30 novembro 2007

A nomeação de Sílvio e as pré-candidaturas no Recife

Parece exagerada a leitura de que ao nomear o deputado Silvio Costa Filho para a Secretaria de Turismo o governador Eduardo Campos esteja trabalhando para limpar o terreno das pré-candidaturas à prefeitura do Recife, no campo das forças aliadas. Sílvio Filho, embora cogitado nas especulações, jamais havia se colocado formalmente como pré-candidato.

De outra parte, se a dialética ensina que “tudo se relaciona”, escapa ao raciocínio dialético forçar a barra das correlações entre coisas que necessariamente não guardam relação entre si. Nesse caso, a vida se encarregará de esclarecer o verdadeiro sentido dos fatos.

Acrescente-se, além disso, que as pré-candidaturas dos deputados Pedro Eugênio e Maurício Rands e do secretário João da Costa se dão no âmbito exclusivo do PT e apenas uma delas, a que se converter em candidatura propriamente dita, haverá de ser examinada pelos partidos aliados a partir de janeiro e, sobretudo, após o carnaval. Já a nossa pré-candidatura, pelo PCdoB, se assenta em variáveis que não foram afetadas pela nomeação de Silvio Costa Filho. Ao contrário, está relacionada ao desenho da correlação de forças no embate eleitoral; surge como solução e não como problema; flui naturalmente, sem atropelar ninguém; e, bem situada politicamente, não encontra obstáculos a que prospere.

A palavra de Audísio

De Audísio Costa sobre o nosso artigo Chico Buarque a reforma educacional(*): "Acerta o PCdoB quando parte para mostrar propostas de mudanças indispensáveis ao desenvolvimento de uma sociedade justa, fraterna e solidária, portanto socialista. A reforma educacional é hoje uma exigência fundamental. Temos que considerar que os pais (pai e mãe) precisam trabalhar e os filhos ter uma boa formação educacional holística. Esta tem que ser de responsabilidade do estado, se quisermos garantir a igualdade de oportunidade para todos. Sem o compromisso do estado na garantia da educação, não teremos em nenhum momento um desenvolvimento harmonioso, quer social ou econômico. Sem este pré-requisito estaremos construindo a sociedade da desigualdade e da violência. Assim, o investimento em educação tem que ser prioridade, principalmente para que ela seja em tempo integral. Só assim, os pais terão a tranqüilidade de que seus filhos estão bem cuidados, enquanto trabalham. Desta forma ao chegarem em casa, após um dia de trabalho, os pais poderão melhor interagir com seus filhos, em vez de resolver conflitos gerados pela articulação que estes possam ter desenvolvido se não estiverem no processo formação educacional correto. O debate das reformas necessárias é urgente. Parabéns! O PCdoB está no caminho correto ao tomar a iniciativa de explicitar suas propostas de temáticas de construção de uma nova sociedade."
___
(*) Veja abaixo postagem anterior.

Preservando sindicatos

No Vermelho:
Senado aprova legalização de centrais e veta emenda patronal
. O plenário do Senado, profundamente dividido sobre questões como a prorrogação da CPMF ou o Caso Renan Calheiros, votou por unanimidade nesta quinta-feira o projeto que reconhece formalmente as centrais sindicais. Os senadores derrubaram a emenda introduzida na Câmara por uma manobra do deputado do deputado Augusto de Carvalho (PPS-DF), que cancelava o desconto automático do imposto sindical para as entidades dos trabalhadores e mantinha para as do patronato. O consenso foi obtido com forte participação de sindicalistas vinculados às diferentes centrais.
. Pelo acordo, um grupo de trabalho encabeçado pelo Ministério do Trabalho, com participação de trabalhadores, e empresários, elaborará dentro de 90 dias estudo sobre mecanismos definitivos de sustentação financeira dos sindicatos e regulamentação da cobrança das contribuições sindicais. O objetivo é instituir uma contribuição negociada, vinculada ao exercício efetivo da negociação coletiva e à aprovação em assembléia geral.
. Leia a matéria na íntegra http://www.vermelho.org.br/base.asp?texto=29102

História: 30 de novembro de 1979

Figueiredo, no centro do conflito
O general Figueiredo, fazendo outro uso de sua política de "mão estendida", responde com banana a protesto estudantil em Florianópolis. Segue-se batalha de 6 h com a PM, a Novembrada. Presos e processados 5 estudantes. A popularidade do governo cai brusca e irremediavelmente. (Vermelho http://www.vermelho.org.br/).

Boa idéia, prática difícil

A recomendação vem da 3ª Conferência Nacional das Cidades, que se realiza em Brasília. Praticamente todos os municípios do país devem ter o seu o plano diretor. Atualmente, o Estatuto das Cidades (Lei nº 10.257 de 2001) estabelece que os municípios com mais de 20 mil habitantes devem ter planos diretores, que disciplinem a ocupação e o uso do solo e ordenem o crescimento dos municípios.

A idéia é boa. Mas emperra em dois obstáculos: um é imediato – a esmagadora maioria dos pequenos municípios não tem quem faça o seu planejamento, e recorre a empresas de consultoria nem sempre competentes. O outro é a mania de governantes deixarem de lado o plano diretor e tocarem a gestão de modo espontaneista.

Reforma urgente

Urge recuperar o tempo perdido. A reforma do sistema educacional brasileiro – uma das propostas pelo PCdoB – é tão urgente quanto rápido e o aumento das demandas de um país que se preparar para trilhar o caminho do desenvolvimento soberano.

Informa a Folha de S. Paulo de hoje que o Brasil ficou na 52ª colocação entre 57 países numa prova com ênfase em ciências que avaliou em 2006 o desempenho médio dos estudantes de 15 anos. O exame é aplicado a cada três anos pela OCDE. Na prova realizada no ano passado, o Brasil ficou à frente apenas de Colômbia, Tunísia, Azerbaijão, Qatar e Quirguistão. A Finlândia teve o melhor desempenho.

Nó difícil de desatar

A dívida interna é hoje um dos principais fatores limitantes dos investimentos públicos. Veja o que noticia o Jornal do Brasil de hoje: O governo economizou até outubro mais de R$ 10 bilhões, além da própria meta, para o pagamento de juros. O valor equivale a um trimestre de arrecadação da polêmica CPMF. Mesmo com o aperto do governo, a dívida pública cresceu R$ 11 bilhões no mês passado, em razão da valorização do real frente ao dólar.

29 novembro 2007

Orçamento do PAC

Está na Gazeta Mercantil de hoje. Mais uma vez o setor de transportes vai ficar com a maior fatia da parte do orçamento da União destinada ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Serão R$ 8 bilhões, segundo a distribuição dos recursos para 2008, obtida com exclusividade por este jornal. A participação da defesa aumentou 72%, para R$ 985 milhões. Em 2008, o orçamento do PAC, que exclui estatais, vai crescer 18%, para R$ 18 bilhões de investimentos pela administração direta. Na saúde, a verba está garantida e, junto com outras fontes para custeio, deverá chegar a R$ 4 bilhões no próximo ano.

Uma boa escolha

O deputado Sílvio Costa Filho tem tudo para dar certo na Secretaria de Turismo do Estado. Hábil, capaz de ouvir, formar consensos e agregar apoios, devidamente respaldado pelo governo poderá obter sucesso no enfrentamento dos desafios da pasta.

Bom dia, Mário Quintana


Os degraus

Não desças os degraus do sonho
Para não despertar os monstros.
Não subas aos sótãos - onde
os deuses, por trás das suas máscaras,
ocultam o próprio enigma.
Não desças, não subas, fica.
O mistério está é na tua vida!
E é um sonho louco este nosso mundo.

Nossa coluna de toda quinta-feira no portal Vermelho

Chico Buarque e a reforma educacional

Numa canção dos anos sessenta, Meu refrão, Chico Buarque de Holanda critica o distanciamento entre o ensino vigente e a realidade brasileira: “Já chorei sentido/De desilusão/Hoje estou crescido/Já não choro não/Já brinquei de bola/Já soltei balão/Mas tive que fugir da escola/Pra aprender essa lição”.

E havia muita polêmica sobre que reforma educacional haveria de ser feita para conciliar a escola com a vida.

Até que no final de 1968, início de 1969, sob a vigência do Ato Institucional n. 5, que aniquilou por completo as liberdades democráticas no país, e com o Decreto-Lei 577, baixado pela Junta Militar, que afastou do ambiente escolar alunos, professores e funcionários identificados como oponentes à Ditadura, vimos, à distância, a concretização da reforma universitária concebida no chamado acordo MEC-Usaid. Uma reforma – dizíamos então os estudantes rebeldes – que amoldaria o ensino, a pesquisa e a extensão aos interesses de fora, em desacordo com a nossa realidade e as necessidades da sociedade brasileira.

Cinco aos e meio depois, ultrapassados a clandestinidade, a prisão e as torturas, esse amigo de vocês retorna à Faculdade de Medicina da UFPE para concluir o curso médico. E tem o desprazer de presenciar, além de uma espécie de torpor intelectual (em sala de aula quase não se discutia nada, ao contrário dos anos 67-68 em que se discutia tudo), a fragmentação da grade curricular. Ao invés de se estudar Clínica Médica, por exemplo; tinha-se, como se tem até hoje, aulas por curto período de endocrinologia, nefrologia, reumatologia, cardiologia, gastroenterologia e outras disciplinas. Ou seja: entráramos na era da especialização precoce, do conhecimento superficial e desconectado do todo.

Foi a reforma universitária imposta pelo regime militar.

Agora, mais de três décadas passadas, o PCdoB inclui entre as reformas que considera indispensáveis e inadiáveis e pelas quais tenta mobilizar partidos aliados e amplos segmentos da sociedade, a reforma educacional.

Propõe uma reforma que proporcione a igualdade de acesso a todos ao ensino básico de qualidade e ao ensino superior; que permita o controle social do ensino privado e viabilize os investimentos necessários a incremento da pesquisa científica. Uma mudança sistêmica destinada a assegurar o direito de igualdade de oportunidade e de condições, reduzindo a imensa defasagem entre os poucos que hoje conseguem se instruir satisfatoriamente e os milhões que não têm acesso ao saber.

Que assim seja, para que escola seja o ambiente da busca democrática do conhecimento libertário, vinculado aos desafios de uma Nação que se prepara para alcançar seu verdadeiro destino e torne coisa do passado a crítica de Chico.

28 novembro 2007

PCdoB na TV

No Vermelho, por Pedro Oliveira:
PCdoB na TV apresenta campanha pelas reformas
. Nesta quinta-feira, dia 29 de novembro, o PCdoB vai ao ar em cadeia nacional de rádio (às 20hs) e televisão (às 20h30) para transmitir o programa institucional a que tem direito desde 1986, quando apresentou o seu primeiro programa na televisão, depois do período autoritário da ditadura militar.
. Em seguida o presidente do PCdoB, Renato Rabelo, divulga para o grande público a proposta da direção nacional do partido sobre a urgência de se lutar por pelo menos seis reformas democráticas: a reforma política, as reformas tributária e da educação, as reformas agrária e urbana e a da democratização da mídia em defesa da cultura nacional. Cada uma dessas propostas é detalhada por líderes partidários do PCdoB: Aldo Rebelo, Jô Moraes, Manuela D’Ávila, Vanessa Grazziottin, Inácio Arruda e Jandira Feghali. Este bloco é ilustrado com uma música composta pelo artista Rangel Júnior, da Paraíba, que exalta a capacidade de luta dos nordestinos.

