisa proíbe

. A geringonsa acaba de ter a comercialização proibida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
. O equipamento libera nicotina e outras substâncias cancerígenas e não contribui para que o usuário deixe de fumar.
. Também não é permitida a importação pela internet.

E o decoro parlamentar?

. Admitamos que o senador Eduardo Suplicy tenha razão para solicitar a renúncia do presidente da casa, José Sarney.
. Mas o gesto de erguer um cartão vermelho durante o seu discurso na tribuna parece esquisito – para não dizer ridículo.
. Rende foto na primeira página dos jornais. Só.

Rebeldes sem causa

. Que passa pela cabeça do grupo e jovens que danificaram a estátua de Chico Science?
. Na semana passada, a estátua do cantor e compositor, uma das 12 peças que compõem o Circuito da Poesia do Recife, foi praticamente por vândalos.
. Uma rebeldia sem sentido.

Raimundo Carrero sabe o que diz

. Ele diz muitas coisas interessantes para quem gosta de literatura, no recém-lançado A preparação do escritor. Veja:
. “Já escrevi nos meus livros que, em primeiro lugar, vem o impulso e depois a intuição, ou os dois juntos. E deve-se escrever sempre assim, seguindo a vontade interior. Depois é que vem a técnica, porque não pode existir técnica sem uma história, por exemplo. E até mesmo a técnica deve ser intuitiva. Não existem regras nem leis. Apenas caminhos e situações. E a partir disso, o escritor pode e deve procurar os seus próprios meios. Sempre foi assim. E sempre assim será.”
. “Não há um só desafio no romance contemporâneo porque estamos num mundo múltiplo. O romance enfrenta desafios múltiplos. Não será preciso retomar, por exemplo, as vanguardas, porque elas estão resolvidas e representaram um momento significativo e ideológico do século 20. Nem voltar a Joyce, Flaubert ou Proust. Um dos desafios – e apenas um deles – é alcançar o máximo de sofisticação com o máximo de simplicidade, como defino no meu livro. E o que é isso? O que isso significa? Escrever com simplicidade sem perder a sofisticação técnica dos grandes narradores. Ir em busca de sistemas técnicos, mas deixando o leitor entender sem torcer o pescoço ou os olhos. Este é um dos desafios. Erra quem pensa num só desafio.”

Inadimplência corre solta

. A informação é da Agência Brasil. A recuperação econômica detectada a partir de maio, associada à queda dos juros, à resposta do mercado interno e à volta gradual do crédito não foram suficientes para reverter os danos causados pela crise nas empresas brasileiras. Prova disso, segundo a Serasa, é a alta de 29,7% na inadimplência de pessoas jurídicas registrada no acumulado dos sete primeiros meses do ano, na comparação com igual período de 2008.
. Apesar da alta registrada, esses resultados são inferiores aos 30,2% de inadimplência verificados na comparação entre o acumulado de janeiro a maio de 2009 com o mesmo período de 2008.

Eros, pra que te quero

. É o tema do Sarau Plural, na Galeria Arteplural, hoje, 19 horas.
. Cida Pedrosa é a convidada especial. Participam Homero Fonseca, Flávio Brayner e Sérgio Gusmão.
. Para discutir o erotismo na literatura, na música, no teatro, em todo canto. Textos de Drummond, Lorca, Leminiski, Vinicius e Flaubert, músicas de Chico Buarque, Bororó, Lupicínio, Nazaré.
. Aberto ao público. A Arteplural fica na Rua da Moeda, no Recife Antigo.

Parece e é

Coluna Redpórter JC (Jornal do Commercio):
ASSIM É SE LHE PARECE... - O vereador Luciano Siqueira (PCdoB) diz que a mídia não dá dimensão a uma reforma “política de sentido democratizante” porque “a grande mídia, mancomunada com a oposição conservadora chefiada por tucanos e demos, não deseja ir além da hipotética queda de Sarney (...) como parte de um roteiro de imobilização do governo.”

24 agosto 2009

Questão ambiental ganha importância nos balanços

. A notícia está no Valor Econômico. Questões ambientais começam a aparecer com mais frequência nos balanços das companhias abertas e a fazer parte das contingências, ao lado dos tradicionais passivos trabalhistas e tributários.
. Das 30 maiores empresas abertas, nove - Petrobras, Vale, Neoenergia, CSN, Eletropaulo, Sabesp, Ultrapar, Cemig e CPFL - já mencionam contingências ambientais em seus balanços financeiros. Dessas, só Cemig e CPFL não mantêm provisões para discussões na área.
. O fenômeno é resultado da exigência cada vez maior dos investidores em relação a possíveis passivos ambientais. Outros fatores contribuem para isso, como a regulamentação mais rígida para contabilização das discussões ambientais e a fiscalização acirrada de órgão federais e estaduais, que têm resultado em maior volume de autuações e disputas.

23 agosto 2009

Fundaj promove Seminário A Crise na Cultura e a Cultura na Crise

No site da Fundação Joaquim Nabuco:
. O Ciclo de Palestras Crise na Cultura e Cultura na Crise, promovido pela Coordenadoria-geral de Capacitação e Difusão Científico-cultural da Diretoria de Cultura da Fundação Joaquim Nabuco, debaterá a crise econômica mundial como mote para análises de vários níveis de profundidade: desde os efeitos imediatos e pontuais da crise econômica mundial nos projetos e ações culturais no Brasil e o lugar da cultura na sociedade brasileira até a relação entre cultura, mercado e economia no século XXI. O evento acontecerá de 26 a 28 de agosto, na Fundaj Derby.
. As inscrições devem ser feitas pelo email cadif@fundaj.gov.br, após preenchimento do formulário que pode ser baixado AQUI

O número 2 da Eita!

. A Revista Eita!, editada pela Fundação de Cultura da Cidade do Recife (FCCR), teve sua segunda edição lançada durante o festival A letra a voz.
. Com textos de Fernando Monteiro, Mabuse, Marcelino Freire, Marcelo Pereira, Thiago Soares e Leo Falcão.
. Tem mais: Débora Nascimento, Fernando Machado, Cláudio G. Fernandes, Alexsandro Souto Maior, Elias Mouret, Leo Antunes, Arnaldo Siqueira e Christiano Aguiar.
. Nas ilustrações e fotos, só gente de primeira: Jorge du Peixe, Daniel Pinheiro, Estúdio Alba e Valentina Trajano e os fotógrafos Ana Farache, Breno César, Clara Gouvêa, Paulo Afonso Mattos, Raul Kawamura e Val Lima.

Boa tarde, Vinícius de Moraes


Soneto do amor total

Amo-te tanto, meu amor... não cante
O humano coração com mais verdade...
Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade.

Amo-te afim, de um calmo amor prestante
E te amo além, presente na saudade
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.

Amo-te como um bicho, simplesmente
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente.

E de te amar assim, muito e amiúde
É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do que pude.

Prefeito Henrique Fenelon aperta controle urbanístico

. Com apoio judicial, o prefeito Henrique Fenelon (PCdoB) de Goiana aperta o cerco sobre construções irregulares e invasões de áreas públicas. Para superar obstáculos a pedestres e veículos.
. Estão sob foco da fiscalização ocupações em ruas, avenidas, calçadas, terrenos, praças e entorno de monumentos tombados como patrimônio histórico.
. Uma iniciativa corretíssima. Uma cidade fisicamente organizada se humaniza.

BNDES abre escritório em Montevidéu

. Na próxima quinta-feira, o ministro Miguel Jorge e o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, inaugurarão um escritório do banco em Montevidéu.
. Para estreitar as relações com empresas e governos do Mercosul. Sob inspiração da política de integração do subcontinente.
. Uma boa iniciativa.

