30 abril 2007

Sintomas de Alzheimer revertidos em camundongos


Na Ciência Hoje:
Estudo traz perspectiva de novos tratamentos contra doenças neurodegenerativas
. Memórias comprometidas por doenças neurodegenerativas como o mal de Alzheimer podem não estar perdidas para sempre. Elas estariam simplesmente inacessíveis e poderiam ser recuperadas, segundo indica um estudo norte-americano feito com camundongos. Os animais, geneticamente modificados para desenvolver sintomas similares aos do mal de Alzheimer, conseguiram recuperar memórias de longo termo e a capacidade de aprender.
. O estudo abre a perspectiva para o desenvolvimento de novos tratamentos para doenças neurodegenerativas em estado avançado. “Nosso modelo com camundongos mostra que é possível melhorar a aprendizagem e a memória mesmo nos casos em que houve a perda significativa de neurônios”, afirmou em comunicado à imprensa a neurocientista Li-Huei Tsai, pesquisadora do Instituto de Tecnologia de Massachusetts e do Instituto Médico Howard Hughes e autora principal do estudo.
. Os resultados do estudo, publicados ontem na página da revista britânica Nature , indicam que o termo “perda de memória” talvez não seja o mais adequado para explicar o déficit cognitivo provocado por doenças neurodegenerativas como o mal de Alzheimer. “As memórias continuam ali, mas são tornadas inacessíveis pela degeneração mental”, explica Tsai.
. Clique aqui para ler a matéria completa: http://cienciahoje.uol.com.br/90121

Inflação em baixa

Da Agência Brasil:
Pela quarta semana seguida, os analistas de instituições financeiras ouvidos na pesquisa Boletim Focus, do Banco Central (BC), reduziram a previsão para a inflação em 2007.

Segundo o relatório divulgado hoje (30), o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), usado pelo governo para medir a inflação oficial, deve errar o ano em 3,69%. Isso representa 0,09 ponto percentual a menos que a previsão da semana passada, quando a projeção era de 3,78%.

A estimativa continua menor que a meta de inflação, que é de 4,5% em 2007, com tolerância de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Para 2008, os analistas apostam em IPCA de 4%, valor que se mantém pela 11ª semana consecutiva.

Feito com base em projeções de 100 instituições financeiras ouvidas semanalmente, o Boletim Focus também registrou queda em outros indicadores de inflação.

De acordo com os analistas, o Índice Geral de Preços Disponibilidade Interna (IGP-DI), da Fundação Getúlio Vargas (FGV), deve fechar 2007 em 3,64%, menos que os 3,68% estimados na semana passada. Para o Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M), também da FGV, a projeção caiu de 3,82% para 3,73%.

Somente a previsão para o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), registrou leve alta. A projeção aumentou de 3,54% para 3,57% entre uma semana e outra.

O comportamento da inflação é levado em conta pelo BC para determinar a Selic, a taxa básica de juros da economia, atualmente em 12,5% ao ano. Pela segunda semana seguida, os analistas apostaram que a Selic encerrará 2007 em 11,25% ao ano. A projeção da taxa para o final de 2008 ficou em 10% ao ano, 0,5 ponto percentual a menos que a pesquisa anterior.','').replace('','') -->

Boa noite, Ângelo Monteiro

A fuga

Para onde eu corra não há voragem
Mas calma nas duas margens.

Por mais que eu corra não vejo
Onde há mais que duas margens.

Onde há mais que o mesmo rio
A correr sua linhagem.

Outro mundo

. Por descuido, estacionamos o veículo em local inadequado na Praça Tiradentes, em Ouro Preto.
. Um fiscal do Departamento Municipal de Tranmsporte e Trânsito (Ourotran) deixou, gentilmente, no pára-brisa uma nota de "advertência", na qual está escrito: "Informamos que este veículo foi notificado por estar estacionado em local inadequado, prejudicando a boa organização do trânsito na cidade. Esperamos contar com a colaboração efetiva de moradores e turistas na melhoria do uso dos esaços e afim de se evitar ações ostensivas."

Mundo pequeno

. Em nossas andanças pelas cidades históricas de Minas Gerais, fomos abordados por pernambucanos em Ouro Preto e Mariana.
. De maneira muito fraternal a carinhosa.

História: 30 de abril de 1981

Destroços do carro onde explodiu a bomba
Caso Rio-centro: bomba em show de 1º de Maio no Rio explode no colo dos terroristas em "acidente de trabalho". As apurações acobertam tudo e o militar sobrevivente sai condecorado. O episódio desmoraliza em profundidade a "abertura" do gen. Figueiredo e engrossa as filas oposicionistas. (Vermelho www.vermelho.org.br).

Haddad defende lei de responsabilidade no ensino

Na Folha de S. Paulo:
. A divulgação das medidas do PDE (Plano de Desenvolvimento da Educação) e dos resultados do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), novo indicador de qualidade do ensino, evidenciou mais uma vez a necessidade de reformulação no setor com a constatação de que apenas 0,8% dos municípios têm, hoje, patamares de qualidade considerados ideais.
. O principal personagem do novo plano -o ministro da Educação, Fernando Haddad, 44- afirma que alguns pontos que receberam críticas de especialistas podem ser contemplados em ações futuras. Um deles é a criação de uma Lei de Responsabilidade Educacional que, assim como faz a Lei de Responsabilidade Fiscal, crie mecanismos de punição a prefeitos que não investirem adequadamente no setor.
. "É do interesse do MEC discutir a criação de uma lei de responsabilidade educacional. A sociedade poderá amadurecer a idéia com nosso apoio", disse o ministro da educação em entrevista à Folha.
. Ele defendeu também o Inep, órgão responsável pela divulgação das estatísticas educacionais, das críticas por causa da revisão da média de algumas cidades, especialmente São Paulo, na Prova Brasil (exame do MEC que avalia qualidade). Segundo Haddad, houve um erro na leitura de algumas provas, o que levou o MEC a corrigir as notas e informar as cidades.
. Assinantes do UOL podem ler a entrevista na íntegra clicando aqui http://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc3004200724.htm

DESTAQUE DO DIA

Percorrendo de carro as cidades históricas de Minas Gerais, ficamos domingo e hoje sem notícias de Pernambuco e do Brasil, a atenção completamente voltada à história e a cultura mineira. Então, o Destaque de domingo e de hoje é essa deliciosa crônica de Luís Fernando Veríssimo. Boa leitura.

Sala de Espera

Sala de espera de dentista. Homem dos seus quarenta anos. Mulher jovem e bonita. Ela folheia uma Cruzeiro de 1950. Ele finge que lê uma Vida dentária.

Ele pensa: que mulherão. Que pernas. Coisa rara, ver pernas hoje em dia. Anda todo mundo de jeans. Voltamos à época em que o máximo era espiar um tornozelo. Sempre fui um homem de pernas. Pernas com meias. Meias de náilon. Como eu sou antigo. Bom era o barulhinho. Suish-suish. Elas cruzavam as pernas e fazia suish-suish. Eu era doido por um suish-suish.

Ela pensa: cara engraçado. Lendo a revista de cabeça para baixo.

Ele: te arranco a roupa e te beijo toda. Começando pelo pé. Que cena. A enfermeira abre a porta e nos encontra nus sobre o carpete, eu beijando o pé. O que é isso?! Não é o que a senhora está pensando. É que entrou um cisco no olho desta moça e eu estou tentando tirar. Mas o olho é na outra ponta! Eu ia chegar lá. Eu ia chegar lá.

Ela: ele está olhando as minhas pernas por baixo da revista. Vou descruzar as pernas e cruzar de novo. Só para ele aprender.

Ele: ela descruzou e cruzou de novo! Ai meu Deus. Foi pra me matar. Ela sabe que eu estou olhando. Também, a revista está de cabeça pra baixo. E agora? Vou ter que dizer alguma coisa.

Ela: ele até que é simpático, coitado. Grisalho. Distinto. Vai dizer alguma coisa...

Ele: o que é que eu digo? Tenho que fazer alguma referência à revista virada. Não posso deixar que ela me considere um bobo. Não sou um adolescente. Finjo que examino a revista mais de perto, depois digo "Sabe que só agora me dei conta de que estava lendo essa revista de cabeça para baixo? Pensei que fosse em russo." Aí ela ri e eu digo "E essa sua Cruzeiro? Tão antiga que deve estar impressa em pergaminho, é ou não é? Deve ter desenhos infantis do Millôr." Aí riremos os dois, civilizadamente. Falaremos nas eleições e na vida em geral. Afinal, somos duas pessoas normais, reunidas por circunstância numa sala de espera. Conversaremos cordialmente. Aí eu dou um pulo e arranco toda a roupa dela.

Ela: ele vai falar ou não? É do tipo tímido. Vai dizer que tempo, né? A senhora não acha? É do tipo que pergunta "Senhora ou senhorita?" Até que seria diferente. Hoje em dia a maioria já entra rachando... Vamos variar de posição, boneca? Mas espere, nós ainda nem nos conhecemos, não fizemos amor em posição nenhuma! É que eu odeio as preliminares. Esse é diferente. Distinto. Respeitador.

Ele: digo o quê? Tem um assunto óbvio. Estamos os dois esperando a vez num dentista. Já temos alguma coisa em comum. Primeira consulta? Não, não. Sou cliente antiga. Estou no meio do tratamento. Canal? É. E o senhor? Fazendo meu check-up anual. Acho que estou com uma cárie aqui atrás. Quer ver? Com esta luz não sei se... Vamos para o meu apartamento. Lá a luz é melhor. Ou então ela diz pobrezinho, como você deve estar sofrendo. Vem aqui e encosta a cabecinha no meu ombro, vem. Eu dou um beijinho e passa. Olhe, acho que um beijo por fora não adianta. Está doendo muito. Quem sabe com a sua língua...

Ela: ele desistiu de falar. Gosto de homens tímidos. Maduros e tímidos. Ele está se abanando com a revista. Vai falar do tempo. Calor, né? Aí eu digo "É verão". E ele: "É exatamente isso! Como você é perspicaz. Estou com vontade de sair daqui e tomar um chope". "Nem me fale em chope." "Você não gosta de chope?" "Não, é que qualquer coisa gelada me dói a obturação". "Ah, então você está aqui para consultar o dentista, como eu. Que coincidência espantosa! Os dois estamos com calor e concordamos que a causa é o verão. Os dois temos o mesmo dentista. É o destino. Você é a mulher que eu esperava todos estes anos. Posso pedir sua mão em noivado?"