A prosa poética de José Amaro

De Maria Santos Suindara sobre o comentário de José Amaro registrado em postagem anterior (veja abixo) sob o título Cidade é como gente:

"Linda a forma poética da descrição da cidade do Recife feita por José Amaro Santos. Suas palavras representam anseios de muitos, creio.É função da sociedade cultivar o desejo de bem querer, cuidando do lugar onde vive e preocupando-se conosco e o que devemos deixar para os nossos filhos, netos, enfim, para a posteridade.

Vejo com muita tristeza a maneira como algumas pessoas jogam papéis eobjetos no chão, pelas janelas dos veículos, é como estivessem despindo-se, derruba-os no chão formando um rastro de sujeira, sem o menor constrangimento.

O calçadão e a praia de Boa Viagem constituem dois tempos: pela manhã estão impecavelmente limpos, durante a tarde tornam-se um verdadeiro horror! O cheiro de urina, fezes, lixo e incrivelmente, onde temos a cada dois metros, mais ou menos, há um ou mais cestos de lixos. Na areia, as pessoas e cadeiras de praia ficam cercadas por sujeiras.

Sou moradora de Boa Viagem, e na última quinta-feira, ao pedir a uma senhora para recolher o cocô de seu cachorro, a senhora disse-me que eu deveria comer as fezes do animal. E não as recolheu. Bastava olhar para o lado e ver folhas grandes caídas das árvores, e com boa vontade, recolhê-las. Lamentavelmente é esse tipo de pessoa que somos obrigados a conviver e vê-las destruindo algo já feito.

Um abraço e que todos os nossos desejos aconteçam!"

João Arraes e a tática eleitoral

A sugestão do vereador João Arraes, do PSB, de que o escritor Ariano Suassuna seja considerado pelo seu partido como hipótese de candidatura tem, em si, um sentido positivo.

Claro que Ariano poderia ser um candidato competitivo. Além do reconhecimento de todos nós pela sua obra monumental, goza de enorme simpatia por parte dos recifenses de todos os segmentos sociais.

Porém mais do que isso há que considerar que a sugestão do vereador tem tudo a ver com uma avaliação mais precisa da correlação de forças que se desenha, num pleito duro e que provavelmente será decidido em dois turnos. Daí também admitir – como o têm feito o PMN e o PCdoB – a hipótese de mais de uma candidatura dentre as forças que hoje apóiam o governo João Paulo, sem que isso signifique qualquer restrição ao candidato a ser apresentado pelo PT.

Bom dia, Cyl Gallindo



Delírio

Ando pelas ruas tendo vertigens.
Veementes delírios:
Rodam as casas,
as ruas unem seus vértices,
as pessoas voam
como papagaios de papel.

E os mendigos ficam mais altos,
aqueles que confidenciam o corpo ao chão.

Mantêm-se acima dos edifícios,
deitados no ar.
Seus corpos vazios,
suas almas vazias...(?)
Deitados naqueles edredões
de roupas velhas
recheados de poeiras.

Um manto listrado
(de vermelho e branco)
vem cobrindo o céu.
Outras estrelas
comem as estrelas do meu céu.

- Eu tenho céu?

- No meu delírio fica abaixo da terra,
ou na flor da terra,
ou no papo dos urubus.

Destes urubus que enfeitam o céu!

Lá está meu céu,
e de milhões de irmãos,
voando aos pedacinhos,
sob o manto,
vermelho e branco,
que lhes dá a festa.
Festa de minha fome,
da minha própria carniça!

Já comeram o Cruzeiro
e as Três Marias
(e tantas Marias e tantos Joãos)
e todas as estrelas inferiores
à ordem e progresso.

Só se mantém viva a Espiga,
desvirginada por Ursa Maior.
Essas estrelas não entram no céu,
porque camelo não passa em fundo de agulha.

Só entram os mendigos:
Os que não comem,
os que não vestem,
dormem no chão
e não se revoltam.

Suas almas vão aos céus:
esfaceladas,
aos pedacinhos,
nos vôos dos urubus,
que estão no céu
voando, voando...

Talvez meu delírio
seja o caminho desse céu!

(Rio de Janeiro, 1964)

Na Escola Americana


Durante boa parte da manhã de ontem tivemos uma conversa muito agradável com alunos da Escola Americana, a convite dos professores Glória e Ateniense.

Na pauta, o difícil período do regime militar. A curiosidade dos adolescentes e o nosso cuidado em informá-los, sem proselitismo político. Apenas acentuando a importância da liberdade, da democracia e do respeito às diferenças como valores indispensáveis à plena realização a condição humana. Depois, visita à sala de fotografia, onde a professora Raquel Souto desperta talentos para a arte de enxergar mundo através das lentes.
Fotos: Raquel Souto

Olinda, cidade patrimônio


Na coluna Pinga-Fogo (Inaldo Sampaio), no Jornal do Commercio:
UM FUNDO ESPECIAL PARA OLINDA
. Olinda ganhou há 20 anos o título de “cidade patrimônio” da humanidade, mas não recebe nenhuma verba extra para cuidar dos seus monumentos. Para suprir essa lacuna, Renildo Calheiros (foto) apresentou um projeto na Câmara, que será votado, hoje, na Comissão de Educação, criando um fundo só para este fim.
. Mapa da mina - Pelo projeto de Renildo Calheiros (PCdoB), fica criado em âmbito federal o Fundo Especial do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional com recursos da União e 1% da renda líquida dos jogos administrados pela CEF.

27 novembro 2007

Nosso artigo de toda quarta-feira no Blog de Jamildo (ex-Blog do JC)

Olhar nacional sobre as desigualdades inter-regionais

Desenvolvimento com equilíbrio inter-regional tem sido, ao longo de décadas, propósito quase unânime no Brasil – embora distintas sejam as concepções sobre o assunto. Daí serem recebidos com salvas e fogos os números divulgados pelo IBGE, segunda-feira última, sobre a distribuição espacial do PIB (Produto Interno Bruto).

Não são assim números tão exuberantes, mas não deixam de revelar uma contra-tendência ao predomínio exagerado do Centro-Sul em relação ao Nordeste e ao Norte.

Segundo o IBGE, a participação das regiões Nordeste e Norte para o PIB nacional aumentou de 2004 para 2005, ao passo que a do Centro-Oeste e do Sul diminuiu, apesar de o Sudeste, entretanto, manter o maior crescimento no período, em termos absolutos e relativos: em 2004 sua fatia era 55,8% do total nacional, aumentando para 56,5% em 2005.
O Norte, por sua vez, detinha 4,9% do PIB nacional em 2004, passando a 5% no ano seguinte; e o Nordeste evoluiu de 12,7% para 13,1%. Em contrapartida, o Sul reduziu sua participação de 17,4% 2004 para 16,6% em 2005. O Centro-Oeste passou de 9,1% para 8,9%.

Como se vê, trata-se de uma tendência positiva no sentido da redução das desigualdades inter-regionais. Mas importa anotar que a economia brasileira continua concentrada nos sete estados do Sudeste e do Sul – responsáveis, em 2005, por 75,2% do PIB nacional.

Isto resulta basicamente de duas variáveis. Uma, o processo de industrialização do país a partir dos anos 20 e sobretudo de 1930 em diante, que se concentra no Sul e no Sudeste, em contraste com o Nordeste e o Norte predominantemente agrários – materializando, assim, uma das leis objetivas do capitalismo, que é o desenvolvimento desigual.

A outra variável tem sido a ausência de uma política nacional de desenvolvimento regional (em desdobramento das tentativas feitas nos governos JK e Jango, interrompidas com o golpe militar de 1964). Só recentemente, no governo Lula (com uma contribuição marcante da economista Tânia Bacelar, dentre outros), adotou-se essa diretriz, apoiada na compreensão de que, desde os anos setenta, se completara o processo de integração da economia brasileira, inclusive na esfera financeira. Daí a necessidade de um novo olhar sobre as desigualdades regionais, desde Brasília, contemplando não apenas as dificuldades, mas especialmente as potencialidades de regiões como o Nordeste (que abriga hoje muitos pólos dinâmicos), como o sul do Rio Grande do Sul, por exemplo, castigado pelas secas.

Em suma: os números do IBGE devem ser recebidos sob essa ótica, reforçando a necessidade do Estado nacional brasileiro agir sobre as diferenças entre as regiões com medidas indutoras do desenvolvimento.

Caminhada poética

Ponha na agenda:
Mais de 40 poetas participarão da Caminhada Poética no Recife
. A Caminhada Poética de Pernambuco – Recife 2007, que acontecerá no dia 18 de dezembro, a partir das 18 horas, promovida pela CEPE/Secretaria da Casa Civil/Governo de Pernambuco, vai reunir 40 poetas pernambucanos em um super-recital pelas principais ruas do centro do Recife, além de promover exposição de banners poéticos, apresentações musicais e teatrais junto às esculturas dos 12 autores homenageados pela Prefeitura do Recife com o circuito da poesia da cidade. A Caminhada sairá da Rua da Aurora até a Praça da Independência, passará pelo Recife Antigo e pelo Pátio de São Pedro, irá até a Estação Central do Recife e será encerrada na Praça Maciel Pinheiro, bairro da Boa Vista, com homenagem a Clarice Lispector e Celina de Holanda.
. Além de poetas e declamadores voluntários, estes 40 poetas pernambucanos contemporâneos fazem a festa da Caminhada Poética de Pernambuco – Recife 2007: Aldo Lins, Altair Leal, Antonio de Campos, Antonio José do Nascimento, Carlos Cardoso, Carlos Maia, Cida Pedrosa, Cyl Gallindo, Eduardo Diógenes, Edvaldo Bronzeado, Fernanda Jardim, Fernando Chile, Flávio Chaves, Frederico Spencer, Jailson Marroquim, Joca de Oliveira, Joel Marcos, Jomard Muniz de Britto, Jorge Lopes, José Terra, Juareiz Correya, Lara, Lucila Nogueira, Luiz Carlos Dias, Malungo, Manoel Balbino, Manoel Constantino, Marcelo Mário de Melo, Marco Polo Guimarães, Meca Moreno, Miró, Nivaldo Lemos, Odmar Braga, Olímpio Bonald Neto, Robson Sampaio, Rogério Generoso, Selma Rátis, Sérgio Leandro Lima, Silvana Menezes e Valmir Jordão.
. Um jornal tablóide, em edição especial, reunindo textos desses poetas, será produzido, lançado e distribuído pela CEPE-Companhia Editora de Pernambuco durante todo o trajeto da Caminhada.

PAC em endamento

Gazeta Mercantil:
Obras do PAC chegam a 60% da meta de 2007
. A menos de 45 dias para terminar o ano, tudo indica que o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) deve começar a deslanchar a partir de 2008, quando as obras contratadas em 2007 começarem a ser executadas de fato. Os contratos assinados pelo governo somam, até agora, R$ 9,2 bilhões dos R$ 15,2 bilhões orçados neste ano para obras do PAC. O valor equivale a 61% do total previsto. No entanto, a administração direta gastou apenas R$ 2,4 bilhões com obras em execução, 16,3% do total previsto. "As pessoas sempre dizem que o PAC está atrasado, mas não tenho dúvida de que ele vai ser executado, porque a cobrança maior é do presidente Lula", disse o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, recentemente a este jornal.
. Ontem, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) publicou instrução que regulamenta o fundo de investimentos que vai direcionar para o PAC recursos do FGTS. A Caixa Econômica Federal ainda não constituiu o fundo.