Luciana discute inovação com reitores

Marisa Gibson (coluna Diário Político) no Diário de Pernambuco:
Inovação - Durante encontro com reitores, vice-reitores, pesquisadores e professores das universidades e centros de pesquisa, a secretária de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente, Luciana Santos, lembrou a aprovação da Lei Estadual de Inovação, em dezembro de 2008, e passou um recado: gostaria da contribuição das universidades no processo de inovação em Pernambuco.

Porre de literatura hoje na Praça do Arsenal

. É o encerramento do 7º. Festival Recifense de Literatura – A Letra e a Voz. Um feirão de livros na Praça do Arsenal da Marinha, hoje à tarde/noite.
. Sessenta barracas com livros, revistas e jornais e tenda de autógrafos, onde autores se revezarão autografando suas obras.
. Tem também o recital Declamando Poesia.
. Às 18 horas, Bande Ciné, cantando o pop francês das décadas de 60 e 70. E no final do dia, a partir das 19 horas, no palco Lirinha, para a apoteose.

Meu artigo semanal no site da Revista Algomais

Mulheres negras: dupla discriminação
Luciano Siqueira


Um povo novo e original, como caracterizou Darcy Ribeiro, produto principalmente de três vertentes das quais só temos motivos para nos orgulhar: índios, negros e brancos oriundos de Portugal e de outras partes da Europa.

Uma sociedade, entretanto, que ainda não aprendeu a conviver com as diferenças e persiste na prática de formas abertas ou veladas de discriminação.

Dados recentes da Relação Anual de Informação Social (Rais), do Ministério do Trabalho indicam a incidência de dupla forma de discriminação: a de gênero e a racial, sob o ponto de vista do salário e do número de vagas ocupadas no mercado de trabalho pela mulher negra.
No mercado formal, o salário médio da mulher negra corresponde a menos da metade do salário de um homem branco. A mulher negra ganha, em média, R$ 790 e o salário do homem branco chegam a R$ 1.671,00. Quanto ao número de postos de trabalho ocupados, a discriminação também é evidente: são 498.521 empregos formais de mulheres negras contra 7,6 milhões de mulheres brancas e 11,9 milhões de homens brancos.

O que o corre no mundo do trabalho também se reflete na esfera política , onde a assimetria entre homens e mulheres em postos e funções relevantes, que é muito grande, mostra-se mais acentuada ainda quando se trata da presença da mulher negra.

Eis uma distorção que não se resolve apenas com discurso. Necessita de ampla consciência social a respeito, de políticas públicas específicas e de atenção dos partidos políticos comprometidos com a causa popular, que devem conferir maior ênfase à formação e à promoção das mulheres – as negras inclusive.

Um dos partidos atuantes no país – o PCdoB – dá a essa questão status programático e a consigna também como diretriz de sua construção política, ideológica e organizativa. Ao lado da luta cotidiana contra toda forma de discriminação – notadamente degenero e racial -, procura ampliar as possibilidades de ascendência da militância feminina nas instâncias de direção.

Que outros partidos assim também ajam e que nas mais diversas esferas da vida social se tenha consciência de que é preciso vencer essa forma de desigualdade e de discriminação por se tratar de obstáculo ao processo civilizatório brasileiro.

História: 23 de agosto de 1927

Execução dos ativistas sindicais Nicola Sacco e Bartolomeo Vanzetti, condenados sem provas e eletrocutados nos EUA apesar de incontáveis protestos, inclusive no Brasil. Na França, populares atacam a embaixada dos EUA. (http://www.vermelho.org.br/).

Novo painel de comentários sobre o meu artigo “Do que sinto falta na crise do Senado”

Comentários recebidos por e-mail (veja postagem anterior com outras opiniões):

“A nação brasileira está cansada de assistir debates acirrados na Câmara, no Senado, nas Assembléias, mas no final do fogo da discussão, o que resta é uma ou mais de uma pizza assada e distribuída entre a maioria "vencedora". Na realidade, quem perdeu e perde até hoje são as minorias políticas e a maioria dos "lesados', a população. As leis necessárias ás mudanças estão chegando á terceira idade. Nada contra a essa idade, mas se tratando de lei "é uma vergonha nacional", como diz o Boris. A verdadeira reforma Agrária não foi feita; as Reformas Política e Tributária não se coloca em pauta. Nós somos obrigados a assistir "ping pongs" e "baboseiras" pessoais, em horários e espaços onde deveríamos assistir debates da política nacional do bem comum a todos os brasileiros. É LAMENTÁVEL!”(Melquides Pereira).
*
“Muito lúcida, sua análise sobre a crise do Senado. Não resta dúvida que está havendo blindagem para encobrir os reais motivos da onda de moralismo que assola o Senado. Não é a necessidade de ressaltar a virtude e condenar corrupção, mas a adoção de estratégia, com a conivência dos meios de comunicação, para controlar o principal agende coordenador do processo eleitoral que está por vir. A sua palavra deve ser amplamente divulgada e, como tal, vamos fazer a nossa parte.” (Anita).
*
“O que me tranqüiliza em sua lúcida análise é que além de opinião pessoal você transmite a opinião do seu partido, o PCdoB, que continua merecendo a minha confiança.” (Luiz Figueiredo).
*
“Meu amigo, como seria bom que o eleitorado compreendesse a necessidade de renovar nossas casas legislativas! Mas, como você mesmo observa em seu artigo, a mídia confunde em vez de esclarecer e isso atrapalha muito para melhorar a consciência política das pessoas.” (Marileide Antunes).
*
“Parabéns! Análise lúcida, equilibrada e esclarecedora. Pena que você não tenha espaço na TV e no rádio para dizer essas coisas, pois o eleitorado precisa conhecer outros pontos de vista diferentes do que a mídia em peso divulga como um único pensamento e em geral distorcido.” (Fábio Vieira).

O Sistema Estrutural Integrado e a vida de nossa gente

Muito mais que um terminal de ônibus*
Dilson Peixoto - Presidente do Grande Recife Consórcio de Transporte
dilson@granderecife.pe.gov.br

Integração, agilidade e economia. É com base nestes três conceitos que o governo estadual vem desenvolvendo, através do Grande Recife Consórcio de Transporte, uma série de projetos voltados para a melhoria e ampliação do Sistema de Transporte Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife. Hoje, um destes projetos será entregue à população. O Terminal Integrado Pelópidas Silveira - o primeiro de um grupo de 12 terminais de integração que serão construídos durante a gestão do governador Eduardo Campos - trará benefícios diretos e imediatos para mais de 85 mil pessoas dos municípios de Olinda, Paulista e Abreu e Lima. Benefícios estes que trarão ainda reflexos positivos também para todo o Sistema Estrutural Integrado (SEI), que atualmente transporta cerca de 800 mil passageiros por dia na RMR. E assim como Pelópidas, o inesquecível prefeito do Recife e cidadão do mundo, o Terminal Integrado que leva seunome se transformará em marco quando o assunto for mobilidade.

Até 2010, o SEI (implantado em 1992), finalmente será concluído, com a construção de 12 novos terminais de integração, completando uma malha planejada em 1987, com um total de 23 terminais. Dos 12 novos TI's, seis serão construídos com recursos do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC); e outros dois contam com recursos da Caixa Econômica Federal. Os demais, incluindo o TI Pelópidas Silveira - contam com recursos do tesouro estadual. A ampliação do SEI possibilita aos usuários, entre outras coisas, a redução dos gastos com transporte, com a passagem de apenas uma tarifa por sentido; e a diminuição do tempo gasto nos deslocamentos.