Ele: ela está chegando ao fim da revista. Já passou o crime do Sacopã, as fotos de discos voadores... Acabou! Olhou para mim. Tem que ser agora. Digo: "Você está aqui para limpeza de pernas? Digo, de dentes? Ou para algo mais profundo como uma paixão arrebatadora por pobre de mim?"

Ela: e se eu disser alguma coisa? Estou precisando de alguém estável na minha vida. Alguém grisalho. Esta pode ser a minha grande oportunidade. Se ele disser qualquer coisa, eu dou o bote. "Calor, né?" "Eu também te amo!"

Ele: melhor não dizer nada. Um mulherão desses. Quem sou eu? É muita perna pra mim. Se fosse uma só, mas duas! Esquece, rapaz. Pensa na tua cárie que é melhor. Claro que não faz mal dizer qualquer coisinha. Você vem sempre aqui? Gosto do Roberto Carlos? O que serão os buracos negros? Meu Deus, ela vai falar!

- O senhor podia...

- Não! Quero dizer, sim?

- Me alcançar outra revista?

- Ahn... Cigarra ou Revista da Semana?

- Cigarra.

Aqui está.

- Obrigada.

Aí a enfermeira abre a porta e diz:

- O próximo.

E eles nunca mais se vêem.

Se for verdade, é grave

No Jornal do Brasil:
Considerando-se traídos e isolados pelo governo, os controladores de vôo preparam um pesado contra-ataque na CPI do Apagão. Assim que a comissão for instalada, tornarão públicos dezenas de documentos, reunidos em todo o país nos últimos dias, relatando 'quase acidentes', atribuídos às falhas de gestão cometidas pela Aeronáutica. A idéia é expor a falência do modelo e a necessidade da desmilitarização, que garantem ter sido abandonada.

Classe média impulsiona venda de computadores


Na Gazeta Mercantil:
Apesar da perda de capacidade de consumo da classe média, a aquisição do primeiro computador pessoal avançou significativamente na classe B e nos estratos mais altos da C, mesmo que o acesso à internet banda larga acompanhe a tendência mais lentamente. "Era um produto elitista, que está deixando de ser", comenta o consultor da IT Data, Ivair Rodrigues. Cerca de 3,5 milhões de consumidores finais compraram computadores em 2006, sendo que 2,2 milhões adquiriram seu primeiro PC. E praticamente todos os que passaram a ter seu primeiro computador em 2006 são das classes B e parte da C. Os números foram coletados pela IT Data e divulgados pela Abinee. O computador pessoal, assim como os eletroeletrônicos, tornaram-se mais acessíveis. "É como acontece com o celular", afirma Rodrigues, referindo-se ao fato de que, à medida que o usuário compra uma segunda máquina, a tendência é escolher um aparelho mais caro e sofisticado. O maior sonho de consumo hoje da classe média é uma TV de LCD ou plasma?

28 abril 2007

O olhar de Enio sobre a interminável crise aérea

Chage de Enio Lins na Gazeta de Alagoas

Bom dia, Cida Pedrosa

engenharia da dor
para Joaquim Cardozo

este olhar assimétrico
e o aroma de jasmim
não moram em meu poema

moram em meu poema:

a dor meridiana
o cheiro geométrico

placas de engenharia
números exatidão
conexão tangencial da morte

solidão inseparável das espécies

DESTAQUE DO DIA

Pela boa e salutar polêmica

Os ex-governadores Jarbas Vasconcelos e Mendonça Filho, segundo matérias veiculadas nos jornais locais, emitem sinais de desconforto em relação aos achados negativos que a equipe do governador Eduardo Campos tem trazido à luz, relativos a deficiências e supostas irregularidades verificadas na gestão passada.

Ambos – Jarbas e Mendonça – prometem se pronunciar no momento que considerarem conveniente sobre os “ataques” de Eduardo, ainda de acordo com o que está na mprensa.

O termo ataque é evidentemente inadequado. Substitui a palavra crítica, que corresponde à realidade. Ao se consideraremrem alvo de ataques, os ex-governadores podem estar insinuando uma tentativa de desqualificação das críticas. Isso não é bom. Via de regra contribui para deslocar os problemas do terreno da boa e saudável polêmica para o desgastante ambiente do simples bate-boca que em nada a esclarece os principais interessados na verdade dos fatos – o cidadão e a cidadã que vota e que paga seus impostos.

Para reduzir acidentes de trabalho

Charles Chaplin em "Tempos Modernos"

Da Agência Brasil:
. A cada ano, cerca de 2 milhões de trabalhadores perdem a vida em todo o mundo em acidentes de trabalho. No Brasil, de acordo com dados da Previdência Social, acontece um acidente de trabalho a cada três horas, ou seja, sete por dia. São 2.708 mortes e 491.711 acidentes de trabalho por ano.
. Para ajudar os médicos a identificar os acidentes de trabalho e tratar adequadamente as vítimas, o Ministério da Saúde lançou hoje (27) seis Protocolos de Atenção à Saúde do Trabalhador.São eles: acidentes de trabalho fatais, graves e com crianças e adolescentes; por exposição ao chumbo metálico; perda de audição por ruído; doenças causadas por exposição à poeira; doenças causas por exposição ao benzeno e doenças de pele ocupacionais.

Conselho contra maioridade aos 16

No Correio Braziliense:
"Vinte e quatro horas depois de ter sido aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado, a proposta de redução da maioridade penal de 18 para 16 anos será alvo de uma nova disputa. Desta vez, jurídica. O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) anunciou ontem que vai recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra a proposta de emenda constitucional. Com a ajuda da Associação Brasileira de Magistrados e Promotores da Infância e Juventude (ABMP), o Conanda vai entrar com um mandado de segurança com pedido de liminar para paralisar a tramitação da PEC no Congresso Nacional."

Contra a maioridade penal aos 16

O Globo:
O governo Lula vai mobilizar sua tropa de choque no Congresso para tentar impedir a aprovação da proposta de emenda constitucional que antecipa a maioridade penal e pune os maiores de 16 anos com a prisão, em caso de crime hediondo. O aviso foi dado ontem, no Rio, pelo ministro da Justiça, Tarso Genro. O ministro negou que a aprovação da proposta na CCJ do Senado anteontem, tenha sido uma derrota do governo: "O debate vai prosseguir", disse. Enquanto o governo e ONGs são contra alterações na lei, um levantamento mostra que na maioria dos países a idade mínima para responsabilização criminal é menor que a brasileira. Na Austrália, começa aos 7 anos, assim como em alguns estados americanos. No Reino Unido, a idade mínima é 8 anos. Na Itália, no Japão e na Rússia, 14 anos.

Já era tempo, Mantega

O Estado de São Paulo:
O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse ontem que o governo investiga se há abuso por parte das instituições financeiras na cobrança de tarifas bancárias e nos spreads - diferença entre os custos de captação e de empréstimo - que, segundo ele, estão muito elevados. O objetivo, segundo o ministro, é saber que medidas podem ser tomadas para reduzir esses custos no País. "Não é possível que o spread seja mais elevado que a Selic, que é a taxa de captação dos bancos", disse Guido Mantega. A Febraban e as instituições de crédito serão chamadas para explicar as razões das altas taxas.

Esbarrando em obstáculos

No Jornal do Brasil:
O governo anuncia como meta instalar internet banda larga em todas as escolas públicas. Mas segundo levantamento, há prioridades mais urgentes. Em 2005, 58% não atendiam aos padrões exigidos. No campo 29% sequer têm energia elétrica.

Uma longa jornada

No Vermelho, por Eduardo Bomfim:
. O presidente Lula lançou em Brasília nesta terça-feira passada o Plano de Desenvolvimento da Educação. Uma iniciativa ousada e um grande objetivo perfeitamente realizável, marcado por uma frase emblemática: “um novo século da educação, onde a elite da competência e do saber substitua a elite do berço e do sobrenome”.
. Na realidade ele faz parte do PAC (Projeto de Aceleração do Crescimento), visando impulsionar a economia. É o PAC da educação nacional. O PDE inclui 47 atos assinados pelo presidente e serão submetidos ao Congresso Nacional.
. Leia o artigona íntegra clicando aqui http://www.vermelho.org.br/base.asp?texto=16963

História: 28 de abril de 1982

Cartaz brasileiro
Condenada à prisão perpétua em Israel Lâmia Maruf Hassan, brasileira de origem palestina, 22 anos, acusada sem provas de cumplicidade numa ação armada. Cresce o clamor no Brasil e no mundo pela libertação da jovem. (Vermelho www.vermelho.org.br).

27 abril 2007

Mantega otimista

Na Folha Online:
Brasil terá sétimo PIB do mundo ainda neste ano, diz Mantega
O ministro Guido Mantega (Fazenda) afirmou nesta sexta-feira (27) que o Brasil fechará o ano de 2007 com o sétimo PIB (Produto Interno Bruto) no ranking mundial, considerando a nova metodologia adotada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O ministro participa de evento em sua homenagem promovido pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) em São Paulo.Após a revisão do IBGE, a expansão da economia brasileira em 2006 foi elevada de 2,9% para um crescimento de 3,7% --em valores, o PIB brasileiro atingiu R$ 2,3 trilhões. As novas contas nacionais passaram levar em conta 56 atividades econômicas e 110 produtos, contra 43 atividades e 80 produtos calculados anteriormente.

Filme explosivo

Na Ciência Hoje:
Uma explosão solar classe X – a mais forte de todas, capaz de interrromper as transmissões mundiais de rádio e criar tempestades de radiação (íons acelerados à velocidade da luz que colidem com nossa atmosfera) – foi filmada em grande detalhe pela sonda espacial japonesa Hinode no dia 13 de dezembro de 2006. Capaz de observar detalhes de quase 150 km a uma distância de cerca de 150 milhões de km, o Telescópio Óptico Solar (TOS) da sonda não só garantiu um visual espetacular, como ainda registrou a evolução magnética do fenômeno, uma habilidade única. As explosões solares são resultado de tensões, comumente associadas a manchas solares, no campo magnético do Sol. Quando elas atingem um ponto crítico, a energia é liberada com uma explosão que ejeta gás e gera tempestades de radiação. Oriunda da mancha solar 930, a explosão filmada pelo TOS foi tão forte que se houvesse astronautas na Lua, eles teriam que ficar dentro de sua nave para não serem expostos à tempestade.

Consumo interno e emprego crescem

Em Questão:
PAC e consumo interno impulsionam crescimento recorde do emprego
O crescimento recorde do emprego formal no primeiro trimestre de 2007 foi impulsionado, principalmente, pelo lançamento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e pelo aumento do consumo interno no País. O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) registrou, entre janeiro e março deste ano, a geração de 399.628 postos de trabalho com carteira assinada, o maior incremento desde 1992, quando dados estatísticos do Caged passaram a estar disponíveis, possibilitando estudos comparativos.