26 novembro 2007

Sentido dos Jorgos Indígenas


No Boletim Diário da PCR:
O Vice-prefeito do Recife, Luciano Siqueira, acompanhou a cerimônia de abertura ao lado da prefeita de Olinda, Luciana Santos, do governador do Estado, Eduardo Campos e do ministro do esporte, Orlando Silva. “A realização dos jogos significa a valorização das práticas esportivas e manifestações culturais próprias dos indígenas. O povo brasileiro é o somatório de várias etnias e povos e estamos aqui presenciando uma das raízes fundamentais da nacionalidade do país”, destacou Luciano Siqueira. Já Orlando Silva falou da importância da competição para a valorização dos indígenas. “Este evento é uma celebração dos povos tradicionais do Brasil e um encontro desses povos com as sociedades urbanas. Muitas pessoas terão contato com culturas de povos tradicionais pela primeira vez. O que para muitos era história, será vivenciado aqui”, comentou.
Foto: Carlos Augusto

História: 27 de novembro de 1935

Os rebeldes, vencidos, a caminho da prisão
O levante da Aliança Nacional-Libertadora chega ao Rio. A tropa da escola de cadetes da Praia Vermelha se rebela, mas é bombardeada e vencida no mesmo dia. (Vermelho http://www.vermelho.org.br/).

Enfrentando o déficit habitacional

Da Agência Brasil:
Falta de moradia não será resolvida somente com casas populares, avalia fórum
. Para diminuir o déficit habitacional no país, estimado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 7,9 milhões de moradias, medidas como a construção de conjuntos residenciais populares e o financiamento público de obras são insuficientes, avalia o Fórum Nacional de Reforma Urbana (FNRU).
. A instituição, que representa associações de classes e organizações não-governamentais relacionadas ao desenvolvimento de centros urbanos, participa da 3º Conferência Nacional das Cidades e defende políticas mais elaboradas para ampliar a oferta imobiliária. O encontro começou hoje (26) em Brasília.
. "O número do déficit habitacional no Brasil é imenso e tende a crescer nas cidades grandes e médias. Entendemos que o problema não será resolvido somente com construção de casas. Urbanizar e regularizar as áreas já ocupadas é essencial. A gente nunca vai conseguir fazer tudo novo”, disse Evaniza Rodrigues, representante do FNRU.
. O modelo de expansão das áreas periféricas, onde costumam ser instaladas as casas populares, é o maior alvo das críticas do fórum. Evaniza Rodrigues alega que nessas áreas são necessários grandes investimentos em construções de escolas, postos de saúde e implementação de saneamento básico. Como alternativa para minimizar a falta de residências, ela sugere a ocupação de áreas ociosas em locais onde existam condições adequadas.

Boa noite, Luis Carlos Monteiro


Para sentir o teu corpo

É tão ínfima a distância
quanto viva a lembrança -

E é tão vivo e tão próximo teu corpo
que não se perde a esperança

PF com autonomia

Antes não existia. Mas com o governo Lula, sim. A autonomia da Polícia Federal permite que investigue, sem constrangimentos de ordem política - como acontecia na era FHC.

O Jornal do Brasil de hoje informa que as ações da PF cresceram 1.700% em quatro anos. O combate à sonegação é o maior foco de operações da Polícia Federal. No período, o número de golpes contra quadrilhas que desviam impostos da União passou de 9 para 162, um crescimento de 1.700%. Só as cinco maiores ações envolveram rombos acumulados de R$ 5 bilhões.

O êxito da Conferência do PCdoB

Na Folha de Pernambuco, por Marileide Alves:
PCdoB discute preparativo para 2008
. O PCdoB realizou, no último sábado, sua 15ª Conferência Estadual. Durante o evento, o partido fez um balanço das atividades desenvolvidas no último biênio, além de definir linhas de ação para o fortalecimento da sigla em Pernambuco. Para isso, aprovaram uma resolução, onde um dos itens é manter a postura “propositiva” e “crítica” do partido no que diz respeito às políticas e ações governamentais, e se manter nas bases políticas de apoio ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT)”.
. Outro ponto discutido no encontro foi a sucessão municipal de 2008. “Nesse contexto, assumem importância crescente os preparativos para o pleito municipal de 2008, que colocará em causa a disputa pelo poder local e a correlação de forças nas eleições nacionais de 2010, visando à construção de candidaturas majoritárias viáveis e a eleição de bancadas de vereadores”, diz a resolução.
. No Recife, o partido defende a tese de múltiplas candidaturas e mantém o nome do vice-prefeito Luciano Siqueira para a disputa. A conferência tratou, ainda, da sucessão em Olinda, município administrado pela sigla. De acordo com o texto, o PCdoB procurará conduzir o pleito em Olinda de modo a assegurar, com os aliados, a vitória na sucessão da prefeita Luciana Santos. . O novo Comitê Estadual, eleito na Conferência, definirá objetivos, metas e cronogramas de trabalho e deve reconduzir o atual presidente estadual da sigla, Alanir Cardoso, ao cargo.

Mulher & poder político

No Vermelho:
Congresso da UBM aprova carta às mulheres brasileiras
.O Congresso da União Brasileira de Mulheres reuniu em Luziânia, Goiás, cerca de 500 mulheres de 23 Estados. Na plenária final o Congresso aprovou uma carta às mulheres brasileiras, lida por Ana Rocha, primeira editora da revista Presença da Mulher, que foi aprovada por aclamação.
. Veja a Carta http://www.vermelho.org.br/base.asp?texto=28788

25 novembro 2007

História: 25 de novembro de 1979

2 mil vão ao aeroporto de Congonhas, São Paulo, receber João Amazonas que volta do exílio em Paris. O coração de Diógenes Arruda, fragilizado pela tortura, não agüenta e ele morre de enfarto. (Vermelho http://www.vermelho.org.br/).

Cena da Conferência

Delegados compram livros.

A palavra de Renildo

O deputado Renildo Calheiros, líder da bancada na Câmara e vice-presidente nacional do PCdoB ocupou a tribuna da Conferência Estadual para fazer uma explanação acerca da atual situação política do país.

Manifestou otimismo em relação ao processo de mudanças que ocorre no país sob o governo Lula. E salientou a importância da batalha eleitoral de 2008, para a qual, segundo ele, os comunistas devem se preparar no curso das lutas reais em todas as frentes.

Crônica do domingo

Você por mim
Joana Rozowykwiat

Venha bem devagarzinho e sente aqui, com a cabeça bem virada pra mim, que é para eu saber dos teus olhos em mim. Que é para eu saber de ti. Porque quando tuas jabuticabas rolam para longe nem me venha falar de amores, que nós sabemos ser tudo disfarce. É tristeza e desilusão.

E eu, na condição de cicerone nesse mundo assim tão em falsete, tenho o dever de te dizer, não desvie, menino. Não é feio não saber que dor é essa. Errado é querer falar de amores, quando o dia não está para perfumes. Então me diga logo por onde devemos começar. Posso beijar-lhe as pestanas, ou fazer apertinhos na orelha.

Desde que eu já tenha verificado: elas não estão arroxeadas, as tuas jabuticabas, direi. E tu já terás morrido de rir e aí eu saberei, sim, está tudo bem. Porque as tuas córneas são tão sinceras que é capaz de qualquer dia elas se separarem de ti. É que nunca vimos uma pessoa assim, tão fantasiada de outra.

Não que isso seja pejorativo, é mais um instinto de preservação. Mas, eu te digo, não precisamos de joguetes, eu, você e as jabuticabas, elas sabem. Porque, da minha parte, estarei sempre aqui, bem devagarzinho, querendo te acolher. Que tenho ainda muito para te mostrar, principalmente daqui, dos meus olhos de sei-lá-o-quê.

Então venha, sente aqui e deixe eu te dizer como a gente não sabe mesmo se enxergar. Os espelhos não servem para dias sem perfumes. Mas eu te mostro meu jeitinho de te ver, que é o mais certo de todos. E então poderemos falar de amores, ou apenas não falar mais nada.

Nova direção estadual e ajustes na orientação política.

Até o final da manhã devem ser postos em votação o projeto de resolução política da Conferência e a composição do novo Comitê Estadual.

A resolução política confirmará o empenho do PCdoB em alargar e unir as bases sociais políticas do governo Lula em Pernambuco e firmará postura de alinhamento com o governo Eduardo Campos. Também consolidará a orientação partidária no que concerne aos preparativos para o pleito de 2008.

Vida partidária em debate

Prossegue desde 10 horas de hoje 15ª. Conferência do PCdoB, no Centro de Tecnologia da UFPE.

Sucedem-se na tribuna delegados de vários municípios do estado, dando destaque a questões relacionadas com a vida partidária: formação de quadros e militantes, prioridade para a atuação nas áreas onde tendem a se concentrar trabalhadores dos setores de ponta, atenção à juventude e à intelectualidade, aprimoramento da atuação junto ao povo.

24 novembro 2007

Até 18 horas

O debate na Conferência do PCdoB prossegue até 18 horas, no Centro de Tecnologia da UFPE. Os trabalhos serão retomados amanhã, a partir das 9 horas.

Esse amigo de vocês se desloca agora para Olinda, onde representa o prefeito João Paulo na inaugueração dos Jogos Indígenas, ao lado da prefeita Luciana Santos e do ministro Orlando Silva.

Vozes de Olinda

. Laudijane Domingos, delegada pelo PCdoB de Olinda, ressalta a importância da participação das mulheres nos órgãos de direção partidária.

. João Dindo, vereador comunista de Olinda, enfatiza o papel dos candidatos a vereador no sentido de enraizar o trabalho partidário no meio popular.

Sem descolar das bases

Para Bruno Batista, da base do PCdoB na Universidade Rural, “a ocupação eventual de cargos públicos não pode significar jamais o afastamento do militante do povo”.

Essa foi a linha de sua intervenção na tribuna da Conferência Estadual.

Ação partidária articulada


Paulo Dantas (secretário da Assistência Social do Recife), delegado à Conferência Estadual do PCdoB, acaba de se pronunciar defendendo uma ação partidária articulada entre as diversas frentes de luta para que o Partido possa cumprir o seu papel de unir e mobilizar o povo.