A economia que o TI proporcionará aos usuários tem papel fundamental e provoca reflexos inclusive em aspectos gerais de seu dia-a-dia, a exemplo do crescimento das possibilidades de emprego, em função da utilização do SEI - que para o empregador significa um diferencial importante. Neste caso específico, podemos listar alguns dos principais benefícios do ponto de vista econômico-financeiro: haverá redução tarifária - passando da B (R$ 2,80) para A (R$ 1,85) em todas as 19 linhas que irão operar no terminal, no sentido cidade/subúrbio. Isso significa, por exemplo, que um usuário que precisava se deslocar diariamente (durante a semana) de Maranguape I ou II para Igarassu, para trabalhar ou estudar, tinha um gasto mensal de R$ 246,49 (já que pagava quatro passagens do anel B todos os dias, sendo duas para ir e duas para retornar). Agora, este mesmo usuário passará a pagar apenas duas tarifas (do anel B) por dia, já que ao apanhar o ônibus em Maranguape, seguirá até o terminal Pelópidas, onde irá descer e pegar outro coletivo sem a necessidade de pagar uma nova passagem. O mesmo acontecerá no seu retorno. A economia mensal, em casos como este, será de R$ 123,20, o que equivale a 26,78% do salário mínimo em vigor no país.

Ainda com a integração, usuários de Igarassu, Itamaracá, Itapissuma e Araçoiaba - que ao retornar aos seus municípios utilizando os terminais de Afogados e Joana Bezerra, pagando duas passagens, passarão a pagar apenas uma, já que estes dois terminais passarão a atuar de forma integrada ao TI Pelópidas. Esta era uma demanda antiga dos usuários destes municípios, cuja causa foi abraçada pelo governador desde o início da gestão.

Com o terminal ampliam-se as possibilidades de deslocamento, proporcionando aos usuários circular por um número maior de áreas da RMR de forma mais rápida e eficiente. O terminal Pelópidas Silveira terá ligação direta com vários outros terminais da integração. Destacamos a seguir alguns das principais possibilidades criadas. A integração com o TI de Joana Bezerra possibilitará o deslocamento até Jaboatão/Moreno ou Camaragibe/São Lourenço, garantindo ao usuário a possibilidade de utilização de todas as linhas do SEI que mantêm integração com o Metrô. Já a ligação com o TI da Macaxeira garantirá o deslocamento até pontos importantes e que antes não eram alcançados com ligações diretas comoa Cidade Universitária, onde estão localizados importantes serviços de educação e saúde.

O atendimento direto às comunidades que até então sofriam com a falta de opções de ligações diretas, muitas vezes com a área central de seu próprio município ou cidades e bairros vizinhos também representa um avanço. Com o novo terminal, as comunidades de Maranguape I e II, Alameda Paulista, Engenho Maranguape, Pau Amarelo, Loteamento Conceição e Maria Farinha poderão, agora, se deslocar para o centro de Paulista - trajeto que até agora só poderia ser feito utilizando-se veículos particulares ou o transporte clandestino. Moradores de Paulista e Abreu e Lima poderão circular entre bairros das duas cidades, atendidos pelo terminal, pagando apenas uma tarifa por sentido. O mesmo acontecerá com os usuários que desejem ir até o centro do Recife, através da Avenida Conde da Boa Vista. Ganhará também a comunidade de Caetés II, que até o momento era atendida graças a uma extensão provisória no itinerário de outra linha, passaráa ter sua própria linha regular. Uma outra demanda histórica das comunidades da área Norte é a criação de uma ligação - feita por linha regular de ônibus - com as praias de Paulista. O processo está em andamento e deverá ser concluído com a criação de uma linha municipal, com tarifa compatível com o anel A, operando no entorno do terminal.

Outros aspectos positivos gerados pelo novo terminal também merecem ser destacados. Haverá um aumento da velocidade média dos coletivos no corredor da PE-15, com a criação de uma linha troncal Paulista/Centro, que terá caráter expresso ligando - o terminal a pontos como o shopping Tacaruna, o entorno do Parque 13 de Maio e as ruas do Sol e Riachuelo, duas artérias importantes da região central do Recife. Com a transferência das linhas que hoje utilizam o terminal de Abreu e Lima para o Terminal Pelópidas Silveira, a prefeitura daquela cidade já se prepara para iniciar a restauração da praça por muitos anos funcionou o terminal, de forma precária. Ganham os moradores, que passam a utilizar um terminal moderno e confortável e receberão de volta um espaço para lazer, cultura e atividades esportivas.

Para muitos a leitura de tantos nomes, alguns de comunidades das quais nunca sequer ouviram falar, estas informações podem soar complicadas e sem muita importância. Mas para os milhares de usuários que há anos aguardavam este momento cada palavra aqui escrita significa uma conquista sem precedentes. E para nós, que junto a todo o governo, trabalhamos para garantir a ampliação e a melhoria do STPP/RMR, este momento tem um significado muito especial. É a retomada de um sonho, é a comprovação de nosso compromisso.
* Publicado no Diário de Pernambuco.

Painel de comentários sobre o meu artigo “Do que sinto falta na crise do Senado”

Comentários recebidos por e-mail:

“Gostei muito do teu comentário. E da proverbial lucidez com que exprimes tuas idéias. Mas, como esse assunto realmente vem provocando comentários os mais variados, vou tentar externar minha opinião. Concordo com o que dizes sobre o real significado do problema, contudo, pelo que tenho ouvido, as pessoas sabem disso, mas de alguma forma, acho eu, por que em lugar de trocar o sujo pelo mal lavado (uma vez que o processo de expurgo é demorado, difícil - bote difícil nisso), tentar fazer uma peneirada para que assumisse um menos ruim, já que não existe, AINDA, o ótimo? Mesmo que o cerne do problema seja mais grave ainda, precisa o Lula se expor com o Collor, Sarney e aquele paraense meu conterrâneo que nem gosto de dizer o nome? Não fiques zangado, mas por enquanto, vou votar em Marina. Meu voto de confiança, agora eu só dou para um numero reduzidíssimo de pessoas, entre as quais tu vens incólume e meu sempre candidato. Não aguento mais tanta sujeira - de parte a parte. Perdoa o desabafo, Te gosto!”
(Dina Jorge Corrêa).
*
“È isso mesmo Luciano, a grande mídia deveria se ocupar em discussões que levasse á mudança dos atuais critérios e métodos de representações políticas, que mantém as elites sempre em maioria no Congresso nacional.” (Jorge Farias – Belém, PA).
*
“Aguardei-o a falar sobre o assunto do Senado Federal. Como é de costume, a sua posição é equilibrada. Mas como um socialista utópico e adepto do marxismo, sou um sujeito, exageradamente, crítico, embora não seja radical no que concerne à necessidade de alianças para um governo plural e democrático. A oposição faz o seu papel, embora não de forma equilibrada, pois uma democracia sem oposição não é democracia e sim totalitarismo. O que a sociedade tem assistido nos últimos dias é, inexoravelmente, desprezível, ou melhor, parafraseando Plotino (pensador da Idade Média), assistimos a um espetáculo onde homens tidos como modelo de eticidade se comportam como répteis, deixando a razão na berlinda. O Senado é hoje um palco que encena dramas rasteiros que nos envergonha muito. Ora, acima do discurso da governabilidade deve está a ética. Governo sem ética é governo de conchavos e indecente. Lembremos que não é benéfica a frase "Se o diabo sou eu, salve-se quem puder". O PT perdeu o rumo e, infelizmente, estou com medo que o PC do B siga o mesmo caminho. Isso é lamentável!A luta por uma sociedade justa e igualitária é a nossa bandeira maior. Moralizar a instituições políticas de faz preciso, haja vista o interesse pela justiça social. ”(Josias Barbosa Lima).
*
“Gostaria de saber escrever um texto que traduzisse tão bem o quadro político brasileiro atual como você o faz. Meus parabéns mais uma vez e, lastimo você estar nessa Câmara, seu lugar deveria ser outro para esclarecer as cabeças que outra coisa não fazem senão pensar egoisticamente. O Senado da República está um verdadeiro caos. E temo que seja pretexto para alguma manobra do lixo fascista que anda sorrateiro e disfarçadamente nesse meio.
“Continue fazendo o que pode: escrever, alertar, esclarecer.” (Inah Lins).
*
“Mais uma vez, parabéns pelo brilhante artigo. Permita-me acrescentar uma frase: se Sarney de fato é tudo o que afirma a oposição - que esteve sempre ao lado dele, na ditadura e quando ele foi presidente da República - por que ninguém pede a sua cassação e não, simplesmente a renúncia ou o seu afastamento da presidência do Senado? “Não vi nenhum “comentarista” do tipo Miriam Leitão ou Alexandre Garcia fazerem esta reflexão...” (Dilson Peixoto).