Achado primeiro planeta extra-solar habitável


Na Ciência Hoje:
Situado a 20,5 anos-luz do Sol, Gliese 851c teria condições de abrigar água líquida em sua superfície
. Um planeta parecido com a Terra, possivelmente com condições de abrigar vida, foi descoberto por astrônomos europeus. Com cinco vezes a massa da Terra e o raio 50% maior que o de nosso planeta, Gliese 851c é o menor planeta extra-solar já encontrado. Sua temperatura média foi estimada entre 0 e 40ºC, o suficiente para abrigar água líquida em sua superfície.
. O planeta percorre uma órbita de 13 dias em torno da estrela Gliese 851, uma anã-vermelha situada a 20,5 anos-luz do Sistema Solar, na constelação de Libra. A distância entre os dois astros é 14 vezes menor que aquela que separa a Terra do Sol. Ainda assim o planeta está situado em uma região habitável, já que Gliese 581 tem um terço da massa do Sol e uma luminosidade 50 vezes menor.
. A superfície do planeta deve ser rochosa ou coberta por oceanos, de acordo com modelos usados pela equipe de Stéphane Udry, do Observatório de Genebra (Suíça), responsável pela descoberta. Os pesquisadores submeteram um artigo que descreve o novo astro para publicação na revista Astronomy and Astrophysics .

DESTAQUE DO DIA

Uma questão estratégica

Suponhamos que o Brasil esteja entrando numa nova fase de crescimento econômico. E que, uma vez superados entraves macroeconômicos, esse crescimento se dê em patamares compatíveis com a demanda reprimida durante quase três décadas.

As medidas que o governo tem tomado – a exemplo do PAC – e a queda dos juros, ainda que lenta, porém tendencialmente consistente, nos levam a trabalhar com essa suposição.

Alguém tem dúvidas de que a geração de energia – insumo básico indispensável – precisa crescer substancialmente? Provavelmente não. Essa é, entre os estudiosos, uma constatação quase unânime, tirante a turma que vê em cada investimento de monta em infra-estrutura (seja qual for) uma ameaça ao equilíbrio ambiental.

Pois bem. As declarações da ministra Marina Silva, do Meio Ambiente, ontem, contrárias ‘a construção da Usina Nuclear Angra 3 – uma das opções, segundo o Ministério de Minas e Energia, para substituir a geração estimada em 6.450 MW de energia nas usinas de Santo Antonio e Jirau, em Rondônia, e evitar crise no abastecimento a partir de 2013 - soa destoante da linha desenvolvimentista do governo. E peca pela insensibilidade diante do valor estratégico da diversificação das fontes energéticas. Para o desenvolvimento e para a defesa do país.

Bom dia, Pablo Neruda


Os teus pés

Quando não te posso contemplar
Contemplo os teus pés.

Teus pés de osso arqueado,
Teus pequenos pés duros,

Eu sei que te sustentam
E que teu doce peso
Sobre eles se ergue.

Tua cintura e teus seios,
A duplicada purpura
Dos teus mamilos,
A caixa dos teus olhos
Que há pouco levantaram voo,
A larga boca de fruta,
Tua rubra cabeleira,
Pequena torre minha.

Mas se amo os teus pés
É só porque andaram
Sobre a terra e sobre
O vento e sobre a água,
Até me encontrarem.

O dinheiro do PDE

No Vermelho:
UNE: Plano de Educação só será cumprido se tiver orçamento
. As "audaciosas" metas do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) podem "esbarrar no orçamento" já que precisam de "grande investimento" para serem atingidas, avalia Gustavo Petta, presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE). Petta lembra que algumas metas já estabelecidas pelo governo federal não chegaram a ser cumpridas.
. "A meta no começo do governo era de que 30% dos jovens estivessem na universidade. Mas os recursos foram cortados. Continuamos em 10%”, afirma Petta. A meta de 30% de jovens entre 18 e 24 anos no ensino superior até 2011 foi estabelecida pelo Plano Nacional de Educação (PNE). O número estava em 10,9%, em 2005, segundo o Censo da Educação Superior, divulgado pelo Ministério da Educação.
. Petta considera que, apesar do PDE traçar as metas, as melhorias no ensino universitário estão nas mãos do Congresso Nacional, na chamada Reforma Universitária, que está na Câmara desde junho de 2006. Segundo o presidente da UNE, o projeto não está entre as prioridades nem do governo nem do Congresso. "Há uma subestimação tanto do governo quanto dos parlamentares. Não existe empenho e não está nas prioridades do governo”. Uma das medidas do PDE para o ensino superior é a criação de um sistema para contratação de professores universitários por meio de um banco de vagas para substituir professores aposentados ou exonerados.

Renda dos trabalhadores melhora

Da Agência Brasil:
Rendimento da população ocupada cresceu 7,7%, aponta IBGE
A alta de 7,7% do rendimento médio real da população brasileira ocupada, registrada na comparação dos resultados de fevereiro de 2007 com igual mês de 2006, foi a maior já calculada desde 2002 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado surpreendeu os pesquisadores do órgão e foi o maior da série histórica, totalizando R$ 22,5 bilhões.

O gerente da Pesquisa Mensal de Empregos (PME), Cimar Azeredo, disse que o aumento recorde de 7,7% nos rendimentos da população ocupada ao ano nas seis maiores regiões metropolitanas do país , assim como a alta de 5% nos rendimentos na comparação entre março deste ano e março de 2006, "mostra um dado que a gente já esperava, mas que de certo modo suplantou a expectativa".

"É um resultado muito bom e que aumenta na formalização [emprego com carteira assinada], aumenta na qualidade do emprego e, conseqüentemente, vem se refletir no rendimento. A massa de rendimento, pela primeira vez calculada com base na PME, mostra um resultado estável no mês, mas um bom desempenho no ano de 7,7% , R$ 22,5 bilhões", explicou.

De acordo com Cimar Azeredo, o cálculo da massa do rendimento real efetivo com base na Pesquisa Mensal de Emprego foi possível depois que ocorreu um aprimoramento no sistema usado. Ele disse que a nova metodologia permite calcular o rendimento de quem não respondeu à pesquisa, o que antes entrava como "valor ignorado".

Os resultados, ainda segundo Azevedo, apontam, também, para uma elevação do consumo. "O mercado consumidor brasileiro está consolidando uma tendência de dinamismo, que vem sendo observada. Desde a comparação entre os anos de2003-2004, 2004-2005 e 2005-2006 a gente vem mostrando o aumento da massa de rendimento", disse.','').replace('','') -->

Contraponto


No G1:
Lula: 'Oposição pensa em CPI, e eu no país'

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu uma estocada na oposição brasileira, ao responder a uma pergunta sobre a CPI do Apagão Aéreo, em entrevista em Santiago, no Chile.

"Enquanto a oposição pensa em fazer CPI, eu vou pensando em construir o Brasil", declarou ele, falando a jornalistas brasileiros e chilenos, no Palácio de La Moneda, sede do governo do Chile. "É assim que penso e não vou mudar meu comportamento por causa de uma, duas, três, quatro, cinco CPIs", disse o presidente.

Ao completar a resposta, ele citou indicadores econômicos positivos da economia brasileira - juros caindo, reservas internacionais e salários subindo, e saldo da balança comercial crescendo - e a estabilidade da democracia.

"Se alguns setores da oposição precisam de CPI para fazer o seu papel no Congresso, eu entendo isso como normal". Em seguida, acrescentou que tem "respeito pelos adversários". Lula lembrou que, quando estava na oposição, pleiteou a instalação de várias CPIs. "Eu pedi CPI contra os outros. Por que haveria agora eu de ficar zangado com uma CPI contra o governo?"

História: 27 de abril de 1938


Osvaldão. em cartaz de Jayme Leão, 1987
Nasce em Passa-Quatro, MG, Osvaldo Orlando da Costa, o Osvaldão da Guerrilha do Araguaia. Será um dos guerrilheiros mais admirados pelo povo do sul do PA, pela bondade, a coragem, a pontaria. Está desaparecido desde meados de 1974. (Vermelho www.vermelho.org.br).

Pela integração sul-americana

No Valor Econômico:
O governo federal pretende incentivar empresários locais a aumentarem as importações dos países da América do Sul, principalmente de alimentos, como forma de ampliar as relações com os vizinhos do continente e reduzir os superávits bilaterais brasileiros. A orientação foi dada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao ministro do Desenvolvimento, Miguel Jorge.
Segundo o assessor internacional da presidência, Marco Aurélio Garcia, uma das primeiras iniciativas será aumentar o número de missões comerciais para buscar novos fornecedores "Queremos incluir nessas missões as grandes redes de varejo", disse. "Não há porque não importantes mais laticínios do Uruguai, por exemplo".

Mais problemas no governo Jarbas-Mendonça

No Jornal do Commercio:
Governo Eduardo acusa irregularidades na EMTU
. No dia em que chegou dos Estados Unidos, onde passou três meses estudando gestão pública, o ex-governador Mendonça Filho foi surpreendido por mais uma denúncia de irregularidade supostamente cometida durante a sua gestão. Dessa vez, a acusação envolve o sistema de bilhetagem da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), controlado pela Tacom, empresa mineira responsável pela bilhetagem eletrônica. A informação apareceu na imprensa ontem e foi confirmada pela direção do órgão. A atual direção da EMTU frisou que a notícia não partiu do governo, mas admitiu que houve um “vazamento”. A nova denúncia faz parte de mais um capítulo do enfrentamento entre os grupos do governador Eduardo Campos e dos ex-governadores Mendonça e Jarbas Vasconcelos (PMDB).
. Por orientação da Controladoria-Geral do Estado, a EMTU instaurou uma comissão de inquérito administrativo, no dia 30 de março, que está investigando o pagamento antecipado de 60% do valor do contrato, estipulado em R$ 670,8 mil. O dinheiro foi pago quatro dias depois da assinatura, que ocorreu no dia 11 de dezembro de 2006, faltando 21 dias para o fim do mandato de Mendonça. “O pagamento antecipado é um ato irregular, que só ocorre em algumas situações, o que não é o caso. Não questionamos a falta de licitação, até porque só essa empresa produz esse tipo de cartão. A comissão vai apontar os nomes dos responsáveis”, explicou o presidente da EMTU, Dilson Peixoto.