Parlamentares chineses na Prefeitura


Boletim Diário da PCER:
. O vice-prefeito do Recife, Luciano Siqueira, recebeu na tarde desta sexta-feira (23), na sala de reuniões do gabinete do prefeito (9º andar do edifício-sede), uma comissão de 15 vereadores da Assembléia Popular Municipal de Guangzhou, na China. Os parlamentares fizeram uma visita de cortesia com o objetivo de estreitar as relações entre as duas cidades-irmãs, nas áreas de economia, comércio, saúde, educação, turismo, meio ambiente e planejamento urbano. Essa é a primeira visita que a comitiva faz ao Recife depois do acordo de Irmandade entre as Cidades assinado pelo prefeito João Paulo, em outubro deste ano.
. “Esperamos que com esse acordo as relações entre as duas cidades sejam cada vez mais estreitas para que possamos trocar experiências e informações benéficas para os dois municípios”, disse o vice-prefeito, Luciano Siqueira. A comitiva foi chefiada pelos parlamentares Chen Guo’an (presidente do Congresso Popular Municipal) e Kuang Zhenbiao (diretor-geral da Comissão de Assuntos Rurais e Agrícolas). De acordo com o presidente, as palavras do vice-prefeito diminuíram ainda mais a distâncias entre Recife e Guangzhou. “Somos geograficamente distantes, mas temos muita coisa em comum, como a preocupação em enfrentar os problemas das nossas cidades. A experiência do Recife merece nossa aprendizagem”, afirmou Chen Guo’an.
. A comitiva recebeu do vice-prefeito uma caixa com imagens do Recife, um jogo americano feito artesanalmente e kits do turismo, com mapas e cartões-postais da capital pernambucana. Em troca, os chineses entregaram um quadro com uma representação da flor da Paineira, símbolo da cidade de Guangzhou. A vinda da missão da Câmara Municipal de Guangzhou ao Recife faz parte do processo de irmanamento entre as duas cidades. O próximo passo será a vinda de um grupo de empresários, que manterão entendimentos comerciais com a capital pernambucana. O secretário de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente, Djalma Paes, o coordenador de Relações Internacionais, Roberto Trevas, e o chefe de gabinete do vice-prefeito, Tadeu Lira, também participaram do encontro.
Foto: Inaldo Lins

Reforma necessária

De Audísio Costa, que na Conferência Estadual do PCdoB fez vibrante pronunciamento -, sobre o meu artigo Reforma para que as idéias floresçam livremente(*): “A democracia, sem dúvida é o sistema político mais difícil, pois exige a constante participação de todos e um conjunto de regras claras e facilmente acessíveis. Este conjunto de regras de convivência política não pode ficar isolado, mas associada a outras que regulamentem a mídia para que não se faça o que hoje é comum, quando quem calunia é dificilmente é punido. A mídia fica totalmente livre do controle social e o povo sem acesso livre à mídia para se expressar, pois esta é controlada pelo poder econômico.

Por outro lado, uma reforma política, onde o eleitor possa melhor entender o verdadeiro papel dos partidos e neles participarem com poder de decisão, como acontece com o nosso PCdoB, resultará no fortalecimento do processo democrático. Ainda, ficará explícito que ao se votar em função da linha programática do partido, fica mais fácil o desenvolvimento de um projeto a médio e longo prazo numa determinada perspectiva de desenvolvimento social, econômico e político, uma vez definido pela população através do voto. Na atualidade, as alianças conjunturais em função do resultado eleitoral ou interesses econômicos resultam num descrédito dos políticos e das políticas, que passam a não terem continuidade pela constante mudança de correlação de força.

Mas bem disse você, esta mudança só vai ocorrer se houver uma ampla manifestação popular não só para cobrar dos políticos esta reforma, mas principalmente votando naqueles que em seu principio de vida e compromisso ideológico já demonstraram na prática que se arriscam em defesa dos interesses da população. É essencial a reforma política para construirmos um verdadeiro Estado democrático.”
___
(*) Veja abaixo postagens anteriores.

Zezinho enfatiza transposição


. José Inácio Barbosa (Zezinho), o mais antigo militante do PCdoB em Pernambuco, e o primeiro delegado a ocupar a tribuna tão logo concluí a apresentação dos fundamentos da resolução política a ser aprovada na Conferência.
. Ele enfatizou a importância do projeto de transposição das águas do rio São Francisco.

A palavra de Orlando


. Ao ocupar a tribuna da 15ª. Conferência Estadual, o ministro Orlando Silva (que é membro do Comitê Central) destacou o exemplo da militância do PCdoB de Pernambuco. Uma referência de combatividade e de coesão.
. Também destacou a tradição dos pernambucanos na cena política nacional.

Ministro Orlando Silva na Conferência do PCdoB

O ministro do Esporte Orlando Silva acaba de ingressar no plenário da Conferência Estadual do PCdoB. E passa a integrar a Mesa dos trabalhos.

Orlando Silva inaugurará logo mais, em Olinda, os Jogos Indígenas.

Começa a 15a. Conferência Estadual do PCdoB

. Ronald Freitas, do secretariado nacional do PCdoB, abre a 15ª. Conferência Estadual com um informe sobre a situação política.
. Destaca as mudanças que se operam na América latina pela via institucional. Acentua a importância de consolidar a base de apoio social e político ao governo Lula.
Foto: Passarinho

História: 24 de novembro de 1878

O visconde de Indaiatuba queixa-se de infiltração "comunista" em sua fazenda de Amparo, São Paulo. Sucedem-se greves e fugas de colonos. (Vermelho http://www.vermelho.org.br/).

De ódio e guerras

No Vermelho, por Eduardo Bomfim:
. "Traçar o itinerário não é coisa fácil, a não ser que se pretenda ir a lugar nenhum, ficando inerte, contemplativo. Na História, eles são sinuosos, cheios de surpresas a cada curva do tempo dos povos, das classes sociais. Das guerras, já se disse que era a continuação da política por outros meios, daí que o senhor Delfim Neto proclama, equivocadamente, que “na política só o ódio constrói”.
. "Na guerra o ódio é circunstancial, imperativo é o objetivo final. E se possível, sem perdas humanas e materiais. É fundamental distinguir o clamor contra as injustiças, as tiranias, do ódio."
. Veja o texto completo http://www.vermelho.org.br/base.asp?texto=28676

Bom dia, Isnar de Moura

Encontro

E na noite sem estrelas e sem luar,
mas tão cheia de silêncio,
encontraram-se, enfim, as nossas almas.

E eu te surgi tal como desejei,
e tu me apareceste como eu sempre sonhei.

E foi como se astros apagados
brilhassem de repente.

Não houve, mas poderia ter havido

No Jornal do Commercio de hoje, Inaldo Sampaio (coluna Pinga-Fogo) informa: "Sem medo de sair isolado - O vice-prefeito Luciano Siqueira (PCdoB) encontrou-se ontem com o deputado Sílvio Costa (PMN), pai, para tratar de sucessão. Ambos acham que os partidos de esquerda deveriam lançar mais de um candidato à sucessão do prefeito João Paulo. A possibilidade de marchar “isolado” não o assusta, diz o vice-prefeito, porque sua candidatura “tem consistência política e aderência na sociedade”. "
*
Tudo bem. Só que não houve encontro com o deputado Sílvio Costa. Mas poderia ter havido - o que seria mais do que natural, entre partidos (PCdoB e PMN) que integram a mesma coalizão política em torno dos governos Lula, Eduardo e João Paulo.

Conferência Estadual do PCdoB hoje

Na Folha de Pernambuco, por Jairo Lima:
PCdoB realiza conferência em PE
. O Partido Comunista do Brasil (PCdoB) realiza, hoje e amanhã, a Conferência Estadual para escolher o novo comitê estadual da legenda. Será o comitê que formará a nova comissão política dos comunistas e decidirá o destino do presidente estadual do partido, Alani Cardoso - que demonstra disposição para permanecer no cargo. “O comitê decidirá quem vai conduzir o PCdoB, mas nunca tivemos tantos problemas para resolver estas questões”, revelou. Alani visa preparar o partido para as eleições municipais do próximo ano. Até chegar a Conferência Estadual, aconteceram 102 reuniões, contabilizando um total de 8 mil militantes e cerca de 650 pré-candidatos a vereadores em Pernambuco.
. “Nosso partido é muito unido, discutiremos nosso plano de ação para nos levar a um cenário de disputa cada vez mais amplo”, revelou Alani, apontando um crescimento da legenda que, nas últimas eleições, contava com 17 vereadores no Estado, sendo agora 30. Sobre a postulação do vice-prefeito do Recife, Luciano Siqueira (PCdoB), à Prefeitura do Recife em 2008, Alani demonstrou confiança no crescimento da candidatura do correligionário. “Ratificamos a cada dia a postulação de Luciano Siqueira”, reafirmou.
. Para a Conferência, os comunistas trouxeram o secretário nacional de Relações Institucionais do partido, Ronald Freitas, que trará informações das conferências realizadas em outros estados. A atuação do partido no Governo Eduardo Campos e no Governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva também estarão em pauta. “Vamos fazer o encaminhamento do partido para as eleições 2008 e o nosso panorama para 2010”, falou.

23 novembro 2007

FHC x Lula

Do Editorial do Vermelho:
"Só para comparar: durante os oito anos dos mandatos do tucano Fernando Henrique Cardoso, foram criados apenas 769 mil empregos (uma média de oito mil por mês). Sob Lula, os empregos novos, com carteira assinada, contam-se aos milhões. Só em outubro de 2007 foram 251 mil (FHC levaria 31 meses, ou dois anos e meio, para chegar a tanto); só nos dez primeiros meses deste ano já são 1,8 milhão, mais do dobro do que o número criado em todo o período de FHC. E os tucanos falam que podem criar empregos..."

Economia aquecida

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) revela que o aumento médio no consumo de energia elétrica nos últimos 12 meses é o maior da década. O incremento em outubro em comparação com o mesmo mês do ano passado foi de 5%.

O consumo comercial foi responsável pelo maior índice de crescimento, registrando 6,5%, seguido pelo residencial, com 6%, e o industrial, com 4,5%.

História: 23 de novembro de 1935

Membros do governo revolucionário-popular de Natal
Levante militar da ANL, dirigido pelos comunistas, toma o poder em Natal, RN, forma um governo revolucionário popular e precipita a tentativa insurrecional de 1935. Sustenta-se por 3 dias. (Vermelho http://www.vermelho.org.br/).

Preconceito de classe e racismo

No Conversa Afiada, por Paulo Henrique Amorim:
FHC TEM PRECONCEITO DE CLASSE E É RACISTA
. O ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso chamou o Presidente Lula de analfabeto.
. Disse que o Presidente Lula não sabe falar a Língua Portuguesa.
. Como no Brasil, quem é analfabeto é pobre, negro e nordestino...
. E como, no Brasil, quem não sabe usar a Língua Portuguesa é o pobre, o negro e o nordestino, Fernando Henrique Cardoso é racista e tem preconceito social...
. Se ele exprime esses sentimentos, com tanta clareza, porque é um despeitado – como supõe o Ministro Tarso Genro – ou que percebe que vai entrar para a História como uma nota de pé de página do movimento neo-liberal na América Latina, isso pouco importa.
. Como o brigadeiro Eduardo Gomes, FHC é um “marmiteiro”: tem horror de pobre.
. Não importa que essa manifestação racista seja prejudicial aos tucanos nas próximas batalhas eleitorais.
. Na verdade, não é.
. Nas batalhas eleitorais, FHC é um zero à esquerda.
. FHC acaba de fazer o que Raymundo Faoro chamava de “viagem redonda”.
. FHC começou como intelectual marxista, que estudava o negro no Brasil Meridional, para encerrar a vida pública na extrema direita, berço provável de sua carreira.
. O Conversa Afiada vai encaminhar aos presidentes do PSDB Eduardo Azeredo, Tasso Jereissati e Sérgio Guerra, ao líder no Senado Arthur Virgílio e o líder na Câmara Antônio Carlos Pannunzio, ao ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin e aos candidatos à Presidência da República José Serra e Aécio Neves a seguinte pergunta:
O senhor subscreve a declaração de Fernando Henrique Cardoso, que chamou o Presidente Lula de analfabeto?
Em tempo: o racismo de FHC pode ter uma explicação. É tirar o foco da denúncia contra o mensalão tucano. É mais ou menos como arrancar o dedão do pé para se livrar de um espinho.