22 agosto 2009

Com pesquisa e sem alarde

Ciência Hoje Online:
Iniciativa internacional aposta em estudos de toxicidade para desenvolver nanomateriais seguros
. Um consórcio liderado por 14 pesquisadores de 11 instituições da Europa e Estados Unidos está empenhado em descobrir os potenciais efeitos adversos dos nanomateriais sobre o sistema imunológico. A ideia é encontrar, o quanto antes, alternativas para os compostos que tiverem algum grau de toxicidade à saúde humana.
. Para realizar tal tarefa, o projeto Nanommune conta com uma equipe multidisciplinar de pesquisadores. Divididos em grupos de trabalho, eles estudam a síntese e a caracterização de diversas classes de nanomateriais e conduzem testes em culturas de células e em animais expostos a esses materiais.
. Com base nos resultados, eles irão desenvolver protocolos para a análise da toxicidade em pesquisas nanotecnológicas.
. Leia a matéria na íntegra http://cienciahoje.uol.com.br/151377

Insegurança social X Desenvolvimento

No Vermelho, por Eduardo Bomfim:
Desenvolvimento, segurança e paz

Afirmou Darcy Ribeiro que esse é um mundo só, de nações interdependentes. Mas que existiam as nações autônomas, como também as dependentes. E que nós os brasileiros deveríamos optar pela autonomia e pela singularidade, em razão da nossa dimensão continental e na condição de maior das províncias neolatinas do mundo.

E nós vamos percorrendo nos últimos dez anos uma trajetória que indica um caminho de soberania política e econômica, como também se constroem as condições para consolidarmos a autonomia nacional.

O crescimento econômico, mesmo em época de crise financeira do sistema capitalista a nível mundial, demonstra que o País marcha pelo caminho correto, ainda que necessitando de sérios reparos em vários aspectos que travam uma maior aceleração da economia nacional. O fato é que se expandiu o mercado interno, incorporaram-se dezenas de milhões de brasileiros no emprego formal, ampliou-se enormemente o crédito às famílias de baixa renda e consequentemente alargou-se substancialmente a possibilidade da população ter acesso ao consumo de bens.

De outro lado existe um leque de projetos sociais que atendem às populações de baixa renda, às camadas mais pobres da população brasileira. Esse cenário poderia indicar que a sociedade estaria vivendo uma época de um clima psicossocial razoavelmente saudável.

Mas o que se vê e o que se sente não são sinais de plena satisfação coletiva, mesmo com as mais amplas camadas da sociedade, movidas pelo espírito crítico, tirocínio político e sentimento em defesa das suas justas aspirações e sonhos, demonstrando irrefutável apoio ao presidente da República e ao seu campo de aliados. Apesar disso a sociedade vive uma época confusa em que há uma evidente insegurança na paisagem social. O que por sua vez provoca condições de vida sufocantes nas cidades sejam elas grandes, médias ou pequenas.

A violência e a criminalidade nunca foram tão graves na história do Brasil, o que se constitui, diante do inegável crescimento econômico ao lado de políticas de apoio social, em uma flagrante contradição. Em qualquer região do País, a população, principalmente da classe média e trabalhadores, sente-se ameaçada, esmagada pela violência que vem provocando uma real banalização da vida humana. Essa é a grande dívida do governo para com os brasileiros na atualidade, que aspiram a três questões vitais: desenvolvimento com segurança e paz.

21 agosto 2009

Bom dia, Luís Vaz de Camões

Mudam-se os tempos...

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
muda-se o ser, muda-se a confiança;
todo o mundo é composto de mudança,
tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
diferentes em tudo da esperança;
do mal ficam as mágoas na lembrança,
e do bem (se algum houve), as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
que já coberto foi de neve fria,
e, enfim, converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
outra mudança faz de mor espanto,
que não se muda já como soía.

Coluna semanal no portal Vermelho

Do que sinto falta na crise do Senado
Luciano Siqueira


Não é propriamente na crise do Senado, mas no noticiário sobre o assunto. Dou um doce a quem achar na grande mídia qualquer observação sobre a verdadeira questão que está em jogo quando senadores oposicionistas e governistas trocam mútuas acusações de práticas incorretas – ou seja, a disputa pela presidência da Casa. Como disse um amigo, aconteceu com Renan e Sarney e acontecerá com qualquer senador que ocupe a presidência numa postura de aliado do governo: é chumbo grosso.

Claro que ninguém deve defender o governista Sarney ou o oposicionista Arthur Virgílio ou nenhum outro senador quando pilhado em procedimentos eticamente condenáveis. Mas se deixar enredar nessa briga entre o sujo e o mal-lavado sem perceber a luta pelo poder que está por trás do discurso moralista é pura ingenuidade.

Além disso, o assunto também é tratado como algo sem solução – ou passivo de soluções duvidosas, como a adoção do parlamento unicameral, que ficaria restrito à Câmara, extinguindo-se o Senado. Isso sem nenhuma relação com o sistema governo nem com a convocação de uma Assembléia Constituinte apta a tomar tal decisão.

Mais: por que a mídia não discute a necessidade de renovação de nossas representações parlamentares no próximo pleito? Por que não debate a natureza obsoleta não apenas do Senado, mas do Estado brasileiro, na atualidade defasado em relação às reais exigências do aprimoramento democrático e do avanço civilizatório? Por que não dá a devida dimensão a uma reforma política de sentido democratizante?

A resposta é uma só: porque a grande mídia, mancomunada com a oposição conservadora chefiada por tucanos e demos, não deseja ir além de uma hipotética queda de Sarney e conseqüente assunção à presidência do senador Marconi Perilo (PSDB-GO), como parte de um roteiro de imobilização do governo.

Por isso é necessário alargar o ângulo da análise dos acontecimentos, para não circunscrever as mazelas da sociedade brasileira ao que ocorre no Senado. Até porque o Senado, assim como a Câmara dos Deputados, as Assembléias Legislativas e as Câmaras Municipais refletem, em sua composição, distorções, avanços e insuficiências da sociedade traduzidos através do voto. E, apesar da elevação da consciência política do eleitorado, o sistema eleitoral é de tal forma viciado que produz maiorias conservadoras, diretamente ou indiretamente comprometidas com interesses nem sempre confessáveis e envoltas em procedimentos incorretos.