PAC da segurança

O Estado de São Paulo:
Segurança terá PAC, com aumento para policiais
O PAC da Segurança será apresentado em 31 de maio ao presidente Lula e vai incluir a criação de um fundo para equilibrar os salários de policiais militares e civis em todo o País. A idéia é adaptar para a área de segurança os mecanismos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), que rateia recursos federais entre Estados e municípios com base no número de alunos, destinando 60% desse dinheiro para o pagamento de professores. Ainda não foram definidos os critérios para a distribuição das verbas, mas é grande o fosso a ser superado. A remuneração inicial dos PMs varia de R$ 2,9 mil no Distrito Federal a R$ 850 em Alagoas - e é de R$ 1,2 mil em São Paulo. Outro ponto do pacote é um sistema de financiamento da habitação voltado para policiais. Em fase de conclusão, o PAC da Segurança tem o nome provisório de Programa Nacional de Segurança com Cidadania e é conhecido pela sigla Pronasci.

Destravando o PAC

Na Folha de S. Paulo:
A ministra Marina Silva (Meio Ambiente) se comprometeu com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva a conceder licença ambiental para a construção de duas usinas hidrelétricas no rio Madeira (RO), segundo apurou a Folha. Cobrada por Lula, que tomou partido dos ministros Dilma Rousseff (Casa Civil) e Silas Rondeau (Minas e Energia), Marina pediu ao presidente que lhe desse um tempo para a construção de uma saída. Lula pediu pressa, pois considera que as usinas Jirau e Santo Antônio são fundamentais para o êxito do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

26 abril 2007

O olhar de Enio sobre a impunidade

Charge de Enio Lins na Gazeta de Alagoas

DESTAQUE DO DIA

A essência e a aparência

Se você olhar as colunas políticas e as matérias que freqüentemente ocupam espaços em nossos jornais, o pleito municipal vindouro não é em 2008, é daqui pra dezembro. Isto porque do que mais se fala é de candidaturas, tantas que a própria legislação eleitoral teria que ser alterada para dar lugar a sublegendas. E também se faz conjecturas sobre alianças entre partidor, tidas como praticamente certas, apesar da ausência de qualquer discussão nesse sentido entre os próprios partidos.

A ansiedade – digamos assim – da imprensa faz sentido. Ocupa um vazio – o da falta de um debate mais qualificado, com centralidade em questões substantivas, capaz de lastrear possíveis alianças e de viabilizar candidaturas unitárias, parcial ou plenamente.

Como não se discute a essência, que se noticia a aparência – essa é a regra que se impõe.

O PCdoB dará uma contribuição para colocar em pauta os problemas substantivos. Uma comissão criada pela direção regional comunista, formada pelo deputado Luciano Moura, pelo presidente estadual do Instituto Maurício Grabois, Lúcio Monteiro, e por esse amigo de vocês, que responde pelas relações institucionais e políticas públicas no Comitê Estadual do PCdoB, organizará uma seqüência de palestras acerca dos problemas atuais e dos desafios dos nossos municípios em Pernambuco.

Serão palestrantes personalidades do mundo político, acadêmico e da vida social, filiados ou não a partidos políticos. Os debates ajudarão a arejar a cena política e contribuirão para a capacitação de militantes e ativistas para a batalha de 2008 – que ainda está longe e comporta uma longa estrada para discussão, antes de definições que ainda reclamam amadurecimento.

Protecionismo necessário

No Valor Econômico:
. O governo elevou de 20% para 35% o imposto de importação sobre calçados e itens de vestuário. A decisão foi tomada pela Câmara de Comércio Exterior e será submetida às instâncias superiores do Mercosul. A expectativa é que a medida entre em vigor no fim de maio ou início de junho. O aumento foi autorizado sem o governo exigir contrapartidas - em investimento, manutenção do emprego ou modernização tecnológica - dos setores beneficiados.
. A proteção foi justificada pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, pela necessidade de proteger a indústria nacional da concorrência desleal. "Notamos a entrada volumosa de produtos estrangeiros, alguns subfaturados. Se tem gente fazendo malandragem ou usando instrumentos ilícitos, temos de reagir", afirmou.

Emprego formal


Na Gazeta Mercantil:
Chegou a 146.141 o número de empregos com carteira assinada gerados em março. No acumulado do trimestre, foram criadas 399.628 vagas. Ambos os resultados representam recorde para seus períodos. Segundo dados do Ministério do Trabalho, a indústria impulsionou a alta.

Mirando uma moeda única?


Na Gazeta Mercantil:
Comércio no Mercosul poderá ser em real
. A Câmara de Comércio Exterior (Camex) publica hoje uma resolução que, se aprovada pelos demais países do Mercosul, permitirá que as importações e exportações brasileiras com os parceiros do bloco sejam feitas não só em dólar, mas também em real e peso. No segundo semestre deste ano, a medida deverá sair do papel em negócios com a Argentina. Numa segunda etapa, a resolução também permitirá o comércio exterior em moeda local com qualquer membro do bloco.
. Para o secretário-executivo da Camex, Mário Mugnaini, a longo prazo a decisão da Camex, é o prenúncio de uma moeda comum no Mercosul. Os bancos centrais do Brasil e da Argentina já têm estudos que mostram os caminhos a serem percorridos para executar a idéia inicial. Mas as duas maiores economias do bloco precisam ainda assinar acordos bilaterais para regulamentar as transações sem uso do dólar.

Má qualidade

O Globo:
Brasil tem só 10 cidades com ensino de qualidade
Um dia após o presidente Lula afirmar que a educação brasileira ainda será uma das melhores do mundo, o novo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que será divulgado hoje pelo Ministério da Educação, mostra que apenas em dez dos mais de 5.500 municípios brasileiros os alunos da rede municipal de 1ª a 4ª série já atingiram ou superaram a nota média 6 - equivalente ao padrão de aprendizagem dos países desenvolvidos. Anteontem, Lula dissera que seu governo entrará para a História se o Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) botar o Brasil "em pé de igualdade com qualquer país do mundo desenvolvido". A meta do MEC é fazer com que os alunos de 1ª a 4ª série atinjam até 2021 a média geral 6, incluindo escolas públicas e particulares. Ramilândia (PR) em último lugar no ranking tem nota média de apenas 0,3. O Rio não tem qualquer cidade entre as que oferecem ensino municipal de qualidade.

Boa solução

O Estado de São Paulo:
Ambientalistas aprovaram a divisão do Ibama, confirmada pela ministra do Meio Ambiente, Marina Silva. "Era uma colcha de retalhos", disse o diretor da ONG Amigos da Terra, Roberto Smeraldi. Agora haverá um Ibama para o licenciamento de obras e outro para a proteção ambiental. Demissionário, o secretário-executivo do ministério, Cláudio Langone, afirmou que o governo "corre atrás de soluções fáceis".

Causa e efeito

Na Folha de S. Paulo:
A pressão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva por mais agilidade nas licenças ambientais, que ele acredita estarem atrapalhando o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), contribuiu para que a ministra Marina Silva (Meio Ambiente) acelerasse o processo de reestruturação da pasta. Ainda é incerto se as mudanças, anunciadas ontem, surtirão efeito. Lula está contrariado com Marina, que vinha resistindo. Mas a ministra afirmou que nada mudará em termos de licenciamento ambiental para obras de infra-estrutura -parte vital do PAC.

História: 26 de abril de 1817

O forte dos Reis Magos, Natal, local do suplício do patriota potiguar
Morre André de Albuquerque Maranhão, líder da Revolução Republicana de 1817 no RN. Em sua última noite, já ferido de morte na cela do forte dos Reis Magos, seus algozes dão-lhe uma pedra por travesseiro, pois "é o que merecem os patriotas". (Vermelho www.vermelho.org.br).

25 abril 2007

Mirando 2008

Na Folha de Pernambuco, por Marileide Alves:
PCdoB concorrerá em 15 cidades
. A Comissão Política Estadual do PCdoB se reuniu, ontem à noite, para discutir as eleições municipais de 2008. O partido, há pouco mais de um mês, reafirmou os preparativos para o pleito como a tarefa prática imediata mais importante. De acordo com o vice-prefeito do Recife, Luciano Siqueira, o partido vem discutindo o esboço do projeto eleitoral em cada município. “O esboço é verificar se o PCdoB tem condições de apresentar candidato próprio a prefeito. E, se não tiver, se o partido deve reivindicar o lugar de vice-prefeito. Também estamos desenhando a chapa própria de candidato a vereador”, adiantou. O PCdoB programa ter candidato próprio em 15 cidades de Pernambuco.
. Durante o encontro foi instituída uma comissão que ficará encarregada de coordenar uma seqüência de debates. O primeiro tema a ser debatido é o PAC. Na última sexta-feira, a Comissão Política Nacional fez uma avaliação e já admite a hipótese de disputar a cabeça de chapa em 14 capitais brasileiras. Entre elas, segundo Siqueira, estão Rio de Janeiro, com Jandira Fegale, e São Paulo, com Aldo Rabelo. O Recife também não está descartado. Em Pernambuco a sigla já articula as prefeituras de Goiana, Camaragibe, Olinda e Sanhoró. “É natural que o PCdoB apresente candidatos nessas cidades”, observou. Além dessas, a legenda pretende disputar o pleito em pelo menos 11 cidades do interior pernambucano.

Nossa coluna de toda quinta-feira no portal Vermelho

Unidade e luta na coalizão

O sentido do governo de coalizão é claro: quanto maior a empreitada, mais ampla há de ser a conjugação de forças reunida em torno do objetivo comum. A empreitada do governo Lula - a transição do modelo de desenvolvimento herdado, dependente, concentrador da riqueza e da renda e socialmente excludente, a um projeto nacional e democrático - requer descortino e muita força. Assim, é um passo gigantesco a unificação de onze legendas partidárias em apoio ao governo Lula.

(A dimensão da conquista há que se medir duplamente: pela necessidade de um largo espectro de correntes políticas e sociais apta a lutar pela superação do neoliberalismo no Brasil, enfim alcançado; e pela alteração, pelo PT e especialmente pelo próprio presidente Lula, de uma concepção de frente estreita e sectária predominante entre ambos por longo tempo).
Porém, uma vez alargada a frente governista, impõe-se também a afirmação da base programática do governo, apresentada no pleito de outubro.

Quanto a isso, dois registros devem ser feitos.

Primeiro, o alcance limitado de hipotéticos resultados a esperar das conversas que Lula vem mantendo com próceres oposicionistas. Nada além de uma convivência civilizada na qual a oposição possa adotar uma atitude menos rasteira em suas investidas contra o governo. Mais do que isso seria imaginar a construção de uma vontade nacional una – própria de situações de guerra ou de calamidades naturais de grande envergadura, nas quais o Brasil de hoje não se enquadra.