Ainda sobre o terceiro mandato

Do amigo Moacir Marcon sobre o meu artigo Ruim para o governo, para o PT e para a República (*): “Primeiramente não me parece que tenhamos homens que sejam capazes formar uma equipe de governo do tamanho do Brasil, com evolução suficiente, para se manter no poder por tanto tempo sem que venham a desenvolver ações que não são de interesse deste Povo. Em segundo lugar, me parece e com jeito de verdade que o nosso amigo Devanir não agiu só e conseguiu manchar a imagem de todos.”
___
(*) Veja abaixo postagens anteriores.

Conferência orientará PCdoB para 2008

A 15ª. Conferência estadual do PCdoB, que acontecerá no próximo fim de semana, no auditório do Centro de Tecnologia da UFPE, fará a um balanço das atividades do partido nos últimos dois anos, elegerá a nova direção estadual e determinará as linhas de ação e os principais projetos dos comunistas em Pernambuco para próximo biênio.

Terá destaque o tema das próximas eleições municipais.

Participarão delegados de mais de cem municípios. O PCdoB examina a possibilidade de candidaturas a prefeito em 14 cidades, incluindo o Recife.

FHC de cara lisa

É o que parece. O ex-presidente fala das coisas como se fosse um extraterrestre ou algo semelhante, e como se não houvesse participado da vida política do país tão recentemente.

A última de FHC: na Convenção do PSDB, ontem, declarou-se contra a CPMF e cobrou de Lula uma posição contrária ao instituto da reeleição (sic).

Alguém já esqueceu que as duas coisas – o tributo e a reeleição – são heranças da era FHC?

Ronald Freitas na Conferência do PCdoB


Estará no Recife a partir de hoje à tarde Ronald Freitas, membro da direção nacional do PCdoB, que acompanhará a Conferência Estadual que o partido realizará sábado e domingo, no auditório do Centro de Tecnologia da UFPE.

Freitas é o Secretário Nacional de Relações Institucionais e Políticas Públicas do PCdoB e dará especial atenção aos preparativos do partido em Pernambuco para o pleito de 2008, com destaque para a atual fase pré-eleitoral no Recife.

Mídia controlada

O Estado de São Paulo noticia hoje que entre os 81 senadores brasileiros, 28 constam no Sistema de Acompanhamento de Controle Societário, do Ministério das Comunicações, como co-proprietários de empresas de radiodifusão. Desses 23, pelo menos 17 têm parentes na sociedade e na direção do negócio. Entregar a familiares o comando da emissora é uma forma de driblar a Constituição e o Código de Ética do Senado, que impedem parlamentares de controlar rádios.

Este é um das pontas do imenso iceberg que lastreia a parcialidade da mídia brasileira. Assunto que merece investigação e esclarecimento.

Bom dia, Cyl Gallindo

Cinco chagas

Cinco chagas prostram-te no chão
e teu espírito leve evaporou
porque da Paz o homem duvidou.

Que estrutura arcaica te gerou
que permitiu assim teu passamento
nesta Jerusalém feita a cimento?

É que rasgou, a voz da tua guitarra,
a farsa do poder que faz a guerra
sem plantar um só corpo sob a terra.

Calaram-te John (Emanuel) Lennon
mas teu silêncio, neste momento,
faz o mundo repleto de argumento.

Ensino precário

Está na Folha de S. Paulo de hoje. Os estudantes de escola pública tiveram notas quase um terço menores em relação aos alunos de instituições particulares no último Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Os alunos da rede pública que concluem neste ano o ensino médio não conseguiram acertar, em média, nem metade da avaliação: tiveram nota 48,30 - em uma escala de 0 a 100 - na prova objetiva, composta por questões de múltipla escolha. Os da rede particular fizeram 20 pontos a mais: 68,72. Os números levam em conta apenas os alunos que cursaram o ensino médio inteiro no mesmo sistema de ensino - público ou particular.

O dado é revelador do quanto se precisa avançar na implementação do Plano Nacional de Desenvolvimento da Educação, o chamado PAC da educação.

Dois bons companheiros

José Múcio Monteiro ministro das Relações Institucionais tem tudo para obter êxito. É talhado para a missão. Correto, equilibrado, atento ao ouvir e hábil na busca de consensos.

Fernando Nascimento, vereador em exercício, agora deputado federal na vaga de José Múcio. Vereador combativo, companheiro leal. Chega à Câmara no rastro de uma boa experiência de lutas.

Direto da fonte

Ato ilícito não comporta comparações: é ou não é. Quem é acusado deve ter o direito de se defender e, se comprovada a inocência, devidamente reparado, publicamente. Se a acusação é comprovada, que seja processado e punido.

Não cabe, portanto, pesar e medir quem errou mais: se petistas que se envolveram com relações promíscuas entre a administração pública e empresas privadas ou tucanos que desviaram R$ 3,5 milhões dos cofres públicos do estado de Minas Gerais, diretamente ou através de estatais, para a campanha de reeleição do senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) ao governo mineiro, em 1998 (conforme a denúncia oferecida ontem pela Procuradoria Geral da União).

Espera-se que o tucanato, tão alvoroçado em acusar adversários, apresente a defesa do senador Azeredo & Cia de maneira ágil e convincente.

Lançada Conferência Municipal da Juventude


Boletim Diário da PCR:
. Debater temas como trabalho, saúde, educação, mercado de trabalho e cultura para jovens e construir documento para a elaboração do I Plano Municipal da Juventude do Recife. Esse é o objetivo da I Conferência Municipal da Juventude lançada na tarde, desta quinta-feira (22), no Terminal Marítimo de Passageiros (Praça Marco Zero). O evento contou com a participação do vice-prefeito, Luciano Siqueira; da secretária de Direitos Humanos e Segurança Cidadã, Karla Menezes; da gerente da Juventude do Recife, Sandra Santana; do secretário Especial de Juventude e Emprego, Pedro Nunes e representantes de movimento estudantil e da juventude negra.

. A Conferência será realizada de 18 a 20 de janeiro do próximo ano. Antes, ocorrerão oito pré-conferências nas seis Regiões Político-Administrativa (RPAs) nos dias 1, 8 e 15 de dezembro e 5 de janeiro, a partir das 13h. "Será um momento de diálogo para compreendermos melhor os problemas enfrentados pela juventude", disse o vice-prefeito. O documento final da Conferência Municipal servirá de base para discussão na Conferência Nacional da Juventude, que será realizada em abril de 2008, em Brasília (DF).

Foto: Antônio Tenório

22 novembro 2007

História: 22 de novembro de 1910

2.400 marinheiros rebelam a Armada de Guerra, chefiados por João Cândido. Não querem mais ser açoitados. Têm um comitê clandestino e sofrem influência socialista. Para o pasmo da oficialidade racista, o Almirante Negro manobra a frota com precisão e elegância. (Vermelho http://www.vermelho.org.br/).

Sem medo de isolamento

Na coluna Pinga-Fogo (Inaldo Sampaio), no Jornal do Commercio, a suposição de que o PCdoB estaria temendo o isolamento no pleito de 2008 no Recife.

Não bate com a realidade. A experiência tem demonstrado que no Recife os partidos só decidem sobre a matéria após o Carnaval. Além disso, só teme o isolamento quem age com estreiteza – o que não é o nosso caso.

Risco de isolamento não está na agenda da minha pré-candidatura.

Venezuela no Mercosul

Apesar da oposição pró-EUA (DEM, PSDB e PPS), a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara aprovou ontem a constitucionalidade da entrada da Venezuela no Mercosul. Foram 44 votos a favor e 17 votos contrários.

Um passo adiante na luta pela integração do subcontinente sul-americano.

Adolescência & AIDS


. Está no Boletim Epidemiológico Aids/DST, divulgado ontem pelo Ministério da Saúde, conforme noticia a Agência Brasil.
. A presença do vírus HIV nos jovens com idade entre 13 e 19 anos mudou de sexo na última década. Em 1997, havia 273 meninos e 258 meninas infectados pelo vírus. Em 2006, eram 223 meninos e 368 meninas contaminadas.
. A mudança se deve principalmente a fatores sociais, avalia a diretora do Programa Nacional de DST e Aids, Mariângela Simão.Segundo ela, estudos de comportamento mostram que, nas relações sexuais eventuais, 80% dos meninos usam preservativo e apenas 40% das meninas exigem o uso da camisinha.
. “Temos um trabalho muito grande para conscientizá-las e romper barreiras socioculturais que dizem que uma menina não pode sair para uma festa com preservativo na bolsa sob risco de ser mal interpretada. Ela não leva e, na hora H, não tem para usar”.
. O boletim mostra que, em todas as faixas etárias, o número de mulheres contaminadas tem aumentado.
. Em 1985, a cada 15 homens infectados havia uma mulher contaminada. Em 2006, a relação passou de 1,5 homem a cada uma mulher. A maior parte dos casos de contaminação no país concentra-se na faixa etária de 25 a 49 anos, tanto em homens como em mulheres. Mas tem aumentado o número de pessoas infectadas que têm mais de 50 anos de idade. Em 1996, eram 1.257 pessoas com idade entre 50 e 59 anos. Em 2006, esse número passou para 3.154.

Recife 2008: caminhos da unidade

No Jornal do Commercio:
João Paulo já admite palanques múltiplos
. Numa homenagem ao vice e prefeiturável Luciano Siqueira (PCdoB), prefeito voltou a alertar o PT sobre a briga interna e admitiu que os governistas podem mesmo sair com mais de um palanqueReconhecendo que a falta de unidade no PT tem atrapalhado a construção de uma candidatura única do bloco governista à sua sucessão, o prefeito João Paulo (PT) admitiu, pela primeira vez, a possibilidade de sua base ter mais de um palanque em 2008. Durante a homenagem do Caxangá Ágape ao seu vice e prefeiturável Luciano Siqueira (PCdoB), ontem, ele frisou que não é “um aventureiro”, sabe de sua responsabilidade como condutor do processo sucessório e nunca teve a intenção de inviabilizar qualquer candidatura pelo fato de preferir o secretário João da Costa (PT). E deixou claro que não haverá estremecimento na relação com Siqueira, mesmo se ambos estiverem em palanques opostos no primeiro turno da disputa municipal.
. “Tenho certeza, por tudo que construímos, Luciano, que sejam quais forem os nossos caminhos (em 2008), estaremos sempre perto, no mesmo projeto, defendendo o ideal de transformar a realidade”, discursou João Paulo, depois de exaltar a boa realção de convivência, amizade e confiança com seu vice. Ele contou que sempre teve o apoio de Siqueira em todas as suas decisões. Depois, mandou recados para petistas e aliados.
. O prefeito se disse incompreendido e voltou a negar que seja autoritário ou queira impor a postulação João da Costa. Mas afirmou ter a “liberdade democrática” de expressar preferências. Ao citar as conquistas do governo Lula, destacou a importância histórica de as forças governistas continuarem à frente da PCR. E, contando com a cumplicidade de Siqueira, soltou: “Em momento nenhum, com a minha preferência, eu quis inviabilizar qualquer nome do nosso campo, porque minha responsabilidade é grande e sei que você, Luciano, tem a visão desse momento histórico, sem, necessariamente, querer dizer que vamos estar juntos no primeiro turno”.
CONSTRUÇÃO - Em entrevista, depois do evento, o prefeito afirmou que “unidade não é algo que se peça”, tem que ser construída com a vontade de todos. “A unidade é algo que se pactua. Os partidos têm comandos nacionais, responsabilidades, e cada um tomará o caminho da orientação nacional”, admitiu João Paulo, que até então tinha se mostrado completamente avesso à hipótese de múltiplas candidaturas.
. “O que eu venho dizendo é da minha preocupação com a unidade já no premeiro turno, mas se não for possível, teremos palanques diferenciados. Agora acho que o PT tem primeiro que sinalizar para a unidade interna”, disparou, em sinal de que está mais preocupado em juntar sua sigla. Na sua avaliação, o debate interno no PT está muito “emocional” e precisa ser mais “politizado”. “Nossa falta de unidade atrapalha um pouco na relação com outros partidos, mas ainda temos tempo de trabalhar isso”.
. Em seu discurso, Luciano agradeceu “as palavras generosas” do prefeito e garantiu: “Se, no pleito do ano que vem, estivermos em palanques distintos no primeiro turno, vocês assistirão a um show de solidariedade, tolerância e espírito democrático mútuos. Não haverá dificuldade entre nós”. Para ele, João Paulo foi claro ao sinalizar a convivência com mais de um palanque. Na homenagem bastante prestigiada - na qual estavam presentes os prefeituráveis João da Costa (PT), Sílvio Costa Filho (PMN) e Eriberto Medeiros (PTC) - Siqueira afirmou que ainda não chegou a hora de flertar com aliados.