História: 21 de agosto de 1853

Maria Quitéria, óleo de D. Falutti
Morre Maria Quitéria de Jesus, 61 anos, cega, pobre e no abandono. O Império condecorou a heroína popular da Guerra da Independência na BA, mas em seguida esqueceu-a. (Vermelho http://www.vermelho.org.br/).

Empresas veem retomada gradual, sem investimentos

. A informação é do Valor Econômico. As empresas brasileiras começaram a sair da crise, mas a recuperação desta vez não será marcada por uma retomada rápida dos investimentos, segundo executivos que comandam as melhores empresas de 25 setores analisados pelo anuário "Valor 1000", lançado ontem em São Paulo. A crise e a queda nas exportações deixaram muitas empresas com capacidade ociosa suficiente para crescer sem a necessidade de recuperar planos de investimento guardados no início da retração ou mesmo de pôr em prática novos projetos. A Copasa, controlada pelo governo mineiro, foi escolhida a Empresa de Valor 2009.
. A Alpargatas manteve os investimentos que ajudam a reduzir custos e aumentam a produtividade, mas não os demais, conta Mareio Utsch, presidente. ''Temos capacidade instalada suficiente", diz. A Cinpal, do setor de autopeças, enfrentou o choque de drásticas reduções nas exportações de algumas montadoras. Ela já recebeu os equipamentos de seu ciclo de investimento anterior e não pensa em um novo para 2009 ou 2010, afirma Vitor Luiz Taddeo Mammana, diretor-presidente."Investimos muito no ano passado e, com a crise, agora estamos com muita capacidade ociosa".

Saúde, gênero e sexualidade: ponha na agenda


Qual o verdadeiro papel de Marina na sucessão presidencial?

Editorial do Vermelho http://www.vermelho.org.br/:
O enigma Marina Silva

O destino da senadora Marina Silva, que anunciou a saída do PT para uma eventual candidatura, pelo PV, à sucessão do presidente Lula, ainda não está claro. A mídia, entretanto, já busca medir seu potencial eleitoral que, na última pesquisa Datafolha, é de 3% das preferências, sobretudo entre os eleitores mais ricos. Mas é cedo para uma avaliação mais precisa, mesmo porque a própria senadora ainda não confirmou sua candidatura, apesar de sinalizar que seguirá esse rumo.

Sua trajetória não pode ser comparada com a de Heloísa Helena, que terminou a disputa presidencial de 2006 em terceiro lugar, com cerca de 6% dos votos; ou com Cristovam Buarque, que ficou com pouco mais de 3% na mesma eleição. Há semelhanças, mas também muitas diferenças entre estes três ex-petistas. Cristovam e Heloisa disputaram a eleição contra Lula; Marina poderá encarnar a anti-Dilma, o que faz uma diferença enorme. Os dois primeiros fizeram uma oposição ao governo pela esquerda. Marina até agora não disse qual será seu caminho. As dúvidas sobre o projeto político que defenderá, que tipo de eleitor vai buscar e a que forças irá se aliar, ainda estão no ar.

Uma avaliação mais cuidadosa da candidatura depende de respostas a algumas questões cruciais. Marina tem compromissos históricos, e notórios, com a agenda ambientalista. Até que ponto vai equilibrá-los com a defesa, necessária, de novo projeto nacional de desenvolvimento? Conseguirá não decepcionar os ambientalistas mais radicais e os santuaristas de plantão? Conseguirá refundar o PV, dando-lhe um conteúdo programático exequível? E conseguirá o PV costurar alianças que garantam estatura a sua campanha? Que tipo de aliança vai privilegiar no primeiro e no segundo turnos? Pela esquerda ou pela direita? Se a segunda hipótese se concretizar, vai dividir o palanque com demos e tucanos, esquecendo seus trinta anos de militância de esquerda? Como vai tratar José Serra: parceiro ou adversário? Aceitará apresentar-se uma anti-Dilma?

Marina é religiosa e, como religiosa, é contra o aborto, a Lei de Biosegurança, e já demonstrou simpatia pela atrasada tese do criacionismo. Ela irá buscar o voto dos crentes com um discurso conservador? Quais as bandeiras políticas, econômicas e sociais do atual governo que irá defender e com quais vai romper? Na hipótese de alcançar a presidência da República, com quais forças políticas irá compor para garantir a governabilidade? Que tipo de relacionamento manterá com os meios de comunicação? Ficará refém deles ou se rebelará contra a agenda neoliberal, conservadora e excludente da mídia hegemônica?

A clareza sobre o tipo de peça que Marina Silva representará no xadrez eleitoral de 2010 depende das respostas a questões como estas. É um enigma cuja solução está entre a mente e o coração da possível candidata, o entusiasmo que demos, tucanos e a mídia conservadora manifestam por sua candidatura, e a trajetória de trinta anos de militância no campo progressista da ex-ministra do Meio Ambiente.

20 agosto 2009

Da água para o vinho

. Sai o truculento e ultraconservador arcebispo José Cardoso, entra o progressista e hábil Dom Fernando Saburido.
. Dom Fernando anuncia a realização de uma grande assembléia que vai reunir padres, religiosos, leigos e o povo em geral.
. Para discutir, durante esse encontro, ações que poderão ser desenvolvidas pela Arquidiocese de Olinda e Recife.
. Um gesto que sensibiliza católicos e não-católicos.

Pela integração do subcontinente sul-americano

. O volume de recurso não é tão grande. Mas ajuda no esforço de integração do subcontinente, uma das pedras de toque da atual política externa brasileira.
. Os bancos centrais do Brasil e da Argentina criarão uma linha de swap (troca de rendimentos) em moedas locais – o que significará uma troca de crédito de R$ 3,5 bilhões.
. O acordo foi firmado ontem ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o ministro da Economia e Produção da Argentina, Amado Boudou.
. A coisa funcionará assim: o Brasil emprestará R$ 3,5 bilhões de reais para a Argentina, e o país vizinho, 7 bilhões de pesos para o Banco Central brasileiro.
. O dinheiro poderá ser sacado em caso de dificuldades financeiras, com pagamento de juros.

19 agosto 2009

Artigo semanal no Blog de Jamildo (JC Online)

Para que servem os Planos Plurianuais?
Luciano Siqueira


A pergunta me ocorreu ontem ao intervir em aparte ao vereador Josenildo Sinésio, líder do governo na Câmara Municipal, que fazia longa prestação de contas das realizações do prefeito João da Costa e equipe nos seus seis primeiros meses de atuação, sob questionamento da bancada oposicionista. É que ambos pareciam restringir a discussão aos números, quase que como se através do cotejamento quantitativo do que foi feito ou se deixou de fazer fosse possível firmar um juízo de valor sobre o desempenho do governo.

Ora, o novo prefeito se elegeu com um Programa e tem prazo até setembro para encaminhar ao parlamento municipal o PPA (Plano Plurianual), que define os princípios diretores da gestão, suas prioridades, suas opções estratégicas e como pretende concretizá-las.

O prefeito João Paulo teve aprovados pela Câmara dois PPAs, o primeiro em 2001 e o segundo em 2005. E ao final dos seus mandatos, apresentou à sociedade uma prestação de contas circunstanciada. Programa de governo, PPA e prestação de contas são, assim, referenciais seguros para se avaliar criticamente a obra de governo.