O segundo registro: a importância da reunião ocorrida ontem, em Brasília, entre os presidentes dos partidos que formam o Bloco de Esquerda (PCdoB, PSB, PDT, PMN, PAN, PRB, PHS). Nela se abordou o propósito comum de defender uma plataforma própria (em sintonia com a proposta programática sustentada na campanha presidencial de outubro), marcando sua identidade política através das bandeiras da soberania nacional, da democracia, dos direitos sociais e da integração do subcontinente sul-americano; e uma postura a um só tempo solidariamente partícipe e altiva face o governo Lula.

O Bloco faz, assim, o contraponto necessário à manifesta tendência centrista para a qual tem evoluído o PT, desde que passou a priorizar as relações com o PMDB (mormente a ala “neo-lulista”) e a subestimar o valor das relações com os partidos à esquerda, PCdoB e PSB sobretudo.
A reunião de ontem pode, inclusive, concorrer para que se confirme a indicação constante na resolução da direção nacional do PT, ocorrida no último fim de semana, no sentido da “recomposição do campo democrático-popular, estabelecendo um diálogo permanente principalmente com o PSB e com o PCdoB”.

Combinar dialeticamente unidade e luta no seio da coalizão, assim, só tem a contribuir para o avanço do governo.

Emprego sobe e desce

No Blog da Folha:
Emprego cresce no Brasil e cai no Nordeste
Ana Cláudia Dolores Agência Nordeste
Em março deste ano foram criadas 146.141 novas vagas de empregos formais no Brasil. O resultado foi apontado no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado hoje pelo ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi. A elevação do número de empregos não foi acompanhada, no entanto, pelo Nordeste. A Região apresentou uma perda de 11.831 empregos com carteira assinada no mês passado. As causas, segundo o MTE, estão relacionadas à sazonalidade do setor sucroalcooleiro. Leia mais.

Educação de qualidade

No Em Questão:
Índice vai avaliar aprendizado na educação básica
. A criação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e o apoio técnico e financeiro aos municípios com indicadores educacionais mais baixos são dois dos pontos principais do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), lançado nesta terça-feira (24) pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e pelo ministro da Educação, Fernando Haddad.
. Em seu discurso, o presidente Lula disse que o PDE coloca o Brasil no "novo século da educação" e que "nada é mais importante do que a capacitação dos brasileiros".
. O Ideb levará em conta o rendimento dos alunos, a taxa de repetência e a evasão escolar. Se fosse avaliada hoje, a educação básica brasileira teria uma média aproximada de quatro pontos numa escala de zero a dez.
. O Índice foi elaborado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep/MEC) e, segundo o ministro da Educação, vai mostrar as condições de ensino do Brasil. "Estão sendo criadas metas para o País mostrar em que situação nos encontramos, numa escala de zero a dez, aonde queremos chegar e em que prazo" .
. Nos próximos 15 anos, o Brasil terá que alcançar nota seis no Ideb. A fixação dessa média considerou a avaliação obtida pelos países da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), quando se aplica a metodologia do Ideb em seus resultados educacionais. . Seis foi a nota obtida pelos países desenvolvidos que ficaram entre os 20 mais bem colocados do mundo. Para atender os mil municípios com os piores índices de desenvolvimento da educação, o MEC vai investir R$ 1 bilhão nos próximos 12 meses recursos adicionais do Fundo da Educação Básica (Fundeb). Especialistas do MEC vão recomendar ações como o acompanhamento individual das crianças, atividades de cultura e esporte no contra-turno escolar, participação da comunidade nos conselhos de cada escola e criação de conselhos municipais de educação.

Bom dia, Mário Quintana

Rene Magrite/Espelho falso


Espelho



Por acaso, surpreendo-me no espelho:
Quem é esse que me olha e é tão mais velho que eu? (...)
Parece meu velho pai - que já morreu! (...)
Nosso olhar duro interroga:
"O que fizeste de mim?" Eu pai? Tu é que me invadiste.
Lentamente, ruga a ruga... Que importa!
Eu sou ainda aquele mesmo menino teimoso de sempre
E os teus planos enfim lá se foram por terra,
Mas sei que vi, um dia - a longa, a inútil guerra!
Vi sorrir nesses cansados olhos um orgulho triste..."

Má notícia

Da Agência Brasil:
Menos da metade dos brasileiros têm interesse em ciência e tecnologia
. Menos da metade dos brasileiros entrevistados por uma pesquisa recente têm interesse em temas relacionados à ciência e tecnologia. A pesquisa nacional Percepção Pública da Ciência e Tecnologia, promovida pelo Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) em parceria com a Academia Brasileira de Ciências, mostra que 41% das cerca de 2 mil pessoas ouvidas têm muito interesse no tema, 35% têm pouco interesse e 23% não têm nenhum interesse no assunto.
Os resultados da pesquisa foram divulgados hoje (25), em Brasília.
. Segundo o MCT, o estudo teve como objetivo levantar informações sobre o interesse, o grau de informação, as atitudes e visões e o conhecimento que os brasileiros têm da ciência e tecnologia. Essa é a segundo vez que uma pesquisa desse tipo é realizada pelo Brasil. A primeira foi feita em 1987, pelo Instituto Gallup de Opinião, dos Estados Unidos.
. Entre os temas que provocam maior interesse da população estão medicina e saúde (60%); meio ambiente (2º) e religião (3º). O tema ciência e tecnologia aparece em sexto lugar na lista das preferências.
. Além do interesse, a pesquisa também perguntou quais são os temas sobre os quais a população mais se informa. Em primeiro lugar, aparece religião (49%), seguido por esportes (40%) e economia (38%). Ciência e tecnologia aparece quarto lugar, com 27% das preferências.

Boa notícia

Da Agência Brasil:
Geração de empregos com carteira assinada em março foi recorde, revela pesquisa
. No mês de março foram gerados 146.141 empregos com carteira assinada, o que representa 0,52% do total de empregos no país, um recorde para o período. O acumulado de janeiro a março, 399.628 vagas, representa o melhor primeiro trimestre da série histórica, que começou em 1992.
. O resultado foi impulsionado pela indústria, que contratou 40.538 trabalhadores, 0,62%, na comparação com fevereiro. O resultado foi o segundo melhor do setor, dos últimos 15 anos.
. Em termos relativos, o setor da indústria que mais se destacou foi a construção civil, com crescimento de 1,276% na oferta de postos de trabalho, o que equivale a 17.253 postos de trabalho.

Prótese para a visão


Na Ciência Hoje:
Implantes cerebrais poderão restaurar visão
Implantes cerebrais podem ser a solução para algumas doenças da visão, sugere estudo realizado na Escola de Medicina de Harvard (Estados Unidos) e publicado esta semana na revista PNAS . A pesquisa indica uma possível alternativa para restaurar a visão de quem sofre de doenças em que a atividade cerebral relacionada a esse sentido continua intacta, como o glaucoma e a degeneração macular. Em testes feitos com macacos, foram implantados eletrodos em uma região do tálamo responsável por transmitir informações da retina ao córtex visual. No experimento, os pesquisadores analisaram o movimento dos olhos dos macacos em resposta a estímulos visuais e simulações elétricas no cérebro. Nos dois casos, os animais olhavam para o mesmo ponto. Ainda não se sabe se, ao receberem as simulações elétricas, os macacos de fato enxergaram. Mas os cientistas afirmam que alguma atividade análoga à visão foi registrada. Apesar de ainda não ter sido testada em humanos, a técnica é um avanço no desenvolvimento de futuras próteses restauradoras da visão.

Contra a reeleição


No Blog de Josias de Souza:
Tarso mantém articulação para acabar com reeleição
. Lula abriu a semana declarando, em seu programa semanal de rádio, o seguinte: “Eu sou um presidente reeleito, portanto, eu não posso agora dar palpite na reforma política no que diz respeito à reeleição.” A despeito dessa afirmação, o ministro Tarso Genro (Justiça) reafirmou, em entrevista ao blog, a decisão de abrir o debate sobre o fim da reeleição na próxima reunião do conselho político do governo, integrado pelos partidos que compõem o consórcio de apoio a Lula no Congresso.
. O ministro não age por conta própria, mas articulado com o chefe. “O governo não tem a meta de mandar uma emenda constitucional propondo o fim da reeleição”, disse Tarso. “O que nós queremos é dizer para os partidos da coalizão o seguinte: o presidente tem uma posição antiga sobre isso [contrária à reeleição]. Se a oposição quiser conversar, nós vamos conversar e trabalhar juntos para que ocorram eleições gerais, cinco anos de mandato e sem reeleição.”
. E quanto à tese da prorrogação de mandatos? “Sobre isso, o governo tem uma posição firme. Nós somos contra qualquer tipo de prorrogação de mandato. Seja de deputado, de prefeito ou de governador. Achamos inclusive que a colocação desse tema não serve ao diálogo que se pretende estabelecer com a oposição. Cria uma visão imediatista, que não serve para ninguém. Poderíamos caminhar para um processo de adaptação. Depois de definido o fim da reeleição, com mandato de cinco anos, as regras se aplicariam aos próximos mandatos, que teriam a coincidência. e não os atuais”.

Ensaio sobre Chico


No Vermelho:
Chico Buarque, o compositor do cotidiano brasileiro
A poética de Chico Buarque tem fortes bases no cotidiano brasileiro. Além de profundo lirismo, o lado mais sombrio do país vira matriz da sua criação musical. Veja artigo da socióloga Irlys Alencar Firmo Barreira para o Diário do Nordeste clicando aqui http://www.vermelho.org.br/base.asp?texto=16844

Pela integração

Na Gazeta Mdercantil:
INPI prepara integração na América do Sul
A partir de junho, começa o processo de integração entre Brasil, Peru, Argentina, Bolívia, Chile, Suriname, Paraguai, Uruguai e Equador para permitir que marcas e patentes registradas num desses países tenha validade também nos outros. Jorge Ávila, presidente do Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI), disse a este jornal que em janeiro de 2008 será assinado o acordo de cooperação entre esses países.
De acordo com Ávila, a medida é importante porque nenhum país da América do Sul faz parte do Protocolo de Madri, que prevê que o registro em um país signatário tenha validade em outros 80 países. O Brasil fará parte do protocolo a partir de janeiro de 2008, conforme adiantou este jornal. "Estamos com uma nova infra-estrutura para enfrentar o aumento da demanda", disse ele.

Aposta na qualidade

Na Folha de S. Paulo:
Além de destinar R$ 1 bilhão neste ano aos mil municípios com piores indicadores no setor, o Plano de Desenvolvimento da Educação, apresentado ontem pelo governo, premiará escolas públicas que conseguirem melhorar seu desempenho. Para isso, haverá acréscimo de 50% no orçamento do Programa Dinheiro Direto na Escola, que transferiu R$ 327 milhões em 2006.