A palavra de João Paulo


Na Folha de Pernambuco, por Marileide Alves:
. Apesar de o vice-prefeito do Recife, Luciano Siqueira (PCdoB), ter dito que o almoço de ontem em sua homenagem no Caxangá Ágape não se transformaria em ato político, essa teoria não se confirmou inteiramente na prática. Convidado para fazer a saudação ao comunista, o prefeito João Paulo (PT) aproveitou o discurso para externar mais uma vez sua insatisfação com as críticas dos aliados à sua forma de conduzir a sucessão.
. “Muitas vezes tenho sido incompreendido em algumas questões. Tenho a clara compreensão da minha responsabilidade nesse processo. Não sou chegado a aventuras. Quero dizer, Luciano, que em momento nenhum, com a indicação da minha preferência (o secretário de Planejamento Participativo, João da Costa), eu quis inviabilizar qualquer nome dentro do nosso campo”, declarou. O petista disse ter todo o direito de externar sua “posição política”, “um sentimento” que, segundo ele, é bem compreendido pelo vice-prefeito. “Isso não é imposição, não é ser ditador”, frisou.
. Para João Paulo, caso se confirmem as candidaturas do PT e do PCdoB para a Prefeitura do Recife, os dois partidos continuarão defendendo os mesmos projetos políticos. “Tenha a certeza de que, seja qual forem os nossos caminhos, estaremos sempre perto, defendendo os mesmos sonhos de transformar a realidade do Recife”, prospectou.
. Depois do discurso, ao conversar com a Imprensa, João Paulo explicitou suas preocupações com relação à unidade no primeiro turno do pleito. “Se isso não for possível, caminharemos, sem sombra de dúvidas, em palanques diferenciados. Agora, acho que o PT tem que primeiro sinalizar para o entendimento interno. Esse é o ponto crucial para o ano que vem”, comentou, enfatizando que a discussão está “emocionalizada” e que precisa ser politizada.
. Luciano Siqueira considerou as palavras de João Paulo uma “expressão da camaradagem”. Evitando politizar o ato, o comunista fez apenas uma referência ao cenário político. Disse que no pleito de 2008, se ele e o prefeito estiverem em palanques distintos, não haverá “mal-entendido entre ambos. “Vocês vão assistir a um show de solidariedade, de tolerância, de espírito democrático, de companheirismo, de respeito mútuo”, declarou.
Foto: Jedson Nobrem na Folha de Pernambuco

Debater é preciso


Para inserir sua opinião, clique sobre a palavra "comentários", abaixo. Você tem a opção de assinar gratuitamente o blog e toda vez que postar seu comentário sua assinatura será imediata. Ou usar a opção “anônimo”, porém assine ao final do texto para que possamos publicar o que você escreveu. Para enviar um e-mail clique aqui: lucianosiqueira@uol.com.br

Mídia revolucionária

No Vermelho:
Edição semanal de A Classe Operária já está disponível
. Os internautas já podem acessar no endereço www.pcdob.org.br/classe a versão semanal e experimental do jornal A Classe Operária. Pensado para ser acessado pelos usuários com internet para distribuição aos sem internet, o jornal, com seis páginas, tem formato que facilita a impressão doméstica com baixo custo.
. Nesta edição, o jornal terá como tema de capa as marchas pelo dia da Consciência Negra e seu significado na luta pelo fim do preconceito racial. Além disso, aborda a urgência das seis reformas propostas pelo PCdoB; o projeto “botox” do PSDB e o relato de um camponês torturado durante a Guerrilha do Araguaia com a temida “coroa de Cristo”. Traz também um balanço do crescimento do PCdoB, a polêmica da CPMF com o pito de Jatene em Skaf , as reformas na Venezuela e a grita da direita.
. A edição é a primeira desta segunda fase de teste. A cada semana, um novo jornal estará disponível, sempre às quintas-feiras, no período de 22 do novembro a 12 de dezembro. Para baixar o conteúdo, basta preencher um breve formulário e criar seu login e senha. É importante lembrar que estas informações devem ser guardadas com o usuário porque poderão ser utilizadas nas edições seguintes.
. Além do conteúdo nacional, redigido em São Paulo pela equipe de A Classe Operária, os estados poderão fazer suas páginas locais, anexando ao conteúdo nacional. Isso permite ao impresso ter, ao mesmo tempo, um conteúdo nacional com apelo regional. O valor proposto para a venda é de R$ 1,00, o que cobriria o custo da reprodução em cores. Para facilitar a impressão, suas páginas foram feitas em formato A4.
. Nesta nova fase da experiência, onze estados serão acompanhados para que o partido possa, posteriormente, medir o desempenho do jornal tanto em seu conteúdo quanto em sua aceitação e distribuição. No entanto, todos os estados estão convidados a participar da empreitada. Na última experiência, realizada entre 14 de junho e 5 de julho em seis cidades (Rio de Janeiro, Guarulhos, Betim, Petrópolis, Niterói e Santos), o jornal teve 624 impressões em sua estréia e 1.742 em seu último número.

21 novembro 2007

Nossa coluna de toda quinta-feira no portal Vermelho

Reforma para que as idéias floresçam livremente

É próprio da natureza humana. Quando se discute alternativas para melhor resolver problemas que dizem respeito a todos, cada um deseja ter a sua opinião considerada e, na hora da decisão, expressar o seu desejo através do voto.

Não é exagero dizer que o ato de votar é a expressão mais ou menos consciente de inquietação, revolta, protesto, desejo ou esperança conforme as circunstâncias e o ponto de vista de quem vota. E que, por ser assim, normas e procedimentos do processo eleitoral devem ser simples, objetivos e acessíveis a todos de modo a que as urnas reflitam com nitidez a vontade da maioria.

Bom, isso é a tese. Na prática, no Brasil dos nossos dias, tal não acontece. Há uma flagrante inadequação da legislação eleitoral às necessidades de um país em transição para um novo patamar de desenvolvimento. São muitas as variáveis negativas que interferem nas eleições. A correlação de forças manifesta nas casas legislativas via de regra está em desacordo com os anseios fundamentais da população. E são freqüentes as manipulações legais, midiáticas e econômicas também na disputa pelos postos executivos – da presidência da República às prefeituras.

Essa contradição não pode prevalecer por mais tempo, sob pena de crescentes tensões políticas e maior instabilidade institucional.

Daí porque a reforma política emerge como uma das necessidades mais prementes da vida nacional. Uma reforma capaz de escoimar do processo eleitoral e da vida partidária e administrativa a promiscuidade entre as esferas política e institucional e a iniciativa privada; e de possibilitar que as idéias floresçam livremente e passem pelo crivo de uma consciência social mais avançada.

Porém uma reforma política ampla e de sentido democrático não se fará se o assunto permanecer circunscrito ao parlamento federal. Deputados e senadores de orientação conservadora e os grandes partidos temem a perda de privilégios; acomodam-se às regras vigentes, que lhes favorecem.

Urge uma pressão popular – via partidos comprometidos com o povo, sindicatos, associações e organizações populares e democráticas, círculos acadêmicos - em favor do financiamento público de campanha, que iniba a influência de grandes grupos privados; do sistema de listas partidárias para o pleito proporcional, que valorize os programas partidários aos olhos do eleitor; o acesso equânime ao fundo partidário e aos meios de comunicação de massa, para que todas as correntes possam disputar em condição de igualdade.

Bom dia, Cassiano Ricardo

A rua

Bem sei que, muitas vezes,
O único remédio
É adiar tudo.
É adiar a sede, a fome, a viagem,
A dívida, o divertimento,
O pedido de emprego, ou a própria alegria.
A esperança é também uma forma
De continuo adiamento.
Sei que é preciso prestigiar a esperança,
Numa sala de espera.
Mas sei também que espera significa luta e não, apenas,
Esperança sentada.
Não abdicação diante da vida.

A esperança
Nunca é a forma burguesa, sentada e tranqüila da espera.
Nunca é figura de mulher
Do quadro antigo.
Sentada, dando milho aos pombos.

Investimento estratégico

Para que o Brasil trilhe o caminho do desenvolvimento sustentável, com soberana e benefícios para o povo, faz-se indispensável lastrear a base científica e técnica da produção.

É o que busca o Plano de Ação de Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional, anunciado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, destinará R$ 41 bilhões em pesquisas e capacitação científica até 2010. As fontes são de diversos ministérios e fundos de financiamento.

O propósito é ampliar de 1,02% para 1,5% do Produto Interno Bruto (PIB) o volume de recursos gastos em pesquisa.

O plano terá quatro vertentes: Expansão e Consolidação do Sistema Nacional de Ciência Tecnologia e Inovação; Promoção da Inovação Tecnológica nas Empresas; Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em Áreas Estratégicas e Ciência Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Social. Além disso, ampliará significativa a oferta de bolsas de mestrado e de doutorado – que aumentará em 20% a partir de março de 2008.

Jorge Côrte Real no ciclo de palestras do PCdoB

Quais as expectativas da indústria pernambucana em relação ao novo ciclo de crescimento econômico que se inicia?

Vamos debater o tema com o presidente da Federação das Indústrias de Pernambuco-FIEPE, Jorge Côrte Real, amanhã (quinta-feira, 22), a partir das 9 horas, no auditório do Anexo II da Assembléia Legislativa (6º. andar) - que falará sobre a Agenda da indústria para a Região Metropolitana.

A reunião dá seqüência ao ciclo de palestras Desafios Urbanos – o futuro das nossas cidades, promovido pela direção estadual do PCdoB em conjunto com o gabinete do deputado Luciano Moura e o Instituto Maurício Grabois.

O almoço de hoje e o debate sobre o Recife

No Jornal do Commercio
Siqueira prevê “campanha de nível”
O vice-prefeito do Recife e pré-candidato à sucessão municipal, Luciano Siqueira (PCdoB), descartou, ontem, qualquer conotação eleitoral no almoço que o Caxangá Ágape promove hoje, no restaurante Boi Preto, em sua homenagem. Em entrevista à Rádio JC/CBN, contudo, o comunista reconheceu que o ato, em meio às discussões sobre 2008, provoca especulações, principalmente porque o prefeito João Paulo(PT) será responsável por fazer a saudação no evento. Cada vez mais convicto de que deve manter sua postulação, Siqueira defendeu que a antecipação dos debates sobre a eleição tem um lado positivo: levou os partidos a “discutirem propostas para o Recife, o que pode resultar em um debate de idéias elevado” na campanha.