Tomemos como exemplo um programa adotado pelo governo João Paulo, de reconhecido sucesso: o Guarda-Chuva – ação permanente e continuada sobre morros, encostas, áreas alagadas ou alagáveis, realizada de janeiro a dezembro, destinada a preparar a cidade para o período de chuvas mais severas, evitando acidentes fatais. Que se analise não apenas o Programa em si, quantificados os resultados obtidos – como sairmos de 12 mil pontos de risco para cerca de 3 mil (monitorados). Não basta. É preciso situá-lo num dos princípios diretores da gestão passada (e que, com enunciado distinto mas de conteúdo semelhante, permanece no novo governo): praticar políticas públicas orientadas pelo ideal de uma cidade fisicamente organizada, economicamente sustentável e socialmente justa.

Não se trata, claro, de pautar o discurso de nenhum vereador, seja da situação ou da oposição. Nem de enquadrar o debate. Trata-se, sim, de uma ponderação que me parece oportuna, no sentido de que se transponham os limites de constatações pontuais, localizadas e imediatas e se examine a realidade dos fatos sob o crivo do conteúdo das políticas públicas – único modo plausível de se confrontar projetos político-administrativos de natureza oposta para a cidade. Porque no fundo é isso o que se confronta: concepções sobre a vida de uma cidade em permanente construção, suas opções estratégicas, seus rumos atuais projetados para o futuro mediato e de longo prazo.

18 agosto 2009

Bancos médios perdem espaço para os públicos

. Um dado relevante, hoje no Valor Econômico. Os bancos públicos, que adotaram uma política agressiva na concessão de crédito desde o início da crise, ganharam participação no mercado de empréstimos principalmente em cima dos bancos médios nacionais e dos estrangeiros.
. Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Banco do Nordeste dominam 28,15% do crédito. No fim do ano passado, detinham 24%.

Bom dia, Lau Siqueira

juro que não sei

Escrevo poemas
para guardar memória
dos instantes invisíveis

partidos em milhares
de cacos mínimos

:farelo calcário.

Escrevo poemas
para não lembrar disso.

Para não esquecer,
também.

Porque poema é
beleza transgressiva...

Ostenta olhos parados
no tempo. Absolutos diante
do abstrato...

Bancos lideram lucros no semestre, com R$ 14 bi

. Está na Folha de S. Paulo. O setor bancário foi o que teve maior lucro no primeiro semestre entre as 303 empresas de capital aberto do país que já apresentaram seus balanços, segundo a consultaria Economática.
. O lucro líquido de 21 bancos foi de R$ 14,33 bilhões.
. O valor representa 23,5% do total de ganhos das empresas de capital aberto.
. O segundo posto (R$ 13,55 bilhões) fica com petróleo e gás, que tem até agora só a Petrobras. No primeiro semestre de 2008, os bancos já eram os primeiros.

História: 18 de agosto de 1980

Protesto em Belo Horizonte contra a impunidade de maridos que matam esposas e alegam "defesa da honra".. (Vermelho http://www.vermelho.org.br/).

Opinião pessoal do amigo George Arribas

Me engana que eu gosto!!!

Querido Amigo Luciano: Seus textos abusam em qualidade, conteúdo e eloqüência.

Mas sei que sua alma é generosa e seu espírito é democrático, por esse motivo me atrevo a deixar o meu 'pitaco' a respeito dessa antecipação exagerada do pleito eleitoral que acontecerá só ao final do ano 2010, quanta água ainda vai passar por baixo dessa ponte...

A história registra um horizonte cinzento para os marinheiros que urdiram o mar para a viagem primeira com uma antecedência dessa: nunca chegaram!!! O fôlego acabou e acabaram morrendo na praia, o Lula que nos diga.

A meu ver, nós estamos assistindo é uma peça teatral - o diário da vida irreal, vários atores, diretores, cenários, enredos...

Por mais que pareça real, tudo o que vemos são 'efeitos especiais' da verdade virtual se movimentando às vezes num palco, às vezes num picadeiro, só para prender a atenção do público e não deixá-lo sem uma distração.

Para que a arte se encontre com a vida, atrás das cortinas a história que se monta é outra !!!Usando o meu direito de supor...Pelas públicas demonstrações de admiração, de probidade moral, apreço biográfico e carinho estupendo, o verdadeiro candidato do Lula é o Sarney e o Renan é o vice ou vice-versa ou ainda versar que o vice José Alencar, na condição de grande sobrevivente das fatalidades, possa a vir e ser o momentâneo agraciado da vez. Quem sabe?Existe também uma possibilidade real do Lula não terminar o seu mandato (não esqueça que ele é um simples mortal como eu e você e como tal falta-lhe o poder sobre vida e a morte) e aí como é que fica o contexto?

Se o Lula fosse 'fadista' eu não teria dúvidas quanto à autoria do 'Nem as paredes confesso...'De quem eu gosto, nem as paredes confesso... Desde a última terça-feira me encontro aqui no Rio de Janeiro e, me acompanha o meu sentimento de pernambucanidade que em muito se confunde com o dessa gente querida aqui do Sudeste: a Dilma não é a candidata do Lula. Ela está apenas no palco; acena e sai da cena. O candidato do coração do Lula é ele mesmo, é o único que ele confia. Diz o fado ainda que ...e até aposto que eu não gosto de ninguém.

Como não existe, ainda, uma clima para um 'Pastelon à La Chaves', eu 'acho', que no momento oportuno o Lula apresentará sua cara-metade, quem sabe com os olhos verdes que tanto encantaram o eleitor pernambucano?

Com imenso carinho e uma grande admiração,
George Arribas

Painel de comentários sobre o meu artigo “O fator Marina Silva e a euforia desmesurada da mídia”

São muitos e-mails sobre o artigo. Transcrevo aqui alguns: leia, analise, julgue. Depois vem mais. É um bom debate.

“Antes de tudo gostaria de parabenizá-lo pelo Blog, está ótimo.Em segundo rápidos comentários sobre o” Fator Marina": 1 - anti Dilma tudo bem. 2 - Quando você refere às ligações com o PSDB, olho para trás e vejo um PT elogiando Collor e defendendo Sarney entre outros. 3 - continuo pensando que mesmo se as articulações são "necessárias", para aqueles que querem chegar ao poder e depois poder governar, acho-as de uma denegação de princípios éticos sem medidas. 4 - Minha bandeira é não reeleger ninguém que esteja hoje no planalto e, portanto nenhum de seus articulados.” (Odimariles Dantas).
*
“A mídia nos confunde... Pobre de nós, "Cidadãos" eleitores. Afinal, de quem é a culpa? Dos jornalistas, editores ou dos próprios políticos. Que vergonha... O jogo político nunca esteve tão sujo e a avidez pelo poder sem limites. Queremos TRANSPARÊNCIA! Não sabemos em quem confiar... Infelizmente.” (Djair Brindeiro).
*
“Concordo em "gênero e número" em sua apreciação da pressa com que a mídia se veste abertamente de "direita" e joga sacos de "confetes' na idéia de Marina Silva sair candidata a presidência, quando pouco tempo atrás tratava a mesma como "a Geni". Quanta mudança e quanto desespero em encontrar qualquer candidato que possa de alguma forma ameaçar a Dilma. Esta euforia poderá ser um tiro no pé ou sair pela culatra... pois o pouco que conheço da historia senadora, não iria de "mala e cuia" pros braços da direita. Essa visão canhestra vai contra a história da senadora. Quem viver verá...” (Tadeu Colares).
*
“Sua análise quanto ao fator Marina Silva procede, embora se reconheça sim a possibilidade de embaralhar a candidatura governista e, consequentemente, viabilizar uma vitória da oposição num cenário de segundo turno. Entretanto, poderá acontecer com Marina Silva o que aconteceu com Barack Obama. Pois bem, para a democracia brasileira é positivo uma candidatura Marina, a qual representa o resgate da ética social e a defesa do meio ambiente (sua bandeira maior). O desenvolvimento sustentável pautado na responsabilidade social e ambiental nos entusiasma satisfatoriamente, daí a idéia da candidatura alternativa de Marina Silva poderá sim contribuir para o fortalecimento da democracia brasileira. Com todo respeito ao Partido dos Trabalhadores, eu pessoalmente, visualizo práticas que vão de encontro a sua história de luta por uma sociedade mais justa e igualitária. O PT tem se mostrado uma estrutura de poder centralizadora, haja vista as suas últimas alianças com partidos fisiológicos e figuras bastante questionáveis como Sarney, Renan Calheiros, Collor de Melo etc. O poder de fato tem contaminado o PT, não esqueçamos do mensalão presente na estrutura governamental (que nos levou ao ridículo de ouvir do nosso Presidente Lula que não sabia de nada)!” (Josias Barbosa Lima).