Uma agenda histórica



A Classe Operária:
. Dois eventos de grande importância que marcam a agenda do Movimento Negro nesse ano devem ter atenção de todos comunistas. Entre os dias 10 e 13 de maio será realizado, em Belo Horizonte, o 3º Congresso Nacional da Unegro. . O documento guia do Congresso, intitulado “Um passo além da proposta”, registra a forma encontrada pela Unegro para sintetizar a necessidade de imprimir novos rumos ao movimento negro.
. A tese da Unegro defende que o povo brasileiro é um povo singular, miscigenado e uno na sua forma de expressão cultural, política, idiossincrática, embora prevaleçam profundas desigualdades sociais e econômicas entre brancos e negros. Aponta para maior presença e compromisso político com as bandeiras gerais do proletariado e enfatiza a importância da luta de classe, que boa parte do movimento negro desconsidera; propõe maior aliança com os movimentos sociais, distanciamento das teses ditadas por fundações norte-americanas, superação das ferramentas teóricas anacrônicas que pregam direta ou indiretamente a separação entre negros e brancos, fragmentando a luta do povo e dos trabalhadores. Será um congresso que marcará o movimento negro brasileiro e indicará um novo caminhar para Unegro. . O outro evento será o Congresso Nacional de Negras e Negros do Brasil, cujo objetivo é elaborar um projeto político do movimento negro para o Brasil, que reunirá militantes e representantes das várias correntes do movimento anti-racista. Trata-se de um acontecimento de igual ou maior envergadura que ao anterior, que depende da capacidade de negociação das organizações e lideranças nacionais do movimento negro, visto que há grande diversidade de pensamento, alguns contraditórios, que podem se desencontrar. O congresso será lançado em 23 de março de 2007, em Belo Horizonte, e terá seu encerramento em 21 de março de 2008, em São Paulo. Haverá seminários, plenária nacional, plenárias regionais e encontros estaduais que discutirão aproximadamente 22 sub-temas: trabalho, saúde, educação, moradia, segurança, empreendedorismo, terra, desigualdades regionais, desigualdade social, mídia, etc.
. Leia a matéria completa clicando aqui http://www.vermelho.org.br/museu/classe/296/movimento.asp#Uma%20agenda%20histórica

DESTAQUE DO DIA

Uma variável importante em 2008

O cenário das eleições de 2008 ainda está em formação. A maioria das variáveis a influenciar o curso dos acontecimentos deve se apresentar a partir de janeiro do ano que vem. Daí porque qualquer conjectura, agora, peca pelo imponderável. Mesmo no que se refere às alianças entre os partidos de um mesmo campo.

A reunião que ocorre hoje em Brasília entre os presidentes dos partidos que formam o Bloco de Esquerda (PCdoB, PSB, PDT, PMN, PAN, PRB, PHS), por exemplo, pode trazer à luz elementos novos.

É que além de uma plataforma própria (em sintonia com a proposta programática sustentada na campanha presidencial de outubro), marcando sua identidade política através das bandeiras da soberania nacional, da democracia, dos direitos sociais e da integração do subcontinente sul-americano, estará em pauta o próximo do pleito municipal.

Isto quer dizer que os partidos do Bloco passarão a considerar a possibilidade de se unirem em torno de uma candidatura comum à chefia do poder executivo municipal. Isto naturalmente levando em conta as peculiaridades de cada município – sem rigidez nem transposição mecânica de soluções entre um e outro caso.

No caso de Pernambuco, o relacionamento entre o PCdoB e o PT, estabelecido em bases estratégicas, sobretudo no Recife e em Olinda, vem a ser uma dessas peculiaridades - embora não necessáriamente imutável.

História: 25 de abril de 1984


"Abraço" ao Congresso: pressão popular frustrada
Apesar da maior campanha de massas que já se viu no Brasil (8 milhões nas ruas em 100 dias), a emenda das Diretas não passa na Câmara. Tem 298 votos a favor (65 contra, 112 ausências), 22 menos que os 2/3 exigidos. Mas a ditadura sai do episódio ferida de morte. (Vermelho www.vermelho.org.br).

Bom dia, Celso Mesquita

Algumas Palavras
Algumas palavras
persistem no dicionário
da esperança,
mas são como um sol
que sabemos frágil no inverno.
A esperança
é
um sol de meia-noite
como Deus,
e a infância,
e o comunismo:
algumas palavras que uso ao meio-dia,
mas que me abandonam
no sonho,
ou quando a chuva
leva em suas águas
o meu vocabulário,
e me transforma
em bicho desejoso
de calor, luz, e repouso.

Angra 3 na agenda

Na Gazeta Mercantil:
Lula deve retomar a construção de Angra 3O governo excluiu Angra 3 do PAC, mas o projeto que prevê a construção da terceira usina nuclear do País deverá sair do papel neste ano. Alta fonte do governo revelou a este jornal que o presidente Lula deu sinal verde para a instalação, com investimento de R$ 7 bilhões.Brasília, 24 de Abril de 2007 - O governo excluiu Angra 3 do PAC, mas o projeto que prevê a construção da terceira usina nuclear do País deverá sair do papel neste ano. A decisão encerraria disputa no governo: Silas Rondeau, de Minas e Energia, é a favor, posição oposta à de Marina Silva, do Meio Ambiente.

Angra 3 na agenda

Na Gazeta Mercantil:
Lula deve retomar a construção de Angra 3O governo excluiu Angra 3 do PAC, mas o projeto que prevê a construção da terceira usina nuclear do País deverá sair do papel neste ano. Alta fonte do governo revelou a este jornal que o presidente Lula deu sinal verde para a instalação, com investimento de R$ 7 bilhões.Brasília, 24 de Abril de 2007 - O governo excluiu Angra 3 do PAC, mas o projeto que prevê a construção da terceira usina nuclear do País deverá sair do papel neste ano. A decisão encerraria disputa no governo: Silas Rondeau, de Minas e Energia, é a favor, posição oposta à de Marina Silva, do Meio Ambiente.

PT busca reaproximação com a esquerda

No Vermelho, por Cláudio Gonzalez:
PT defende reaproximação com campo democrático-popular

Resolução divulgada ontem (23) pelo Diretório Nacional do PT defende “especial diálogo” com partidos de esquerda para reduzir a “margem de manobra do núcleo mais conservador da coalizão de governo”. Os petistas planejam uma forte reaproximação com o PSB, PCdoB e PDT, além dos movimentos sociais, para barrar o fortalecimento dos demais partidos da base.

Na avaliação expressa no texto da resolução do Diretório Nacional, “(...) ao contrário do período iniciado em outubro de 2002, há melhores condições (internacionais, políticas internas, econômicas e administrativas) para as forças progressistas e de esquerda implementarem seu programa. Por outro lado, estas mesmas forças não dispõem de uma candidatura natural à presidência da República, o que alimenta as expectativas dos conservadores e neoliberais, que pretendem recuperar o governo federal em 2010. ”

A preocupação com setores “conservadores” e com a consolidação das “forças progressistas de esquerda” está presente em toda a nova resolução do Diretório Nacional do PT. E isso inclui até mesmo outros partidos do governo de coalizão montado pelo presidente Lula. Os petistas planejam uma forte reaproximação com o PSB, PCdoB e PDT, além dos movimentos sociais, para barrar o fortalecimento dos demais partidos da base.

O documento afirma que, na coalizão de governo, o PT deve “privilegiar a recomposição do campo democrático-popular, estabelecendo um diálogo permanente principalmente com o PSB e com o PCdoB”.

Leia a matéria na íntegra clicando aqui http://www.vermelho.org.br/base.asp?texto=16909

Nosso artigo semanal no Blog de Jamildo (ex-Blog do JC)

VICE-PREFEITO NÃO CRÊ EM APROXIMAÇÃO COM OPOSIÇÃO
"PSDB e DEM apoiando o governo seria juntar jacaré com porco espinho", diz Luciano Siqueira

"A impossível união nacional"
Por Luciano Siqueira

Há situações em que praticamente toda uma nação se une. Diante de uma agressão externa, por exemplo. Ou de graves calamidades públicas.

As variações climáticas têm nos afetado, mas não há sequer o risco de um estado de calamidade pública de grandes proporções. Nem o Brasil é alvo de agressão por país inimigo. Então, não estão dadas as condições, nem a necessidade, de uma união nacional que envolva o conjunto da sociedade e, no plano político, junte governo e oposição.

Ao contrário, outubro ainda está muito recente. Travou-se uma renhida batalha eleitoral centrada na presidência da República quando, mormente no segundo turno, dois projetos de nação diametralmente opostos foram julgados pelo eleitorado. Venceuo presidente Lula e a ampla frente de centro-esquerda que o apóia. Perdeu o candidato Alckmin, do PSDB, que reuniu em torno de si uma forte coligação de centro-direita.

As divergências entre ambos não eram superficiais; eram e são profundas. O PSDB e o DEM (ex-PFL), embora aturdidos e ideologicamente derrotados, continuam fiéis às idéias de cunho neoliberal.

O PMDB, de centro, agregou-se quase por inteiro às hostes governistas, completando o amplo arco de apoio ao presidente Lula.

O presidente agiu corretamente ao atrair o PMDB para a coalizão governamental. Mas daí a pretender trazer também os dois grandes partidos situados ideológica e organicamente à direita vai uma diferença abissal. Nem acreditamos que o presidente alimente esse intuito.

No máximo deseja amainar o ímpeto oposicionista (sic) e, quem sabe, neutralizar um ou outro setor, quando faz afirmações, como fez ontem no programa de rádio "Café com o Presidente", tipo: "O presidente da República tem que ser uma espécie de magistrado, não pode ficar apenas governando com os seus"; ou quando recebe em palácio lideranças expressivas das oposições, como o senador Antônio Carlos Magalhães e Tasso Jereissati, ou ainda ao governador José Serra, de São Paulo.

Aliás, é o próprio presidente que esclarece: "Quando converso com o Tasso e com o senador Antônio Carlos Magalhães, converso sabendo que eles são oposição, que podem ter candidato em 2010".

PSDB e DEM apoiando o governo seria juntar jacaré com porco espinho. Seria uma "união nacional" mais do que improvável.

O que muda com Luciano Coutinho no BNDES?