De acordo com ele, de olho na sucessão municipal, as siglas já começaram a se movimentar, realizando debates e seminários sobre temas estratégicos para a cidade. Como exemplo de legendas preocupadas em se subsidiar “programaticamente” para a disputa, ele citou o DEM, o PMN e o PPS, além do próprio PCdoB, que amanhã promove uma palestra sobre a “Agenda da Indústria para a Região Metropolitana”. O evento será às 9h, no auditório do Anexo II da Assembléia Legislativa.

Luciano Siqueira garantiu que, no almoço de hoje, discursará por apenas 5 minutos, sem mencionar sua pré-candidatura. “Não quero constranger ninguém, porque também estarão presentes pessoas ligadas à oposição”, disse. Mas admitiu: “Já tem gente especulando se o prefeito vai me dar apoio ou fazer um apelo para que eu saia da disputa. Mas não tem nada disso. Ele vai expressar nossa amizade”, antecipou.

O comunista, no entanto, parece disposto a levar adiante sua postulação. Questionado se poderia voltar atrás por alguma razão, respondeu: “Estou tão convencido da necessidade de mais de uma candidatura do nosso lado, que não pensei em que circunstância deveria retirar meu nome”. E negou qualquer insatisfação do prefeito com sua pretensão. Disse que, em recente conversa, João Paulo teria considerado boa a sua movimentação.

Apesar de evitar se envolver com as disputas internas do PT, Siqueira avaliou que se as convenções dos partidos fossem hoje, o candidato do PT seria o secretário João da Costa.

O vice-prefeito analisou ainda que o governador Eduardo Campos (PSB) não deverá se pronunciar até o início do ano que vem sobre a disputa. Mas que ele estará engajado em eleger o novo prefeito, já que o Recife é estratégico para as forças que sustentam o governo estadual.

Nosso artigo de toda quarta-feira no Blog de Jamildo (ex-Blog do JC)

Zumbi, 312 anos depois

A História da Humanidade se processa em espiral, interligando fatos do passado com a vida presente, num movimento dialético que faz ressurgirem – tenham ou não os homens plena consciência disso – idéias, sentimentos e desejos, agora reinventados na forma e na intenção sem perderem, entretanto, o liame com seu o conteúdo original.

Ontem, terça-feira 20, vivemos um exemplo disso ao assinalarmos o 312º aniversário do suplício de Zumbi dos Palmares no Dia Nacional da Consciência Negra.

A exaltação de Zumbi como herói nacional crava em nossa História a saga do negro que nasceu livre em Palmares (1655), foi feito escravo na infância, tornou-se foragido aos 15 anos, e aos 25 já era o líder do maior dos quilombos brasileiros. Um ano depois da destruição de Palmares, foi traído, capturado, ferido, morto e decapitado. Teria permanecido “bandido” segundo a historia oficial (estigma que prevaleceu durante duzentos anos) se os movimentos pela igualdade racial não tivesse colocado no seu verdadeiro papel de inspirador das novas gerações, símbolo da luta atual.

Seus ideais reviveram ontem através de manifestações pelo Brasil inteiro, erguendo três bandeiras de luta: pela aprovação do Estatuto da Igualdade Racial, pela política de cotas e pela transformação do 20 de novembro em feriado nacional.

Avalia a Unegro (União dos Negros pela Igualdade) que tem avançado a luta contra a discriminação e pela igualdade em nosso país. Foram criados organismos de promoção da igualdade racial nas três esferas de governo. Foi revogada a Lei da Terra de 1854 na Constituição com o artigo 68 da ADCT e o Decreto 4887/03, determinando, pelo Estado, o reconhecimento da posse das terras dos quilombolas. A prática do racismo tornou-se crime previsto na Constituição. Surgiu o sistema de cotas nas universidades. Há, hoje, previsão orçamentária no plano plurianual da União e de vários estados e municípios para sustentar políticas de igualdade racial.

Mas há ainda muito a conquistar. Basta que se considere – além de indicadores da desigualdade racial entre nós, como empregabilidade, renda e escolaridade – o estudo divulgado ontem acerca das principais causas de mortalidade de homens negros e brancos. Os negros morem principalmente de causas externas, enquanto os brancos morrem mais de doenças.

Os pesquisadores Marcelo Paixão e Luiz Carvano, da UFRJ e do Laboratório de Análises Estatísticas Econômicas e Sociais das Relações Raciais, demonstra que, de 1999 para cá, vem crescendo a desigualdade entre negros e brancos quando se comparam as taxas de mortalidade por homicídios, tuberculose, enfermidades relacionadas com o parto e HIV.

A desigualdade chega até a se acentuar com a melhora dos índices entre os brancos e piora entre os negros, a exemplo da variável homicídios. No período compreendido entre 1999 e 2005, a taxa de assassinatos por 100 mil homens brancos caiu de 36 para 34 mortes, enquanto entre os homens negros aumentou de 52 para 61 por 100 mil.

Cabe, portanto, implementar as políticas públicas promotoras da igualdade, a lado do desenvolvimento econômico com distribuição de renda e oferta igualitária, do ponto de vista racial, das oportunidades de trabalho e de acesso aos serviços essenciais. Para honrar o ideal simbolizado por Zumbi dos Palmares.

História: 21 de novembro de 1985

A Arquidiocese de SP lança o livro Brasil: Nunca Mais. É o 1º levantamento sistemático dos métodos de repressão durante a ditadura de 1964, inclusive listando os nomes de 444 torturadores. Vermelho http://www.vermelho.org.br/).

"Cidade é como gente"

De José Amaro Santos da Silva, prolfessor da UFPE, amigo e militantem sobre o meu artigo Reforma para a cidade amada(*):

“Gosto da sua maneira poética de se preocupar com as cidades.

As cidades foram construídas, evidentemente, a partir das mentalidades das gentes. Gente política, gente culta, gente inculta, gente preconceituosa, racista e gentes sérias, humanas, de pensamento igualitário, enfim, todas as gentes com sonhos, com esperanças, com desejos os mais diversos e, se comparados aos burgos de todos os tempos e lugares, talvez, venhamos chegar à vossa conclusão de que a "Cidade é como gente".

Não foi em vão a poética frase de João Cabral de Melo Neto quando afirmou que “é do sonho dos homens que nasce uma cidade", ao refletir sobre a criação da sua querida Recife.

Quanto à questão dos conflitos e desigualdades citada em vossas reflexões, isso se dá pela falta de respeito mútuo entre as criaturas humanas, onde impera o egoísmo e os interesses menores, e ainda a falta de planejamento de parte daqueles que administram as cidades, quando partem para criar coisas desordenadamente, como fizeram alguns prefeitos, no passado, na cidade do Recife.

Alguns administradores, no afã de deixar uma placa comemorativa, derrubaram árvores, às vezes sagradas para alguns segmentos culturais religiosos, destruíram monumentos, igrejas, a exemplo da dos Martírios, do Arco de Santo Antônio, entre tantos outros belos monumentos, testemunhos de um passado histórico da cidade. Dessa forma, apagaram a história e a cultura, que ilustrariam tantas outras criaturas que vieram e hão de vir a habitar a orbi que foi construída em grande parte pelos ideais dos holandeses que souberam domar águas e construir uma cidade, mesmo não tendo sonhos...

O desordenamento das cidades, que é uma realidade, e as possibilidades de uma retomada lógica e humana de reconstrução requerem um projeto de reforma urbana, conseqüente, e, para dar curso a idéias de uma reforma, se faz necessário mudar as mentalidades, ter um bom lastro de recursos financeiros porque nem sempre o sonho vai fazer as coisas acontecerem. Apoios, solidariedades, apreços de todos quantos demonstrem ter amor, em princípio, pelo lugar, conscientes de que o tempo a cumprir não tem medida, pois, muitos que iniciem hoje tal empreitada há de ter consciência plena que o usufruto de tal empreendimento estará para aqueles que, no futuro, possam se orgulhar dos que tiveram a coragem de ousar, ao olharem pelo retrovisor da história.

É isso."
__
(*) Ver abaixo postagens anteriores.

20 novembro 2007

Apenas confraternização

Em política, mais vale a versão do que o fato – conforme a sabedoria clássica mineira. Será muito difícil evitar uma interpretação político-eleitoral ao almoço do Caxangá Ágape, amanhã, no Boi Preto. Afinal, será prestada a uma homenagem a esse amigo de vocês e fará a saudação de praxe o prefeito João Paulo.

A verdade verdadeira, no entanto, é que se trata de um encontro entre amigos, uma confraternização com pessoas que, inclusive, algumas, são ligadas às forças de oposição no Recife.

Se depender do homenageado, não passará disso: um gesto amizade pessoal entre tantos que comparecerem.

História: 20 de novembro de 1695

Zumbi dos Palmares, delatado por Antonio Soares, é surpreendido pelo cap. Furtado de Mendonça em seu reduto (talvez a serra 2 Irmãos). Apunhalado, resiste, mas é morto com 20 guerreiros. Tem a cabeça cortada, salgada e levada, com o pênis dentro da boca, ao governador Melo e Castro. No 3º centenário de sua morte, emergirá como o grande herói da luta pela liberdade no Brasil. A data é o Dia Nacional da Consciência Negra. (Vermelho http://www.vermelho.org.br/).

19 novembro 2007

Agenda da indústria em debate

O ciclo de palestras Desafios Urbanos – o futuro das nossas cidades prossegue na próxima quinta-feira, 22, às 9 horas, no auditório do Anexo II da Assembléia Legislativa.

Jorge Côrte Real, presidente da FIEPE, fará palestra sobre a Agenda da Indústria para a Região Metropolitana.

O ciclo de palestras é uma promoção conjunta da direção estadual do PCdoB, do gabinete do deputado estadual Luciano Moura e do Instituto Mauricio Grabois.

Aberto ao público.

Faltou dizer que tem uma adesão

A pedido dos promotores do evento repassei por e-mail o convite a muitos amigos e amigas. Mas não anotei um detalhe importante sobre o almoço/reunião do ÁGAPE, dia 21/11 (quarta-feira), no Boi Preto Grill (antigo Cassino Americano, no início da Av. Boa Viagem), quando serei homenageado, e a saudação de praxe será feita pelo prefeito do Recife João Paulo.

O detalhe é que o Caxangá Ágape cobra na entrada R$ 40,00 – com direito ao rodízio de salada e carnes e bebidas.

Memória política

Hoje às 19 horas, o projeto A ficção em Pernambuco, realizado pela UBE/PE no âmbito do movimento de valorização do livro e do autor nordestino, com o apoio da Academia de Letras e Artes do Nordeste, prestará homenagem à acadêmica e escritora radicada em Alagoas, Yara Falcon, que na ocasião lançará o livro de memórias Mergulho no Passado - a Ditadura que Vivi.

No auditório Manuel Bandeira, da Livraria Saraiva, no Shopping Center Recife, em Boa Viagem.

Cuidar da cidade

Da amiga Genova Sussy sobre o meu artigo Reforma para a cidade amada (*)
“Poucos têm esta preocupação com o outro, tenho certeza que não serão poucas as idéias e projetos para esta cidade, mesmo porque existe uma tempestade delas em minha cabeça, em cada lugar por onde passo, em cada pessoa que vejo... Sim, cuidaremos desta cidade.”
(*) Veja abaixo postagens anteriores.