17 agosto 2009

Capacitação em direção de fotografia na Fundaj

. É uma boa para que é do ramo. O Centro Audiovisual Norte-Nordeste (Canne), da Fundação Joaquim Nabuco, promove capacitação em direção de fotografia sob a direção de Antônio Luiz Mendes.
. As inscrições são gratuitas e vão até o dia 10 de setembro, pelo e-mail canne@fundaj.gov.br.
. As aulas ocorrem entre 21 e 25 de setembro, enfocando os fundamentos conceituais e práticos da iluminação e do enquadramento para a captação em película e em vídeo.
. Os selecionados serão divulgados no site do Canne no dia 14 de setembro.

Ruína de Yeda e omissão da imprensa

Agência Carta Maior:
. A grande imprensa do Sudeste vem noticiando tudo com muita discrição e sem contextualizar o problema. Aliás, um problemão. O ruinoso governo de Yeda de certa forma quebra a espinha dorsal do discurso tucano da "excelência da gestão", que deveria ser o diferencial da candidatura presidencial do partido em 2010. Se ela insistir em se candidatar à reeleição, qual será o palanque do presidenciável tucano em terras gaúchas? José Serra (ou Aécio Neves) estarão ao lado de Yeda, única governadora brasileira que tem taxa de rejeição superior à de aprovação?

Oportunidade para debater a democratização da mídia

. É briga de cachorro grande essa que a Globo e a Record travam nos últimos dias.
. Acusações mútuas, fac-simile de processos na Justiça e denúncias várias. Vale tudo.
. Não é um bom momento para debater a democratização da mídia? Vem aí a Conferência Nacional de Comunicação, a que as duas redes de TV certamente não comparecerão.

16 agosto 2009

Mídia parcial, democracia sob risco

A crise da mídia e a democracia
Emir Sader

A inquestionável crise da mídia brasileira se choca com um processo de maior democratização da sociedade brasileira o que, por si só, deveria levar a pensar o caráter tanto da imprensa no Brasil, quanto da própria democracia entre nós.

O que está em crise é a forma de produzir notícias, a forma de construção da opinião pública. Seria grave se a dimensão da crise que afeta a mídia refletisse, nas mesmas dimensões, a democracia no Brasil. Ao ler alguns órgãos da imprensa, pode-se ter a impressão que a democracia retrocede e não avança entre nós, que estamos à beira de uma ditadura, ao invés de um processo – lento, mas claro – de democratização da sociedade brasileira.

Cada classe social toma sua decadência como a decadência de toda a sociedade, quando não de toda a humanidade. Neste caso, é uma casta que controlou a formação da opinião pública, de forma monopólica e que, com isso, se considerou depositária dos interesses do país. Derrubou a Getúlio, contribuiu decisivamente para o golpe militar de 1964 e para o apoio a este, uma parte dela tentou desconhecer a campanha pelas eleições diretas, tentou impedir a vitória de Brizola nas primeiras eleições diretas para governador do Rio de Janeiro, apoiou a Collor, esteve a favor de FHC, a ponto de desconhecer a evidente corrupção presente nos escândalos processos de privatização, na compra de votos para a reeleição, entre tantos outros casos. Agora, se coloca, em bloco, contra o governo Lula, o de maior popularidade na história do Brasil, chocando-se assim flagrantemente com a opinião do povo brasileiro.

A mídia tradicional está em crise, a democracia brasileira, não. Porque se amplia significativamente o circulo de produção de opinião, de difusão de noticias, se democratiza a informação e os que são afetados pelo enfraquecimento do seu monopólio oligárquico – em que umas poucas famílias controlavam a mídia – esbravejam. Tentam impedir a realização da Conferência Nacional de Comunicação, convocada para novembro, porque detestam que se debata o tema da democracia e a mídia.

A crise do poder legislativo é parte do velho poder oligárquico, que sobreviveu na passagem da ditadura à democracia, que se vale do fisiologismo para vender seu apoio aos governos de turno. Não por acaso os mesmos personagens envolvidos nas acusações atuais no Congresso apoiariam ao governo FHC e, com o beneplácito da mídia, foram poupados das acusações agora dirigidas contra eles, na tentativa de enfraquecer a base de apoio parlamentar do governo. Enquanto o Brasil se torna mais democrático, com a promoção social de dezenas de milhões de famílias, a estrutura parlamentar reflete o velho mundo oligárquico, similar ao da propriedade da mídia privada.

No momento em que o Brasil precisa de uma nova mídia, uma nova forma de difundir notícias, de promover o debate econômico, político, cultural, a velha mídia resiste em morrer, em dar lugar à democratização que o Brasil precisa. Sabem que a continuidade do governo atual e o aprofundamento dos processos de saída do modelo herdado do governo FHC sepultarão toda uma geração de políticos opositores – derrotados pelas urnas e/ou pela senilidade. Daí seu desespero na luta contra o governo – que conta com 6% de rejeição a Lula, contra 80% de apoio.

A crise da mídia é outro reflexo do velho mundo que desmorona, para dar lugar à construção de um Brasil para todos e não para as elites minoritárias que historicamente o dirigiram.
Publicado no Blog do Emir

Hoje, na Galeria ArtePlural


História: 16 de agosto de 2005

Entidades da Coordenação dos Movimentos Sociais (CMS) reúnem 20 mil em Brasília contra o que julgam uma ameaça de deposição de Lula. “Contra a desestabilização e a corrupção. Mudanças na política econômica. Reforma política democrática já”, diz a faixa que abre a passeata. No dia seguinte, uma manifestação pelo impeachment de Lula tem metade desta participação (clique para ver mais). (Vermelho http://www.vermelho.org.br/).

15 agosto 2009

Ponha na agenda: dia 20, 18 horas, Sabores Pernambucanos


Projeto de Lei: Fisioterapia preventiva em academias de ginástica

. Este é o sentido do projeto de Lei que apresentei na Câmara Municipal, tornando obrigatória a contratação do fisioterapeuta por academias de ginástica.
. Academias, clubes, ginásios esportivos e Academias da Cidade apresentam significativa incidência de pacientes com lesões que procuram atendimento médico.
. A presença de fisioterapeutas poderá prevenir e resguardar a saúde dos usuários e alunos de academias, atuando de forma preventiva para orientar os usuários quanto aos efeitos causados pelo uso inadequado de equipamentos e exercícios físicos. Para evitar danos como incapacidade motora, incidência de dor, deformações transitórias ou permanentes, entre outras conseqüências.