No Olhar Direto:
. A reflexão é de Luis Nassif, em seu blog: "O BNDES com Luciano Coutinho”.
. Para entender o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), a partir da índicação de Luciano Coutinho para a presidência. Grosso modo, há três linhas de pensamento em relação ao BNDES. Uma, que vigorou de Eduardo Modiano (governo Collor) até o governo FHC, consistia em transformar o banco em um grande banco de investimento, trabalhando com modernas ferramentas financeiras e análises de planos de negócios, mas sem nenhuma visão estratégica ou estrutural.
. Especialmente na fase da privatização, foi um período absurdo. Saía-se de um modelo estatal na siderurgia, petroquímica, fertilizantes. Para transitar para o modelo privado, havia a necessidade prévia de análises sobre as características desses setores no mundo.
. Por exemplo, a petroquímica exige consolidação, escala. Com a implosão do sistema Siderbrás, havia condição de se montar um grande grupo privado nacional, de controle compartilhado. Nada isso ocorreu. Optou-se por vender picado, para maximizar o valor de venda. ***
. A segunda linha de pensamento foi trazida de volta para o banco na gestão Carlos Lessa. Tentava se retomar o espírito dos anos 80, no qual o banco decidia sobre o futuro de setores, induzia o setor privado a investir maciçamente –muitas vezes, a realizar sobre-investimentos. Tentava-se recuperar não apenas o banco que ajudava a criar cenários futuros, como a moldar o país.
. O modelo não foi ressuscitado, em parte devido ao terremoto da transição, que desarticulou os quadros do banco e fez a gestão Lessa perder um tempo enorme para remontar a estrutura. Em parte porque os novos tempos já não comportavam esse modelo. ***
. Com Guido Mantega e Demian Fiocca, o banco acabou aderindo a uma linha já delineada nos anos 80 pelo grupo que comandou a “teoria da integração competitiva”, o plano de abertura econômica.
. Com o tempo, esse grupo passou a contar com Antonio Barros de Castro como o grande teórico. Ex-presidente do BNDES (no governo Itamar), Barros voltou para o banco com Mantega.
. Na sua visão, passou o tempo do banco definir setores vitoriosos. O Brasil é uma economia suficientemente sofisticada para que se apliquem as chamadas políticas horizontais –isto é, que influenciem todas as empresas indistintamente. Entre essas políticas está a indução à inovação, à busca de novos mercados, à gestão etc.
. Esse grupo também recuperou ferramentas financeiras desenvolvidas no período anterior, e que são bons instrumentos de ação. O problema do BNDES do período anterior não era o de utilizar ferramentas de bancos de investimento. Era o de se limitar a pensar como banco de investimento. ***
. O pensamento do economista Luciano Coutinho é similar ao de Barros de Castro. Luciano participou dos primeiros estudos para mapeamento das cadeias produtivas brasileiras, ainda no governo Collor –encomendados pelo mesmo grupo da “integração competitiva”, que ocupou cargos no período.
. Essa experiência setorial será relevante para juntar a parte positiva dos diversos modelos em uma ação mais efetiva. Principalmente porque, a exemplo do primeiro governo FHC, o BNDES terá papel crucial para evitar o desaparecimento de diversos setores da economia, por culpa do câmbio apreciado.

Público e privado

No Blog da Folha:
Uma quarentena para os marqueteiros
. Do ministro Franklin Martins (Comunicação Social), em entrevista ao Terra Magazine, defendendo um período de quarentena para impedir que os marqueteiros de campanha trabalhem para os governos dos candidatos que ajudaram a eleger:. "O sujeito faz a campanha de um determinado candidato e aí depois ele consegue ganhar a conta de publicidade. E valeu na União, valeu no governo Fernando Henrique, valeu no primeiro mandato do Lula, valeu em São Paulo, valeu em Minas Gerais."

24 abril 2007

2010 em perspectiva

Senador Inácio Arruda (PCdoB-CE)
No Vermelho:
2010: Para Inácio, PCdoB pode lançar Aldo ou apoiar PSB
. Único partido a apoiar o PT nas cinco candidaturas presidenciais de Lula, o PCdoB pode não repetir a dose em 2010. “Em 2010, estamos abertos para tudo”, avisa o senador Inácio Arruda (PCdoB-CE), em entrevista a Eduardo Militão, no site Congresso em Foco. ''Por quê? Em 2010, é uma eleição totalmente distinta, porque você não tem uma liderança máxima, quase sobrenatural, como Lula. Os partidos podem testar cada qual a sua liderança”, diz Inácio.
. Em seu primeiro mandato no Senado, Inácio aponta opções que vão desde o lançamento de um candidato próprio, como o deputado Aldo Rebelo (SP), até uma aliança com o PSB, em torno do deputado Ciro Gomes (CE) ou do governador de Pernambuco, Eduardo Campos. “No segundo turno, todo mundo se une em torno da candidatura mais viável”, afirma.
. Nesta longa entrevista, Inácio avalia o governo Lula (''muito forte''), indica alternativas do PCdoB para as capitais em 2008, faz previsões sobre o PT e sua aliança com o PMDB. Fala também de seus planos como quadro político: diz que só se candidata a prefeito em 2008 se sua aliada Luiziane Lins (PT) não for para a reeleição, e que, se for instalada uma CPI dos Aeroportos no Senado, ''gostaria de participar''. Veja os principais trechos da entrevista clicando aqui http://www.vermelho.org.br/base.asp?texto=16876

Versos que afagam

"Aqui está minha vida./Esta areia tão clara com desenhos de andar/dedicados ao vento." (Cecília Meireles).

Pela boa leitura

. Uma ótima iniciativa. O Programa Nacional de Biblioteca da Escola (PNBE), que distribui livros para escolas públicas do ensino fundamental, passará a abranger também a educação infantil e o ensino médio – informa a Agência Brasil.
. Vai incluir prosa, poesia e história em quadrinhos.
. Estão sendo distribuídos nas escolas públicas kits com orientações para utilização dos acervos do PNBE e orientação para o uso de dicionário sala de aula.

Lula e o pacto federativo


No Vermelho:
Lula abre caminho para novo pacto federativo, diz Edvaldo Nogueira
. O prefeito de Aracaju (SE), Edvaldo Nogueira (PCdoB), participou do 1º Encontro do PCdoB de Prefeitos e Parlamentares em Salvador (BA), neste final de semana (21/4) e defendeu que iniciativas do governo Lula como a redução do volume de recursos que o município precisa liberar em contrapartida para receber os recursos federais e a nova lei dos consórcios intermunicipais abrem caminho para um novo pacto federativo. Veja a íntegra da conversa de Edvaldo Nogueira com Fernando Udo do portal Vermelho.
. Clique aqui para ler a entrevista http://www.vermelho.org.br/base.asp?texto=16809

DESTAQUE DO DIA

A crise de financiamento como questão de fundo

Os governadores têm grande influência sobre deputados e senadores. Ao governo não basta negociar com as bancadas no Congresso, precisa sempre conquistar o apoio dos governadores, mesmo que pontual.

Os governadores, por seu turno, tarimbados políticos, procuram sempre conquistar seus pleitos por essa via. Como agora, quando as medidas relativas ao PAC – a menina dos olhos do governo – juntamente com a proposta de prorrogação da CPMF e da vigência da DRU (Desvinculação de Receitas da União) tramitam no Congresso.

Os governadores contribuem com os votos dos parlamentares a ele ligados. Mas desejam como contrapartida a ampliação dos limites para que os Estados assumam dívidas. Isso interessa indistintamente a grandes e pequenos Estados.

A questão de fundo é a crise de financiamento do Estado brasileiro, que atinge a Federação nos três níveis a União Federal, os Estados e os Municípios. Uma herança dos governos militares, que endividaram o país ao exagero e sob condições desvantajosas, num momento em que havia grande liquidez internacional.

Tudo bem que agora os governos federal e estaduais façam acordos pontuais. Têm que sobreviver. Mas é preciso anotar que a recuperação da capacidade de investimentos públicos está indissociavelmente ligada à mudança da equação macroeconômica.

Bom dia, Pablo Neruda


Inicial
O dia não é hora por hora.
É dor por dor,
o tempo não se dobra,
não se gasta,
mar, diz o mar,
sem trégua,
terra, diz a terra,
o homem espera.
E só
seu sino
está ali entre os outros
guardando em seu vazio
um silêncio implacável
que se repartirá
quando levante sua língua de metal
onda após onda.
De tantas coisas que tive,
andando de joelhos pelo mundo,
aqui, despido,
não tenho mais que o duro meio-dia
do mar, e um sino.
Eles me dão sua voz para sofrer
e sua advertência para deter-me.
Isto acontece para todo o mundo,
continua o espaço.
E vive o mar.
Existem os sinos.

Direito à comunicação

Na Carta Maior:
Observatório de Direito à Comunicação é lançado na internet
. Instância de acompanhamento e fiscalização das políticas públicas e das mobilizações sociais no campo da comunicação, o Observatório é, segundo especialistas, um marco de pionerismo no Brasil que transcende a luta pela democratização da comunicação para estabelecer o paradigma do direito humano à comunicação.
. Foi lançado, neste mês de abril, o Observatório do Direito à Comunicação com o propósito de criar um ambiente virtual de acompanhamento e fiscalização das políticas públicas do campo da comunicação, dos atos dos poderes de Estado e das articulações da sociedade civil.. Ainda que o Observatório também se proponha a fazer a fiscalização da imprensa, seu principal objetivo é possibilitar ao internauta uma visão mais ampla das questões ligadas ao tema da comunicação, seja do ponto de vista da legislação ou das ações de governos, dos legislativos e do Judiciário.
. Leia a matéria completa clicando aqui http://cartamaior.uol.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=13890

A PM no governo Eduardo Campos

No Blog de Jamildo:
Livrar a PM de sua banda podre é uma das saídas para reduzir violência
. O governador Eduardo Campos, em função da liturgia do cargo, não pode sair por aí falando horrores da gloriosa Polícia Militar.
. Nos bastidores, entretanto, não há receio em cortar na carne, com a expulsão dos policiais envolvidos em problemas. O governador vem citando publicamente o estouro dos dois grupos de extermínio que foram denunciados na semana passada, sempre com a participação de PMs, como executores.
. Conforme fontes do governo, na nova gestão, a ordem é não procrastinar os inquéritos que estão na corregedoria militar e envolvem investigações de maus policiais. “Existem 300 policiais nesta situação e vão todos para o pau (julgamento, com punições), expulgando os maus policiais”, informam auxiliares do governador, nesta manhã.
. O paralelo é distante, mas não despropositado. A grande campanha para varrer a corrupção em tempos recentes foi feita em Nova York. Em 1994, o então prefeito da cidade, Rudolph Giuliani, decidiu jogar duro contra o crime e, além de não tolerar delitos, determinou aos chefes de polícia que limpasse os quadros da polícia de membros corruptos. Um sem número de policiais foi investigada e outros tantos demitidos. Como resultado, a criminalidade despencou. Depois de ocupar o primeiro lugar entre as 150 cidades mais violentas do mundo, era a última em 1996.
. Eduardo não é Giuliani, nem Romero é William Bratton, mas não resta dúvida que, no caso da nossa PM, a doença e o remédio são os mesmos.