Um gesto de amizade e confiança

Na Folha de Pernambuco, por Paulo Marinho:
João Paulo saudará Siqueira
. A homenagem que o pré-candidato à Prefeitura do Recife e atual vice-prefeito da capital, Luciano Siqueira (PCdoB), receberá do Caxangá Ágape na próxima quarta-feira poderá gerar uma ciumeira nos outros postulantes da base aliada. É que a saudação ao comunista será feita pelo próprio prefeito João Paulo (PT), condutor do processo de escolha do futuro postulante. No entanto, Siqueira refutou qualquer possibilidade de inclinação eleitoral do evento.
. “Acho que (a homenagem) não deve suscitar nenhum sentimento de inconveniência. Não tem nada a ver com as eleições. Tanto que eu fiz um esforço para que fosse nesta quarta-feira para eximir qualquer conotação eleitoral. E o fato de o prefeito aceitar fazer essa homenagem é apenas uma exposição de que nós temos uma vida política e administrativa de muita amizade mútua e amizade pessoal sólida”, garantiu.
. O também prefeiturável Maurício Rands (PT) corrobora com as palavras de Siqueira e, querendo demonstrar que não há “ciúmes” pela saudação, lamenta o fato de não poder comparecer ao evento, porque estará em Brasília. O petista também terá seu nome em alta hoje, no restaurante Boi Preto. “Às 19h, amigos do meio jurídico celebram algumas conquistas minhas como deputado federal, discutem propostas do meio jurídico para o meu mandato e para o Recife. A intenção é colher informações para a cidade, independente de quem seja o candidato à Prefeitura no próximo ano”, salientou, negando que o jantar fosse de adesão à sua postulação.

18 novembro 2007

Um oceano de ouro negro

Carta Capital:
Novas descobertas darão ao Brasil uma posição privilegiada
. A descoberta de Tupi – um campo gigante de gás e petróleo ao largo do litoral paulista, a 280 quilômetros de Santos – não elimina o risco imediato de escassez de energia, mas também não pode ser reduzida a um blefe publicitário. Debaixo de 2 mil metros de água e mais 4 mil de subsolo, incluindo uma camada de sal que representa um desafio extra à tecnologia e aos equipamentos da Petrobras, só começará a produzir entre 2011 e 2014 e exigirá investimentos da ordem de 40 bilhões de dólares. A longo prazo, pode significar, porém, um salto de qualidade nas perspectivas estratégicas do País.
. As novas descobertas fazem o Brasil avançar vários postos na classificação dos maiores detentores de reservas de petróleo. Até outubro, estava em 16º lugar, entre Argélia e Angola. Os 5 bilhões a 8 bilhões de barris de petróleo equivalente de Tupi (incluindo gás, mas basicamente petróleo leve, de boa qualidade) elevam as reservas brasileiras ao 11º ou 12º lugar. É o maior desde 2000, quando foi descoberto o campo de Kashagan (no Mar Cáspio do Cazaquistão), de 10 bilhões de barris. A exploração desse campo, segundo a Petrobras, seria rentável mesmo que o barril voltasse a cair para 35 dólares – hipótese aparentemente improvável.

História: 18 de novembro de 1918


Ilustração do jornal anarquiata A Plebe
Ensaio insurrecional anarquista conectado à greve geral no Rio-Niterói. Mobiliza tecelões, metalúrgicos e operários da construção para ocupar o palácio presidencial, Câmara, Senado, arsenais, quartéis. Ataca a delegacia distrital de polícia, mas sucumbe ante a chegada de reforços. Dezenas de presos.

Imagem de João Paulo na campanha

Coluna Repórter JC, no Jornal do Commercio:
IMAGEM LIVRE PARA LUCIANO - João Paulo garante que, se depender dele, o vice-prefeito Luciano Siqueira poderá usar sua imagem na campanha eleitoral do PCdoB rumo à PCR: “Mas a rejeição pode vir dos aliados”, prevê.

Um mundo melhor

No vermelho, por Eduardo Bomfim:
. “...na busca constante do reconhecimento ou aplauso. Conclui que é fundamental um certo equilíbrio entre o êxito e a adversidade. Que o revés impulsiona a superação dos defeitos, das limitações, da vaidade. Condiciona a pessoa para um salto adiante.”
. Leia o artigo http://www.vermelho.org.br/base.asp?texto=28318

Desperdício

A informação é grave. A água perdida em vazamentos, fraudes e submedições nas 27 capitais brasileiras seria suficiente para atender o consumo diário de 38 milhões de pessoas.
Informa a Agência Brasil que os números são de estudo do Instituto Socioambiental (ISA) que será divulgado na quarta-feira (21). As perdas atingem, em média, 45% do volume retirado dos mananciais que abastecem os centros urbanos.

No ranking do desperdício, duas capitais distantes e de perfil distintos se destacam. Em volume, o Rio de Janeiro lidera as perdas diárias, que equivalem a 618 piscinas olímpicas. Em percentual, no entanto, a primeira posição fica com Porto Velho (RO), que joga fora 78% do que retira dos mananciais.

Na maior cidade do país, é o consumo per capita que impressiona. O valor médio de 221 litros diários consumidos por habitante em São Paulo é o dobro do nível considerado ideal pela Organização das Nações Unidas.

Cyl na Academia

ACADEMIA DE LETRAS E ARTES DO NORDESTE
- ALANE -

A Academia de Letras e Artes do Nordeste – ALANE – sente-se honrada em convidar Vossa Senhoria para a solenidade de posse do Escritor Cyl Gallindo – Cadeira XVIII -, onde será recepcionado pela Acadêmica Ana Maria César -, a se realizar às 19h30, do dia 22 de Novembro de 2007, no Gabinete Português de Leitura de Pernambuco – Rua do Imperador Pedro II, 290 – Santo Antônio, Recife/PE.

Coquetel – Buffet Guimarães. RSVP – Tel. (81) 3462.1975

Bom dia, Vinícius de Moraes

Insensatez

Ah, insensatez que você fez
Coração mais sem cuidado
Fez chorar de dor o seu amor
Um amor tão delicado
Ah, por que você foi tão fraco assim
Assim tão desalmado
Ah, meu coração, quem nunca amou
Não merece ser amado
Vai, meu coração, ouve a razão
Usa só sinceridade
Quem semeia vento, diz a razão
Colhe sempre tempestade
Vai, meu coração, pede perdão
Perdão apaixonado
Vai, porque quem não pede perdão
Não é nunca perdoado

Crônica do domingo

Mister VHC
Waldir Pedrosa Amorim

Nessas andanças que a vida de um médico dá, conheci um cidadão num encontro sobre hepatites virais, apresentado por um colega amigo. A razão de ali estarmos aparentemente era diversa, meu amigo era cuidador de gente e caçador de vírus da hepatite, assim como eu. Já aquele cidadão, não.

Estávamos em busca das novidades, se é que havia, sobre como espreitar, aniquilar, exorcizar e salvar vítimas de um inimigo mortal chamado Vírus da Hepatite C.

Como sói acontecer em encontros médicos, em filmes policiais e seriados de bang-bang, há momentos em que a platéia de tão embevecida, parece até torcer pelo vilão. Afinal, sem um adversário à altura, que seria de nós, pobres esculápios.

Ninguém falava sobre as pessoas atingidas pelo algoz. Sabia-se de cor e salteado do facínora. Seu nome ressoava com intimidade quer no idioma pátrio, quer no padrasto. Diga-se de passagem, o coitado português sequer figurava no banheiro daquele seleto ambiente, fora substituído por um garrafal WC.

O Sr. HVC poderia sem cerimônia ser tratado como Mr. VHC, tanto fazia.Conheciam-se as entranhas das suas entranhas!

De memória, soletrava-se seu código genético e faziam-se mexericos sobre o seu comportamento como transformista.

Algo se cogitava como providências, estribadas em denúncias da mais pura fidedignidade e em descobertas advindas do além-mar.

Denunciá-lo ao pentágono por reunir-se em células, que com certeza são comunistas. Ser perito em guerra de guerrilhas, ficando na moita e atacando enquanto Bush imaginava havê-lo dizimado. E até por espionar o exército guardião das democracias indefesas, transformando mísseis caríssimos e poderosíssimos, em farinha com água, tapioca, beiju ou mingau de araruta. ─ Inda de sobra, arrefecer os ânimos das tropas adversárias, tornando-as tristes e sorumbáticas. ─ Semear discórdia entre os generais, quanto às estratégias bufas que empreendiam. ─ Engordar a indústria de equipamentos bélicos, enquanto emagrece a dos bens de subsistência.

O pior e mais recente era o fato de andar de caso com as gordinhas, metendo-se a folgazão, com as filhas de Ito, aquele japonês velhaco, dono da fábrica de cola.

De tão fogosas, as meninas agora só querem falar inglês.Quando se pergunta pelo nome da gorda, ela fala: Nash.

─ É tu nada, Maria Pereba! Tas inventando a roda?

─ Tua raça é esteatose.

─ Te conheço desde que me entendo por gente! Sei não! Resmungou um cearense de topete,
num monólogo altissonante.

─ Miltin! Vai lá e fala. Desafiou um maranhense amigo do Sarney.

─ Garanto! Nós o conhecemos muito além do que eu posso lhes dizer, ralhou um gringo com acento saxônico.

─ Afinal, quem na vida resguarda o mundo, senão o nosso garboso serviço de inteligência! Bradou um oriental naturalizado ianque.

─ Estamos no século XXI, tenham certeza! Rosnou um galego nova-iorquino, e proseguiu:

─ Bin-Laden não é mais aquele que surpreendeu nosso imperador na hora do intercurso sexual. Foi puro cochilo erótico, que jamais se repetirá!

─ Quanto mais um virim chinfrim desses! Falou em idioma cearense, nosso Miltin, para todo mundo ouvir!

Mas, voltemos a rememorar as nossas confabulações.

Após tanta discussão e, tantos resultados triunfantes daqui e de alhures, nossa bravata não se dá por finda.

Sessenta por cento de bons resultados; quem sabe, quarenta! Concluía o coordenador do evento.
Ao final, fomos comemorar com um coquetel, tapinhas nos ombros, abraços, cópia de slides e assédio aos onipotentes palestrantes vindos do primeiro mundo.

Enquanto isto, na coxia, o meu amigo que é rio-grandense-do-norte, potiguar dos bons, tendo me apresentado ao cidadão do qual falei, me fez esquecer os repetitivos e inúteis conhecimentos oníricos que me afogavam. E assim retornei ao meu gostoso português, que quase esquecia.

Um senhor made in Bahia, sorridente, com cara de gente do bem, direto, simples, convicto de alguma coisa mais importante que os nossos ternos e gravatas, me foi apresentado como um poeta. Eu sabia que o meu amigo potiguar era poeta, quem não conhece o poeta Gilmar Amorim? Quem desconhece o homem dos pardais? Havendo alguém, precisará urgente tratar de conhecê-lo.

Eu cá que andei cometendo versos bissextos, em pouco tempo recebia um livro de poemas, do meu hoje amigo, Derval Magalhães. Ganhei uma beleza de livro, e de quebra, um amigo especial. Soube ainda que dedicava parte do seu tempo de advogado e promotor de justiça, esclarecendo aos baianos como evitar contrair o vírus da hepatite C. Junto com ele veio o amigo Rômulo, ambos do Grupo Vontade de Viver.

Conversei com meus botões: desses, até Bin Laden tem medo, quanto mais aquele virim de meia tigela.

Prevenção é que espanta doença, concluí.