Bom dia, Susana Vargas

Gil Vicente


Canção

O vento que colho
é o mesmo
que varou um tempo morto.

Tempo implacável arguto
que foge
pelos meus medos.

A quantas de minha história
não acenou
como agora?

Com quem esse mesmo outono
não celebrou
o seu corpo?

Braços e olhos
colhidos
pelo vento, esse inimigo.

lábios e peles
molhados
e pela aragem secados.

A quem o tempo implacável
quis desafiar
com o vento?

E quem colheu
como eu
o outono que se escondeu?

Ingentes problemas urbanos

No Vermelho, por Eduardo Bomfim:
A crise das cidades

Nos últimos quinze anos o Brasil vivenciou três iniciativas de políticas institucionais que mudaram substancialmente a sua face. Senão vejamos. O controle da inflação em longo prazo estabilizou a arritmia da economia que impedia um salto ao desenvolvimento do País.

A retomada do papel estratégico do Estado nos destinos da nação fortaleceu o crescimento em quase todas as áreas da economia, desobedecendo a máxima neoliberal de que ele seria um entrave a esse processo. O que se viu foi o contrário, não só o segmento estatal robusteceu o seu papel e eficiência como o segmento privado foi enormemente beneficiado por essa orientação programática nos rumos da economia.

A expansão do crédito para camadas populares intensificou o consumo e em decorrência expandiu espetacularmente o mercado interno, constituindo-o em uma poderosa ferramenta de soberania para o Brasil. De tal maneira que esse tem sido um dos principais fatores para que a nação venha conseguindo enfrentar a crise financeira internacional com relativo êxito. Principalmente se considerarmos os prognósticos dos variados especialistas da área econômica que indicam a retomada do crescimento em ritmo moderado ainda este ano e de 4% a 5% em 2010.

E tudo isso quando as principais economias do mundo patinam no abismo da recessão profunda a exemplo dos Estados Unidos da América e Comunidade Européia. A opção pelo fortalecimento e modernização do Estado e de suas políticas públicas, constituiu-se em um dos instrumentos da inclusão social e do acesso ao consumo para milhões de famílias brasileiras, geração massiva de emprego e renda, apesar dos juros serem absurdamente os mais altos do mundo.

No entanto, a violência e a criminalidade cresceram na mesma proporção em que a nação avançava. E os mais afetados por essa orgia de sangue e vítimas são os proletários e a classe média que não possuem os requintados instrumentos de proteção e segurança dos bilionários, no topo da ainda perversa pirâmide social.

O governo tem que adotar ações eficientes, rigorosas, de prevenção e combate à violência e à criminalidade, em iniciativas competentes de segurança e políticas sociais de emergência.

Caso contrário as cidades e as instituições serão subjugadas pelo mais próspero complexo industrial do País, o do narcotráfico.

Cedo demais para prever resultados

. A pesquisa Vox Populi (no Diário de Pernambuco e na Folha) dá ampla vantagem a Eduardo Campos contra o senador Jarbas.
. Seria um cenário mais do que confortável.
. Mas ainda muito cedo para esse tipo de previsão.

Dois novos ‘primos’ para a Terra

Ciência Hoje Online:
Astrônomos detectam os menores planetas em tamanho e massa localizados fora do Sistema Solar
. Dois novos objetos acabam de ser acrescentados à já extensa lista de planetas localizados fora do Sistema Solar. Na busca por corpos celestes semelhantes à Terra e que tenham condições adequadas para abrigar vida, astrônomos descobriram os menores planetas extrassolares em tamanho e em massa detectados até hoje.
. Desde 1995, quando foi encontrado o primeiro planeta extrassolar na órbita da estrela 51 Pegasi, cerca de 350 planetas já foram localizados fora do nosso sistema. A maioria deles é formada por gigantes gasosos como Júpiter. Mas, nos últimos dois anos, algumas dezenas de planetas com massas poucas vezes maiores que a da Terra (entre 5 e 20 vezes) foram descobertas.
. Agora pesquisadores da Universidade de Genebra (Suíça) encontraram o mais leve planeta extrassolar, com 1,9 vezes a massa da Terra. A descoberta, que em breve será publicada em uma revista especializada, foi anunciada à comunidade científica em abril em uma conferência em Londres (Inglaterra) e novamente apresentada durante a 27ª Assembleia Geral da União Astronômica Internacional (IAU), que se encerra hoje no Rio de Janeiro.
. O novo planeta está na órbita da estrela Gliese 581, uma anã-vermelha com aproximadamente um terço da massa do Sol situada a 20,5 anos-luz do Sistema Solar. Chamado de Gliese 581e, o planeta se junta a outros três já detectados anteriormente ao redor da mesma estrela. O maior tem cerca de 15 vezes a massa da Terra. Os outros têm aproximadamente 5 e 7 vezes a massa do nosso planeta.
. Leia a matéria na íntegra http://cienciahoje.uol.com.br/151217

14 agosto 2009

Meu artigo semanal no site da Revista Algomais

Quando faz falta separar alhos e bugalhos
Luciano Siqueira

Perdoem-me os que têm o dever de alimentar o noticiário diariamente com fatos ou ilações que inspirem no leitor (ou ouvinte ou telespectador ou internauta) a impressão de que o mundo gira e ele está sendo bem informado. É preciso ir além da superfície, evitar seguir a primeira onda que a grande mídia cria movida por interesses inconfessáveis ou não.

Quando o tema é política, então, o que se imagina e o que se deseja muitas vezes superam a realidade dos fatos ou o sentido real que eles têm.

Dois fatos em si contraditórios freqüentaram ontem o noticiário como se nenhum nexo guardassem entre si. As andanças da senadora Marina Silva, do PT do Acre, num cortejo de auscultas a amigos e correligionários acerca da hipótese de desligar-se do seu partido e migrar para o PV, pelo qual seria candidata à presidência da República; e o colóquio entre o deputado Fernando Gabeira, do PV carioca, com o governador paulista José Serra, do PSDB, no sentido de que o primeiro seja apoiado pelos tucanos numa candidatura ao governo do Rio de Janeiro, fazendo-se assim importante ponto de apoio ao segundo, cotado como candidato para a disputa presidencial.

Ora, se a hipótese Marina Silva é apontada – de maneira ligeira e superficial, a meu ver – como fator de desequilíbrio (sic) num presumível confronto entre Serra (PSDB) versus Dilma (PT), como isso poderia se confirmar se no terceiro colégio eleitoral do país os verdes estariam combinados com os tucanos?

Demais, pelas regras atuais um candidato a governador estará pelo menos formalmente comprometido com a candidatura à presidência pelo seu partido, se houver.

Mas a ânsia noticiosa, vale dizer, tendenciosa em expectativas precipitadas e distorcidas nas conclusões antecipadas é tão grande que repórteres e articulistas terminam por subestimar a capacidade de discernimento do público!

Nesse caso, no mínimo seria necessário separar alhos e bugalhos e discutir as duas possibilidades – Marina candidata à presidência pelo PV; Gabeira pretendente ao governo do Rio em aliança com Serra para presidente – como conflitantes e excludentes entre si. Ajudaria o cidadão comum pouco afeito aos meandros da política a compreender o que se passa e a perceber a variedade de cenários possíveis em relação ao pleito de 2010, todos a depender de variáveis que ainda não estão maduras ou sequer vieram à tona.

Isto porque ao contrário do que sugere o sensacionalismo que cerca os casos de corrupção e afins, política é coisa muito séria e é preciso ser acompanhada por todos – sobretudo pelos que serão chamados a influenciar o curso dos acontecimentos através do voto.