Mais otimismo

Na Gazeta Mercantil:
As projeções dos analistas do mercado financeiro para o crescimento da economia em 2007 foram elevadas pela quarta semana consecutiva, segundo pesquisa semanal do Banco Central. Agora espera-se 4,1%, ante 4% divulgado no levantamento passado.

Morte na estrada

No Jornal do Brasil:
Levantamento da Organização Mundial de Saúde mostra que os acidentes de trânsito são a principal causa da morte de jovens no Brasil. O estudo critica ainda a péssima conservação das estradas e diz que os gastos gerados pelos desastres sangram o país em R$ 44 bilhões por ano.

Segurança cidadã

Do Boletim Diário, da PCR:
Vice-prefeito debate Segurança Cidadã
. O vice-prefeito do Recife, Luciano Siqueira, participou, na tarde desta segunda-feira (23), do simpósio internacional sobre Novos Consórcios Públicos para Governança Metropolitana e Prevenção à Violência Urbana, que acontece no Hotel Manibu, na avenida Conselheiro Aguiar, 919, em Boa Viagem (zona Sul do Recife). O evento, que segue até a quinta-feira (26), é uma promoção das prefeituras do Recife, de Olinda e de Camaragibe, do Ministério das Cidades e da Agência Canadense de Desenvolvimento Internacional (CIDA). O objetivo é a capacitação das instituições através do intercâmbio de conhecimentos.
. Luciano Siqueira participou do debate sobre Segurança Cidadã e Gestão Metropolitana, juntamente com representantes da Colômbia, Canadá, universidades de São Paulo e Federal de Pernambuco, Governo do Estado e Prefeitura de Olinda. “Ouvimos os depoimentos de estudiosos e especialistas a respeito desse assunto. Mas agora vocês vão ouvir a opinião de um ex-médico e aprendiz de gestor público, que passou a sua vida como fugitivo da justiça, durante a ditadura militar brasileira. Na condição de ‘coringa’, eu estou envolvido com o tema na Secretaria de Direitos Humanos e Segurança Cidadã do Recife”, informou Luciano Siqueira, que fez alusão aos conferencistas e debatedores presentes à mesa.
. “Antes era a segurança do Estado que estava em primeiro plano, durante os regimes totalitários. Agora, o alvo é o próprio cidadão”, conceituou o vice-prefeito durante sua palestra, que também abordou as ações de prevenção à violência na Bacia do Beberibe (que inclui os municípios de Olinda, Recife e Camaragibe), e como o tema é tratado no continente americano. Por fim, Luciano Siqueira falou sobre a importância do novo projeto de desenvolvimento: uma ação conjugada entre as cidades. “São estruturações prévias para que as prefeituras pudessem atuar junto das demandas de políticas públicas. Apesar das realidades extremamente desiguais entre esses municípios”, concluiu.

Luta de sentido histórico

No Vermelho:
O caráter histórico da luta contra a "Emenda 3"
Por Wagner Gomes, vice-presidente da CUT
. Os atos e manifestações desta segunda-feira (23) contra a "Emenda 3" podem ser creditados na conta da luta histórica do trabalho contra o capital. Eles são apenas uma parte dessa batalha que começou há muito tempo.
. As paralisações e os protestos ocorridos nesta segunda feira (23) foram uma clara demonstração de apoio dos trabalhadores ao veto presidencial à “Emenda 3”. A amplitude do movimento que se alastrou pelo país serve de alerta para a gravidade da situação. Convocados pelas centrais, estes atos se inserem numa luta que pode ser definida como secular. A tentativa de restringir direitos trabalhistas faz parte de um conflito de classes permanente, que nos dias atuais implica em uma disputa ideológica mais acirrada.
. O discurso contra a legislação trabalhista ganhou corpo com o aparecimento de várias propostas destinadas a ''reformar'', com intensidades variadas, a CLT e a Constituição desde que os liberais assumiram o poder no Brasil — primeiro com Fernando Collor de Mello e depois com Fernando Henrique Cardoso (FHC). Apesar de apresentar sinais de mutilação, a legislação trabalhista se manteve graças à luta dos trabalhadores contra o neoliberalismo.
. Para ler o artigo na íntegra clique aqui http://www.vermelho.org.br/base.asp?texto=16827

Metroviários de SP contra a Emenda 3

Wagner Fajardo


No Conversa Afiada:
METROVIÁRIOS EXPLICAM GREVE
. O presidente da Federação Nacional dos Metroviários, Wagner Fajardo, disse em entrevista ao Conversa Afiada que a categoria paralisou o Metrô de São Paulo por duas horas nesta segunda-feira, dia 23, em protesto contra a Emenda 3 (clique aqui para ouvir).
. Na prática, “a emenda permite que qualquer trabalhadores seja contratado como pessoa jurídica, sem direito trabalhista nenhum”, disse Fajardo.
. As centrais sindicais são a favor do veto do Presidente Lula à Emenda 3. As greves são uma forma de pressão dessas centrais contra a intenção de alguns partidos derrubarem esse veto no Congresso.
. O projeto da Super-Receita e a Emenda 3 foram aprovados no Congresso, mas vetada pelo presidente Lula no dia 15 de março. Agora, o Congresso pode derrubar esse veto.
. A Emenda 3 faz parte do projeto da Super-Receita e impede que auditores da Receita Federal e do Ministério do Trabalho fiscalizem e eventualmente multem profissionais liberais que prestam serviço na condição de pessoas jurídicas. A emenda transfere para a Justiça do Trabalho o poder de dissolver essas pessoas jurídicas que prestam serviços caracterizados como relação trabalhista.
Leia os principais pontos da entrevista de Wagner Fajardo:
. A paralisação de duas horas atendeu a um chamamento das centrais sindicais. Essas centrais elegeram esta segunda-feira, dia 23, como o dia nacional de protesto contra a possível derrubada do veto à Emenda 3.
. A paralisação foi decidida em assembléia realizada na semana passada.
. A Emenda 3 faz parte da Super-Receita, projeto que o governo federal enviou ao Congresso. O Senado adicionou ao projeto a Emenda 3.
. Para Fajardo, a Emenda 3 liquida com toda a CLT e com todos os direitos trabalhistas.
Fajardo disse que o trabalhador que foi obrigado a ser contrato como pessoa jurídica não tem direitos trabalhistas. E caso ele entre na Justiça contra a empresa, será demitido.
. A Emenda 3 passou na Câmara e no Senado. Mas o presidente Lula vetou a emenda após pressão e das centrais sindicais.
. Para Fajardo, setores do PSDB, DEM (ex-PFL) e do PMDB querem derrubar o veto do presidente Lula. Há muitos anos o Congresso não se reúne para discutir um veto presidencial.
Fajardo disse que os partidos de oposição querem votar o veto à Emenda 3 antes de outros 100 que estavam na “fila”.
. Segundo Fajardo, até agora, o presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL), não disse se vai chamar o Congresso para apreciar o veto.
. A Emenda 3 atinge não só para os metroviários, mas para todos os setores. Fajardo disse que essa emenda é contra as leis trabalhistas.

História: 24 de abril de 1972

Lula inicia a Caravana da Cidadania, uma viagem entre Garanhuns (PE) e São Paulo. Durante 25 dias, 2 ônibus percorrem 300 municípios. (Vermelho www.vermelho.org.br).

23 abril 2007

Tecnologia incompetente?

No Blog do Alon:
. A Folha de S.Paulo traz hoje reportagem sobre estudos segundo os quais:
O uso de computadores nas escolas não melhorou o desempenho dos alunos em português e matemática, aponta um exame feito pelo MEC (Ministério da Educação). Essa conclusão surpreende entusiastas do uso de novas tecnologias no ensino e consta em dois estudos realizados a partir do Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica), principal meio para avaliar a qualidade da educação.
. O texto é de Antônio Gois. Clique aqui para ler a íntegra. Abordei o assunto em Salas de aula e professores. Que simples!, de julho do ano passado. Um trecho do post:A Índia diz que não vai entrar no projeto de um laptop de US$ 100, idéia desenvolvida por Nicholas Negroponte. Ele andou circulando também por aqui com a proposta, e parece que o governo brasileiro está estudando a idéia de comprar milhões dessas maquininhas. Deus nos livre.
. A declaração do secretário indiano da Eduação sobre o assunto é uma frase que vale por um programa de governo. Diz o senhor Sudeep Banerjee: "Nós precisamos de salas de aula e professores mais urgentemente do que de ferramentas fantasiosas".
. Leia também: Abaixo os especialistas

O choro e seu dia

No Blog de Luis Nassif:
O Dia Nacional do Choro
. Salve Anacleto, Patápio e Chiquinha. Salve Nazareth que elevou o choro à categoria das músicas eruditas, e desenvolveu o balanço do ragtime com muito mais graça e talento.
. Salve São Pixinguinha que trouxe o elemento negro para o choro, e com seu balanço e sofisticação tornou o choro um gênero universal.
. Salve os chorões das décadas seguintes, os do sopro, na lembrança de Benedito Lacerda, K-Ximbinho, Luiz Americano, Zé da Velha e o maior de todos, Altamiro, filho dileto de São Pixinguinha.
. Salve chorões das cordas, Garoto que reinventou o gênero, Jacob que elevou às alturas, Waldir e seu cavaquinho.
. Salve o violão no choro, instrumento rei, com João Pernambuco, Dino e Meira, com Garoto e Zé Menezes, Dilermando e Baden.. Salve o piano de Chiquinha e Nazareth, de tia Amélia e Carolina Cardoso de Menezes.
. Salve os chorões de meu tempo, Raphael e Yamandu, Antonio Adolfo e Arthur Moreira Lima, Paulo Sérgio Santos e Armandinho.
. E salve, principalmente, meus amigos da noite, os chorões anônimos, mas que são lendas no nosso meio, que ajudaram a construir, tijolo a tijolo, a mais rica música instrumental do momento, o Nelsinho do Cavaco, o Dagô do Pandeiro, Zé Barbeiro e João Macacão, Roberta e Marcelo do pandeiro, Stanley da clarineta, Miltinho Tachinha, Alessandro Penazzi e Tigrão, meu parceiro Jorge Simas, e tantos outros, mas tantos e tantos que se eu for falar de todos, perderei as funções de hoje à noite do Alemão e do Ó do Borogodó.