15 junho 2015

Um caso de tartaruga

Dona Floriana

Rafaele Ribeiro

Dona Floriana, a tartaruga, cansada e muuuuuito velhinha, que mora no lago laaaaaa atrás do orquidário, que fica no Jardim Botânico do Recife, se dispõe a percorrer, diariamente, todo o braço do lago até alcançar a lixeira mais próxima para depositar os lixos que alguns visitantes do jardim deixam na casa de dona Floriana. (Ela mora nesse lago, sabiam?).
São garrafas plásticas de água, pacotes de biscoitos, embalagens de bombons, casca de frutas... tudo isso eles deixam!
Certo dia, eu vi dona Floriana chorando baixinho lá no cantinho do lago, próximo ao pier, bem ali, onde ficam as plantas aquáticas, e perguntei o que ela tinha que estava tão triste, tão chorosa...tadinha...me deu uma peeeenaaa... :(dona Floriana levantou os olhos, que já se encontravam inchados de tanto chorar, me encarou e disse que estava triste com nós, seres humanos, que cada vez mais sujamos o meio ambiente, o degradamos com nossas ações egoístas (a propósito: vocês sabem o que é uma pessoa egoísta?! É aquela pessoa que coloca seus interesses, suas escolhas e atitudes acima de qualquer coisa, sem medir consequências; é aquele amiguinho que não divide nada com você,mesmo sabendo que você tem fome e nada tem para comer).
Poxa, isso não é legal! É feio! Muito feio! E muito triste!
Sabe como crescemos? 
Esquecendo que outras formas de vida,além da nossa, sobrevivem nesse mesmo espaço que nós, que dependem de nós e nós deles...ops, na verdade,criançada, dependemos deles! Eles vivem muito bem sem a nossa interferência,viu?
Assim como dona Floriana, dividem o ar com a gente, dividem a chuva, o sol, a terra, as árvores, as frutas, o botânico...nossas praias, ruas, escolas...todo esse vasto território está cercado de outros seres vivos: desde a uma simples libélula até a uma graaaaaande baleia no alto mar, todos, sem exceção, dividem o mesmo espaço com a gente porque somos parte de um universo maravilhosamente infinito e engenhosamente arquitetado. 
Então, por que só nós que poluímos e deixamos dona Floriana e tantos outros animais tristes e doentes com nossa poluição,nosso egoísmo?(Vocês sabiam que eles adoecem? Podem até morrer,viu?) :(
Não queremos isso, não é verdade?
Vamos fazer diferente? 
Naquele dia eu também fiquei triste e chorei com dona Floriana...cheguei a lhe fazer uma promessa: de proteger nosso meio ambiente justamente porque não é só dela, é de todos nós, e que vamos jogar o lixo na lixeira para que nunca mais dona Floriana chore ou qualquer outro animalzinho fique triste com a gente. 
Combinado? 

Att. Rafinha, Brigada Ambiental
*
Obs.: Hoje pensei nessa historinha porque vi uma garrafa boiando no laguinho,logo após um grupo de alunos saírem do orquidário, e uma tartaruga esbarrava nela; parecia querer empurrar aquele objeto estranho e nada comum àquele ambiente. 

A autora é integrante da Brigada Ambiental da Prefeitura do Recife e dá importante contribuição à preservação do Jardim Botânico.
Leia mais sobre temas da atualidade: http://migre.me/kMGFD

2 comentários:

ricardo lima disse...

Excelente texto, o mundo está precisando de pessoas como você rafinha, parabéns!

ricardo lima disse...

Excelente o texto e mostra o comprometimento da profissional com o meio ambiente